segunda-feira, 21 de abril de 2014

Ao rubro!


Creio que o fenómeno não é apenas nacional. E agora deixou de ser apenas dos homens. Refiro-me, já adivinharam, ao futebol e ao seu imenso poder. Ontem a loucura invadiu o país, que esqueceu tudo o que o preocupa para ir para a rua festejar o campeão.
Confesso que me ultrapassa sempre esta febre. Tento compreender o que explica este comportamento colectivo e só consigo faze-lo entrando no domínio da psicanálise. O Benfica - mais do que qualquer outro clube - parece ser a imagem da alma nacional, o símbolo do país, enfim, o orgulho do portuga. E, por muito que outros clubes sejam, também, esforçados representantes do "sentir" desportivo, creio não ser injusta ao afirmar que aquele tem uma capacidade de mobilização nacional muito própria, apesar de grande parte dos seus jogadores serem estrangeiros.
É algo para que não consigo, de facto, encontrar explicação, no domínio da lógica. Só no campo das paixões. Muitos outros clubes já foram campeões, mas dificilmente algum deles consegue gerar correntes humanas como aquelas que, ontem, as televisões - ávidas deste tipo de espectáculo - transmitiram. Parecia um país ao rubro. E naturalmente... estava!

HSC

Nota: Sou do Sporting e ainda espero, um dia, assistir no meu clube, a algo semelhante!

20 comentários:

Virginia disse...

Acho triste é que identifiquem apenas um clube com o país quando um outro clube tem dado tantas alegrias a um povo triste e a toda uma região massacrada pelo desemprego e desinvestimento económico.
Durante os últimos 30 anos só o FCP nos trouxe troféus internacionais - seis, pelo menos - e tornou Portugal mais conhecido lá fora através dum treinador fora de série. Também não foi o Benfica que criou um Cristiano Ronaldo, o melhor jogador do mundo. Pouca gente conhece os jogadores do Benfica, que vêm de uma infinidade de países sul americanos e pouco acrescentam ao valor nacional.
A loucura colectiva, que não varreu os media quando no ano passado o FCP ganhou o campeonato ( nem nada que se pareça e eu acho bem) devia ser concentrada noutros campos, científico, turístico, gastronomico, etc. bem mais consentâneos com a realidade de TODOS os portugueses. Nem todos somos benfiquistas e há muitos para quem a águia nada representa.

E não digam que isto é inveja. Os portistas todos reconhecem que não mereceram o título este ano, portanto não há que andar a embandeirar em arco à sua custa.

Posto isto, o meu Pai era benfiquista ferrenho, sempre vibrei com as glórias ( muito passadas) do clube, mas sei que nessa altura, Salazar também era benfiquista e havia protecção especial para o emblema. :)

Uma boa semana!

Helena Sacadura Cabral disse...

Virgínia
Sou do Sporting!
Quando falo aqui do que vi ontem, é porque dificilmente algum clube consegue - com pena minha - mobilizar as pessoas no país e no antigo Ultramar como o Benfica.
Não se trata de esquecer os outros ou de os menorizar.
É um pouco como na política o PCP. Os portugueses não são todos comunistas, mas o PCP tem uma capacidade de mobilização que nenhum outro partido consegue.

Virginia disse...

Se no antigo ultramar se festejam as vitórias do Benfica - que tem sido escassas nos ultimos 30 anos -, é porque o clube era o favorito do Estado Novo, que importava os craques a custo nulo para o "seu" clube e divulgava as vitórias através da comunicação social!
Nas colónias, não se ouvia falar doutros clubes, nem se dava cobertura a qualquer feito que não fosse do Benfica.
O que acho graça é que em Inglaterra, o Manchester United que há 18 anos ia à Champions, este ano está em 7º lugar, em Espanha, o Barcelona desceu de 1º para 3º, tendo tido 3 derrotas consecutivas, todos os clubes têm altos e baixos, porque é que o FCP tem de ganhar sempre? Não acho que haja qualquer dano em perder a hegemonia por um ou mais anos.

E se é sportinguista, Helena, os leões têm razões de queixa contra os árbitros. Talvez tivessem ganho o campeonato se não tivessem sido torpedeados o tempo inteiro!!

Anónimo disse...

Sra. Dra.,em domingo de Páscoa o Jesus dos pinars lá fez o milagre e ganhou a taça.
Mas todos sabem que Jesus é do Sporting.
Logo,as águias só vençem com um Leão a reinar.

