terça-feira, 13 de setembro de 2011

Louvores...


A questão em si não terá a mínima importância. Mas o que é certo, é que a mim, causou-me algum incómodo. Leio num jornal que um assessor de Isabel Leite, actual Secretária de Estado do Ensino Básico e Secundário, que trabalhou entre 25 de Julho e 22 de Agosto deste ano, tendo saído a seu pedido, mereceu desta alta dignatária um louvor público.
Ignoro os relevantes serviços que o seu assessor, durante trinta dias, lhe possa ter prestado. Mas, mesmo que tenham sido extraordinários, temos de convir que, relativamente aos outros funcionários da casa, a medida apareça como bizarra.
Eu não pertenço ao Ministério da Educação. Mas servi a Administração Pública durante dezoito anos e sei bem quão escassos eram, na altura, este tipo de louvores. Mudam os tempos e mudam as vontades.
Os funcionários públicos, com razão ou sem ela, estão a ser sacrificados. E, de repente, a título de exemplo, um dos seus por apenas um mês, tem direito a uma distinção especial. Se isto se tornar uma regra, os assessores ficarão cada vez mais mal vistos. E com alguma razão, diga-se.
Prof. Nuno Crato esteja atento. Estas coisas acabarão sempre por lhe cair em cima!

HSC

8 comentários:

Marcolino disse...

Estimada Helena,
Não seria para providenciar portas abertas, um possivel regresso...
É que um lovor é mais de meio caminho andado...
Cumprimentos
Marcolino

DL disse...

Sábio conselho, cara Dra. HSC, que é como quem diz que isto ainda vai acabar mal. E a julgar pela forma como começa... Estou 100% de acordo consigo, tanto mais que o actual ministro sempre defendeu o reconhecimento do mérito. Quando há tanta gente a servir o Estado muito bem e há tanto tempo, que não tem qualquer reconhecimento, e que ainda tem que aguentar cortes de salário seguidos de aumentos de impostos, isto é difícil de entender.

Naná disse...

Particularmente, já dei mais valor aos louvores que por aí se dão... por exemplo o meu marido recebeu dois louvores da GNR, pela sua participação em duas operações de apreensão de drogas. No entanto, um colega dele recebeu um louvor pela qualidade soberba com que fazia sobremesas na messe do destacamento. Na prática, estes dois louvores têm o mesmo peso na progressão da carreira...

Anónimo disse...

No tempo PS foram dados louvores por menos que uma semana de trabalho. Já é um avanço qualitativo de monta.

Anónimo disse...

Louvado seja Deus!
P.Rufino

ERA UMA VEZ disse...

Aprendi muito pequena com a minha mãe que
"mais vale cair em graça do que ser engraçado"

...e pela vida fora, quantas vezes lhe dê razão...

Margarida disse...

É piada, não é, Milady?
...nã!...; é a sério?! A sério??
LOUVOR por um mês de..., de quê? Num governo que se instala, quatro semanas, com fins de semana e uns dias de férias de permeio Por certo), o cidadão vai embora e tem.. UM LOUVOR?!
...
Isto não é normal..., juro, este país, esta gente, não regula!
'poramordedeus'!!! Haja tento nestas manifestações de idiotice!
Isto, além de risível, é pernicioso para quem trabalha ANOS na função pública e é tratado como peça da máquina. E se alguns mereciam, de facto, reais louvores!
Estas coisas aborrecem mais do que algumas taxas...
É necessária uma revolução nos métodos administrativos dessa burocrática e bafienta forma de funcionar.
Sentido de justiça e modo prático de se processar tudo, pleaaaase!!
(ui, que hoje estou com um 'tau' que 'fáchavôre'...)

Isabel Seixas disse...

Oh caro amigo P. Rufino, que saudades Suas complemento-o com um na minha vida!!!

Que sentido de humor...O nosso para aguentar.