quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Cuidados Paliativos

Outubro é o mês dedicado aos Cuidados Paliativos, área de que a minha amiga Isabel Galriça Neto tem sido uma preciosa obreira juntamente com uma equipa de gente muito dedicada e competente.
Na próxima 3ª feira, dia 22 Outubro no programa Praça da Alegria não só os Cuidados Paliativos irão ser o tema em destaque, como se irá realizar um leilão de uma camisola assinada pela nossa selecção, para ajudar a obter fundos para uma bolsa de formação no ramo dos Cuidados Paliativos pediátricos. 
Assim, quanto mais audiência o programa tiver, mais frutuoso poderá ser o resultado final dessa contribuição.
Ainda na mesma linha, o Padre Tolentino de Mendonça e a Dra Isabel Galriça Neto irão apresentar, no próximo dia 29, na Universidade Católica, a versão em língua portuguesa do livro “VELAI COMIGO”, de Cecily Saunders, fechando as celebrações do mês dedicado ao tema.
Vamos todos fazer um pequeno esforço pelos outros, porque amanhã podemos ser nós a precisar deste tipo de assistência.

HSC

22 comentários:

TERESA PERALTA disse...


Iniciativas muito válidas, a não perder.
Muito Obrigada Helena.
Um abraço

Luisa disse...

Ser solidário, efectiva e activamente, é ser-se humano numa sociedade que caminha para a desumanização!

Luísa Moreira

Isto e aquilo disse...

É, de facto, um assunto da maior importância e a sua frase final diz tudo.
Agradeço-lhe esta partilha. Temos todos o dever de participar.

Um beijinho
Isabel Mouzinho

Anónimo disse...

Os cuidados paliativos são da maior importância, toda a atenção dada a este tema é relevante. Mas não gosto nem percebo o título do livro.

Mineu Martins Santos disse...

Um dos meus passatempos preferidos é fazer vídeos, usando fotografias tiradas por mim e textos ou poemas feitos por outros, uma vez que nem de uma rima sou capaz…
Ao ver este post, em que menciona o Padre José Tolentino de Mendonça, lembrei-me de lhe enviar a hiperligação de um destes trabalhos baseado, precisamente, num belíssimo texto de autoria do mesmo.
Se tiver tempo e paciência…
www.youtube.com/watch?v=AVAFarBKD_M

Quanto ao tema do post, era bom que estas iniciativas se multiplicassem‎.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo Anónimo disse...
Que noticia excelente!
A rede de cuidados paliativos fundada, no Reino Unido, pela saudosa Cicely Saunders, prima pela qualidade.
A Dra Isabel Galrico deve ser uma mulher da mesma estirpe: muito inteligente, humana e de uma espititualidade profunda.
Acho que vai mesmo ajudar a melhorar a vida e morte em Portugal.
L.L.

17 de Outubro de 2013 às 23:14 Eliminar

Helena Sacadura Cabral disse...

O comentário atrás, que vem em meu nome, é cópia do que LL fez mas colocou noutro post. Portanto aqui fica a correcção, porque é a este tema que ele pertence.

Anónimo disse...

Sem querer retirar à iniciativa todo o seu enorme valor e pertinência , discordo da tradução do título do livro de Cicely Saunders que é 'Watch with me'. Não me parece que 'Velai comigo' seja uma boa tradução, acho mesmo uma tradução lamentável (não sei de quem é).
Velai(em inglês to veil, to guard) remete apenas para depois da morte.
To Watch é mais a ideia de estar alerta, de cuidar, de vigiar, de estar atento- 'Zelai Comigo' ou 'Cuidai comigo', na minha opinião seria melhor.

Anónimo disse...

Tanto os pacientes como os familiares e tb os próprios profissionais de saúde, necessitam de cuidados e conhecimentos que possibilitem uma fase terminal vivida com mais humanidade, tanto física como psicologicamente.
Os Cuidados Paliativos são da maior importância, quando sabemos que existe ainda nos nossos dias, a tendência para cair em dois extremos: ou achar que não há nada a fazer, ou o uso das máquinas e fármacos que prolongam os últimos dias de forma forçada e até mesmo dolorosa, penso.

