sexta-feira, 29 de março de 2019

Claro como água!

Levámos quase duas semanas a construir a árvore genealógica deste governo. A dita parece um polvo, tal a quantidade de braços que apresenta. Mas António Costa atira em todos os sentidos, mostrando que não é o inovador da endogamia política e que já outros, antes dele, fizeram o mesmo, como se isso justificasse o nepotismo.
Mais do que chocar-me - nasci e vivi entre gente que tinha ideologias diversas - o que mais me incomoda é o disfarce e o ataque para tentar justificar algo que não tem outra justificação que não seja querer entregar o governo do país a uma espécie de familia que usa no dedo mínimo o brasão com a mãozinha fechada.
Se votar já seria um esforço, depois dos fogos, dos roubos de armas e de outros eventos mal explicados, esta forma de realeza maçónica deu-me o golpe de misericórdia!
O que não teria já acontecido ao governo e ao país, se isto fossem acontecimentos num regime de direita...

HSC

16 comentários:

João Menéres disse...

Como diz o provérbio.
A César não basta parecer sério...


Melhores cumprimentos.

Dalma disse...

Nunca ele teria ouvido dizer que ”duas coisa erradas não fazem uma certa”? O facto de outros terem feito errado não justifica que possamos fazer o erro e ainda com maior número!!

Anónimo disse...

Muito mais grave é um ex-governate sair de cena (do Governo) e ir para uma empresa que tutelou, ou a quem atribuiu um grande negócio, como sucedeu, sobretudo, com os governantes de Cavaco Silva (mas também de José Sócrates) e de Passos Goelho/Paulo Portas.
Ou, por exemplo, poupar a Universidade Católica do pagamento de impostos (IRC), quando têm anualmente 68 milhões de euros de lucro e para cúmulo o Estado ainda lhes dar uma subvenção de 7500 milhºoes de Euros, que muita falta fazem aos bolseiros das universidades públicas. E ver as Universidades privadas a ter de pagar IRC, dói! Isso sim é bem pior - embora, naturalmente, o nepotismo não seja louvável.

Anónimo disse...

Boa tarde Dra. Helena,
Antes de mais quero que saiba que sou uma apaixonada pela sua escrita e que tenho uma profunda admiração por si. Nunca nos cruzamos, não sou de Lisboa (moro em Setúbal) estive o ano passado para ir ter com a Dra. à feira do livro, infelizmente para mim não pude. Sou uma fiel seguidora do seu blogue e tenho muita pena que não post mais. Tenho 53 anos, sou administrativa numa escola e partilho muitas das suas opiniões/gostos. Por favor continue.
Um beijo do tamanho do mundo. Muito obrigada

A. Machado

Dalma disse...


O Sr. a que se refere não sabe(?!) que “duas coisa erradas não fazem uma certa”, logo se outros tb fizeram e estava errado, não é desculpa para agora fazer o mesmo e até elevado a outra potência!

Unknown disse...

Permita-me discordar… Não é tão claro assim!
Se, estou de acordo com os provérbios que dizem que “quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele” e “ não basta à mulher de César ser séria, é preciso parece-lo” (este provérbio é, no mínimo, machista), também terei de estar de acordo com os que, desculpando este desvario familiar, afirmam, e apresentam provas de que, há uns trinta e tal anos, temos muitos e muito bons exemplos de “famílias” não familiares que bem se têm governado. E, por respeito, não avanço mais.
Quem diz que as famílias, sem aspas, mesmo de sangue, são mais nocivas que outras que não o eram?
E, relativamente, a fogos, armas e outras desgraças da tal realeza maçónica, seria conveniente que esclarecido fosse:
1. incendiários e seus mandantes… Pois, convinha que soubéssemos quem, aproveitando as condições meteo propícias lançou a morte, a dor e a destruição com fins que (para eles) são inconfessáveis;
2. desviadores de material militar e seus mandantes (é que, convém esclarecer, nem houve roubo – talvez furto… – nem foram subtraídas armas, mas sim, a acreditar no que foi publicado, explosivos, munições e artifícios de fogo, o que não deixa de ser grave mas, não é a mesma coisa)… para mais, com coincidências temporais tão interessantes com os fotos… de Junho e Outubro de 2017. Convinha esclarecer! (Pronto! Já sei que estou afectado/acusado do síndrome da conspirativite);
3. outros eventos mal explicados… há algum que esteja bem explicado?
Por tudo isto, o que está claro? E como a água? Só se for do Rio Búzi…
Sobre o desabafo final, compreendo o mesmo mas, será que dá para perceber a razão da alegada apatia tuga?
Para uns, porque arriscar atirar pedras ao telhado do vizinho se as suas telhas são de vidro, fino, finíssimo?
Para outros, será que esta “guerra” é mesmo importante ou é mais um fait-divers de quem não possui nem propostas nem alternativas, nem argumentos?
Agora, que que é um abuso “familiar”, é!
Saudações respeitosas

