quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Elogiar ou encorajar?

Uma das questões que preocupa a psicologia positiva é desmistificar a confusão que muitas vezes se estabelece entre "elogio" e "encorajamento", que não são manifestamente a mesma coisa. 
Por exemplo, quando se diz a alguém, " tu és bonita", isso não tem que ver com a identidade da pessoa, já que a beleza é uma chance e não o fruto de uma acção deliberada. Ao invés, se disserem " a cor desse vestido põe em evidencia a cor dos teus olhos", a frase é um encorajamento, porque significa que a pessoa fez uma boa escolha do seu vestuário. Se os encorajamentos são construtivos a longo prazo, os elogios ficam pelo momento e podem, até, ser restritivos, comprometendo o futuro se neles se insistir.
Os primeiros visam alertar a consciência individual para o seu potencial a longo prazo. Fazem crescer o desejo de aprofundar uma qualidade e o sentido do esforço para a alcançar. Os segundos visam apenas o imediato. 
Quando os Pais dizem a um filho "tu és o melhor" cometem um erro, porque podem estar criar um "pequeno rei" que percebe que a estima de si mesmo não tendo fundamento na realização pessoal, tudo fará para manter esta dose de gratificação imediata, o que o pode tornar instável, agressivo e caprichoso. 
Se esses tais pais disserem "trabalhaste bem, bravo", estão a encorajá-lo, a mostrar-lhe que há um caminho para ele prosseguir.
Todos os estudos mostram que a "arte de encorajar" deve constituir uma preocupação não só de pais como de professores e que ela é mais desenvolvida nos países anglo saxónicos, porque neles se privilegia as forças individuais, a sua singularidade, em detrimento de sentimentos que só provocam narcisismos  que afectam a identidade.
Estas forças que cada um possui, hão-de ir-se transformando com a idade, e é por isso que se torna difícil prever o perfil de uma criança. Daí a necessidade de ir acompanhando a evolução das mesmas.
Mas isso não chega. É também preciso saber, descobrir, como um trabalho ou um modo de vida, nos vai permitir ser congruentes com esses aspectos essenciais de nós próprios. 
Daí que por volta dos quarenta anos, muitas  pessoas se coloquem a si mesmos a questão de saber o que fazer com as suas próprias forças, já então muito mais clarificadas. Ou de descobrir, nessa altura, que ainda as não conhecem...

HSC


10 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Os "entas" estão a ser um momento de clarificação na minha vida.
A experiência é outra e a sensatez também.
As escolhas assim são mais fáceis.
Encoraja-a a seguir o caminho que tem seguido na sua vida.
Bom fim-de-semana

Dalma disse...

HSC, esta sua reflexão sobre Elogiar/Encorajar devia ser meditada, muito seriamente, pelos pelos pais de hoje. Excepções existem, claro, mas a maior parte deles envereda pelo elogio...

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

Queridos leitores,

agradecendo com muita estima as vossas visitas e comentários, convidamos-vos a ler o capítulo 5 da nossa história escrita a várias mãos "Variações em Quadrilha"
https://contospartilhados.blogspot.com/2019/08/variacoes-em-quadrilha-capitulo-5.html

Votos de excelente fim-de-semana!
Saudações literárias

Anónimo disse...

Conheço pais e avós (os avós ainda pior!) que acham mesmo que os filhos e netos são os maiores (perdem mesmo a noção, chega a ser disparatado) e, quanto a mim, isso é mesmo de evitar, até porque é uma ideia abstracta que não permite à criança entender o que foi elogiado concretamente, em cada momento.
Quando dizemos a uma pessoa que é, ou está, bonita, isso pode ter também um tom afectivo, porque se não gostamos da pessoa temos dificuldade em dizer-lhe que está bonita, podemos mesmo não achar bonita uma pessoa de que não gostamos.
Na guerra das audiências tenho visto comentadores da sic, dizer, por exemplo, sobre a Maria Cerqueira Gomes que está bem, em determinado evento, mas se for a Cristina F já os elogios são muito mais rasgados, exagerados e cegos. A Maria CG é linda, na minha opinião, mas eles não vão dizer isso.
Além disso, o conceito de beleza não é algo estático, uma pessoa é bonita e pronto, não é assim, existe uma componente afetiva, como já disse, e alterações no tempo. Também podemos passar a ver uma pessoa de modo diferente devido a algum comportamento que nos desagradou. O conceito de beleza varia de época para época. Certa vez estávamos a ver fotos antigas e um casal amigo dizia sobre uma rapariga numa foto, que os pais dele a achavam uma beleza e queriam que ele casasse com ela. Agora riam-se muito porque achavam que ela não era nada bonita!
Mas sim, concordo que a orientação, o encorajamento, concretos (e a criança percebe isso muito bem) são mais importantes do que o elogio, mas são muito mais difíceis porque, lá está, são concretos, exigem atenção, exigem acompanhamento, dedicação. O elogio é mais tipo fórmula que se aplica, sem exigir muito. Gostei muito do seu post e gostaria de saber o que pensa de dizer «não» à criança.

