quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Nívea: Eu gosto!


Nunca quis ter publicidade nos meus blogs. Não censuro quem a tem mas, no meu caso, ser-me-ia muito difícil dar uma opinião livre sobre qualquer coisa que tivesse patrocínio. Porém, também não quero ter limitações de falar do que gosto, por recear que os outros entendam que estou a ser patrocinada!
Assim, há uns meses disse aqui que iria ter, de vez em quando, uma coluna opinativa que podia ir dos livros, aos discos, aos produtos alimentares, ao cinema, enfim, a tudo aquilo que eu entendesse dever  elogiar ou criticar.
Pois bem, aqui estou hoje, a falar de cosmética. Logo eu, que tenho muito pouco tempo e paciência para estes delicados trabalhos. Mas, também confesso, que durante bastante tempo pude gozar, uma vez por semana, dos benefícios de uma massagista e do sono reparador que sempre se lhe seguia.
Mas, voltemos à cosmética da qual, por norma, sou uma utilizadora errática. Uso com a mesma facilidade um creme caro ou um comprado em supermercado. A unica fidelização que tive desde criança, foi à caixinha azul da Nívea, que tanto servia para tratar os joelhos feridos dos filhos como de alimento para pele seca do rosto ou do corpo.
Todavia este verão algo chamou a minha atenção. Era a campanha televisiva da marca com a  duração de 30 segundos, cuja nova filosofia era o “Co-ageing” (Co-envelhecimento)  que afirmava ajudar as mulheres a aceitarem os sinais do envelhecimento, deixando assim para trás o conceito "anti-ageing" (antienvelhecimento), porque envelhecer não pode ser um tabu.
Para representar essa nova filosofia, foi escolhida a atriz italiana Monica Belluci que foi o rosto da linha de produtos Hyaluron Cellular Filler. E o que ela dizia faz para mim todo o sentido, ja que todos "temos de aceitar a passagem do tempo, num mundo onde todos temos medo de envelhecer, mas onde o facto de dizer que podemos continuar a amar e a ser amados, mesmo tendo uma beleza mais orgânica". 
A mensagem tocou-me e, durante o verão, experimentei a referida gama. Não fiquei, claro, como a lindíssima Monica. Mas que a minha pele parece melhor, isso é um facto!

HSC

16 comentários:

Anónimo disse...

Há muitos anos que uso Nívea e se não sou a Mónica, pelo menos tenho uma boa pele!

Fernanda

João Menéres disse...

Também sou desde criança fã da embalagem redondinha NÍVEA !
Agora que teria de novo conveniência em aplicar com frequência, dá-ma a preguiça ou esqueço-me do bem que me traria.

Melhores cumprimentos.

Anónimo disse...

Uma mulher Bela, a Mónica! Um homem perde-se com ela e por ela!

Anónimo disse...

Dra Helena

Gostei que abrisse esta área do"gosto" / "não gosto". Espero de lá vir a tirar bons conselhos.
No caso da Nívea não sabia que a marca já tinha tanta diversidade. Acho que vou testar.

Filo

Anónimo disse...

Em 2019 saiu o livro «As Mentiras da Cosmética» da italiana Beatrice Mautino, licenciada em Biotecnologias Industriais, em que se fala das promessas enganadoras do marketing, e que revela muitas surpresas inesperadas sobre estes produtos. Muito vezes, num produto «inovador» apenas foram alteradas as palavras, usando termos mais na moda para o designar, ou aos seus ingredientes.

O marketing dos produtos cosméticos usa termos pseudo-científicos para levar as pessoas a «acreditarem» nesses produtos e a comprá-los.

Muitas vezes não existem diferenças relevantes quanto às substâncias usadas em produtos cosméticos com preços mais acessíveis e produtos caros, em que se paga a embalagem e o marketing.

Em 2019, decorreu (ou decorre ainda, não sei bem), um Ciclo de Debates com o tema «A falta de cultura científica paga imposto», no Pavilhão do Conhecimento, que em Maio foi sobre os cosméticos.

Pode ser visto em http://vimeo.com//342707652

O marketing está atento, para rapidamente ir mudando e dizendo o que o consumidor gosta de ouvir.

Pedro Coimbra disse...

Tenho 55 anos anos.
Desde que me lembro de ser gente vejo a minha mãe a usar Nivea.
Ela tem 82 anos, já passou por muito, incluindo queimaduras no corpo, mas continua a ter uma pele linda.
Segredo?
Nivea.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 19:43

O QUE DIZ APLICA-SE A QUASE TODOS OS PRODUTOS DESDE ALIMENTARES, FARMACEUTICOS, COSMÉTICA E MUITO MAIS,
MAS HOJE OS PRÓPRIOS MÉDICOS DERMATOLOGISTAS ACONSELHAM CERTOS PRODUTOS COSMÉTICOS, QUE POR SUA VEZ DEIXARAM DE SER APENAS DESTINADOS À BELEZA E TÊM OBECTIVOS CURATIVOS.
O CASO DA NÍVEA QUE REFIRO FOI OBJECTO DE EXPERIÊNCIA PESSOAL. FEZ-ME BEM E EU QUE TENHO PELE BASTANTE SECA SENTI.ME BASTANTE ALIVIADA COM O SEU USO. POR ISSO RECOMENDEI. ERA ESSA A FINALIDADE DA COLUNA: EXPERIMENTAR E CRITICAR, DESTA VEZ A CRÍTICA FOI BOA.