Spoooooooooorrrrrtinggggggggggggggggggggggggggggg

maria isabel disse...

Sobre futebol não sei nada porque desporto jogado com os pés não admiro.O simples gesto de dar um pontapé, nem que seja numa bola, com um ar de força e agressividade, repugna-me.Nunca gostei de ver dar um pontapé em coisa nenhuma. Depois vem tudo o resto que já se sabe.
Mas hoje é um dia especial para a Doutora Helena,espero que tenha uma tarde inesquecível com muitos amigos e admiradores.

Isabel Mouzinho disse...

Estou como a Helena: não percebo esta "febre", que me parece excessiva e inexplicável. E isto não é por eu não gostar de futebol, ou por ser do Sporting, mas por "herança" e tradição familiar que por convicção futebolística. Ontem estive na rua à noite e pude aperceber-me claramente do "orgulho do portuga" de que fala.
(Bem vistas as coisas os benfiquistas deviam ser todos comunistas - por um questão de coerência- ahahah brincadeirinha).

Beijinho

Fatyly disse...

Só vi à bocado as imagens. Há muito que deixei de gostar de futebol onde havia de facto "amor à camisola". Embora considere que hoje é uma "bola" de milhões...mas fico contente de ver tanta gente feliz...mas bem preocupada com o exagero do consumo de álcool.
Pois, dizem muitos...ontem os "botecos e os ambulantes" tiveram mais lucro:):):)

Também não consigo compreender e subscrevo o que diz!


Anónimo disse...

E mais uma vez se confirma - o futebol é o desporto Rei - a verdade da realidade nacional e mundial.
Há alguma coisa que mova as pessoas como este jogo?
Eu não conheço!
Nunca vi vibrar por uma partida,por uma vitória,uma taça,um campeonato,um torneio,uma selecção que não fosse com tamanho entusiasmo,alegria,paixão,entrega,eu sei lá!...
Não se consegue explicar este fenómeno!
Mas é real e move milhares,milhões...de pessoas e de cifrões.
Nada é comparável ao futebol,nada!
A felicidade de um povo passa sem dúvida por isto.
Rendo-me ás evidências...

Anónimo disse...

Maria (publicamente anónima)
Realmente o fenómeno do futebol arrasta multidões. Talvez seja um “escape” para esquecer outras vivências. Penso que não é uma particularidade deste ou daquele clube. Por um lado é um fenómeno mundial que mexe com um grande número de pessoas. Por outro lado é uma actividade com muito poder em diversas dimensões. Para além de arrastar multidões, mexe com milhões, emoções e paixões. O pior é quando tudo isto se transforma em fanatismo. Os clubes, cada um à sua medida, todos conseguem arrastar adeptos. Uns conseguem arrastar as televisões, outros não, e essas, são as grandes responsáveis pela representação do fenómeno e por transportá-lo ao mais alto nível (nacional e/ou mundial). O comportamento colectivo acaba por ser um contágio e também aqui as televisões têm responsabilidade. Penso que aquilo que assistimos ontem foi isso mesmo. A grandiosidade fica a dever-se à cobertura de todas as televisões, que para além de chegarem a todo o mundo, prolongam as horas de emissão na guerra das audiências.
Também não consigo compreender as razões que levam as pessoas a tanta euforia e detesto todos os fanatismos. Mas admito que, para alguns, seja necessário esse sentimento e essas paixões. No entanto, penso que uma simpatia por um clube, ou por uma cor política não faz mal a ninguém e ainda bem que existem. A sociedade é construída por tudo isso. Em muitas situações comparo os clubes de futebol aos partidos políticos, só existem porque têm “adeptos” que ajudam na projecção. Claro que tudo isto tem uma explicação, tanto “no domínio da psicanálise”, como no domínio da sociologia. São factos sociais muito interessantes para as ciências sociais.
Felizmente temos um “Marquês” que está sempre disponível para festas de todas as cores futebolísticas e/ou partidárias.
E creio que os nossos governantes agradecem que as multidões vão estando por aí distraídas com as questões clubistas.
Obrigada pela sua analise e por colocar esta questão.
Tenha uma boa semana de trabalho!
Maria M

Nota: Não sou sócia de nenhum clube nem filiada em nenhum partido.

Anónimo disse...

