segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O que é importante

A minha querida Alice Vieira não deixa, nunca, de me contemplar com mail´s que umas vezes me fazem dar sonoras gargalhadas, outras me comovem, outras ainda me distraem de um quotidiano que nem sempre é agradável. Em qualquer dos casos há sempre uma liçãozinha a tirar...
Pois desta vez mimou-me com uma conferência - sim, digo conferência porque o vídeo demora cerca de vinte minutos - que deve ser ouvida com muita atenção. Trata-se de uma lição, única, sobre os riscos das "histórias únicas". Para quem lê e, sobretudo, para quem escreve a conferencista chama a atenção para algo que em muitas ocasiões escapa à nossa percepção. Oiçam, os que quizerem, a lição dada por Chimamanda Adichie em:

www.ted.com/talks/lang/eng/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story.html
Vale bem a pena, garanto-vos. A mim, fez-me pensar e comoveu-me!
HSC
Nota Se ao carregarem no link não conseguirem abrir, ele vai ter a TED. Aí no search procurem em The danger of a single story e o vídeo aparece

10 comentários:

Shadow disse...

not found :\

Helena Sacadura Cabral disse...

Shadow veja a explicação que dou em nota no post

Helena Sacadura Cabral disse...

Shadow, mudei o link e julgo que agora se carregar sobre ele já lá vai ter.
Diga se conseguiu! Vale bem a pena!

Shadow disse...

Sim, agora sim. E sim, vale bem, bem a pena.
Tanta coisa que chega repetida à caixa do correio e aos blogs vizinhos, mas isto não conhecia de todo. Não sei se é uma lição se um relembrar, mas sei que hoje fiquei mais rica com isto.

Deixo-lhe este, na integra, caso ainda não conheça: http://www.youtube.com/watch?v=ji5_MqicxSo

Manuela Araújo disse...

Cara Helena
Conhecia esse vídeo, que é uma história de histórias muito bem contada, e que nos dá uma percepção de como aquilo que nos parece a realidade não o é, por ser apenas uma pequena parte dela, por vezes tão deturpada.
Vale a pena ver de princípio ao fim. Não é seguramente uma perda de tempo. Achei tão interessante que na altura também não pude deixar de lhe dedicar um
post.
Uma abraço

Raúl Mesquita disse...

Cara Helena: Esta Senhora fala bem (os 18 minutos passaram num ápice), comove, talvez uma virtude que tenha aprendido nos EUA, país de cinema, país em que, para mim, só Ellis Island é uma realidade! Culta, como não se cansou de dizer, vai pôr John Locke nos 15hundreds? É uma daqueles erros que não se perdoam. Imagine um Professor/escritor conhecido, pôr Camões no século XIV num discurso, ainda que oral? Aqui, na sacra Europa, caímos-lhe todos em cima... e com razão, parece-me. Qu'en dites-vous, chère Hélène? Bises, Raúl.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Manuela não há dúvida que "les bons esprits se rencontrent toujours"! Eu mais tarde do que você...

Pedro Lopes disse...

portentoso

Pedro Lopes disse...

se ainda não conhece o vídeo recomendado num comment acima (Shadow), permita-me "chamar" de novo a atenção para o dito, que é do melhor, mais humano, mais impressionante e universal que imaginar se possa... quem me conhece sabe que poucas vezes elogio fortemente, aqui os elogios são tão dispensáveis

o vídeo já teve no youtube mais de 11 milhões de visitas, mas não será o número que impressiona, é o conteúdo

o impacto da divulgação do vídeo foi tão grande na vida do próprio autor, Randy Pausch, que deu origem a um livro; sim: depois do sucesso do vídeo na net, o Prof Randy Pausch foi "obrigado" a escrever um livro, e antes de morrer ainda teve tempo e energia para ir ao Congresso dos Estados Unidos solicitar fundos para a investigação do cancro do pâncreas

acho o livro melhor que o vídeo; recomendo muito os dois

é tão impressionante

Pedro
ps: se não conseguir ver no computador "a duração completa" do vídeo (sempre são 1 h e 16 m), e visto no computador é cansativo, eu consegui transferir para DVD para ver na televisão, vê-se de forma mais confortável; diga-me se quiser, mando-lhe uma cópia

paula lopes disse...

Neste momento estoua ler um livro da autora, estou adorar