domingo, 4 de agosto de 2013

TASCA Urso

Cada vez me convenço mais de que nem que tivesse o dobro da idade, descobriria os cantos maravilhosamente escondidos que a capital possui.
Nestas férias, gostosamente passadas na ímpar Lisboa de Agosto jantei, ontem, com amigos num jardim encantador, pertença do Restaurante TASCA Urso, onde se encontram umas dez mesas cobertas com uma palmeira gigante, que se cruza junto ao céu com uma enorme variedade de trepadeiras e nos faz sonhar com o paraíso. O local tem outros recantos agradáveis, mas no Verão este espaço de verdura é especial.
Petiscámos pratos óptimos e a preço razoável - felizmente são em cada vez maior número os locais de petisco -, o serviço é bom e os donos, muito simpáticos, ocupam-se da cozinha e do serviço de mesa. Portanto, ambiente familiar e acolhedor, a dois passos do Jardim Botânico. Que me permitiu perceber que a movida lisboeta está no seu melhor para os lados da Politécnica e do Príncipe Real. 
Há muito tempo que me não dava ao luxo de gozar da cidade como tenho feito agora, uma vez que também venho recebendo, em minha casa, os amigos que não via há mais tempo. Tem sido muito compensador, apesar dos trabalhos culinários que tal impõe, quando se não tem ajuda doméstica .
Quem julgue que só no Algarve ou nas praias mais em voga, é que se fazem férias, está completamente enganado. Não há como uma crise, para descobrir que Lisboa, em Agosto, é um local quase divino!

HSC

Nota A foto acima é da nossa mesa, mas no inverno. Tente imaginar tudo coberto de verde e terá uma pálida imagem do local!

24 comentários:

Virginia disse...

Tem toda a razão em amar Lisboa em Agosto. Passei lá muitas férias, antes dos 20 anos e mesmo depois, levando turistas amigos nossos a visitar os locais mais emblemáticos da capital. Ainda me lembro de calcorrear a Alfama e de partir um salto alto (!) numa das calçadas, sendo o sapato imediatamente arranjado por um sapateiro que ali tinha uma lojinha.
Lisboa só tinha para mim um defeito no Vreão, era demasiado quente.
Comparativamente o Agosto no Porto é muito mais agradável, sem temperaturas de 30º e sem tanto vento. O mar à beira torna tudo mais convidativo para umas tardes de sol sem fim.

Estou na Praia da Luz numa casa com 47 anos.
Esta zona é espectacular e não preciso de mais nada para ser feliz.
O meu neto de 9 anos resolveu tocar violino junto às esplanadas ( sob vigilância dos pais, claro) e ganhou 36 euros em 45 minutos. Os ingleses daqui são cultos e civilizados....quase não se vêem portugueses...é uma zona privilegiada e em termos naturais linda de morrer. Mesmo em Agosto está-se bem.

Boas férias lisboetas!

Anónimo disse...

Come-se bem em Lisboa, assim como por esse país fora. Há muitos e felizmente bons restaurantes, refiro-me sobretudo a praticarem preços aceitáveis, servindo belas iguarias. A lista é infindável. Mas sejamos exigentes no que à qualidade e preço diz respeito. Em passeios que tenho feito, encontrei alguns desses simpáticos restaurantes, com uma cozinha bem agradável e pratos bem confeccionados, em, por exemplo, Almoçageme, Azóia, Cascais, S.Pedro de Sintra, Lisboa claro, no Porto, Matosinhos, etc, tantos, a caminho da Beira-Alta, evitando a auto-estrada (que, pessoalmente, detesto, come-se mal, caro e a paisagem nem dá para apreciar), virando por Vila-Franca-de–Xira e indo por ali até Constança, Tomar, até Coimbra, dali pela estrada da Beira, Nelas, ou então, depois dali até ao Douro, e por ali fora, econtrei vários restaurantezinhos soberbos. E se tivermos tempo, prossiga-se até ao Minho, Gerez e com sorte e informação, petiscar-se-á igualmente bem. Este país, entre muita coisa boa e boa gente, tem uma gastronomia caseira e regional excelente, além de bom vinho. Para melhor e mais detalhada informação sobre a matéria, sugiro o Blogue Ponto Come, de FSC.
P.Rufino
PS: ah, e muitos desses restaurantezinhos t~em uma decoração muito inspiradora!

Luisa disse...

Também gosto do Verão na minha cidade, Portalegre, e tenho (re)descoberto bons lugares. Ter amigos à mesa, no meu quintal, ouvindo correr a água da fonte, faz as minhas delícias.
Boa cidade!

Luísa Moreira

Um Jeito Manso disse...

Olá Helena,

Em tempos, há já bastantes anos, havia ali para os lados da Imprensa Nacional um pequeno restaurante, muito simpático, que tenho ideia que se chamava assim. Lá aprendi um excelente aproveitamento para os restos de frango assado: uma salada fria com batata frita às rodelas (podem ser de pacote), frango assado cortado aos bocadinhos, bastante tomate aos cubinhos, alguma cebola picada mas pouca, maionese, um pouco de ketchup, ovo cozido às rodelas por cima. Muito agradável para o verão. Muito justamente, chamavam a esta salada a 'Ursa'.