Anónimo disse...

Como a minha amiga tem razão ao levantar este tema!
Quantos pais, professores e governantes deveriam pensar bem no que aqui diz em poucas palavras. Agradeço-lhe muito mais esta "lição".

Tiago

Anónimo disse...

Na minha opinião a criança deve ser encorajada e desencorajada. As crianças absorvem o ambiente e reproduzem o que fazem as pessoas à sua volta. Por isso é mais importante a maneira como nos comportamos, como nos relacionamos uns com outros (a criança absorve tudo isso) do que os elogios que possamos dar-lhe. Alguns elogios pontuais, encorajamentos e desencorajamentos, humilhações nunca. Comparações com os irmãos ou com outras crianças tb não é bom, cada criança tem o seu ritmo, o seu percurso. E até parece que existem uma espécie de fadas (boas e más) que acham a criança parecida com uma pessoa de família de que gostam, ou com outra de quem gostam menos. É uma rede muito complexa que começa mesmo antes de nascer.

Pedro Lopes disse...

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++



FYI: Portugal is a Big Racist & Xenophobic Country! DONT bother visiting there or Buying their Goods!!

Portugal is the Biggest Racist country that i have ever lived in. I feared for my life there and i consider myself lucky that my family got out alive! I have never lived in such poverty (Sopas dos Pobres everyday) 40% unemployment rate and 60% of the population earn less than $932 USD per month, and that's considered Middle Class here! Within the European Union it is the worst of the worst place to live.

The bottom line is the bulk of the People in our poor country exist in a brainless comma that is fed by Ignorance, anti-Spanish hate, and severe Racism of pretty much everybody that isn't Portuguese! And, Portugal started the Global Slave Trade in 1441 so it is definitely NOT a safe place for Blacks!!

I found important websites that explain the Severe multi-generational Racism and Hate that exist in Portugal today, and i highly encourage all to read them and spread the word in order to avoid innocent, and desperate people from living or visiting there. Get educated on the Truths about Racist Portugal now.



1) https://www.theroot.com/a-white-journalist-discovers-the-lie-of-portugal-s-colo-1790854283

2) https://saynotoracistportugal.neocities.org/

3) http://www.discoveringbristol.org.uk/slavery/routes/places-involved/europe/portugal/

4)SOPAS DOS POBRES EVERYDAY IN PORTUGAL BECAUSE OF NON EXISTENT ECONOMY:

https://www.noticiasaominuto.com/pais/764453/sopa-dos-pobres-foi-criada-ha-anos-mas-ainda-existe-problemas-persistem

5) http://www.ipsnews.net/2011/10/portugal-crisis-pushes-women-into-prostitution/

6) https://www.theatlantic.com/business/archive/2013/06/the-mystery-of-why-portugal-is-so-doomed/276371/


Be SAFE friends. Hugs.
===========================================================================================================

Dalma disse...

HSC. desculpe mas não devia ter publicado o que escreveu ou transcreveu o Pedro Lopes pois tenho a certeza que não comunga dessa opinião! Se foi ele que o escreveu só posso dizer que é um MISERÁVEL, se o transcreveu é mal intensionado, um infeliz certamente,,..

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Dalma
Este senhor manda há imenso tempo, esta lenga lenga, sempre sem assinar e nunca publiquei. Como desta vez se identificou, publiquei. Pensei responder, mas a Dalma fê-lo por mim.
A tolerância como se vê tem limites. Pedro Lopes parece desconhecê-lo. Infelizmente também tenho visitantes destes...

Senhor Bento disse...

Bom dia Senhora Dalma, miserable? infeliz o Senhor Lopes? Nao penso isso por que tudo e verdade 100%!! Nao trabalhos em portugal, nao economia, nao empregos, nao futuro pa os jovems, muitas pessoas vai no velhas colonias por que ahi puder comer! Em portugal? Comer sopas dos pobres tudos dias! Isso tu pensa e uma boa coisa?? Pendo que tu e o infeliz dalma. E uma pessoas que vive no pasado e nao quer saber do presente miserable em portugal agora. Tu tiens muito, muito medo dos verdades do pobresa em portugal agora! Sim, sim...vai chorar a teus amigos no pnr os Igleses e no cigano burro chamado Costa.

Bom dia,
Senhor Bento