domingo, 15 de maio de 2011

Sexo e poder

Segundo a France Press

"O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, foi detido neste sábado em Nova York por suposta agressão sexual contra uma arrumadeira de um hotel da cidade, informou o jornal New York Times.
"O senhor Strauss-Kahn, candidato à presidência da França, foi retirado de um voo da Air France por funcionários da Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey e entregue a policiais de Manhattan", disse um funcionário do Aeroporto Internacional John F. Kennedy.
"É acusado de agressão sexual contra uma arrumadeira de um hotel de Times Square no dia de hoje, mais cedo", revelou o funcionário.
Strauss-Kahn, que ainda não anunciou oficialmente sua candidatura à presidência francesa, foi retirado da primeira classe do voo da Air France momentos antes da decolagem para Paris.
Em Washington, uma porta-voz do FMI se negou a comentar o caso".


Segundo o Jornal de Notícias


"Esta não é a primeira vez que Strauss-Kahn se vê envolvido num escândalo sexual. Há cerca de três anos, o antigo ministro das Finanças francês foi acusado de avanços abusivos sobre uma antiga subalterna, Piroska Nagy, funcionária sénior do Departamento de África do FMI, no Fórum Internacional de Davos.
O FMI contratou, nessa altura, uma firma de advocacia de renome para lançar uma investigação, e Nagy acabou por deixar o FMI, começando a trabalhar para o Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento (BERD).
Com o FMI a precisar de controlar a crise económica internacional que atingiu o auge no Verão de 2008, Strauss-Kahn foi mantido no seu posto. Mais tarde, pediria desculpas por ter cometido um "erro de percepção" em relação à eventual receptividade de Nagy.
"

Leio estas notícias e não quero acreditar. Será possível que um provável futuro candidato à Presidência da República da França se veja envolvido em negócios de saias deste género?!
Admiro DSK e a excelente jornalista, Anne Sinclair, que é sua mulher. Mas será que o poder na Europa e na América têm que ter sempre à sua volta, histórias de contorno sexual?! Já não chega o resto?!

HSC

17 comentários:

voz a 0 db disse...

Sinceramente... Só não entendo a parte do "Admiro DSK"... enfim!

Marcolino Duarte Osorio disse...

Drª.Helena,
À falta de melhor, há que deduzir sobre uma queixa de assédio, até arrazar, determinadas figuras, com pretensões a noovos horizontes.
Esta noticia, de um facto que ninguém viu, nascida de uma queixa às autoridades competentes, faz-me ocorrer que, se um dias destes, estiver hospedado, num belissimo quarto de hotel, uma senhora, com as funções internas de arrumadora de quartos, desejando obter dinheiro de mim, pode queixar-se às autoridades que abusei dela. Mas eu sou um aposentado anónimo, já sem desejar mais e novos horizontes mas, como as coisas estão actualmente, não é de admirar que esta moda vá dando que fazer aos tribunais e aos advogados, e vá promovendo a venda de determinadas publicações que necessitam deste tipo de discórdias humanas, para não encerrarem as suas portas.
Cumprimentos
MO

Mateus Maciel disse...

Creio que esse acontecimento será usado contra ele, quando for tentar concorrer à presidência...

Blondewithaphd disse...

Pelos vistos não...

Tété disse...

Querida Helena,
Em primeiro lugar o meu mais profundo agradecimento pela sua amabilidade e simpatia hoje, 15/5, quando do autógrafo no seu livro "Caminhos do Coração" na Feira do Livro. É com grande dedicação que o vou ler e com grande amizade que o vou guardar. Um grande abraço e mais uma vez muito obrigada.
Em segundo lugar,e no que se refere ao Sr. Strauss-Kahn, existe uma frase, e perdoe a brejeirice, que diz que quando os homens pensam com os testículos está tudo completamente estragado.E mais uma vez se viu que não importa o status pessoal e/ou profissional quando tal acontece.
Grande abraço.
Teresa

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Voz 0 db
O percurso profissional de DSK merece o meu respeito. E um caso destes não altera a qualidade desse percurso. Altera sim a minha visão dele como homem.
Caro Marcolino
Clinton também deu "interpretação" muito peculiar ao que se passara na Sala Oval. Infelizmente para DSK este não foi o seu primeiro caso.
É claro que o assunto se presta a muita chantagem. Mas ser político tem o seu preço. Ou não?!

Marcolino Duarte Osorio disse...