- É a 33ª vitória do Benfica no Campeonato.
- O Benfica é treinado por Jorge JESUS.
- JESUS morreu com 33 anos e ressuscitou na Páscoa.
- O 33º campeonato foi ganho no Domingo de Páscoa por JESUS.

Anónimo disse...

Concordo com Virgínia.
No fundo, esta catarse é o reflexo de adeptos que sabem que o seu Benfica já não é o que foi no passado, dos tempos de Eusébio, nem nunca mais voltará a ser, pois, desde há 30 anos o FCP mudou a face do futebol português. É, por outro lado, de lamentar que no meio destes festejos se digam e escrevam umas provocações como aquela que Henrique Raposo publicou no Expresso On-Line, por contraste com o bonito e simpático artigo de Miguel Esteves Cardoso (“Benfica sensível”) no Público On-Line. Curiosamente e isto dá bem a dimensão do que representa hoje o FCP no futebol português (o melhor clube dos últimos 30 anos) este ano o Benfica não só ganhou o Campeonato, como parou com o record de 25 anos consecutivos (!!) do FCP que durante este período ganhou sempre qualquer coisa, o que, para se poder melhor avaliar tal resultado, quer o Benfica, quer o Sporting, só o conseguiram...7 vezes seguidas!
Mas, tal como as marés, o FCP, inevitavelmente, voltará aos títulos, oxalá já para a próxima época. Convém é que tenha aprendido com os erros, que foram muitos, desta temporada. Um pouco de humildade só ajudará a voltar aos títulos.
E, embora tenha o meu coração no FCP, gostaria de ver o Sporting a vencer títulos e taças. Com este treinador e da forma como estão a jogar pode muito bem suceder já para o ano.
Quanto ao Benfica, parabéns! Mas nada de ilusões, no futebol ganha-se hoje e perde-se amanhã (veja-se o que sucedeu com o FCP este ano). E muito cuidado com o Juventus!
E, entretanto, o grande futebol está aí: com os encontros entre os gigantes das Champions. Esse sim é futebol de se lhe tirar o chapéu!
P.Rufino

Isabel Pais disse...

Bom Dia Drª Helena,

Já fui adepta ferrenha, no tempo em que não reflectia muito....
Depois de ter tido um namorado e depois marido árbitro e passando a conhecer por dentro os meandros do futebol, hoje sou anti-futebol.
Foi uma década em que acompanhei de perto o futebol até às entranhas e fiquei horrorizada, farta e revoltada com o que se passa, e apenas nos escalões mais baixos entenda-se...
Fiquei com tanta aversão por diversas razões falta de honestidade, corrupção ao mais alto nível, o fisco nada pede e tudo permite, não consigo compreender o porquê de clubes, associações, jogadores, treinadores etc ficarem ilesos ao fisco ou passam por ele ao lado!
Exemplo: se eu dever um cêntimo ao fisco vêm com acções e penhoras, por seu lado os clubes devem milhões vendem jogadores e ganham milhões é do conhecimento do público esses valores, e ninguém penhora nada: património, lucros, rendimento da bilheteira de contratos de transmissão de jogos nada de nada...
Por essas razões todas juntas e mais algumas bastante sór... (por respeito não acabo a palavra) acabou o meu fanatismo e realmente fico abismada como o povo se esquece e sai à rua atrás dos ídolos que os sacam até ao tutano.
Como um outro comentador disse também aplica a minha opinião à política e aos partidos, apesar de não ter conhecimento de causa.
Também acho que será um bom objecto de estudo para as ciências sociais.
Um dia fui adepta do FCP e não tenho partido político.
Um abraço,
Isabel

Anónimo disse...

A Srª Dª Virginia diz tantas asneiras que até assusta, mesmo aquele que nada percebe de futebol. Vem falar dos 30 anos do FCP e depois mistura o Estado Novo ao barulho. Mente decapta, díria eu... Oravamos lá então a uma analise aprofundada ou mini lição de história, bola e afins; Os últimos 30 anos do FCP a ganhar titulos, devem-se, em parte aquilo que quem quer ver, sabe. Não estou de todo a tirar o mérito aqueles campeonatos ganhos na era Mourinho, ou até mesmo na era Fernando Santos! Estou a falar dos restantes, ganhos à "sucapa". Quanto às afirmações que tanto se lêem por aí fora, de que o Benfica foi o clube do Estado Novo e não sei quê, vamos recuar na história e lembrar ou relembrar que, no tempo do Estado Novo, a grande maioria dos ministros e afins, eram sportinguistas e que o Dr. Salazar era adepto e sócio do belenenses. A única vez que Salazar se meteu no caminho do Benfica, foi para evitar a venda de Eusébio ao Inter de Milão. Pois via em Eusébio um icone do futebol portugês, capaz de mobilizar milhares de pessoas aos estádios. Posto isto, acho que fica bem as pessoas reconhecerem os méritos das equipas de futebol ou de qualquer outra modalidade e não entrar nesse tipo de conversa plebéia que só prejudica o futebol e os seus adeptos, bem como o próprio dia-a-dia. Sejamos honestos e sinceros e devemos dar valor a quem o merece.