Mas não é por isso que conto. Havia também lá bifes que, consoante o tamanho, eram chamados, na ementa, de bifes, bifinhos e bifões. O dono tinha uns modos assim, como hei-de dizer?, a atirar para o amaneirado e quando o meu marido pedia um bife, ele todo cheio de trejeitos sorridentes, como que a armar-se em engraçadinho, perguntava-lhe:, 'bife, bifinho ou bifão?'. Embora o meu marido, nessa altura, fosse mais de se atirar a um grande bife, nunca foi capaz de de responder 'um bifão'. Dizia sempre, num tom seco e contrariado 'um bife'. Tenho ideia que só comia 'bifões' quando eu o socorria e pedia eu por ele.

Provavelmente hoje o nome do restaurante é o mesmo mas devem ter mudado de poiso e de ementa...

Um abraço e continuação de boas férias!

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara UJM
Penso que esse de que fala ficava na esquina de baixo. Este tem uma pataniscas de perder a cabeça- 5 por dose - uns camarões com laranja divinos - foi o que pedi para mim e são 7 - uns cogumelos recheados e são 8 - e uns peixinhos da horta do melhor. Veio tudo isto para quatro pessoas petiscarem com pão, azeitonas, queijo fresco com doce de abóbora e nozes, de entrada. E acompanhámos com um espumante a copo, geladinho, de uma marca nova, PALAVRAR, que não conhecia e de que gostámos muito!
Isto é que é partilhar!

rmg disse...


Trabalhei anos e anos com empresas de vários países e era habitual os meus colegas que vinham cá para reuniões ou trabalhar durante uns tempos chegarem todos á mesma conclusão : em termos de qualidade / preço não havia outro país na Europa que se comparasse (em termos globais , há sempre excepções) .

Eu próprio passei cerca de 15 anos da minha vida profissional a só ír a Lisboa e a casa ao fim de semana o que me "obrigava" a comer fora (pus entre aspas porque bem podia , ao menos , ter aprendido a pôr umas coisitas no micro-ondas).
Como andei por 4 distritos diferentes de norte a sul acho que me posso dar ao luxo de dizer que a minha opinião é "abalizada" .

RuiMG

P.S. - Em Lisboa moro perto de Alfama .
E digo à Virgínia que os sapatos lá de casa fazem as alegrias dos sapateiros da zona (mais os da minha mulher que os meus , claro).

Helena Sacadura Cabral disse...

UJM
Fui ver à net e o espumante é da Garrafeira d' Almada e custa 8,80 a garrafa.
Vou comprar porque bem gelado é muito agradável e trata-se de produto nacional.

Um Jeito Manso disse...

Helena,

Agradecida e convencida. Belo sítio para um jantar de petiscos depois de uma caminhada à beira Tejo em Belém a seguir a um dia de trabalho (que, para mim, Agosto já é mês de trabalho; mas enfim, Agosto costuma ser um mês relativamente tranquilo).

E convencida também com o espumante. Que nem de propósito, estive ontem à noite a ver um anúncio de Campari e lembrei-me de uns amigos que faziam uma versão de Kir Royale em que, em vez de cassis, usavam campari e não apenas ficava aparatoso como agradável. Ora, com cassis ou campari e esse espumante é capaz de ficar uma bela bebida fresquinha de fim de dia, não é?

E agora, depois desta conversa que já me abriu o apetite, tenho que arranjar alguma coisa de jeito para o jantar...

Obrigada!

Teresa Peralta disse...

Hummm que bom!.. Obrigada pela partilha.
Beijinho Helena

Post-scriptum (dá mais trabalho mas, não gosto do PS): Aí vou eu, ver a "Gaiola Dourada".

iLoveMyShoes disse...

Lisboa é linda o ano todo, mas tem uma vivência diferente em Agosto, não é? Se calhar por os espaços estão menos cheios, há menos barulho... eu adoro Lisboa em Agosto.

Anónimo disse...

Boa Noite,
O restaurante de que fala não será perto do Jardim Botânico e não da Estufa Fria?
Estive a ver no Google e fala em Rua de Monte Olivete, que é uma perpendicular à rua da Escola Politécnica.
Sou natural de S. Mamede, daí o meu grande amor ao Jardim Botânico que não gosto de ver confundido com outros e que é uma óptima sugestão para um passeio em Agosto.
Não leve a mal este post, é apenas o meu bairrismo a "funcionar"
Nocas

Helena Sacadura Cabral disse...

Nocas
Claro que tem toda a razão. É o Jardim Botânico, sim. E também eu gosto muito de lá passear.
A Estufa Fria não é longe e é outro local muito agradável.

Helena Sacadura Cabral disse...

UJM
Atenção à PARFOIS que tem umas echarpes lindas e umas carteiras enormes em tons de Outono, num castanho cinza. Estas últimas a 19,90 euros e as echarpes entre 7,90 e 12,90€.
Comprei uma de cada, gastei 27,80 e tem sido um sucesso!

