domingo, 13 de maio de 2012

A Feira do Livro


Este ano a Feira do Livro ajudou-me muito a voltar ao mundo real, apesar de ter sido muito estafante devido ao calor. Mas recebi tanto, mas tanto, carinho das pessoas que me procuraram, que não tenho o direito de me queixar.
Foram esses abraços carinhosos, esses beijos sentidos que me devolveram a uma certa forma de vida quotidiana. 
Se fosse possível retribuir o muito que recebi, não me chegariam os anos que ainda me restam, para o poder fazer. O que prova bem como sabemos ser solidários com a dor daqueles de quem gostamos. E aquelas pessoas mostraram que me estimam.
Não posso deixar de estender este agradecimento aos muitos que aqui neste blogue e no Delito de Opinião me deram o seu incondicional apoio. Bem hajam todos!

HSC

22 comentários:

Anónimo disse...

Todos os abraços e carinhos que a srºrecebe não são nada em relação a tudo que a senhora sempre transmi
tiu......

Isto e aquilo disse...

De facto, a feira do livro dá-nos a possibilidade desse contacto directo entre os escritores e os seus leitores e, só por isso, já vale a pena.
Eu que só há pouco tempo a descobri como autora fui uma das que se lhe dirigiu para lhe dar um abraço, hesitando entre o desejo de a conhecer pessoalmente e o respeito pela sua privacidade num momento singular e triste da sua vida. Mas conhecê-la e poder dar-lhe um beijinho e ver o seu sorriso foi um prazer e fez com que a admirasse ainda mais. A Helena é mesmo uma mulher extraordinária e o nosso país precisa de muitas mulheres assim. Gosto mesmo muito de si! Um grande beijinho
Isabel Mouzinho

Cristina Trincheiras disse...

Da minha parte, sou mais uma das anónimas que bastante a admira, ,mando um grande abraço cheio de forças para superar esta amargura da vida que parece cada vez mais amarga. Beijo grande

Brown Eyes disse...

É uma Senhora extraordinária e merece toda a nossa admiração.

Tenho pena de não ter ido à Feira do Livro, aliás, de há uns anos a esta parte (devido a alguns dramas pessoais que teimam em perseguir-me) não sou uma das que têm tido o privilégio de visitar esse espaço, mas também tinha gostado de lhe dar esse abraço.

Clara Luxo Correia disse...

Foi muito giro o nosso reencontro desta tarde...como lhe disse, a Helena é "cá de casa" pois todos na minha familia temos um grande carinho por si. Um beijinho de Luxo:-)

Inês disse...

Helena,

Um grande beijinho para si e um abraço muito grande.

Anónimo disse...

Helena, tenho vindo ao seu cantinho virtual todos os dias mas ainda não me tinha “manifestado”, por falta de coragem ou imaginação. Tudo o que sinto por si já aqui foi escrito milhentas vezes, por isso não irei maçá-la mais. Já li o seu último livro e, simplesmente, AMEI. Gostava imenso de o ter autografado mas infelizmente não poderei estar presente no lançamento :( Gostava igualmente de lhe dar um grande beijinho de admiração e força...mas infelizmente só virtualmente! ;)

JB

Anónimo disse...

Fiquei desolada quando ao chegar à feira do livro hoje, por volta das 19h, percebi que lá tinha estado às 15H!!! Falta de pontaria a minha. Comprei o seu novo livro, na mesma, claro, mas sem autógrafo... :(
Aproveito estas linhas para lhe agradecer. A sua força, a sua abertura de espírito, a sua clareza no discurso sem papas na língua, a sua gargalhada, a sua coragem, o seu exemplo... ajudam-me muitas vezes a encarar a realidade com outro olhar, a relativizar acontecimentos e a pensar a vida de outra forma.
Obrigada.
Paula

Lua disse...

Este ano fui a feira do livro no penúltimo dia, e estava demasiado calor! Tenho muita pena de não a ter visto, para falar consigo pessoalmente.....se a acho um exemplo de força e de carácter, deve ser fascinante falar consigo nem que sejam 5 minutos....fico grata por nos mostrar a sua experiência de vida e nos dar estes momentos diários tão excepcionais....um BEM HAJA para si que é uma pessoa tão especial....

Anónimo disse...

Drª. Helena,

Onde vai buscar as suas forças?
Eu, estou devastada com uma noticia relacionada com a minha saúde que me tira o sono a alegria e a paz!
Como consegue ter forças para encarar a vida?
A Srª. está certissima, eu é que estou errada!
Tenho esperança de que refeita deste choque que me atormenta consiga aproveitar as coisas boas e simples da vida que para mim agora se esconderam.
Bem haja,lê-la é um incentivo.

FL

Maria Jose Marques disse...

Tudo o que recebeu é pouco para a Senhora e Mãe que é. Um beijinho do fundo do coração.
Maria José

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara FL
As forças arranjam-se devagarinho. Dando um passo de cada vez. E acreditando, sobretudo acreditando que ninguém sofre provações superiores às suas forças. E no meu caso particular conversando com Deus, que nunca me desampara!

