sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Os blog's

Desde que passeio por estas coisas da blogosfera algo anda a intrigar-me. Refiro-me à "ilustração/foto" que personifica o detentor do blog. No meu caso, puz o retrato e o nome. Fiquei-me por aí, dado que estes dois elementos esclareciam quem eu sou.
Mas verifico que algumas pessoas, ou não põem nada, ou usam um símbolo certamente escolhido pelos próprios. Trata-se de uma espécie de anonimato corporal.
Será que eu não devia fazer o mesmo? É que comecei a pensar se não terá sido demasiado ostentatório, o caminho que escolhi.
Por isso, aviso já. Se resolver mudar de rota vou escolher como foto, uma flor ou uma árvore. Quanto ao nome, será uma aventura descobrir-me. Como tenho três ou quatro cativos, escolho um deles. O título do blog, esse, será uma autêntica supresa. E esta hein?

H.S.C

22 comentários:

Fada do bosque disse...

Pois eu não concordo de todo com esse anonimato. Não me pergunte porquê, pois não sei... aliás é muito bom ver a sua foto e saber o nome a quem nos dirigimos, nem que seja um pseudónimo, como eu... mas tenho o nome no email.
Não tem nada de ostentação e demonstra coragem, senão faz lembrar a linha telefónica, quando o nosso interlocutor fala e não diz quem é.
Dá vontade de desligar, por muita boa vontade que tenha.

paula disse...

engraçado, ando a pensar o mesmo. Porquê «dar a cara»? No entanto, antes de reparar que quase ninguém o faz, não pus outra hipótese... agora, também não sei.
bom fim de semana! gosto muito, não só do que aqui escreve como do que comenta por outras paragens.

Ultima Thule disse...

É o que se chama o anonimato virtual.

Não tem mal nenhum. A vantagem do mundo virtual é mesmo essa: as possibilidades são infinitas e as regras quase nenhumas.

A minha opção de imagem é ao nível do titulo do blog, o nome que escolhi associa-se a algo de mítico e misterioso. Coisas que apesar de serem do passado, nunca deixam de continuar a ser estudadas e procuradas para conhecer mais em qualquer futuro.

É uma vantagem deste universo virutal: querer mostrar o nosso Avatar

continuando assim... disse...

lool
fazes bem :)
eu ja tive a minha foto ...nome
tudo !
agora mudei ...qualquer dia volto a mudar :)

voz a 0 db disse...

Quantos anónimos já morreram a defender o que consideravam ser correcto, e até há casos em que vemos o rosto e o corpo, mas continuamos sem saber quem são!... não é necessário atribuir um rosto, um corpo, para se lutar ou expor, na Internet, o que se pensa, basta é agir e escrever. A escolha é de cada um... e caso queira passar a ser anónima e falar neste meio de vozes a zero decibéis que é a Internet... então... seja bem-vinda anónima!

Mutante disse...

Ainda ontem me foi feita essa pergunta: a do anonimato. No meu blogue, tenho uma foto mas não o meu nome. E foi precisamente sobre as razões para essa escolha que escrevi esta manhã.
Sendo a Senhora uma figura pública, existirão, penso, boas razões para que continue a escrever aqui de forma não anónima- é uma referência. Ao escrever sobre os temas que aqui traz cumpre, de alguma forma, a meu ver, dever cívico.
M.A.

Teresa disse...

Pois eu, quando me iniciei nisto dos blogues, há três anos e tal, escolhi como imagem a de Messalina Valéria, Messy para os íntimos, a minha adorada siamesa. Na época, a nossa imagem nem sequer aparecia ao lado dos comentários, como agora.

Não mudo a imagem nem por nada, que Messy partiu em Janeiro, depois de me ter dado 14 anos de amor incondicional. É ainda tê-la um bocadinho comigo.

Benó disse...

Ficamos à espera da mudança.
Mas como encontrar depois o fio de prumo?

Pedro Lopes disse...

para quê desviar-se do caminho bom?!

diogo disse...

Quando se deu o 25 de Abril de 1974 eu tinha 12 anos . Ainda bem que era tão novo , se a revolução fosse hoje , certamente estaria preso e seria agora libertado . Sempre fui frontal e não gosto de me esconder .Gosto de saber quem escreve e de lhe ver a cara . Continue assim e não alinhe com a maioria . Bem haja

Julia Macias-Valet disse...

