sábado, 15 de maio de 2021

A tal caixinha azul!


Se o ano de 2020 não foi dos melhores, o que se se lhe seguiu não tem sido brilhante. Com 36 livros publicados em vinte e tal anos, era muito natural que, mais tarde ou mais cedo, viesse a sofrer as consequências de tanto clic no meu computador.

Há uns quatro anos, os braços e as mãos começaram a dar-me dores insuportáveis e eu resolvi ir ao médico. Diagnóstico, após uma série de exames, revelou em ambos o síndroma do canal cárpico, cuja solução era operar. Para não fazer as duas ao mesmo tempo, escolhi a mão esquerda. Não guardo dessa intervenção grandes recordações. Mas, como por milagre, as dores do braço direito desapareceram e eu não tive que fazer a segunda intervenção.

Há cerca de um mês comecei a sentir que o lado direito, após o fim do ultimo livro, o PASSO A PASSO, estava a começar a dar sinais. Como da primeira vez fora operada por um ortopedista, desta não tive hesitação e fui para um neurocirurgião muito simpático, que olhou para mim e me disse que me iria operar. Mas, por um processo menos invasivo que o anterior e que não levaria mais de 5 pontos. Assim foi.

Vim para casa com total mobilidade dos dedos, sem dores, mas com um entorpecimento do polegar, indicador e médio. Como já não sou uma jovem, esses sintomas, disse-me, levariam ainda bastante tempo a desaparecer.

Quando tirei os pontos perguntei-lhe o que devia fazer em seguida. Fez um grande sorriso e disse-me. Pode fazer tudo. O que não deve é esquecer-se de fazer massagem na cicatriz, 3 vezes ao dia, com CREME NÍVEA. Aí foi a minha vez de dar uma gargalhada e de lhe explicar a minha ligação sentimental aqueles produtos, que até na doença me eram aconselhados!

Aqui têm, como cremes que sempre usei na saúde, me são seriamente receitados, agora, na doença... Repito aqui o que já disse antes: não tenho qualquer ligação à marca que não seja confiar nas suas qualidades. Pelos vistos estou certa, porque até o médico me manda usa-la!

HSC

sábado, 1 de maio de 2021

Parabéns!


Se fosse vivo seria Parabéns a primeira palavra que eu lhe diria hoje. Seguida do habitual beijo e do "que continues a ser feliz". Ele daria a sua sonora gargalhada e responderia "parabéns mãe, pelo filho que criaste". Ambos nos riríamos muito e  só o veria à noite porque o 1º de Maio era, também, o dia das celebrações politicas em que sempre andou metido. Hoje até acredito que o seu parto foi difícil, porque neste dia ele já só queria ver o mundo, para comemorar...

Acordei bem disposta, sonhei com ele e apeteceu-me passear por uns cantos onde ele costumava pousar. Foi o que fiz e conversamos um bom bocado. Contei-lhe que  já só tinha os pontos do punho para tirar, dei-lhe noticias da família e prometi que logo adormeceria a ouvir uma das suas musicas preferidas. Foi uma bela manhã passada em conjunto que me deixou feliz. Agora só me faltava mesmo dar um beijo ao André, o neto que tanto amo, tão parecido com o pai, e que é a melhor pessoa que conheço! 

HSC

sábado, 24 de abril de 2021

Miguel


Fez hoje move anos que o meu filho faleceu. Acordei com um dia triste mas com a alegria de ter aberto os olhos a pensar nele. Queria aqui agradecer as mensagens que recebi por sua causa, mostrando que ele, afinal, continua vivo no coração de muita gente.

Passamos o dia juntos, e fez-me muito bem, já que vou fazer uma  intervenção cirúrgica e durante uns dias não poderei estar com ele como é costume. Assim, ate 1 de Maio, data do seu aniversario, em que julgo que já estarei novinha em folha!

HSC

sexta-feira, 9 de abril de 2021

Sem palavras


 Não são necessárias palavras. A Inglaterra deve prestar-lhe sentida homenagem. Paz a sua alma!

HSC

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Jorge Coelho


Segundo ele, ainda eramos primos pelo lado Sacadura. Parece que, de facto, será verdade. Mas, seja ou não, Jorge Coelho era uma pessoa com quem sempre simpatizei, pelo seu gosto de viver, pela sua "capacidade de nos dar a volta" e pela sua simpatia natural. Pese embora o PS, o seu partido, nem sempre me ter convencido - infelizmente, também, nenhum dos outros conseguiu, até hoje, tal proeza -  o facto é que me tratou sempre com muita amizade e a sua morte é mais um daqueles murros no estomago, que ultimamente tenho sofrido.
Numa época este primo irá, daqui para o futuro, ser sempre lembrado com saudade. Será pelo Natal, em que  todos os anos "aquele queijinho" da Serra com mel ou doce de abóbora aparecia na minha casa. 
Outros lhe louvaram a carreira, o politico e o sentido do humor. Eu lembrá-lo-ei sempre pela grandeza de alma com que o vi. Que descanse em paz! 

HSC

KATALIN KARIKÓ

 HSC

quarta-feira, 31 de março de 2021

A caixinha azul

Desde que me lembro de olhar para produtos de maquilhagem que a minha mãe e as minhas tias usavam, uma marca me ficou para sempre na memória, embrulhada numa caixinha azul que dizia simplesmente Nivea. Eu deliciava-me a ver as mulheres da família a espalhar, com todo o cuidado, o recheio da caixa pela cara e pescoço. A partir daí, julgo que terei repetido, durante anos, os mesmos gestos.

Chegada à idade adulta experimentei outras marcas com objetivos específicos, destinadas aos olhos ao pescoço, ao corpo. aos lábios, enfim, a um mundo infindável de promessas a quem os usasse. Não era tarefa fácil , mas experimentei as melhores e mais caras que havia no mercado. Fui envelhecendo com elas, mas sabendo que se não me achava mal como mulher, também sabia que isso só parcialmente se devia aos boiões que tinha em casa.

Até que, um dia, uma mão amiga me fez chegar a melhor gama da Nivea, na altura. E até falei disso aqui no blogue, porque a mudança que senti nos produtos que usei foi para mim magnífica. A pele não perdeu as rugas, mas as rugas ficaram nitidamente atenuadas. Os olhos perderam o ar cansado que muitas vezes me acompanhava e, sobretudo. eu via que valia mesmo a pena, dedicar aquele tempozinho a tratar de mim. E os amigos ajudaram, dizendo maliciosamente que eu fora ao bisturi. Não fui nem quero ir. Gosto dos produtos e aconselho-os por que os uso e já sei escolher aqueles que se destinam ao meu tipo de pele.

Porque fiz um poste sobre a Nívea? Porque assim como uma amiga me deu a conhecer os seus produtos, pode acontecer que, alguém que leia estas linhas, fique grato por isso. Convém esclarecer que não sou patrocinada, não recebo nada em troca, não tenho participação financeira na casa e não conheço ninguém da organização,

Antes de terminar vou contar-vos uma história. Em certo dia os jornalistas perguntaram a uma modelo famosa o que é que ela levaria para uma ilha solitária se apenas pudesse levar uma coisa. A resposta foi imediata. Levaria, disse, a caixinha azul da Nívea.,, Eu também responderia o mesmo!

HSC