MC disse...


Exma Senhora Dr.Helena

Durante cinco anos, minha mulher lutou pela vida no Hospital da Luz. Médicos, enfermeiros, auxiliares, todos conheceram a Senhora D. Mimi. Quando a morte se aproximou e ela desistiu de lutar, conheci a Drª Isabel Galrriça Neto e ainda hoje lembro as palavras de conforto que me transmitiu. Para quem parte, os cuidados paliativos são da maior importância mas quando há amor e a possibilidade de ter um doente terminal em casa tenho a certeza que parte mais em paz, tal como aconteceu com minha mulher que tinha dias de vida mas veio para casa, festejamos os anos dela, o Natal, o fim do ano e no dia 12 de Janeiro deste ano, partiu com um sorriso na face
Tenho a certeza que descansa em paz

Anónimo disse...

Velai Comigo ou Vigiai Comigo é uma frase da Bíblia, proferida por Cristo na noite anterior à sua crucificação. Não sei como é em latim, gostaria de saber.

Velar, em português, de acordo com o dicionário, pode ter o sentido duplo de velar um doente ou um defunto.

Mas penso que não é comum usarmos esse duplo sentido, o que é hábito é distinguirmos entre Velório e Vigília.
Vigília (na minha opinião uma palavra muito bela) parece-me ser o sentido do título de Cicely Saunders 'Watch with me'.

'Vigiai Comigo' teria um sentido mais restrito, de controle. Assim como 'Velai comigo' nos transmite imediatamente a ideia de Velório.

No entanto não temos em português o verbo vigilar, pelo que a tradução é de facto difícil.
O sentido é 'Permanecei comigo em Vigília' ou 'Acompanhai-me em Vigília'.
DT

Anónimo disse...

As associações europeia e internacional de Cuidados Paliativos e o observatório dos Direitos Humanos elaboraram a Carta de Praga que pretende que os cuidados paliativos sejam consagrados como um direito humano, tanto pelas políticas de saúde como pela legislação.

A Associação Port. de Cuidados Paliativos disponibiliza no seu site
www.apcp.com.pt

a Carta de Praga, em pdf
www.apcp.com.pt/uploads/cartadepraga.pdf

assim como um link para assinar uma petição online.

'Os Cuidados Paliativos afirmam a vida e consideram a morte como um processo natural; não antecipam nem adiam a morte. Propõem-se preservar e garantir a melhor qualidade de vida possível até à morte'.

Justamente porque os Cuidados Paliativos afirmam a vida, concordo com os comentadores que não têm aprovado a tradução 'Velai Comigo', dado que velar, entre nós, tem a conotação de velório. Daí que o título 'Velai Comigo' pareça antecipar a morte, não é de facto feliz a tradução. Mas tb não sei qual seria uma boa tradução.

Anónimo disse...

Segundo o dicionário PRIBEROM o verbo vigilar existe.

Anónimo disse...

Deixem de ser picoinhas c/ a trad. pq,
se notarem bem, mesmoo debaixo do titulo Velai Comigo esta um subtitulo que esclarece o tema do livro.

HSC, desculpe e obrigada por ter colocado o meu com. no post certo.
L.L.


Isabel Galriça neto disse...

Quero agradecer à helena a generosidade de deixar aqui este aviso, de partilhar neste seu espaço noticias a proposito dos C.Paliativos. E quero agradecer a todos/as os que aqui deixaram o seu comentário. Ainda bem que há diferentes perspectivas sobre a tradução do título, algo que , a mim e ao meu filho Francisco nos levou semanas a decidir. optámos por velai, no sentido de "assisitir a um doente", coisa que é comum para os profissionais, voluntários e familiares. poderia ter havido outras opções, certamente que sim. Foi esta. O que esperamos é, sobretudo, quecada vez mais se entendam os CPaliativos - como preconizava Cicely Saunders - como cuidados de saúde rigorosos, humanizados, que vão muito para além do "amor e carinho" (imprescindíveis na vida mas redutores quando falamos de verdadeiros cuidados técnicos de saúde) . Um grande bem hajam a todos e até dia 29 de outubro, se puderem!
Isabel Galriça Neto

Fatyly disse...