No que me diz respeito estava a imenso tempo à espera de uma oportunidede para aparecer. Estou a brincar...falta de tempo ou preguicite aguda nao me têm levado a introduzir uma foto. Mas aqui esta ela, um pouco como eu sou : bem disposta e com uma flor no cabelo para condizer com o meu nome. é claro que às vezes gostava mais de ser como a Audrey Hepburn, mas nao sou. Entao para quê esconder-me detras de alguém que nao sou.

Quanto a pseudonimos também nao acho necessario porque quando digo ou faço alguma coisa é porque o assumo com os pros e os contras que dai possam vir. Bom, um pequeno segredo...existe um blogue onde assino com um pseudonimo, mas o autor do blogue sabe quem eu sou. Porque o nome com que assino tem a ver com uma brincadeira nossa de infância (um codigo que so nos dois é que sabemos).

Eu gosto da foto que escolheu para ilustrar o seu blogue. Mas caso num ataque de clorofila se transforme em flor ou àrvore, eu reservo desde ja para mim : a papoila e a oliveira (é que trazem-me à lembrança o meu Alentejo).

conceição disse...

sendo uma figura publica n tem sentido o anonimato. Para nós "ordinary people" por o nome e não a foto pode evitar-nos ser de repente abordados por um leitor do blog q n conhecemos. Os amigos sabem quem somos e além disso uma grande parte do bloguers tem facebook com a sua foto. Embora ás vezes as fotos estejam desactualizadas:) bom fim de semana.

conceição disse...

já me esquecia na belgica os jornais publicam os twittes dos politicos.
http://www.lalibre.be/index.php?view=tweet

Dri disse...

Eu nao concordo com o anonimato. Devemos assumir quem somos, o que escrevemos e porque o escrevemos. Devemos ser livres.
Concordo na mudança mas questiono: encontrar depois o fio de prumo?

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Júlia, já vi a foto. Parece francesa ou minhota. Loira, olhos claros, sorriso nos lábios e flor no cabelo. Linda!

Maria Isabel disse...

Helena

Gostaria de saber o motivo da não publicação dos meus comentários.Será que não os recebe?

Julia Macias-Valet disse...

Pois é. As aparências às vezes iludem...
Nem francesa, nem minhota.
No que diz respeito a França, creio que mais uma vez Clio "passou pelas brasas" e tricotou um fio que nao fazia parte daquela Historia. E pronto, la tive eu que atravessar os Pirinéus, coisa para a qual nao estava a priori destinada.
Quanto ao Minho, a primeira vez que la fui ja tinha passado os 20 anos. E guardei para sempre a sensaçao de ter andado a viajar no meio de uma couve lombarda.
Mas os mouros, esses tenho-os de certeza na pele. Talvez de uma tribo kabyle ? Quem sabe. Em todo o caso o Macias é arabe-andaluz.

Julia Macias-Valet disse...

Cara Helena, aqui lhe deixo um blogue a descobrir :
"Avenida da Saluquia 34".
Ai tera a prova dos 9 em como que o Sul e o outro lado do Meditarrâneo sao assuntos de familia.
Boa leitura.
@té breve.

carolina disse...

A identidade virual usada nos blogues, não acho deva ser vista como anonimato, até porque leio os post de toda a gente que escreve neste blogue e parece-me um grupo de gente fantástica, madura, "a caminho de..." o que me fascina de todo. Acho piada, a alguns nomes virtuais, na minha opinião o nome escolhido já diz algo e nalguns casos diz muito sobre as pessoas reais que estão por trás... eu aprecio!

Quanto a este blogue, querida HSC não poderia, nem deveria nunca estar anonima, porque perderiamos um ponto de encontro que no meu caso dia a dia torna-se mais interessante e importante!

Helena disse...

Cara Isabel,
Até hoje e já oito meses e meio de Fio de Prumo ainda não recusei um único comentário tendo já até publicado alguns menos correctos. No dia em que forem ofensivos - espero que nunca aconteça - é claro que não postarei.
No seu caso, portanto, não sei o que possa passar-se. Mas também lhe digo que tentei aceder ao seu blog e não me foi permitido. Será algo relacionado com limitações que tenha posto?

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Júlia, de facto até as fotos podem levar-noa a ideias erradas, como foi o seu caso, que admiti ser francesa e viver em Paris. Quem tem por hábito escrever, tende a imaginar histórias de pessoas que não conhece!!!

Abraço

Maria Isabel disse...

Os comentários que eu tinha postado diziam mais ou menos o seguinte:sendo a Helena uma pessoa que prima pela frontalidade, não deve esconder-se atrás de uma árvore ou de um pássaro ou de outra coisa qualquer,pois perderia o fio de (a) prumo que a caracteriza.E este blog trata de assuntos que merecem ter um rosto.