sábado, 11 de maio de 2013

Retroactividades...

Ontem tive o azar de apanhar o PM do país onde nasci, a explicar das suas razões para uma mais que certa retroactividade de cortes aos pensionistas "que estão a receber".(sic)
Fui educada numa família de gente séria que trabalhava para sustentar os seus e que considerava ser essa a obrigação de todos aqueles que tinham decidido constitui-la. 
Trabalho para viver do modo que sempre vivi, pois a reforma que recebo e o que este Estado me tira - estou a ser educada - não me permitiriam viver apenas dela. E tenho a sorte de ainda haver quem prefira comprar um livro meu a uma camisola básica.Essa é que é essa.
Dito isto, desliguei a televisão irritadíssima. Pronunciei alto umas palavras que não costumo usar e deitei-me. Tive uma noite de insónia, revoltada com o que ouvira e decidi que ninguém me poria a vista em cima nesta fim de semana. Era a minha única forma de evitar eventuais desaguisados.
Hoje levantei-me e fui à missa pela minha Mãe, que faria anos se fosse viva. E sabem que mais? Fui comer sardinhas assadas lá para as bandas do Tejo, beber sangria e caminhar ao sol. Desanuviei
O Dr Gaspar e a reforma do Estado podem levar-me a pensão, podem levar-me o pouco que tenho no banco para uma doença, mas não hão-de conseguir nem levar-me a voz, nem levar-me a alegria de estar viva. Porque eu não quero e porque eu não deixo!

HSC

52 comentários:

Tété disse...

Mais uma vez, grande Helena!
Havemos de espernear até que os ossos doam e reclamar até que a voz atinja o mesmo estadio.
Não há memória de tão grande falta de justiça.
Valha-nos a força e a garra para continuarmos vivas.
Grande abraço e um beijinho.

Vânia Batista disse...

Por essas e por outras é que eu não vejo televisão à noite, salvo alguns programas criteriosamente escolhidos."Depois do Adeus" (aos Domingos), e pouco mais.

As horas anteriores a deitar-me prefiro ligar, vir até ao Fio de Prumo e depois, "desligar" do mundo e dedicar-me à meditação e ao relaxamento.

Agora... quanto às sardinhas assadas já são outros quinhentos! Essas sim seriam um bom calmante ainda por cima seguidas de um passeio ao Sol.

Não fui à missa, mas fui à catequese, porque sou catequista e para desanuviar, fui dar leitinho a uma gata que apareceu no meu quintal para ter a sua prol (4 gatinhos, que são um encanto) e deliciar-me, vendo-a beber e lamber os bigodes, em jeito de agradecimento. ;)

Um beijinho,
Bom fim de semana

Vânia Batista


Anónimo disse...


Tiraram-me o emprego e ao principio sofri com a perda de identidade social e falta de independencia.
Tambem acabei por resolver que nunca deixaria que este sistema podre, incompetente e ganancioso me roubasse o sono e a alegria de viver e amar.

zia disse...

Minha querida faz muito bem de reagir e não se deixar ir abaixo
roubo que nos estão a fazer!
Gostava que os senhores que nos roubam explicassem para onde vai o que daí advem...
Um grande abraço,
lb/zia

Fatyly disse...

É tremendamente revoltante para não dizer imoral!!!!!

Anónimo disse...

Já nem os ouço. Desisti!

Isabel BP

Anónimo disse...

Depois de ler este seu texto, com o qual concordo inteiramente, não só por aquilo que lá consta mas, também, no que pensou e nele omitiu, apetece-me dizer:
- Perdoai-lhes senhor, eles não sabem o que fazem.
Ou saberão?
Também, como a senhora, sou reformado, só que afastado daquela que era a minha profissão por ser, digamos, desnecessário.
Não encontrei, portanto, alternativa para ter outra receita que não a minha pensão.
Esta seria o retorno das contribuições que ao longo da minha carreira profissional fiz, cumprindo a minha parte do contrato que, pensei, tinha estabelecido com um Estado dito “entidade de bem”.
Seria, se eles soubessem o que fazer.
Saberão? Espero que estejam, ainda, a tempo de saber reflectir sobre a matéria pois um dia, também eles, serão desnecessários.
Atentamente
Rui Carlos

Teresa Peralta disse...


