quarta-feira, 25 de março de 2009

As quotas femininas

O género feminino representa cerca de 52% da população mundial. Em Portugal a proporção não se afasta muito desta taxa.
Ora será este ano que, pela primeira vez, os partidos irão ter de cumprir a lei que impõe que 33% das listas eleitorais sejam ocupadas por mulheres.
Sempre fui contra esta determinação, porque entendo que que não é por decreto que se impõe ao género feminino uma participação que o mesmo parece, ao longo dos anos, rejeitar.
O sistema não é novo nem sequer original. Antes de nós, outros países ditos desenvolvidos, o puseram em prática, até o mesmo se tornar desnecessário. Falo dos países nórdicos, por exemplo.
Esta "Lei da Paridade" ainda nos vai trazer dissabores, ao permitir que as escolhas sejam não por mérito mas sim por género. Que, como se adivinha, sendo a pior forma de escolher o que quer que seja, acabará por se virar contra nós. E é também muito possível que o sexo feminino "apenas" apareça para fazer cumprir a lei. E que, posteriormente, estas mulheres venham a ser substituídas, em caso de impedimento, pelos homens que "naturalmente" se lhes seguirão nas listas...

H.S.C

1 comentário:

CÁ FICO disse...

sou contra as quotas