quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Presença...


O dia amanheceu cinzento e eu sei que daqui a dois estou a fazer a mala. Hoje vou à Igreja - dia da Virgem - falar, como mãe, um pouco com o Miguel que tem estado bastante presente nestas férias com o meu outro filho. 
Não porque falemos muito dele, mas porque é uma evidência que ele nos acompanha, sobretudo quando rimos. Difícil de explicar, mas fácil de entender. 
Julgo que, mais ainda do que a companhia um do outro, ambos precisávamos de estar juntos por ele e com ele. Talvez por isso, estas férias tenham sido tão preciosas.
O próximo ano não vai ser fácil para ninguém e eu não poderei contar muito com o apoio filial. Mais precisará ele que eu me aguente e lhe não levante preocupações. Assim, estes oito dias terão que render trezentos e sessenta e cinco...
Na segunda feira espera-me o trabalho que não vai ser pouco. Promovo um livro, vejo as provas dos NOVE MAGNÍFICOS, tenho a televisão e a encomenda de mais um outro. Depois, um período haverá, em que promoverei dois. Lá para Dezembro. 
Todavia, cada vez agradeço mais o cansaço do trabalho. Porque significa que o tenho, que mo propõem e que eu o posso aceitar. Nos tempos que correm, é um verdadeiro milagre!

HSC

26 comentários:

Vânia disse...

:)

Dri disse...

Sim sem dúvida que há, já que neste preciso momento o meu estado de espírito é precisamente o oposto: como vou eu fazer para seguir a vida em frente com os meus filhos quando ficar desempregada!

Observador disse...

Estimada D. Helena

Não é por acaso o meu apreço por si.
O texto que acabo de ler confirma isso mesmo, se fosse necessário. Que não é.

Continue a descansar, mesmo que já esteja com a perspectiva de fazer a mala e contar os dias.

Cumprimentos

Hamburguer da Suca disse...

Saber viver é olhar o tempo com amor e vive-lo com alegria sentida!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Este seu post é mais para ler do
que comentar.Dá uma má notícia
"que o ano que vem será pior"...
E por outro lado que felizmente
a Srª. tem onde ocupar o seu tempo.
Isso é muito bom.
Quanto ao restante penso entender,
mas é difícil para quem não vive
as situações.
Bj.
Irene Alves

Anónimo disse...

estar com os filhos nem que seja em presença simbolica é um maná que só pode trazer equilibrio á vida de cada dia cheia de tantas provações...
sabe é bom saber que vai "trabalhar" uma vez que será por ele que nos chegará, e que nos torna os dias mais leves e com mais sentido... quando escreve sabe preencher o vazio que por vezes sinto,e faz indirectamente companhia, um grande obrigada,
todo o carinho da,
lb

Anónimo disse...

Tão bom vir aqui ler o que escreve.

Vânia disse...

Eu hoje não vou "à Igreja" estou demasiado em baixo para louvar quem que seja... fazem, habitualmente numa freguesia de Viana do Castelo, uma festa em homenagem a Nossa Senhora e, como sempre vivi esta festa, este dia tornou-se demasiado especial: o dia que valia por todas as férias!

O local, a imagem, as pessoas, os amigos... tudo lá é especial à excepção dos donos da casa onde fico hospedada, por isso este ano estou aqui, no Porto.

Triste por não estar a desfrutar de uma das mais belas festas minhotas (na minha opinião, claro) mas com a convicção de que não posso dar o braço a torcer..

Margarida disse...

Cara helena, uma ternura.. fiquei com olhos aguados...beijinho

Anónimo disse...

Quando descobri o seu blogue fiquei maravilhada porque para além de gostar de si, ADORO o seu filho Paulo. Considero-o um homem de caráter, como há poucos... Então Vê-la assim a partilhar coisas de quem tanto admiro, sabe bem e faz bem. Obrigada,
Susana.

Clara Luxo Correia disse...

Um grande beijinho para Si, Mãe Helena:-)

ERA UMA VEZ disse...

Agora que já não tenho a minha querida mãe da terra
"Chateio" muito mais a mãe do céu...
E hoje que sinto o coração amarrotado
venho oferecer-te a minha inquietação
(pedir-te protecção)
enquanto te sussurro um obrigado...

(Desculpa mãe)

Anónimo disse...


Gosto imenso de ler as suas crónicas, sendo que, esta é especial... Concordo e por isso subscrevo as suas posições.
Realmente, a "Mãe de todos nós" nunca nos deixa sozinhos, ajuda-nos sempre a ultrapassar, a purificar aquilo que mais nos atormenta. A Fé exerce um energético poder milagroso, nas alturas mais sofridas, como a que está agora a (ultra)passar... Mas, também se torna mais fácil sair de uma crise, tão amarga, quando se tem uma motivação, quando se tem algo pelo que valha a pena resistir. O trabalho pode ser uma dessas motivações, entre outras... Agradecendo e executando o enorme trabalho que tem, acaba por se sentir produtiva e nós, os seus leitores, por nos sentirmos uns verdadeiros privilegiados, uns particulares "sortudos".
Um grande Abraço pela persistência
Teresa Peralta


Anónimo disse...