Ainda bem que existe com este Fio de Prumo pois, se bem entendi, porque não se cala nos ajuda a reproduzir aquilo que nos vai na alma.... E, porque, na sua alegria de viver, nos ensina a dar valor àquilo que realmente importa...
Bem haja! É sempre um prazer visitar este espaço.
Boa noite com um grande abraço.

Isto e aquilo disse...

É isso mesmo!
Beijinho

Isabel Mouzinho

Anónimo disse...

Mesmo com todas estas injustiças ainda há 34,38% de pessoas que os apoiam, segundo a sondagem do Expresso (Eurosondagem).
Serão os privilegiados que não são afectados por estas medidas
ou fazem-no por outras razões, sei lá, religiosas ou outras que tais?
É tudo um mistério.
O Primeiro-Ministro fala destas coisas como se fossem uma inevitabilidade e em nome de alguém sem sensibilidade que o utiliza para dizer e fazer estas imoralidades.
Perdemos alguma guerra?
Quando um País se encontra ocupado é que tem de observar as condições que lhe impõem.
Se eu for contrair um empréstimo ao Banco o que tem o Banco a ver se eu como caviar os sardinhas assadas?
Salazar soube sempre diversificar as fontes de financiamento e nisso obteve algum sucesso. Pena ter sido um ditador cruel porque de resto metia estes meninos de coro todos a um canto.


Virginia disse...

Pergunto-me quando é que eles vão desistir do "pote de ouro" que são ( para eles) as pensões e os vencimentos da FP.

Quando estivermos todos de tanga - como dizia o outro, já nem sei quem - não haverá sequer quem compre livros ou vá ao cinema...é o colapso total da cultura em Portugal.

O que me vale é que, como a Helena, a minha fonte de rendimento não vem do Estado , mas do meu trabalho árduo durante 30 anos para a editora.

Desejo-lhe um Bom Domingo cheio de paz e felicidades para o seu novo livro.

Bjinho

Gaivota Maria disse...

Espero que o tribunal Constitucional ponha travão na cabeça descoroada do PPC. Este cisma grisalho não pode avançar. Um abraço

Maria disse...

É IMORAL tudo o que estão a fazer aos reformados. Completamente IMORAL!
Já não há respeito pelos mais velhos: vê-se nas escolas, nos transportes públicos, nas salas de espera dos hospitais, e por aí fora! Como é que estes políticos da "fornalha" do PREC e Pós PREC, poderiam ser? Eles sabem lá o que é fazer sacrifícios! Eles não sabem muita coisa.
Já fui convidada 2 vezes para entrar na política e das 2 vezes recusei, por saber que não tinha "estômago" para calar os valores que me transmitiram os meus pais, os meus avós, enfim, todos aqueles que me educaram com valores morais muito fortes e sentimentos pelo o Outro que está ao meu lado!
A História repete-se sempre: é mais fácil atingir os mais fracos (os mais vulneráveis e sem capacidade de reagir) que os poderosos (que estão sempre numa boa e ninguém lhes toca, porque têm os "amigos" bem colocados que os sabem defender e fazem-no "de borla"). Para mim isto chama-se COBARDIA! Tão só! Neste caso COBARDIA POLÍTICA!
Afinal como é que se comportam os cobardes?..... Mas não só estes! São os anteriores e os anteriores dos anteriores e por aí fora....
Contudo, estes superam em tudo, os anteriores....
E todos aqueles que nos levaram a esta situação? O que lhes aconteceu? NADA!!! Estão numa boa e ainda aparecem na televisão.... Sem qualquer vergonha na cara!...
Minha querida Helena, está a ver por que não quero ir para a política!? Era logo "esmigalhada" assim que abrisse a boca...
A maior greve (e quanto a mim, mais eficaz) que se poderia fazer, era ninguém ir votar, mesmo! Aí sim, ver-se-ia o desprezo que os políticos nos merecem e talvez algo mudasse mesmo! Nunca fui, nem sou por governos totalitários, mas esta o que é? E o anterior o que foi?
A sorte destes políticos é o nosso povo (nós), ser(mos) maioritariamente mal informado (s) e não ter força anímica para reagir, pelas "poucas vergonhas" que nos têm feito!
Minha querida, ficou-me por aqui, porque já estou a "aquecer"! E não quero dizer mais...
Só que gosto muito de si, da sua postura e que adoro vir ao seu blogue, porque é sempre uma lufada de ar fresco, que nos faz muito bem!
Quem me dera poder ir consigo comer umas sardinhas e beber uma sangria... Quando vier para o Sul, gostava muito de o poder fazer com a sua companhia e da minha família. Quem sabe?
Um beijinho e bem haja, por ser o SER Humano que é!
Maria (seg. interm)

