quinta-feira, 28 de julho de 2022

OS IL DIVO






Numa passagem por Lisboa, uns amigos arrastaram-me para o concerto dos IL DIVO, de quem sabiam  eu ser grande admiradora. 

Depois da trágica morte de Carlos Marín por Covid, os restantes membros dos Il DIVO – David Miller, Sebastien Izambard e Urs Bühler, depois de várias dúvidas – tinham cantado juntos 17 anos - decidiram prosseguir com a sua tournée, mas agora em tributo ao colega falecido.

A digressão, anteriormente chamada For Once in My Life Tour, avançou agora com um novo nome –Greatest Hits Tour e incluiu um convidado especial – o barítono americano Steven LaBrie. É este espetáculo tão especial que os IL DIVO trouxeram dia 24 à Altice Arena e que a mim me deixou deliciada.

LaBrie é um excelente barítono, mas não é espanhol, nem tem a presença física de Marín, que era um belíssimo homem. Mas trouxe à segunda parte do programa uma série de canções moderníssimas que mostraram bem a capacidade vocal dele e do grupo que o acompanhou.

Pode ter-se saudades do grupo inicial e eu tive. Mas senti-me refrescada por dentro, por ter amigos que se lembram, na minha ausência, daquilo que eu gosto.

Foi uma bela noite que terminou num passeio por uma Lisboa renovada, limpa, com casas modernas que eu não conhecia, porque não ando habitualmente por aquelas zonas que, agora, se tornaram bairros de elites.

E vivo eu, na fina Lapa, onde tudo parece estar igual há 30 anos, quando para aqui vim…

HSC 

3 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Lisboa é sempre uma sedução.
Para quem lá vive e para quem a visita.
Bom fim-de-semana

Anónimo disse...


Como eu gostava de se capaz de gerir assim a minha vida. Olho Para si e vejo-a sempre como uma mulher de 50 anos, por quem é fácil apaixonarmo-nos!


Francisco

Anónimo disse...


Bem a vi toda janota com fato preto de bolinhas e muito bem acompanhada. O Brancamp Sobral só tratava de "princesa"!


Leonardo