Infelizmente ainda não chegam para todos os que precisam...e peca por tardia a cooperação do ou com o SNS. Se estiver errada diga-me pf.

Não puderei ir, mas o valor do livro irá reverter para "essa obra tão meritória" ou para a Universidade Católica que o traduziu?



Anónimo disse...

Ser ou não ser picuinhas, essa é a sua opinião, mas não é a minha. Pessoalmente também acho o título desagradável. E isto não tem nada de pessoal, nem conheço a Drª Isabel GN. Os comentadores justificaram bem as suas posições, não temos de estar todos de acordo.
E o título de um livro tem um impacto muito grande, o subtítulo ajuda, mas não remove completamente a primeira má impressão causada.
Watch with me, é muito mais abrangente- cuidar, dar atenção, estar alerta, estar desperto, tanto no sentido físico, como psicológico.

A tradução não é fácil.
Como pode ser picuinhas se a própria tradutora afirma aqui que levou semanas até decidir, com o filho.

Mas esta crítica à tradução do título do livro, não desmerece em nada a iniciativa tão importante sobre os Cuidados Paliativos. E deixo aqui os meus agradecimentos tanto à Drª Helena SC como à DrªIsabel G Neto.
Tal como referiu esta última o que importa é a necessidade de humanizar os cuidados de saúde paliativos.

Anónimo disse...

Penso que se costumava dizer que quem estava estava de serviço de noite, nos hospitais /casas de saúde ou em casa a cuidar de alguem doente estava " de vela". Para mim, estar de vela, tem muito a ver com o conceito dos cuidados paliativos, pelo que gosto da tradução.Aliás, acho mais abrangente "velai" do que "watch".

Anónimo disse...

Mas 'estar de vela' é diferente de 'velar'.

Anónimo disse...

Acho interessante esta discussão do título, porque mostra a importância das palavras muito para além do seu significado no dicionário as palavras têm múltiplos sentidos sociais e pessoais e despoletam sentimentos, adesão ou rejeição.

Precisamente tal como diz o comentador de 21 Out. 00:37, velai é mais abrangente do que watch. Velai abrange vivos e mortos, watch é dar atenção, cuidar dos doentes, dos vivos.
Na verdade velai os doentes dá-nos a sensação de que eles já estão mais para lá do que para cá.
Por outro lado 'estar de vela' é uma função, não envolve a ideia de watch- cuidar atentamente. Quem está de vela pode cuidar melhor ou pior.

Para mim a melhor tradução seria a mais simples 'Cuidai Comigo', então não são Cuidados Paliativos.

Cumprimento a Drª Isabel GN pela iniciativa.

Helena Sacadura Cabral disse...

Fatyly
Não sei responder à sua pergunta. Sei, isso sim, que a edição e distribuição dos livros é a maior parte do bolo dos custos. Mas, creio poder dizer-lhe que seguramente tudo o que não sejam custos reverterá a favor dos Cuidados Paliativos.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 17:08
Se eu não conhecesse muito bem o serviço. depois do seu comentário, ficaria na dúvida. Mas conheço e em voluntariado até já lá fui.
Um comentário como o seu deveria, pelo menos, mostrar provas do que afirma, o que não faz. Limita-se a dizer mal, a fazer considerações sobre a chefia, mas não prova nada do que afirma.
É assim que se destroem pessoas e serviços. Todos podemos ter azares e as coisas correrem mal. Mas o seu comentário nem sequer contempla esta hipótese.
É por isso que o não publico.