Maria da Glória Justino disse...

Um amigo , enviou-me um artigo escrito pela senhora,... que é uma pessoa culta, sobre como, é o falar Português, de antes, e de agora, Foi uma delicia,... Entrei na sua pagina, e li tudo o que a senhora disse,...é tudo, o que, todo o nosso povo pensa e sente. Eu, não tenho cultura, não tive possibilidades,... mas tenho sentido de avaliação, e concordo, com a senhora em tudo, BEM HAJA, para a senhora,... Fora com esse Gaspar, que só inventa soluções para a crise, ás custas do pouco que as pessos teem ... deveriam, era estudar maneira de criar,... criar ... CRIAR, desenvolvimento. Seja feliz, muita saude para si.

Anónimo disse...

Por outro lado ... verdade seja dita ... não é timbre da comunicação social actual dar destaque a medidas sociais que este governo tomou: o aumento das pensões mais baixas. E a medida de diminuir as pensões mais altas é uma medida social justa, que nunca os socialistas tomaram. Quem é mais justo?
Porque, se há crise, é preciso que haja ajustamentos. Também é estranho que não seja frequente as pessoas dizerem quanto lhes ''rouba'' o Estado. Vamos a contas. Mostrem quanto ganhavam e quanto lhes resta! É assim tão pouco? Descontaram para ter mais? E se não houver dinheiro? Obvio que os belmiros, melos e espíritos santos também deveriam dar essas contas. Em quanto são ''roubados''? Qual o total despendido com os aumentos dos mais pobres? E etc...porque casa onde não pão ...

Observador disse...

A moral é o que é e cada um tem a que tem, ou não tem.

Uma vez mais lhe dou os parabéns pela verticalidade demonstrada.

Cumprimentos, estimada Helena.

Maria disse...

Sinceramente, quando ouvi o Ministro de Estado revoltar-se com a medida a aplicar aos pensionistas, confesso que tive orgulho nele, se bem que a minha área política não seja de todo a dele. Pensei, aqui está um homem com garra que nos vai defender.
Hoje, peço a Deus, para que ele se mantenha firme no seu propósito, que não nos defraude porque terá muita gente com ele.
Maria

Paula Ferrinho disse...

Fez muito bem!!! Um programinha de sardinhas assadas, sangria fresquinha, passeio ao sol e "profilaxia mental" será sempre mil vezes melhor que o resto que constela à nossa volta e nos tira do sério!!! Ao menos esses momentos ninguém nos poderá tirar nunca... Serão sempre parte integrante do nosso equlíbrio e sanidade e ainda bem, valham-nos eles para irmos continuando assim... Inteiras!!! Um beijinho blogosférico...

Anónimo disse...