Anónimo disse...

Dra Helena

Também é bom encontrar neste blog coisas do quotidiano básico. Venho visita-la todos os dias há 11 anos, desde que começou este seu blog.
Agora também a sigo no Twitter, noutro registo, e tem-me dado muito prazer ir lá visita-la.
Considero os seus critérios de bom senso. Usava o Leite Corporal Nívea e agora vou ver os produtos que eles têm e experimentar. Não são caros e têm qualidade!

Silvia

Anónimo disse...

Eu sei que o Nívea é um clássico mas nunca me dei bem.

É um creme gordo e «encorpado» que funciona como barreira.

Tenho uma criança pequena e os pediatras não recomendam nada do que é publicitado.

Mesmo os toalhetes são à base de água- WaterWipes. Na muda da fralda não uso nada, apenas esses toalhetes ou compressas em quadradinhos de farmácia, sem nada adicionado. Nunca teve «assadura».

Para mim, talvez por influência da minha mãe (que tinha uma pele linda, sem rugas), uso no máximo dois ou três produtos.

A minha tónica é a hidratação.

A minha mãe dizia a tudo «Limpa com água, põe água» que se tornou entre nós num motivo de risos, mas agora sou como ela.

Para mim, o produto precioso é a ÁGUA!

Gostei de ver um comentador preocupado porque tem tido preguiça de por o seu creme.

Achei lindo!

O essencial é descobrir o que é bom para cada um.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 18:26

Ora aí está! O essencial é descobrir o que é bom para cada um!
Mas permita-me que lhe diga que, hoje, a Nívea tem cremes hidratantes e levíssimos. Certamente está a falar dos produtos azuis - leite e caixa - que esses sim são mais gordurosos.
Os que usei eram excelentes para uma pele seca como a minha porque hidratam e nao deixam gordura nenhuma.
Ao contrário de si o meu dermatologista só me deixa usar água depois de eu limpar o rosto com um produto próprio para o meu tipo de pele.
Calculo que no seu caso ou não usa maquilhagem ou lava a cara com sabonete e água, coisa que eu não posso fazer.

João Menéres disse...

ANÓNIMO das 18:26 :

A minha pele seca bem pede o Nivea...
Não é bem por preguiça, devo dizer.
Durmo poucas horas e mal acordo, depois da higiene necessária, vou a correr para o computador.
Tenho quase, quase, 85 anos e necessitar de 3´para me besuntar com o Nívea...


Maria Eugénia disse...

É um disparate gastar mais de uma centena de euros num único creme! Não são melhores que os outros, de farmácia, por exemplo( palavras do meu dermatologista). O que interessa são os ingredientes activos. No caso de peles maduras( e não só) interessa ter: vitamina C, ácido hialurónico, retinol e um bom hidratante! Mais nada! O envelhecimento não para, mas pode ser mais harmonioso!
Cumprimentos da Maria do Porto

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro João Menéres temos que fundar um grupo contra a preguiça cosmética!

Anónimo disse...

A Nívea é um clássico e como tal é sempre fiável. Fiquei cheia de curiosidade em experimentar o tal creme. Se me der bem, estou disposta a mudar!
Confesso que não costumo usar os produtos de cosmética das grandes superfícies, pois sou mais ou menos fiel aos meus cremes e por isso prefiro adquiri-los nas perfumarias conhecidas. Mas tenho a noção de que é puro preconceito, pois por vezes estamos a comprar uma marca com um nome conceituado, uma embalagem sofisticada, quando a eficácia dos cremes se mede por outros parâmetros, como diversos estudos publicados o revelam. Muitas vezes, o facto de certas marcas terem parcerias com laboratórios de investigação e Universidades faz elevar o seu preço final e isso cria a falsa ilusão de que há uma relação entre preço e qualidade.
Obrigada pela sua "dica", Drª Helena :-)

Anónimo disse...

Drª Helena, queria acrescentar ao meu comentário anterior e partilhar consigo uma coincidência que acaba de se dar: tinha comentado com a minha filha que iria experimentar o creme de que falávamos e ela, de surpresa, tinha-o já comprado. Justamente recebi-o agora mesmo!
Gl

Anónimo disse...

Eu já uso o creme Nivea Caixa azul, desde que comecei a usar cremes. Com pequenos intervalos, já usei outros de marcas mais sofisticadas e mais caros, supostamente melhores, mas acabo sempre no meu velho amigo creme Nivea. Gosto da consistência e do efeito na pele e, tem uma coisa muito boa, não me põe os olhos a chorar. Alguns desses mais caros, que usei, parece que ao longo do dia com o calor do rosto, criam uma espécie de vapor, que me vai causando um mau estar nos olhos, dando q sensação de que estão a chorar.
MAHF