Drª.Helena,
Estive fora de Lisboa cerca de 3 dias, num recondito alentejano, desligado das noticias, onde nem sequer levei o meu portátil, para desintoxicar o mais possivel. Ontem, durante a viagem de regresso a casa, pela TSF, escutei vozes empolgadas de gente não especializada, desejando assumir-se Juiz. À noite, escutei q.b. para ficar apreensivo com a não exclusão de um golpe profundo na reputação de DSK, para que o seu afastamento da cena económica e politica deste senhor, se torne uma realidade.
Mas, agora, Drª.Helena, aqui para nós que ninguém nos escuta, se a corrupção foi banalizada pelos excessos dos média, o assédio sexual irá pelo mesmo caminho.
Outras banalizações se segurão inexoráveis.
Se ser politico tem um prêço, então, quem o deseja ser, que não caminhe descalço, sobre as pedras da fogueira e, quando se sentir queimado, não apague o fôgo regando, o que ainda arde, com gasolina pura.
Drª.Helena, cuide muito bem, desse seu coração de Mãe Coragem, que merece muito de mais descanso. Entendo-a perfeitamente!
Boa semana
MO

Fada do bosque disse...

Depois de ter lido sobre a absolvição de um médico que violou uma paciente grávida, como explica aqui http://www.ionline.pt/conteudo/122967-absolvido-violacao-temos-uma-justica-da-idade-media, não me admira nada que o DSK peça para ser julgado em Portugal. Sai ileso de certeza e com um bocado de sorte, ainda é indmenizado por difamação. AH que País do DEMO!

patricio branco disse...

O que me impresionou em tudo isto não foi tanto ser strauss khan, mas a eficacia das policia e justiça dos eua. O avião já estava fechado e na pista e lá o foram buscar, independentemente de ser uma importante personalidade internacional; fizeram-no com discrição e sem escandalo; era fim de semana, mas a maquina policial trabalhou igualmente, instruindo o processo; devia ser apresentado ao juiz logo no domingo,etc, etc
O fmi continuará a funcionar normalmente, mesmo sem strauss khan, entretanto.
As mesmas policia e justiça que em 6 meses detiveram, investigaram e instruiram o processo para julgar e condenar o bob madoff que agora vive na prisão com o seu casaco cinzento e gorro, misturando-se no patio com os outros presos.
Casos diferentes, claro, madoff e khan, mas a mesma eficacia das autoridades dos eua a investigar e julgar o delito ou a presunção de delito.
Tambem a mesma justiça, o procurador,que interrogou bill clinton até à exaustão por uma aventurita sexual.
Um pouco diferente dos bpn por cá.

Fada do bosque disse...

Pois hoje o seu post, este mesmo, foi escoljido pela Antena 1 para ser falado! :)

diogo disse...

o poder corrompe ...
até uma simples farda de polícia faz com que um qualquer se sinta acima da lei , como testemunhei hoje em Lagos uma manobra de um carro à civil com dois fardados que depois de beberem um café ( 6 da manhã ) inverteram a marcha cruzando dois riscos contínuos apenas para atalhar caminho , porque podem , claro . qualquer de nós teria ganho uma multa à FMI e carta apreendida .
imagine se fossem altos quadros do FMI ...

Helena Sacadura Cabral disse...

Felizmente que eu tenho Fadas amigas que me dão conta do que se passa na terrinha enquanto dura este meu "exílio" nacional. Não sei o que disseram mas confio na estação.
Obrigada!

voz a 0 db disse...

Pois é... nestes casos nunca convém poupar nas palavras!

De qualquer forma nunca entendi esta forma "moderna" de se separar algo que não é separável... até porque mesmo da parte que a Helena afirma que admira, ela é algo que continuo a estranhar... mas também "gostos não se discutem, muito menos admirações!"...

rosaamarela disse...

Bom dia!

Já trabalhei num hotel de ***** star, trabalho num local onde há mts homens uns com mais ou memos poder, mas parece-me que a senhora se põs a jeito, a pedido de quem não sei.

carolina disse...