Quando um dia "estes senhores" morrerem, muitas voltas irão dar no caixão...

Maria disse...

Estou consigo. Apetece ser pouco educada nas palavras a usar para nos referirmos a este governo VERGONHOSO. É uma calhanice o que fazem. Hoje, reuniram -se de novo? mas que brincadeira é essa? Ora, agora digo eu, ora logo dizes tu. Num dia, dizemos sim, no outro dizemos não. O melhor é mesmo ir comer sardinhas..... e fazer escolha da informação que damos à nossa mente para mantermos o nosso equilibrio.
Cptos.
Carmen

Nini disse...

Helena
Estou assustadíssima com os cortes que nos vão impor. Eu não credito! Trabalhei, nos últimos anos sem poder, para poder garantir um lar que não seja ilegal. (não fiz dívidas, vivi sempre de acordo com as minhas posses, fiz voluntariado). Que mal fiz eu!
Já não posso ver as notícias: a tensão arterial sobe em flecha. Querem liquidar-nos, a nós, velhos. A mim podem empurrar-me para o mar e, como não sei nadar,morrerei afogada, deixarei de dar despesas com oa medicamentos e o governo poupa a minha pensão.
Cunprimentos

Anónimo disse...

Como sempre, uma inspiração e um exemplo. Obrigada

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pelo muito respeito que lhe tenho e porque muito a admiro, custa-me muito dizer isto, mas não ficaria bem com a minha consciência se me calasse:
- o PM e o dr Gaspar têm sem dúvida culpa no cartório, mas é bom não esquecer que um senhor ministro de Estado que há uma semana "jurou" não aceitar esse corte, agora recuou. Esse senhor de que falo deve ter esquecido em absoluto a família onde nasceu, vendendo-se aos seus interesses pessoais. Se tivesse uma ponta de dignidade demitia-se!
Peço desculpa pelo desabafo, mas acabo de regressar a Portugal e sinto-me roubado por dois energúmenos (Passos e Gaspar) conluiados com uma pessoa qu eu respeitava mas constato que é igual a eles.
Não se mandam às malvas 40 anos de trabalho sem luta e eu vou lutarcom todas as minhas forças, para que o Estado respeite o contrato que celebrou comigo.

Jose disse...

Oh, minha Senhora, estou completamente de acordo com o que disse. Só que este pesadelo poderia ser bastante menos penoso se UM DETERMINADO MINISTRO, fosse coerente com a SUA PRÓPRIA CONSCIÊNCIA!!! e respeitasse as FRONTEIRAS que, segundo afirmou, jamais ultrapassaria.

Isabel Seixas disse...

Estamos nessa, pra frente é que é caminho.

Anónimo disse...

Também não deixo, não.

Ninguém, quer dizer, «esta gente» não me vai nunca tirar o gosto de estar vida e de ser feliz.
Como cenouras.

E não me importo.

«Que se ...» Não escrevo, que a este blog não merece.

Teresa Frazão

Helena Sacadura Cabral disse...

Caros comentadores
Posso compreender que todos se sintam lesados pelo Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros. Sobretudo os que votaram nele.
O que tenho mais dificuldade em compreender é que alguns considerem que a mãe desse político, um homem de mais de 50 anos - que ocupa uma profissão que a própria detesta - tem qualquer tipo de responsabilidade ou de influência nas decisões desse ministro.
Ou que se esqueçam que a mesma, sendo reformada, escapa às medidas que têm vindo a ser tomadas.
E se apenas falei em Passos e Gaspar foi porque um é do partido da força eleitoral e o outro é o seu homem de confiança. Tanta que é considerado o segundo do governo.
Estou longe de ilibar quem quer que seja deste governo, incluindo o MENE.
Ter-me-ei feito entender?

ves disse...

..fortes com os fracos, fracos com os fortes...

na minha casa, não entra CANALHA!

não vejo televisão, consulto alguna blogues e alguns jornais e revistas...poucos!

toca a organizarmo-nos e lutar até aos tribunais (todos) pelo cumprimento dos contratos que fizemos!