ZZZ disse...

Querida Doutora que tanto admiro, a meritocracia só existe no dominio da ficção.
Tenho um filho com formação superior, inteligente, trabalhador, bom feitio, boa figura que se farta de concorrer aqui e ali.
Os trabalhos que consegue arranjar são indiferenciados e mal pagos...
A idade vai avançando e não lhe vejo grande futuro.
Tivesse eu um amigo ou familiar no governo ou numa grande empresa...

Anónimo disse...

"Sobre a nudez forte da verdade o manto diáfano da fantasia"
EQ

E não é que com a verdade nos tentam enganar?

Anónimo disse...

Gente ( turva ) que não sabe estar

Anónimo disse...

Claríssimo!

- Não sei!
-Não vi!
-Não sabia!
Assim são os Constâncios do (des)governo...

J Gonçalves

Anónimo disse...

Essa da Maçonaria é mesmo de quem é Católica! E então a porcaria da Opus Dei, com influências em tanto negócio deste país, na Banca (veja-se o actual Governador do BdP) e outras traficancias de influência?
Um desses trastes da Opus Deu, o ex-banqueiro Jardim depois do que fez no BCP foi para casa com um reforma de mais de 160 mile uros por mês!
A Direita e a treta da Maçonaria! Ponham os olhos na porcaria da Opus Dei!
E quanto à sua atitude perante este nepotismo - qu está errado, sem dúvida - perguntaria: e acha bem que se gaste milhões a salvar bancos corruptos, como fez o actual e anterior governo? Isso sim, é bem pior!

Anónimo disse...

Uma vergonha esta corja que nos governa... e este governo de extrema-esquerda é, sem dúvida, muito pior do que os que o precederam.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Concordo com o que escreveu. Não e aceitável.

Mas não é aceitável muita coisa que este Governo faz

e passa despercebida - parece -.

Estar 17 meses sem receber pensão de viuvez, pode aceitar-se?

Porquê um tão grande atraso no processo de uma nova reforma na

era dos computadores? Porque não querem gastar o dinheiro, para

os brilharetes do Centeno? E não se preocupam se as pessoas têm

dinheiro para pagar os seus compromissos. São pedras estes governantes…

Os meus cumprimentos.

Bom domingo.

Irene Alves

Ana Neto disse...

Dra. Helena cada vez gosto mais de si ! Não perco por nada o que escreve neste blog independentemente de algumas vezes não ter a mesma opinião.
Quero muito que tenha saúde e vontade de continuar com as suas escritas maravilhosas.
M. Cumprimentos
Ana Neto

Anónimo disse...

Isto é um mal que já vem de longe!O prof. Cavaco Silva,falou esta semana,mas deve estar "esquecido"! A edição do Independente de Fevereiro/1992,traz um artigo,(primeira pagina),que lhe pode avivar a memória..

Anónimo disse...

Eh pá! Porreiro pá!
Assim é ...Portugal com CONFIANÇA!
J Gonçalves