Eu como a voz 0 db também não entendo que se separe o que é não é possivel separar! um homem é um mundo com muitos mundos lá dentro mas apenas com uma coluna vertebral, com uma verticalidade, não se pode ser um bom marido, bom pai, bom amigo, integro, respeitador, bom profissional,digno e,desculpar-se com um grande apetite sexual, para atacar arrumadeiras que se poem a jeito. Até me envergonha que alguém seja capaz de dizer uma coisa destas! os pasteis de Belém nas vitrines das pastelarias também se poem a jeito, mas taditas não são responsáveis pela minha gula! é fraco e não vale nada aquele que desculpa o seu horrivel comportamento com o comportamento dos outros. Porque para um homem digno até uma deusa nua, seria apenas isso.. Eu só lamento que afinal os que se vangloriam de tamanha civilidade e clamam para si cultura e qualidades acima da média, defendam, ainda os que de entre nós não conseguem estar acima dos seus instintos.
A mim fez-me pensar que devemos admirar apenas aqueles que amamos e por via disso conhecemos, como pessoas BOAS, aqueles que conhecemos do nosso quotidiano do lado a lado, a imagem dos poderosos, previligiados e daqueles que nos chegam através das TV.s dos curriculos profissionais, até dos livros são tantas vezes apenas mais miseráveis que aqueles que desprezamos quando os encontramos no nosso caminho real e concreto

Helena Sacadura Cabral disse...

Caros Carolina e Voz a 0db
Não é assim tão fácil considerar o Homem como um todo. Conheço várias pessoas cuja inteligência admiro, ou cujo talento reconheço e cujo carácter deixa muito a desejar.
O nosso país não será tão pródigo como a França, mas tem telhados de vidro.
José Saramago é um grande escritor, ganhou um Nobel da literatura e eu não aprecio o seu carácter.
O que aqui pretendi salientar foi a discrepância entre uma carreira profissional brilhante e um comportamento sexual - a ser comprovado - inadmissível.

Fada do bosque disse...

A tramóia que "botou" abaixo o único homem que poderia bater Sarkozy

“em quantos países do mundo se acreditaria imediatamente na história de uma simples empregada negra de um hotel? (editorial Ionline)

Desde Washington Strauss-Khan vinha dispendendo meses de trabalho tentando convencer o eleitorado francês que ele não era o porta-voz dos ricos globalistas, nem um tecnocrata daqueles principescamente pagos para executar as suas ordens, mas um verdadeiro intelectual de esquerda, o único que poderia salvar do tenebroso ataque em curso o modelo de Estado Social em França. Dominique Strauss-Kahn como chefe executivo do Fundo Monetário Internacional (organização estabelecida pelo Tratado de Bretton Woods no pós guerra e extraordinariamente reforçada pelo Consenso de Washington no reaganismo pelo controlo financeiro do terceiro-mundo) trabalha, ou trabalhava, actualmente no mesmo tipo de controlo financeiro sobre a Europa, por forma a que seja o velho continente “livre da ameaça comunista” a pagar, no modelo de vida de 500 milhões de pessoas, a parte de leão da factura da impossibilidade capitalista global.

“It’s time for Europe to accept the rules as they are written, and not as they can be negotiated and fudged.” (The Battle for IMF Top Job)

Se Strauss-Khan se dizia de esquerda, e ainda por cima da não conotada com champagne socialista, não foi lá uma ideia muito brilhante para “a grande esperança dos socialistas” franceses ser fotografado a entrar num Porsche de 100.000 euros à porta da sua penthouse de Paris avaliada em 4 milhões de euros. Numa segunda avaliação veio a saber-se que o Posrche não era dele, mas de um desses assessores lobyistas que trabalham para os homens mais ricos de França, mas o que conta é a primeira impressão. O caso, conhecido por “porschegate” foi de tal forma mediatizado que a liofilizada Ségolène Royal, a rival de Strauss-Kahn na nomeação pelos “socialistas” à eleição de 2012, proibiu os seus apoiantes de contar anedotas online sobre carros desportivos de luxo, que são gadgets que abundam às centenas pelo partido.

A entourage de Sarkozy e os seus aliados da extrema direita não poderiam andar mais satisfeitos. “Estou rodeado por um bando de imbecis” irrita-se Sarkozy durante a batalha pela conquista do Eliseu. A restante táctica e a vitória do sionismo em França é conhecida, o correr pelas ruas para mostrar superioridade atlética, o uso das “gajas boas” como objecto de marketing, os processos ocultos fabricados para incriminar Chirac e Vilepin; enfim, uma comédia divertidissima - seriam certamente um gozo mediático estes ultraliberais comprometidos com o Sionismo global, não fosse o rol de crimes e vítimas que lhes vão pesando em cima. E a “alternativa” são Porsches para todos. Só a ficção nos dias que correm está habilitada a contar a realidade. "La Conquête", que estreia amanhã, é o filme de abertura do Festival de Cannes
Fonte: http://xatoo.blogspot.com/