Vânia disse...

Continue, Dr.ª Helena, falando com Deus... que Ele a amparará certamente. Achei curioso a sua afirmação de que "ninguém sofre provaçõessuperiores às suas forças". Já é a segunda vez que esta mensagem chega até mim hoje... talvez Deus me queira dizer para não baixar os braços, nem abandonar a luta.

Obrigada pelo seu exemplo... quando for grande, quero ser como a senhora.

Vânia Batista

Maria Antunes disse...

Helena, é uma mulher que admiro muito e só agora descobri este seu cantinho de comentários. Gostava muito de lhe dar um abraço e dizer-lhe que estou a passar pela mesma dor. Perdi o meu filho há três anos e tenho conseguido viver, devagarinho, como a Helena diz, tenho conseguido voltar à normalidade. Penso que tive muita sorte por ter tido um filho doce e maravilhoso durante 30 anos.
Identifico-me naquilo que escreve, bem haja, por ser uma mulher linda por fora e por dentro. Tal como a Helena tenho muita coragem e uma filha e netos (quase 4)maravilhosos a quem dou e recebo muito Amor. Beijinho Helena

EB2,3 Piscinas-Lisboa disse...

Não lhe escrevi antes porque penso que precisava de tempo...
Lamento profundamente, o seu filho fazia a diferença.

Anónimo disse...

Drª. Helena,

Ter deixado aqui um desabafo e receber uma resposta que para mim foi de alento, foi o melhor que hoje me podia ter acontecido!
Leio e releio as suas palavras tentando extrair delas toda a substância que me possa ajudar a ter forças e animo para enfrentar esta fase!
Também costumo falar com Deus.....
Obrigada
FL

Margarida disse...

Cara Dra Helena,
Que pena viver longe e não ter tido o privilégio de também a poder abraçar.Eu, infelizmente, não sou crente, e custa-me muito entender a morte de alguém como o seu filho, ou porque é que alguém como a Senhora tem de passar por essa dor.. para mim a vida é demasiado injusta, e olhe que sou uma pessoa a quem a vida tem sido até muito suave...fica aqui o meu abraço

Célia Rodrigues disse...

Boa noite, sou uma grande admiradora sua desde sempre, assim como do seu extraordinário filho Miguel que nunca me cansava de ouvir e ver aquele sorriso contagiante ... Neste momento de dor só a pode aliviar pensando que é uma pessoa de invulgares e enormes qualidades a quem Deus concedeu a benção de ter sido mãe de um ser como o seu filho. Neste momento de tanta dor para si, ainda que sem saber, me fez ver de uma outra forma a também trágica morte do grande amor da minha vida, o meu marido, quando disse uma frase de uma grande beleza,- o seu filho não era seu que Deus apenas lho tinha emprestado. Que forma tão doce de lidar com a morte. É extraordinária. Um grande abraço

Anónimo disse...

Querida Helena, a sua presença na Feira também ajudou muitos, como eu, a passar o tempo. Foram tardes muito divertidas e com muito carinho.
Beijos
Inês

ana claudia mendo disse...

...
em 2001, casada de fresco e "enjoadada" de grávida li o seu Livro Um certo Sorriso - fiquei a gostar da forma descomplicada como escreve e do possitivismo que o seu olhar traduz.
...entre essa data e a actual perdia-a de vista...
Hoje apeteceu-me partilhar consigo que tb eu acho que depois da perda, cada bocadinho, de qualquer coisa, é saboreado intensamente. Pequenos gestos, o sol, as guerras com os filhos, os sorrisos alheios, o que lemos...
perdi o meu marido, um grande amor com cancro do pulmão.Deixou-me um filho miguel que é em tudo a sua eternidade...
depois da perda saboreio cada momento "sem nostalgia" e construo e reconstruo cada bocadinho de mim e da vida.
De alguma forma sinto-me acompanhada pelos amigos, por todos aqueles com que partilho emoções... provavelmente é por isso
que faço este comentário.
o meu obrigada pela partilha "o pouco com que se fica, é já uma riqueza..."
anaclaudia

Susana Caldeira disse...

Também teria gostado de poder dar esse abraço, Helena. Obrigado por tudo o que nos tem dado. Um abraço da Madeira, cheio de mar e de carinho.

Anónimo disse...

Drª Helena
é uma pessoa que muito admiro, uma grande mulher que consegue gerir as suas angustias, mas nos momentos em que fala com deus elas sao iguais à de tantas outras pessoas que passam pelo mesmo, é verdade que na frase "ninguém sofre provações superiores às suas forças" não deixa de ser uma grande realidade, quando há algum tempo um senhor me disse uma frase semelhante quando com 34 anos perdi o meu marido( deus so dá a grande cruz a quem tem forças para a carregar). Sou sua grande admiradora e permita que lhe deixe aqui um abracinho apertado, bem haja.
Anabela Pereira