domingo, 11 de agosto de 2013

Os efeitos da transparência

Hoje li um editorial que abordava um assunto em que deveríamos pensar. Todos gritamos pela necessidade de transparência. Com razão. Pela probidade. Com razão. Pela ética. Com razão. Por um passado impoluto. Com razão.
Mas como o mundo e as pessoas são imperfeitas, o que acontece na pratica é que, muito possivelmente, já estaremos a ser comandados por gente de quarta ou quinta escolha. Com efeito, se formos demitindo todos os que não forem perfeitos - e ninguém o é - aqueles que ficam, só podem ser o refugo, que nada mais sabe fazer. 
Com a agravante de que, mesmo entre esses, são cada vez em maior número aqueles que consideram que "se governam muito melhor cá fora do que lá dentro" e, por isso, dizem um rotundo não aos convites que lhes façam para gerir a coisa pública.
Isto é tão verdade que quem, como eu, faz consultoria, já não aceita clientes que possam, no futuro, trazer dificuldades. Ora se a consultoria é feita para ajudar a resolver problemas ou para os evitar, e uma pessoa como eu, que não deve a cabeça ninguém, pensa duas vezes antes de aceitar um trabalho limpo, que dizer daqueles a quem compete gerir o que não é deles?
Depois, será que todos aqueles que exigem as ditas qualidades, estão eles próprios isentos dos defeitos de as não terem? Duvido...

HSC

11 comentários:

rmg disse...


Toda a gente tem pelo menos um "cadáver no armário" que alguém pode ír buscar um dia , toda a gente sem excepção .
Fora os do "se não fôste tu , foi o teu pai" .

Que a maioria das pessoas ache os seus próprios coisa de pouca monta e mais que desculpáveis (se é que reconhece ter algum) e só veja "aldrabões e ladrões" à sua volta é outra conversa .

Portanto só por ingenuidade ou maldade intelectual (que vem dar ao mesmo)se pode esperar que pessoas competentes e honestas se metam nessas situações , há-de haver sempre ali uma falhazinha qualquer em dezenas de anos de vida que fará as delícias da inveja e mesquinhez reinante .

RuiMG

P.S. - Quando uma das minhas netas fez 1 ano (já há muito tempo) conheci o outro lado da família dela.
Durante horas disseram mal de tudo e de todos e , a certa altura , "queixaram-se" de eu me manter afastado da conversa .
Respondi que os tinha estado a ouvir mas que nunca por nunca me atreveria a juntar-me às únicas pessoas honestas , trabalhadoras , íntegras e dedicadas que havia em todo o País .
Por medida de precaução aquele meu filho (pai da neta) passou a fazer uma festa de anos àparte comigo ...

João Menéres disse...

SO do I !

Melhores cumprimentos.

Anónimo disse...

Exma Senhora Drª Helena

A senhora vai buscar cada tema que mexe mesmo com aqueles que são mais velhos... Ética - Moral - Caracter, são palavras que há muito foram eliminadas do vocabulário e da língua portuguesa. Só a faixa etária dos 70 para cima se devem lembar do significado dessas palavras.
Hoje Etica significa falta de respeito. Moral significa indecência e Caracter significa corrupção... Aqueles que teem menos de 70 e que sabem e cumprem o verdadeiro significado destas palavras, apresento as minhas desculpas

zia disse...

Minha Senhora que post mais rebuscado...
Caracter. Etica e Moral, aqui entra-se logo no debate das fronteiras entre ética e moral...
caracter é básico e penso que sem um destes três elementos os outros não existem...
Dava um linda e animada discussão filosófica!
Bem fico-me por aqui,
Beijinhos,
lb/zia

rmg disse...


Anónimo das 19h45

E vai ter que apresentar desculpas a muitíssimos pois são imensamente mais os que sabem e cumprem dos que os que não sabem e não cumprem .

Parece-me que à força de se fixar em árvores feias está a perder a beleza do conjunto da floresta .

Decerto não me levará a mal dizer-lhe estas coisas dado que eu tenho só menos 3 anitos que a sua "fronteira" dos 70, mas não acho que quando nós éramos jovens ou na idade madura estivéssemos cercados assim de tanta gente impoluta ...

RuiMG

Maria Helena Pinto Ribeiro disse...

Não sei o que transmitirá maior veemência, se o aplauso, se a subscrição.
Opto por ambas as duas!

Teresa Peralta disse...


Concordo com o que aqui escreveu. E duvido, também, que estivéssemos isentos de todos esses defeitos. Talvez, se nos tentássemos colocar, na mesma situação, no “lugar do outro”, e aplicássemos aquela regra de ouro que diz: “Não fazer aos outros, aquilo que não gostaríamos que fizessem connosco” pudéssemos resolver, em grande parte, a falta de carácter, de moral e de ética de qualquer individuo ou sociedade.

Beijinho :)

Virginia disse...

Gostava que todos os que criticam tivessem de dar provas no acto da governação. É verdade que há muita mordomia que deveria ser abolida ( falo do que sei, pois tenho familiares na política), mas o estatuto dum político é sempre vulnerável e poucos são os que escapam à maledicência , mesquinhice e invejinhas tipicamente portuguesas.

Dalma disse...

O RuiMG tem toda a razão. Eu estou a dois da tal fronteira dos 70 e se antes do 25.4 nada vinha a público, os "arranjos" também existiam. Depois desse marco e pese a candura que quiseram ver no movimento, não passou a ser diferente. Hoje graças à liberdade que nos trouxeram, sabe-se tudo, está tudo gravado, filmado, documentado... Os tempos de hoje não são diferentes porque o homem não é diferente!
Será que há grau para a Ética para a Moral e para o Caráter? Será que podemos dizer que se tem mais ou menos Ética, mais ou menos Moral mais ou menos Carácter? Neste último caso então poucos serão os impolutos! Quantos de nós, questionados por alguém que nos prestou um serviço e nos perguntou no final:"quer com fatura ou sem fatura?" estoicamente decidimos pagar os 23%de IVA?

Helena Sacadura Cabral disse...

Pouquíssimos, cara Dalma. Mas se um dos outros , um dia, tiver responsabilidades políticas, essa factura custa-lhe-á a carreira.
Portugal é um país de impolutos que se julgam capazes de julgar todos os polutos... e os crucificar na praça pública.
Ah! Se alguns falassem do que sabem deles, era um terramoto!

Anónimo disse...

Quem tem telhados de vidro não deve andar à pedrada,já minha avó assim falava e ponto.E eu acrescento ponto,parágrafo e travessão.
Para dizer o quê?quem nunca errou que atire a primeira pedra e nesse dia me avisem para eu não sair de casa,e ainda ficarei rezando pra que as telhas aguentem.
bjs
Fátima Duarte