Maria Júlia Sobrinho disse...

Vou ficando sem palavras para não dizer asneiras..é apenas um interregno no que penso e sinto, um adiar...Obrigada pelas suas palavras. Já me poupou durante momentos.Envio-lhe um abraço

Anónimo disse...

Fez-se entender perfeitamente! Aliás, como sempre!

Um forte abraço
FL

Carochinha disse...

Já disse isto várias vezes... é tão bom lê-la! :)

Hélia Cruz disse...

Cara Helena,

A retroactividade nas reformas é digno de Maquiavel.

Não há respeito por todos os portugueses que trabalharam uma vida inteira e de acordo com os seus descontos recebem as suas respectivas reformas. Alteram nx as regras de aposentação encurtando os prazos já previamente estabelecidos, revogando os contratos feitos com o Estado há mais de trinta anos e frustrando as expectativas de quem trabalha.
Haja saúde, sol para nos aquecer a alma,emprego para os portugueses e mais dinheiro para as reformas mais baixas. Agora estou a ser utópica, mas a esperança é o último desejo que eu não renuncio enquanto viver.
Sempre com amizade.

Anónimo disse...

Um lúcido e objectivo comentário. Exprime a revolta e a indignação que mora dentro de muitas portuguesas e portugueses. Um país sem norte e sem rumo... Positivamente à deriva e num mar mais que encapelado...Também não tenho dúvidas de que a TSU para os reformados é um dado adquirido por Gaspar & Compª e que só estratégicas razões partidárias, impedem que seja proclamada "preto no branco" o quanto isso implica...A nós resta-nos resistir da melhor forma que soubermos e pudermos. Zé MC

Anónimo disse...

Helena Sacadura Cabral é nome de MULHER com letra grande pela sua coragem de dizer e escrever(já li algumas coisas escritas em livros)visto algumas entrevistas nas televisões,e que até parece ter um filho chamado Paulo,que devia seguir a doutrina cristã,que nos ensinaram na escola noutros tempos,mas está mais interessado nas novas teorias neo-liberais e capitalistas,que os pobres só conta para aumentar o numero de votantes nas eleições,para arranjar tacho para ele e seus comparsas.Quando morrerem vão dar muitas voltas de arrependimento no caixão,porque tambem não ficam cá eternamente,felizmente.

Anónimo disse...

O que mais me revolta é a falta de humanismo e desprezo com que nos tratam. A fome não interessa, a saúde não interessa, a educação tb não. ò pobres de espírito que desgovernais este país! Parecem desconhecer a realidade, mas, há tiros que saem pela culatra e algum vos apanhe.

nita disse...

Ha ja muitos anos que sou uma grande admiradora sua. Alem de tudo e muito especiamente pelo seu GRADE SENTIDO E HUMOR que qntes de tudo define uma mulher inteligentissima. Obg.

















Anónimo disse...

Gostei !

Rodrigo Costa disse...

... Que sorte a Senhora tem, apesar do azar! Que sorte a senhora tem, por ter quem lhe compre livros, e por ter e ter tido uma família que lhe possibilitou e possibilita viver muito acima da linha de água.

De que se queixa, eu poderia perguntar; mas sei que é do ridículo —apesar da razão da sua queixa. Quer dizer, o contexto está certo; mas a Senhora está descontextualizada.

A Senhora ainda não compreendeu que há milhares de pessoas com razão de queixa, mas que não dispõem da oportunidade de espaço que a Senhora, como cidadã privilegiada, dispõe. A Senhora pertence ao número dos que, dando um ai, as portas abrem-se.

Dirá —como outros privilegiados— que dá a sua voz pela voz dos que não podem falar... Cara Senhora, nada como ouvir o paciente, em vez da mulher, do filho ou da nora.