ka disse...

Drª Helena,

Desculpe discordar de si mas o que se viu nos últimos dias foi uma massiva cobertura dos festejos, o que dá uma aparente dimensão maior.
Não quer com isso dizer que o Benfica mobilize mais adeptos que o Sporting ou o FCP. Se nos outros anos tivesse havido o mesmo tempo de antena de todas as tv e rádios, transmitindo um telejornal inteiro apenas com festejos, com toda a certeza que concordaria comigo.

Boa semana!

Anónimo disse...

Boa tarde,

NÃO, não, nem todo o portuga se identifica com o Benfica.

Este clube não me representa em nada e muito menos nos sucessivos perdões fiscais que vai conseguindo mesmo após o Estado Novo! Veja-me lá só aquele jogador que partiu a perna a um colega de equipa e ninguém diz nada, deve ser a alma benfiquista certamente.

Gosto do vermelho, mas desconheço o encarnado e, para sempre, o Céu é e será azul :-)

Agora, a verdade é que os meios de comunicação dedicam a este clube um tempo de antena que em nada se compara a outros clubes mesmo quando estes celebram alguma vitória quer seja dentro ou fora de portas.

É quase como estar a chover em Lisboa e os boletins meteorológicos anunciam que está a chover em Portugal Continental …

E não pense a D. Helena que sinto algum sentimento negativo pela capital ou pelo clube de eleição dos impostos portugueses, nada disso, até porque vivi aí alguns anos e nessa cidade concebi e dei à luz o meu filho.

Quem noutra parte do país vive, entenderá bem o que digo…

Se o Benfica merece os parabéns? Claro que merece, ganhou.

Se me identifico com este clube e a sua forma de estar? Nem pensar, sou nortenha e identifico-me com o Norte e, por ser do Norte, conheço razoavelmente bem o país continental e insular, as suas gentes, os seus costumes e, por isso, sou uma portuguesa orgulhosa do seu país.

Cumprimentos,
Cláudia

Anónimo disse...

Se esta febre pelo futebol fosse direccionada para o combate pelas causas sociais ... isso é que seria de louvar e demonstraria verdadeira paixão pelo país.

Note-se que é óbvio que há o direito de se festejar como se festeja (afinal não é o ópio de 6 milhões de portugueses ou até mais?), mas mais cultura social e menos futebolística talvez nos levasse mais longe como povo.


P.S. E sim, o clube português que mais títulos tem, e mais visibilidade tem lá fora, há quase 2 décadas, que não é o Benfica. Mas continua a ser o clube do regime. Há questões que nem mil 25 Abril modificam.

Cris

Helena Sacadura Cabral disse...

Caros comentadores
No meu post eu digo que o Benfica "...parece ser a imagem da alma nacional...".
Não digo "é"!

ana paula nereu disse...

Ainda não entendi é porque é que um País não pode festejar o Futebol... Sejam vermelhos, verdes , azuis ou ás riscas, temos que contraiar o Fado de sermos um Povo triste!!!!!!! Se festejamos e ficamos contentes, lá está: estamos a ser alienados!!!! Bolas que é difí
cil ser-se Português!!!!!!

Isabel Pais disse...

Drª Helena,

Na muxe, "vive com o que foi, pensa que o é e realmente continua a alimentar um caminho sem futuro".

Um abraço,

Isabel

Anónimo disse...

Estou muito feliz, sou benfiquista e fiquei espantada com a mobilização de tantas pessoas e a sua alegria.
Por vezes o povo precisa destes momento de euforia já que tudo o resto é tão triste.
Gostava de ver uma mobilização ainda maior no dia 25 de Abril.
Beijinho
FL