segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

A nossa Madeira

Acabo de chegar dos estúdios da SIC onde vou todas as segundas feiras comentar um tema. Hoje foi impossível não falar do que nos aconteceu na Madeira. E uso o plural porque ninguém pode ficar indiferente à calamidade que por lá passou. A esta hora em que escrevo, teme-se um alerta vermelho que pode significar novos riscos.
Com crise ou sem ela é necessário ajudar quem ficou sem nada. No programa, lancei um apelo. Após o 25 de Abril os portugueses deram um dia de trabalho para ajudar o país. Não sei bem o que aconteceu a esse dinheiro porque nunca dele foram prestadas contas...
O que agora sugiro é que se abra uma subscrição nacional, entregue a gente de bem - Isabel Jonet, por exemplo, do Banco Alimentar - que distribua o que se conseguir reunir, a fim de minorar, no imediato, as carências de quem tudo perdeu. Mas é fundamental que tenhamos a certeza de que tudo será bem aplicado e não sirva de oportunidade para um qualquer aproveitamento político.
Por mim já decidi que tudo farei para ajudar os madeirenses. A primeira medida vai ser passar no Funchal metade das minhas férias. Que tal, todos os que possam, fazerem o mesmo, em lugar de ir para o Brasil ou para as Caraíbas?

HSC

9 comentários:

Benó disse...

A minha concordância total ao que acaba de escrever. Por mim farei o mesmo, pois adoro a Madeira.
Tenha uma boa semana.

Fada do Bosque disse...

A Helena é de um Altruísmo fora de série! decide, faz passar a mensagem e actua.
Temos de ajudar todos, dentro da medida do possível. Cada um com o que puder.
As alterações climáticas estão a demonstrar a sua força.
O nosso pequeno paraíso. :((
Solidariedade é precisa.
Bem haja Helena.

diogo disse...

prefiro mandar ajuda , ir lá passar férias só ajuda a industria hoteleira , não reergue casas

Anónimo disse...

A Madeira vai voltar a ser o jardim que foi até há pouco, tenhamos esperança. E se puder, farei o mesmo, lá mais para o final do Verão. Ir até lá de férias.
P.Rufino

Helena Sacadura Cabral disse...

Diogo ao ajudar os hoteleiros, atrai turismo,consome produtos alimentares e, sobretudo, dá trabalho.
Claro que agora o que mais se precisa é dinheiro para ajudar a reconstruir. Por isso apelei à subscrição nacional.
E agora os CTT, em boa hora, disponibilizam gratuitamente caixas para pôr ajudas que eles se encarregam de fazer chegar ao destino! É só pedir.

Maria João Lopo de Carvalho disse...

Claro, querida sogra, acho optima ideia!! Irei de certeza!!! Posso tambem dar um maozinha à isabel jonet na organização!!! aqui com a Minha IPSS temos muitos braços! Disponha de mim :) LOPA

Helena Sacadura Cabral disse...

Então norinha mãos à obra! Primeiro pedir a todos os amigos lençois, cobertores, edredons, almofadas que parece que é o que mais falta faz. Ao mesmo tempo pedirr caixas nos CTT. Logo que tenhas diz. Já hoje fui por duas vezes levar roupa. Minha e de gente que colaborou.
Pergunta nos CTT o melhor horário. Difere bastante de zona para zona.
Estou a pensar logo que o tempo melhore fazer uma "venda de ajuda" em que cada um dispõe do que não lhe faz falta e outros compram coisas que lhe fazem jeito. O dinheiro obtido entrega-se ou à Isabel ou à Cáritas que está no terreno a trabalhar.
Vê se tens uma ideia de local gratuito onde pudessemos fazer a venda e começa a pedir coisas. Eu já tenho uns adornos de primavera que podem render alguma coisa.
Dá notícias das ideias que tiveres!

GONIO disse...

Como madeirense a viver em Lisboa há 15 anos, não posso deixar de manifestar a minha tristeza como que se passou na ilha. Muita destruição e dor. O Funchal irreconhecível...
Tem sido notável e comovedor todo o apoio que tem sido dado. E absolutamente notável o trabalho que já se fez para voltar a ter tudo recuperado o mais rapidamente possível.
Bem haja a todos!

Maria João Lopo de Carvalho disse...

Sim sim, aqui no meu escritorio ... central.. perto da rua de s bento, acha bem?