quinta-feira, 11 de março de 2010

Já alguém se admira?!

"Inesperadamente a economia portuguesa voltou a mergulhar em terreno negativo, na recta final de 2009, tendo fechado o ano com uma contracção em cadeia no quarto trimestre de 0,2%. O risco de uma nova recessão voltou a estar à espreita".

Esta é a transcrição de uma notícia do Jornal Económico de hoje. Mas os dados em que a mesma se baseia são do Instituto Nacional de Estatística, INE, e traduzem uma revisão em baixa dos que foram avançados, há um mês, pela mesma instituição, que previam uma estabilização - crescimento zero - entre os dois últimos trimestre de 2009. Temos, assim, a primeira quebra em cadeia, depois duma pequena expansão nos dois anteriores.
Em consequência calcula-se, agora, que o Produto Interno Bruto, o PIB, se tenha contraído, pelo menos 1%.
Ora a "recuperação portuguesa", expressão tão do agrado dos nossos governantes, em época eleitoral, assentava em dois grandes pilares. A saber, os gastos públicos de apoio à crise e a exportação. Ora os primeiros vão ter de ser fortemente reduzidos, por causa do combate ao defice orçamental e as segundas, que tinham na Espanha um dos seus principais mercados, serão bastante penalizadas pela recessão que se vive neste país.
Para piorar a situação, a Zona Euro está de regresso ao perigo, e foi por um triz que, na recta final do ano passado, não entrou no vermelho e lá conseguiu uma expansão mínima de 0,1%.
Desgraçadamente, vamos olhando todas estas correcções e já nem sequer reagimos. E, por seu lado, o Primeiro Ministro também não sente qualquer necessidade de se explicar, ciente que está que nada disto tem outra explicação que não seja a das falsas verdades...

HSC

4 comentários:

causa vossa disse...

O que é verdadeiramente lastimável é um povo que prefere manter-se agarrado ao mau, não querendo experimentar diferente!

Anónimo disse...

Ñ ando nada desatenta... ando sim assustada com o que pode resultar desta trapalhada toda.
Dp admiram-se que apareçam regimes totalitários: aqui ó da guarda!! Em democracia todos se acham com direitos, em Portugal é assim. Os deveres são para só para os outros. Que outros? Excessos de garantias já deu para ver, que apenas nos garantem que todos mandam e ng obedece. Por excessivos, ng respeita nada nem ng.
Haja quem nos governe pk até eu por vezes ou mtas vezes, acho que faria melhor. (risos...)
Pretensão e água benta cada um...

MariAna

Fada do Bosque disse...

É pavoroso, é assustador um povo inteiro conformar-se com a mediocridade e com o compadrio. Ninguém se explica é tudo bons rapazes, e têm a certeza que os portugueses não mexem uma palha para reverter estas políticas económicas promíscuas!
Tolo é quem muito come, mas mais tolo é quem lho dá!
Estamos mesmo a ver no que isto vai dar... pior que a Islanndia. É só deixar andar um pouco mais.
A crise de 1929, teve as suas consequências mais dramáticas quase 10 anos depois, nesta, não vai ser preciso esperar tanto tempo.

Kruzes Kanhoto disse...

Quem nos governa parece não perceber que para pôr as finanças em ordem está a matar a economia...