No seu lugar, minha Senhora, sobre a secretária onde escrevesse, teria, sempre, uma garrafa e um cálice de champanhe, para que, quando ouvisse falar de tristezas, pudesse celebrar o meu conforto ou afogar o ridículo, se me desse para entrar em pânico

Gerardo Silvestre disse...

D.Helena Sacadura, permita-me que me curve perante a sagacidade da sua visão. Sou um seguidor do seu modo de pensar bem como de analisar as coisas actuais, independentemante dos laços afectivos existentes. Acabei hoje de ler o seu último livro, ( O Amor é Díficil), que é um verdadeiro manuel de conviver na sociedade Parabéns.

antónio m p disse...

Imagino quanto terá hesitado, apagado e reescrito a sua mensagem até se decidir, corajosa e penosamente por cumprir com a sua consciência.

Aceite os muito respeitosos cumprimentos deste "socialista, ateu, revolucionário e tudo", ciente das nossas distâncias ideológicas, digo político-ideológicas.
amp

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro António m p
Ora então vamos lá conversar.
"Distâncias ideológicas":
1º Ateu - aqui, de facto, há diferença, porque "eu creio".
2º Revolucionário - nunca fui presa, mas andei em revoluções, no tempo em que elas tinham graça, ou seja o de Arlindo Vicente e Humberto Delgado. O meu amigo já tinha nascido nesta altura?
3º Socialista - qual dos socialismos? E que ideologia pensa que eu tenho, com um filho à esquerda e outro à direita? Acha que o da direita sai a mim e o da esquerda sai ao Pai?!
"Nunca avalie, à partida, uma ideologia que desconhece", meu amigo. Garanto-lhe que conheço muitos socialistas que, para mim, estão bastante à minha direita. Nem cito nomes porque não é necessário. Se tiver as três qualidades que afirma dar-me-á toda a razão e até sabe quem são. É a esquerda caviar vs direita trabalhadora? Ah! Ah!
:-))

Libertas disse...

Caríssima Helena e comentadores:
Não há qualquer retroactividade. O governo não tem a intenção de pedir a devolução de valor já recepcionados pelos pensionistas e reformados. O corte aplicar-se-á unicamente a valor a receber em prestações futuras.
Mais: só estarão sujeitos a cortes aqueles que usufruem de pensão calculada de forma privilegiada face aos trabalhadores. è inaceitável que durante 37 anos a malta da fp tivesse uma fórmula de privilégio!
Eu, trabalhador de 43 anos, pai de 3 filhas, com salário bruto de 1327 euros, não aguento o fardo de carregar uma multidão de ricos aposentados com milhares de euros quando sei que não terei uma pensão que nem de longe terá os valores que usufrui qualquer técnico do BdP.
Abraço,

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro/a Libertas
Ainda bem que acredita que assim será a interpretação a dar à decisão. Eu não estaria tão segura...
Apenas uma explicação. Nem todos os reformados do BdP têm chorudas pensões. Eu, por exemplo, pertenço a um grupo que não foi "reclassificado" - neste momento, creio, somos noventa - e tenho uma pensão inferior à que teria no Estado pelos meus 40 anos de serviço. E isto pode ser confirmado por quem tenha interesse em faze-lo. Acresce que a minha pensão de 18 anos de técnica na função pública - 298 euros - a entrego por inteiro ao BdP.
É preciso algum cuidado nas generalizações!

Maria disse...

E a diferença de salário entre um reformado e outro que esteja no ativo?é escandaloso, o reformado ganha mais porquê?ambos estão no mesmo escalão e o reformado foi para a reforma aos 52 anos.
Que país é este com tantas injustiças?só falam dos reformados e os outros que têm filhos pequenos para criar?

Anónimo disse...

Finalmente vejo os "bem colocados" a queixarem-se da vida. Sei que é da boca para fora, principalmente porque se estão a esquecer dos verdadeiros pobres, aqueles que nunca tiveram a tal cunhazita do amigo ou da família para cingrar na vida, de preferência com pouco esforço. Os apoios à cultura estão a faltar e assim a coisa não rende. Compreendo...