Anónimo disse...

HSC experimente os concertos de jazz da Gulbenkian, ao ar livre , nas noites estreladas de Agosto!
L.L.

Paulo Abreu e Lima disse...

Helena, à excepção dos melhores bifes de Lisboa ali no Café de São Bento (local muito aprazível, embora, fora de Agosto, muito mal frequentado) e dos nacos de carne na pedra de um ou dois restaurantes de Carnide, em Lisboa come-se a pior carne do país. Qualquer bife barrosão de Trás-os-Montes ou arouquês da região de Arouca bate mil a a zero os que surgem em Lisboa. Infelizmente até sei a razão: mesmo sendo boa, a carne é pré-congelada no transporte com abundante água, retirando sabor e, claro, vendida mais pesada, logo, ficando mais cara. À excepção de três ou quatro locais, toda a carne que se compra ou se degusta nos restaurantes de Lisboa é muito mázinha.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Paulo
Há um outro bife muito bom e mais em conta que o do Café de S. Bento. É o do velhinho - agora refrescado - Café Império. Para mim, são dos melhores de Lisboa.

Helena Sacadura Cabral disse...

LL gosto muito de jazz e sempre que posso aproveito a Gulbenkian. Tenciono este ano fazer o mesmo.
Obrigada pela lembrança!

Isto e aquilo disse...

Lisboa é um "local quase divino" sempre, mas em Agosto ainda mais, porque como está muito mais vazia, podemos decobrir nela muita coisa em que não reparamos no resto do ano.
Também ando encantada ;)

Beijinho
Isabel Mouzinho

Anónimo disse...

Não sou de Lisboa, mas desde a minha sempre que aprendi a gostar desta cidade, que me foi dada a conhecer através de uma prima durante as férias de verão(visitavamos museus, exposições e andavamos a pé por Lisboa, sendo esta a melhor forma de a conecer). Gostei tanto que vim estudar para cá e cá fiquei (embora toda a "gente" ache que sou maluca, "viver no meio da confusão")
Pois é, confusa mas linda, tem uma luz como nenhuma outra, tem locais lindissímos, vistas maravilhosas, pessoas simpáticas, imensos jardins, locais que nos fazem pensar, parar no tempo e apenas apreciar.Tem imensa actividade cultural e não só claro ...

maria isabel disse...

A minha cidade é o Porto. Amo o Porto,mas não me importo que se riam de mim, porque adoro Lisboa. Sempre que a minha filhota que trabalha no curry cabral me diz: mae preciso que me venhas ca ajudar a qq coisa, não precisa de dizer 2 vezes que já estou a caminho e nunca consigo ver tudo que há para ver, porque ajudar a fazer qq coisa é sempre muito rapido. O tempo é pouco para passeata.
maria isabel

rmg disse...


Falando de carne : os secretos de porco preto .

Cada porco adulto tem entre 600 a
800 gramas de secretos .

Portanto se tudo o que nos apresentam como "secretos" nos milhares de locais em que eles aparecem diáriamente na lista como tal o fossem realmente não haveria porcos pretos que chegassem à face da terra .

Espero assim que num futuro qualquer introduzam "gradações" :
secretos , mais ou menos secretos , quase secretos , ali ao pé dos secretos e por aí fora , que é o que acontece .

RuiMG

P.S. - Permito-me remeter para uma informação detalhada nos comentários de :http://duas-ou-tres.blogspot.pt/2011/10/secretos.html

Anónimo disse...

Obrigada pelo prazer de ler a sua maravilhosa entrevista hoje no Diário Económico. Grande Mulher e grande Mãe!
De uma Mãe (que era amiga do seu filho Miguel - que me ensinou a gostar do seu filho Paulo)com um filho da geração do seu.
Um abraço amigo e continuação de boas férias (tal como eu, em Lisboa)

Um Jeito Manso disse...

Helena,

Obrigada pela dica. Já lá fui espreitar e já vi. Perfeitas. Estava imensa gente na caixa, não consegui esperar mas amanhã já lá estou caída. Vão ficar a matar com umas calcinhas que comprei nos saldos da Zara. Se se concretizar a ver se, à noite, faço uma 'instalação' e fotografo para mostrar (que isto, no verão, parece que puxa para coisas ligeiras).

PS: Hoje acho que vou ter, lá no meu canto, que falar na sua entrevista pois, mesmo sem ter escrito nada, já lá me apareceram comentários sobre isso, um dos quais nem publiquei. A ver como me saio... É difícil falar disto mas também me custa não falar...

Um abraço, brava, ou melhor, bárbara Helena!

Maria Helena Pinto Ribeiro disse...

E conhece a esplanada de uma loja de roupas, Lost In, no Príncipe Real? Um branco fresco e pão torrado com queijo de cabra, mel e nozes e estamos preparadas para uma tarde de contemplação e cavaqueira. às quintas, pela noite, têm jazz.

(tenho de desencantar o Diário Económico de ontem, dê por onde der)