sexta-feira, 7 de março de 2014

Tudo acontece...

"Portugal é o sítio onde tudo acontece e nada se passa"

Este é um dos comentários mais lúcidos de que me lembro de ter lido ultimamente. Foi feito a propósito de um post do Embaixador Francisco Seixas da Costa sobre a "admirável prescrição" da coima de um milhão de euros a que Jardim Gonçalves havia sido condenado por virtude da sua gestão danosa no BCP.
A dita coima, prescrita, não irá, assim, ser paga, porque os seus advogados, de certo remunerados a alto nível, conseguiram o tal protelamento com a interposição de sucessivos recursos.
E assim vai o país e vamos nós...

HSC

11 comentários:

João Menéres disse...

O que prova que o Código Penal tem que ser alterado.
Não discuto casos. Discuto que há duas justiças : Uma para o vulgar cidadão e outra para o português abastado.

Melhores cumprimentos.

maria isabel disse...

Mas vamos muito mal Doutora Helena.
São estes perdões que nos fazem acreditar que cada vez mais vale a pena ser corrupto.
O mal está em quem não tem esse perfil é apelidado de ATROFIADO como eu já ouvi chamar.

Anónimo disse...

Portugal precisava de um verdadeiro Vodoo a quem prevaricasse,ó lecas!
Vou ver se aprendo!

http://youtu.be/3N1if99Wea4

Bom fim de semana e sorriam que o sol dá uma ajuda.

zia disse...

Vamos para onde?
Será melhor ficar a ver passar estas cenas tristes, ficando nós cada vez mais revoltados e pobres...
Um abraço amigo,Luziz

Virginia disse...

O meu ex- ( juiz) dizia que se a justiça era lenta em Portugal, era devido ao papel dos advogados e da lei que lhes permite todas as manigâncias e mais algumas para fazerem prescrever ou atrasar os julgamentos. Agora o meu filho ( juiz, que trabalha doze horas por dia no cabo do mundo) constata exatamente o mesmo....os advogados são um atraso de vida para além dos problemas de tecnologia que diariamente ocorrem nos tribunais. Trabalhar em justiça neste país é uma injustiça!

Pérola disse...

Uma frase a fixar, sem dúvida.

patricio branco disse...

bob madoff foi investigado, julgado e condenado em 6 meses e há 3 ou 4 anos que está atrás das grades vestido às riscas, todos os bens que tinha foram penhorados para ajudar a pagar os desfalques, etc, para concluir, temos uma justiça de pais subdesenvolvido, sem meios, dependente do dinheiro e do poder politico, má e desigual, o que se fez para "reformar" a justiça foi fechar comarcas e tudo isto é verdadeiramente triste, etc

Anónimo disse...

País atrasado? Não! O nosso País é bem desenvolvido... Os senhores do capital fazem as leis para se protegerem a si mesmos. Neste País há duas justiças: uma para quem não tem dinheiro e a outra para quem tem. Este "cozinhado" de leis era bem simples: bastava copiar pelos outros países, cujas leis produzem efeito rápido. Mas não, é tudo feito com um certo sentido... É uma vergonha! Os grandes culpados são os que estão em São Bento, só vem os seus interesses imediatos. Não contem com o meu voto. São todos iguais!

Mafaldinha disse...

Paradigmático! O Estado não recebe a coima aplicada por ele próprio Estado, gasta uns bons milhares em toda esta trapalhada e ainda sai como o mau ladrão...
Tenha um fim de dia Feliz, cara Helena e que todos os dias sirvam para dignificar a mulher ;)

Fatyly disse...

"E assim vai o país e vamos nós..." e então há que cortar nos mais fracos e pobres para ver se morrem mais depressa para que este e muitos mais fiquem a nadar em dinheiro vindo da teia tão bem tecida em proveito próprio.

Um bom domingo

Anónimo disse...

Cara Virginia, permita-me a ousadia, mas juízes em causa própria não obrigado ...

A solução é simples, é barata e dá milhões ... acabe-se com a prescrição de dívidas ao estado.

É meio caminho andado para que acabe a fuga ao fisco e o planeamento fiscal agressivo, aumenta as receitas fiscais e pasme-se, se proposto pela direita teria a esquerda manietada na obrigação de aprovar a medida.

A culpa não é dos advogados, que são pagos para defender os seus constituintes e para que os juízes não cometam erros (ah.. se eles percebessem isto não enganavam nem as mulheres nem as suas mães), é do legislador ... por onde andam e já andaram muitos magistrados... e advogados.

Cumprimentos,

n381111