domingo, 8 de maio de 2016

Livros


“...Falar de livros é emocionante e ao mesmo tempo triste. Poucos são os que exultam perante um livro novo, com cheiro a papel e a tinta de impressão. Os e-books ocupam menos espaço, não precisam de marcadores e, se se tornam chatos, chama-se a resenha.
O prazer da leitura é algo que se conhece vagamente. Há demasiada informação. Não que eu prefire que se soneguem informações, mas há que separar o trigo do joio e informação demais chega a raiar a desinformação totalitarista.
Aborrece-me ler jornais. Longe vai o tempo em que lutávamos e desordenávamos as páginas das notícias. Presentemente 50% é lixo publicitário, 20% opiniões subjectivas, 10% informações de serviço público e por fim algo legível e interessante, que se perde num apontamento ou num pequeno editorial.
Por fim, Camilo é fantástico de ler. 
Com uma historiadora em casa, ler textos de Paleografia também dá um certo gozo.»

       Comentário de Dulce Fernandes a um post do D.O

Não acrescentaria nada a este comentário. Tudo o que aqui está é o que eu penso. E a televisão vai acabando, sucessivamente, com os poucos programas que existem sobre livros. Ia dizer "existiam", que é mais verdadeiro. 
Senhor Ministro da Cultura dê uma palavrinha aos rapazes da televisão pública, que não há meio de se demarcar das outras!

HSC

13 comentários:

maria isabel disse...

Doutora Helena
Há pouco sobre livros,mas na RTP 2 e RTP 3 tem qualquer coisinha.
Deve ser para não enjoar que é doseado cada programa.
Faz-me tanta falta,que eu gosto tanto. Só gosto de livros em papel.
No computador só este espaço e poucos mais.
Uma boa semana

Maria Isabel

Fatyly disse...

Subscrevo as palavras de Dulce Fernandes e as suas Dª. Helena. Acrescento apenas uma coisinha: tenho muito pena que os preços dos livros sejam tão alto...até em campanhas/saldos.

Uma boa semana

Beijos

Alcipe disse...

Querida Helena, há um excelente programa sobre livros na RTP 3, "Livros" de Inês Fonseca Santos. Sábados e domingos. Com amizade

Luis Filipe

Anónimo disse...


Helena
A minha mesinha cabeceira têm 4 livros, são eles que me alimentam a mente, acho que estou a ficar viciada na leitura. A tv pouco me interessa, a unica serie que me prende é Versailles, muito boa. Já que não perco tempo em fumar, é com alguns blogs que desanuvio da carga laboral.
Esta semana estou a fazer contas de ir a um lugar, que irá me dar um enorme prazer, ouvir palavras que me enchem. Ver alguém que me inspira, que faz seguir as pessoas em frente, que não têm pudor em mostrar o afecto...

http://www.rtp.pt/play/p2381/versailles

Carla

Dalma disse...

Já agora que fala de livros e de RTP, não acha que as livros que agora esta pública, podiam/ deviam, para serem mais baratos, serem publicados em "paperback"? Cartonados é um luxo e não é isso que promove a sua compra, logo a leitura!

Anónimo disse...

🌷

Sofia disse...

As pessoas que declaram, com toda a naturalidade deste mundo e do outro, que não gostam de ler, imprimem um duplo sentimento em mim: fascínio e incredulidade.

O que eu sei:

- Os hábitos de leitura educam-se desde tenra idade;

- A criança é ávida de exemplos. Os pais são o primeiro exemplo dos filhos. Mas isso não chega. Têm que ser o melhor dos exemplos;

- As novas tecnologias, como tablets e smartphones, têm junto das crianças uma popularidade altíssima (cores, movimentos, sensação de "comandar" um jogo, adrenalina, euforia, etc), um pouco como as batatas fritas;

- Há crianças que são literalmente bombardeadas com actividades extra-curriculares. Logo, quando chegam a casa, o cansaço já é maior do que qualquer outra coisa;

- Podemos ir com os nossos filhos escolher um livro que desperte o seu interesse.


O que eu estou para saber:

- Viver numa casa sem livros deve ser um desconsolo, correcto?;

- Que palavras estão associadas a "livro" para uma pessoa que não gosta de ler?;

- A imaginação é menos fértil nas pessoas que não gostam de ler?;

- As pessoas que gostam de ler cometem menos erros ortográficos?;

- A capacidade de elaboração de um discurso é superior nas pessoas que gostam de ler?

- Aprende-se a não gostar de ler?


Ah, e já agora Portugal, vamos implementar as bibliotecas itinerantes, com uma maior cobertura e divulgação nacionais? Obrigada.

Ah, e já agora parte II, para as escolas: que tal visitas de estudos à biblioteca mais próxima? Imaginem o que estas crianças não aprenderiam...!

Ah, e só mais uma coisa, parte III, para os pais: leiam com os vossos filhos, explorem em conjunto uma história engraçada, descubram novas palavras, entrem na aventura da narrativa;

E agora prometo que é mesmo a última coisa (parte IV, eu juro!): no Natal, ofereçam, nem que seja um livrinho. É uma prenda de valor inestimável, acreditem!


Um beijinho para si, Helena.

Sofia
www.39eoutrashistorias.blogspot.com

maria manuela ramires helena disse...

Amiga Helena:
Eu sou uma pessoa que adora ler, desde criança! Livros em papel, claro! Adorei ler este post! Concordo consigo, no que a amiga aqui refere! Por mim, certos livros até são para conservar uma vida inteira e reler os que nos agradam, as vezes que nos apetecer! Tenho alguns assim!
Bem haja, e votos de uma semana cheia de bençãos!
Manuela Helena

ERA UMA VEZ disse...


Querida Helena

Hoje também é dia de livros, de encontros e sorrisos.
Como me é impossível estar presente, aí vai o meu abraço para uma tarde muito feliz "no sítio do costume"
Até sempre.

Anónimo disse...

Senhora,um dia doce e pleno de momentos que se tornem indeléveis

Ambrósio

Anónimo disse...

Mã Querida é Mãe Única...One Love.

http://youtu.be/4xjPODksI08

:-)

Helena Sacadura Cabral disse...

Dalma
Concordo consigo. E nem todos os livros merecem capa dura... Mais baratos, mais simples, mais disponíveis é o que se deseja para atrair leitores!

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu querido Alcipe
É verdade! Só espero que os "inteligentes" não acabem com ele.
Mas podia fazer-se tanta coisa para levar o telespectador a interessa-se pela poesia de que poucos ou nenhuns falam.
O Ministro da Educação já se terá dado conta de que tudo se aprende, até a gostar de poetas?Falo de poesia porque sei que lhe é mais cara. Mas havia tanta coisa a fazer neste campo. Dói-me o coração só de pensar em telenovelas...
Um abraço amigo