Na verdade, entendo muito bem o modo como terá decorrido este dia. O caminho que cada um de nós tem de percorrer, em certas circunstâncias, é sempre único. O "investimento" destes oito dias vai, seguramente, "render" muito mais do que se possa imaginar. Graças a Deus, quão merecido é! Que bom ter solicitações e ocupações interessantes que ajudam a caminhar nesta peregrinação terrena, nem sempre fácil de entender. As manifestações de apreço e amizade que têm surgido neste blog são, para além de justas, uma merecida recompensa para quem deixa sempre uma palavra de esperança e de aceitação da vida que nos é dada para vivermos. Quantos terão beneficiado dos estados de alma que este blog nos tem proporcionado conhecer.
Bom final de férias e força para o novo ano de trabalho que se avizinha!
José Honorato Ferreira

Paulo Abreu e Lima disse...

Helena,

Só me apetece dar-lhe beijinhos: «difícil de explicar, mas fácil de entender».

Isto e aquilo disse...

Gosto dos seu textos! Muito! Gosto cada vez mais. Porque falam de tudo com uma enorme simplicidade. Porque me fazem rir,às vezes,ou sorrir, ou pensar. Outras vezes são comoventes e emocionam-me. Como este. A Helena tem de facto uma alma enorme, forte e generosa.
Agradeço-lhe por partilhar tudo isto connosco, por ser assim, por nos ajudar a pensar(nos) e a ser melhores cada dia. A Helena é uma pessoa excepcional. Bom finalzinho de férias e um enorme beijinho
Isabel Mouzinho

Fatyly disse...

Se este ano já não foi fácil, diz que para o ano será pior...e digo o mesmo "que me aguente para não preocupar os meus".

Nunca deixe de ser quem é...neste país tão conturbado e bom trabalho que de facto é um milagre e pena é que não tenha a fórmula de multiplicar por milhares.

Um bom regresso!

Anónimo disse...

É uma delicia ler os seus textos!
Uma mãe que tão carinhosamente fala dos filhos que todos conhecemos!
Uma mãe que tem orgulho em ser mãe de quem é e que fala dos seus filhos com tanta simplicidade como eu falaria dos meus que ninguém conhece!
Todos os dias procuro os seus textos, leio e quase nunca comento, mas fico com a alma cheia e sempre com um sorriso no rosto.
Acho que é fácil explicar e fácil de entender, quem passa por situações semelhantes, entende.

Quem me dera ser assim........

FL

Brown Eyes disse...

Maravilhosa esta sua partilha!

Anónimo disse...

É incrivel como por vezes o silêncio consegue dizer tanto ...

Ana M. disse...

Desde que comecei a ler o seu blogue
nunca mais deixei de o fazer.
Gosto da maneira simples como fala das diversas situações.
Neste texto comoveu-me muito aquilo que falou do seu filho Miguel.
Sobretudo quando ri com o Paulo e porque gostaria de, naquele momento, ter ali o Miguel, com aquele sorriso encantador, sente a sua falta.
Difícil de explicar, mas eu entendo porque já tive um filho ausente e é
estranho aquilo que sentimos quando nos rimos. Beijinhos para si.

Blondewithaphd disse...

Amén!

Anónimo disse...


Desculpe a franqueza, mas, o melhor é continuar as "Ferias cá dentro" no Continente. O "Gordon" está a chegar e nós precisamos muito de si...
Siga o meu conselho, faça as malas embrulhe o filho e caminhe para o Aeroporto.
Eu sei que é uma Senhora muito corajosa mas tem aqui muito trabalho...
Um Abraço
Teresa Peralta


Maria Carmo Vitória disse...

Olá Drª Helena

Cruzei-me consigo um dia deste nas portas do mar, ía acompanhada do seu infante, não falei consigo porque achei que não devia fazê-lo estando de férias «posta em sossego». Tinha para lhe dizer que é um grande mulher, uma mulher sem papas na lingua, que tenho os seus livros quase todos 12, enfim nutro uma grande admiração por si, gostaria de algum dia falar consigo. Espero que tenha ido às Flores a não perder.

Bem haja por tudo aquilo que me tem dado.

Mika

Anónimo disse...

Mais uma vez PARABÉNS pelos belos textos e sempre relevantes.
Gostei mto do "agradeço o cansaço do trabalho.Pq significa q o tenho"
Almocei hoje com 2 almirantes e falei de como admiro seus textos.
Um deles chegou a reunir-se várias vezes com o seu filho P. A esposa do outro é tb Cabral Sacadura.
Continuo a dispor-me a, enquanto estou em Portugal e no Algarve, qd for a Lx oferecer-lhe meus livros.
Atentamente,
Jack

O Protagonista disse...


-Mto, mto, mto bom vir aqui ler o que escreve!

Bem Haja