domingo, 27 de janeiro de 2019

O valor da amizade

Aqueles que me lêem sabem que os dois grandes pilares da minha vida são os amigos e a família. Não porque sejam perfeitos, mas porque é do seu oxigénio que me alimento. Depois vem o trabalho, o sonho - sim ainda tenho sonhos - e o silêncio. Dito isto só não faço por eles o que não sei ou não posso. 
Na sexta feira fazia anos uma das minhas maiores amigas. Andamos sempre quatro, neste grupo "da vida airada", como nós nos chamamos e, embora eu estivesse um pouco adoentada com este frio que irrompe sob um sol radioso, não podia deixar de estar presente no jantar que reunia os seus 27 amigos mais íntimos. Lá fui.
A Golden - como a chamamos -, tinha reservado o segundo andar do IBO, um restaurante do qual gosto muito, porque se come bem, se vê o rio e me lembra Moçambique, essa terra que me fez "sentir" África.
A primeira surpresa foi ver uma boa parte dos gestores que conheço da televisão e da vida de economista, estarem ali como se estivessem em casa. Tanto, que foram os veículos da poesia lida a meio do jantar. E ouvimos desde poemas de Régio até aos versos de autor!
A segunda surpresa foi a qualidade do que comemos e bebemos, sem deixar de referir que até o bolo de aniversário era excelente. E tudo no meio de enormes risotas pelas piadas que davam à aniversariante, com especial referência ao Pedro Rebelo de Sousa que nessa noite estava "implacável".
Por fim, a terceira surpresa, essa anunciada no momento, era um professor de Tai Chi que nos iria ensinar alguns golpes. Aí começou a agitação, vendo-se cada um retratado em posições que pudessem ser aproveitadas pelos telemóveis mais competentes. Quando a agitação acalmou viemos, de facto, para a rua não para uma aula, mas para lançarmos balões brancos que levavam um pequena chama de led e que ao subirem muito alto, faziam um céu todo estrelado por cima das nossas cabeças. Um espectáculo lindo!
A nossa Golden fazia 66 anos, uma capicua que só se repete aos 77. Se eu ainda cá andar, espero poder lançar os meus balões e desejar-lhe que viva mais onze para festejarmos os seus 88. 
Bem hajas, Esmeralda, por me incluires neste teu grupo, sem ter passado pelo City Bank, que esteve na origem de muitas destas tuas perenes amizades!

HSC

12 comentários:

Teresa disse...

Que bela descrição da festa! Sigo um blog "A vida em azul cueca", e esta semana li uma referência ao seu livro " Coma comigo",fiquei curiosa,pois foi muito elogiado,procurei em 2 sítios e não encontrei!Já pesquisei que saiu em 2011. Eu prefiro lojas "físicas". Obrigada.😊

Anónimo disse...

Querida Helena Sacadura Cabral


Às vezes a Noite é...
Nuvem aboboral que paira no tecto do olhar diurno e lhe fecha uma luz solarenga para lhe abrir uma espécie de preciosidade luarenga

Anónimo disse...

🌹

Pedro Coimbra disse...

São também os dois pilares fundamentais da minha vida - a família e os amigos.
A base para construir tudo o resto.
Tenha uma linda semana e continue assim a viver a vida intensamente.

Anónimo disse...


Helena
Uma noite bem passada.

Abraço
Carla

Anónimo disse...

Dra Helena gostava de ter a sabedoria que a senhora tem aproveitando tudo o que a vida lhe dá, apesar de ter perdido um filho muito amado. Como eu gostaria de ser capaz!

Anónimo disse...

O que mais me impressiona em si é essa capacidade rara de aproveitar ao máximo as pequenas coisas boas da vida. A maior parte das pessoas não é. Porquê? Como se consegue? Ensine-nos!

Anónimo disse...

Os amigos são a familia que escolhemos. A outra, é a que nos destinaram... e nem sempre a melhor.

Anónimo disse...

Às vezes penso como deve ser bom tê-la por amiga e poder conhecer quem a rodeia, que sai de áreas muito diversas, desde a sua Grupa, até aos colegas de profissão!

Anónimo disse...

Que noite agradável devem ter tido! Fico com uma pontinha de inveja!
Dizem-me que o seu amigo PRS é uma pessoa cheia de humor. Parece ser verdade.

Margarida Barriga disse...

Adorei.Obrigada.

Aurélia Marques disse...

Esta Senhora é um exemplo a seguir por mim. Admiro-a muito. É uma mulher sem idade.