domingo, 14 de julho de 2013

Finalmente, a vez de Apolónia


A líder do Partido Ecologista Os Verdes, Heloísa Apolónia, anunciou, esta sexta feira, que a sua bancada, de dois deputados, vai avançar na próxima semana com uma moção de censura ao Governo, que será a última possível desta sessão legislativa.
A mesma deverá dar entrada no Parlamento logo no início da semana e terá de ser discutida, conforme obriga o regimento parlamentar, nos três dias seguintes. Será na quinta-feira que o Governo de Passos Coelho a irá enfrentar.

Chegou, finalmente, a voz e a vez de Heloísa Apolónia censurar o governo. Imprescindível.

 HSC

11 comentários:

João Menéres disse...

Estão entretidos a fazer perder tempo, quando ele é tão precioso.

Helena Sacadura Cabral disse...

Tem toda a razão meu caro João Menéres!

Observador disse...

Tem todo o direito de o fazer, estimada Helena.

Sendo esta 'coisa', diz-se, uma democracia, venha de lá a moção.

Perde-se tempo, é verdade, mas não é isso que se tem vindo a praticar nos últimos tempos?

Cumprimentos

Fatyly disse...

E o tempo que perdem é assustador, mas acabei de ler agora que o PS irá votar a favor e não sei como vai acabar esta novela!

Anónimo disse...

É assim, como estamos em maré de brincadeiras, vem mais esta para completar o ciclo.

Carlos Fonseca disse...

Estou certo de que Pedro Passos Coelho não deixará de mandar a Heloísa Apolónia um ramo de flores, com o respectivo cartão de agradecimento.

Nenhum deputado da maioria defenderia tão bem o Governo...

Um Zero à Esquerda disse...

Os «melancias» não existem.
São um expediente para que o PCP possa ser, por exemplo, o único partido da oposição que apresente 2 moções de censura ao governo em cada legislatura, enquanto os outros só pode apresentar uma.
O PCP destaca uns maduros para aquela «coisa», dá-lhes uma sede, umas secretárias, mete a sigla nos boletins de voto, diz-lhe o que devem fazer a cada momento e aí está um partido político «ecologista».
Pobre ecologia que merecia melhor sorte.
E ninguém denuncia esta fraude de uma forma sistemática.

Dalma disse...

Como é bom viver em democracia! Isso vai com certeza permitir alguns desmando a Heloisa Apolónia!
Como por aqui os jornais da " terra" são todos em flamengo, mesmo sendo a Bélgica bilingue, pela sua Constituição, não é fácil, se chegamos tarde encontrar outros que entendamos. Por três vezes conseguimos o Internacional Herald Tribune e de outra vez o Le Monde!
Claro que este arrazoado todo não é para dar a conhecer os jornais que lemos mas, tão somente para dizer que o I.H.T de dia 10 trazia um enorme artigo sobre Aristides Sousa Mendes logo na primeira página e que se estendia quase à totalidade da 3ª. Os testemunhos de ainda alguns sobreviventes davam bem conta da alma que era e como um governo de ditadura o deixou morrer na miséria!
A democracia tem os seus defeitos, mas nada melhor que viver nela! Tenho dúvidas que um governo da CDU deixasse dizer tudo o que por aí se ouve e provavelmente a H.A. disse na sua moção de censura se, a esse hipotético governo se referisse!!

Dalma disse...

Nunca leu o livro de Zita Seabra "Foi Assim"? Talvez tenha lido, pelo comentário que faz. Se não leia e verá lá todos os truques que o Partido usava...interessante ver as técnicas que de democráticas não tinham nada!

Anónimo disse...

Cara Dalma,

Sobre Aristides Sousa Mendes, tem vindo a circular pela Blogosfera umas tantas infâmias sobre ele, o que é lamentável. Não sei quem poderá estar por detrás disto.
Enfim!
Cordialidade,
P.Rufino

Dalma disse...

Lamentável sim P. Rufino! Mas na blogosfera circulam tantas mentiras, que eu abstenho- me de dar credibilidade a coisas desse género. Quem ganhará com isso? Boa pergunta!