segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Mulheres

"Esquecer uma mulher inteligente custa um número incalculável de mulheres estupidas"

( Frase atribuída a António Lobo Antunes)

Hoje não me apetece falar do estado do país. De manhã, estive no programa Fatima a comentar o aumento das taxas moderadoras. Por isso, já desabafei sobre o quotidiano socio-político da terrinha.
Prefiro ocupar-me dum mail que me enviaram com a frase que cito acima. Tenho muita admiração pelo indigitado autor, mas jugo que a afirmação não respeita apenas as mulheres. Porque esquecer um homem inteligente dá, também, um trabalho imenso. E, se houvesse verdadeira igualdade de sexos, seguramente que muitas de nós confessariam quantos homens estúpidos esse esquecimento lhes teria custado. E suportar homens menos dotados intelectualmente, é capaz de ser muitíssimo indigesto!
O problema é que os homens só em teoria apreciam mulheres inteligentes. Na prática, isto é no quotidiano, preferem, quase sempre as outras, que dão manifestamente muito menos trabalho.
Durante anos a inteligência foi, para mim, junto com a cultura, a condição indispensável do meu interesse por alguém. Hoje, com muita vida vivida, dou primazia ao carácter. Porque aquelas sem este, não têm qualquer valor!

H.S.C

8 comentários:

Mad disse...

Bom, com igualdade de sexos ou não, confesso já ter tido essa trabalheira :)

Para mim, a inteligência é e será sempre a base da atração. Infelizmente, quando «penso» com o coração, o carácter tende a ser invisível aos meus olhos...

Num mundo perfeito, o carácter seria o único factor de escolha, mas eu estou longe de ser perfeita. Pior!, outro factor que considero importante é a beleza, à qual, por mais que tente, não consigo ser indiferente.

Mas sou uma mulher de sorte, consegui juntar tudo.

JS disse...

A minha Avó dizia sempre que o homem ideal não devia ser demasiado inteligente, demasiado rico nem demasiado velho...

Renata Figueiredo disse...

Este texto é maravilhoso e tem um pouco a ver com o que a Sra. escreveu. Acho que a Sra deve conhecer também.
Um abraço,
Renata.

Elegância
Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.
É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto.
É uma elegância desobrigada.
É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam.
Nas pessoas que escutam mais do que falam. E quando falam, passam longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca.
É possível detectá-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz ao se dirigir a frentistas. Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.
É possível detectá-la em pessoas pontuais.
Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem presenteia fora das datas festivas, é quem cumpre o que promete e, ao receber uma ligação, não recomenda à secretária que pergunte antes quem está falando e só depois manda dizer se está ou não está.
Oferecer flores é sempre elegante.
É elegante não ficar espaçoso demais.
É elegante, você fazer algo por alguém , e este alguém jamais saber o que você teve que se arrebentar para o fazer...
É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro.
É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais.
É elegante retribuir carinho e solidariedade.
" É elegante o silêncio, diante de uma rejeição... "
Sobrenome, jóias e nariz empinado não substituem a elegância do Gesto.
Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo, a estar nele de uma forma não arrogante.
É elegante a gentileza,.atitudes gentis falam mais que mil imagens...
...Abrir a porta para alguém...é muito elegante (Será q ainda existemhomens assim?)...
...Dar o lugar para alguém sentar...é muito elegante...
...Sorrir, sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma...
...Oferecer ajuda...é muito elegante...
...Olhar nos olhos, ao conversar é essencialmente elegante...
Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural pela observação, mas tentar imitá-la é improdutivo.
A saída é desenvolver em si mesmo a arte de conviver, que independe de status social: é só pedir licencinha para o nosso lado brucutu, que acha que "com amigo não tem que ter estas frescuras".
Se os amigos não merecem uma certa cordialidade, os desafetos é que não irão desfrutá-la.
Educação enferruja por falta de uso.
E, detalhe: não é frescura.
Toulouse Lautrec

num relance disse...

- Mestre, como deve ser o meu comportamento relativamente aos ricos? - perguntou o discípulo a Sócrates.
- O mesmo que para com o fogo: nem demasiado perto que te seja nefasto, nem demasiado longe que não lhe sintas os benefícios.

E a pensar nisto eu pergunto-me se um homem não sentirá que deve fazer o mesmo relativamente a uma mulher; se uma mulher não sentirá que deve fazer o mesmo relativamente a um homem...

Mas pegando no texto do seu post, noto que me tenho sentido um bocado cansado... Se as outras "dão manifestamente muito menos trabalho", o meu cansaço derivará de só ter conhecido mulheres inteligentes?! :-) Uma explicação possível! E se é verdade que "os homens só em teoria apreciam mulheres inteligentes", quem sou eu para andar a fugir à realidade?! Até já me sinto com um pouco mais de energia, só a pensar na perspectiva de menos trabalho!

Helena Sacadura Cabral disse...

Pedro que sorte a sua em estar cansado por ter conhecido mulheres inteligentes...
Mas não se "destresse" porque o velho ditado diz que quem corre por gosto não cansa!

Helena Sacadura Cabral disse...

Renata, depois desse texto que dizer mais?

Renata Figueiredo disse...

Olá Helena,
Vejo muita harmonia entre o texto da Sra. e o que foi enviado por mim anteriormente.
Embora o texto que enviei não se refira especificamente a mulher.
Noto que parte dos homens têm dificuldade, talvez pela imaturidade, em perceber a inteligência, a elegância numa mulher, por que alguns são muito imediatistas.
Tenho percebido que algumas mulheres esquecem de se tornar inteligentes, elegantes... Muitas têm como meta tornar seu abdómen "perfeito" e só.
Um abraço e mais uma vez obrigada,
Renata.

eltaveira disse...

É seguramente verdade que dá um imenso trabalho esquecer alguém que é inteligente, que tem cultura e carácter, é complicado mesmo. No entanto, hoje parece mais complicado encontrar alguém que possua tudo isto… Por vezes, pensamos que estamos a lidar com alguém que possui tais qualidades e, na verdade tudo não passa de um grande e lamentável disfarce. Mas temos de aprender a lidar com os mesmos, a custo, mas é um facto que estamos rodeados por inúmeros, daí termos que passar por algumas indigestões, não para os esquecer, mas antes porque temos de os – se me permitem a expressão -, aturar no quotidiano, pois esquecê-los é já uma questão de sensatez.
Quanto aos homens apreciarem uma mulher inteligente apenas na teoria, infelizmente parece que essa ideia ainda vigora em algumas cabeças, no entanto, afirmam o contrário, que apreciam sim, uma mulher inteligente, a verdade é que quando essa surge, a conversa muda de tom e, dá trabalho. Uma mulher inteligente, que sabe o que quer, que é segura, que tem auto-estima, que se cuida não só por dentro (intelectualmente), mas também por fora, que sabe estar onde quer que seja, com quem quer que seja, é de facto uma mulher que intimida, que consegue deixar um homem desarmado.
Será que algum homem já se questionou de forma aprofundada no porquê de uma mulher inteligente dar mais trabalho que aquela que não tem tal atributo? E, por que será que perto delas, quase sentem medo?
Eu continuo a privilegiar as qualidades mencionadas que são de facto essenciais e, fazem toda a diferença para gostarmos de alguém, para podermos dialogar, o contrário não faria sentido para mim.
Brilhante Helena e, se me permite Renata, o texto que postou é também exímio!
Beijo
ElsaT