Anónimo disse...

Minha querida Senhora
A sua genuína e contagiante alegria de viver é indestrutível. Dela beneficiam os que têm o privilégio de a ler e ouvir.
Desejo-lhe longa vida com muita saúde e rindo como só o sabem fazer as pessoas sérias que não se levam demasiado a sério.
É sempre um prazer revê-la jovem, lúcida e "gozando" com os zombies que nos calharam em sorte.

GORETE ARAUJO disse...

BRAVO....É O QUE A MAIORIA DOS PORTUGUESES SENTEM E DAS PORTUGUESAS. REVOLTA....TRISTEZA.... TEMOS QUE GRITAR BEM ALTO A NOSSA FRUSTRAÇÃO COM ESTE GOVERNO
Gorete Araújo

Adelino Borges. disse...

Ainda se encontram pessoas capazes de dizer a verdade.Esta verdade é aquela que todos conhecemos,mas ,que por vezes temos vergonha de desabafar,pois há o tal amigo,e do partido tal,que poderá não aceitar.Eu aceito,e envio os parabéns
à aurora.

diamantino barros disse...

Isto já não é uma questão de direita ou esquerda. Gente desonesta e incompetente existe em todos os quadrantes.
Venha gente minimamente honesta e competente para "cortar a direito" e chamando "os bois pelos nomes" digam honestamente aos portugueses que "os vendedores de promessas" não podem ser governo e tem de ir trabalhar para outro lado.
Formem um governo de "COMPETENCIAS" (que as há ainda), esqueçam os Partidos e restrinjam todos os gastos supérfulos. Abandonem os "compadrios" em mandem "os boys" trabalhar "á séria". Em 5 anos isto entra nos eixos, podem crer. Parem com multas desmedidas,fisco "arrebanhador", polícia "multa a torto e a direito". Acabem com a burocracia desmedida e ciem Tribunias céleres e sem custos para quem não tem nem para os seus custos do dia-a-dia.

Anónimo disse...

Bem haja D. Helena. Pela sua pela sua integridade em não ficar calada perante estes "horrores" que consomem o mais bravo dos portugueses; por ser persistente; por nos dar uma palavra de sabedoria, e sobretudo, por ainda conseguir dar alento depois de tão grande sofrimento ainda há tão pouco sentido.
Bem haja e que Deus lhe dê força para continuar a dar voz aqueles que querem falar, que querem expor os seus receios, angústias, discordâncias e não o podem fazer.
Um bem haja por tudo isto e por ter a coragem de colocar a nú os "podres" de uma governação calamitosa que se governa a si mesma e aos seus interesses.

Anónimo disse...

Com toda esta situação é realmente muito dificil de haver controlo no nossos sentimentos. São tantas as injustiças, que o melhor é apanhármos ar puro e desfrutar das belezas da natureza. Politica, sómente para aqueles que mais nada sabem fazer. Cortem nas mordomias vergonhosas e escandalosas e deixem os mais fracos em paz. Já basta o que lhes estão roubando. Senhora Maria Helena Sacadura Cabral, é sempre um prazer ouvir os seus comentários, que são sempre bem claros e directos. Cumprimentos

Anónimo disse...

todos se queixam dos actuais governantes, que fazem cortes nas pensões, ordenados e outros proveitos. porém não culpam os vilões, que são os anteriores governantes, que em pouco mais de 4 anos endividaram o país em cerca de 60% de todo o nosso endividamento. Esses endividaram-nos e por força das eleições que perderam libaram-se do odioso dos cortes nas pensões, etc.. O povo só condena os actuais porque eles é que efectuam os cortes e os ajustes, mas não foram os seu autores, esses serão agora eleitos outra vez, como prémio da sua iniqüidade e esbanjamento. Cada povo tem o governo que merece.