terça-feira, 11 de agosto de 2020

Oração do Cardeal Tolentino


Debaixo de um amável céu azul, junto à estátua do Cristo Redentor, na “Cidade Maravilhosa”, o arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani Tempesta, presidiu à missa “Para cada vida”, na qual foi difundido um vídeo com um poema-oração do cardeal José Tolentino Mendonça.
O objetivo do vídeo é levar «confiança e esperança» a um tempo «tão sofrido», mas que possibilita muitas aprendizagens, explicou o arcebispo.
Esta é a prece a Deus para que livre a humanidade da pandemia, e de “todos os outros males que se escondem dentro dela”  lida pelo ator brasileiro Tony Ramos.

«Senhor, 
livra-nos, Senhor, deste vírus,
mas também de todos os outros que se escondem dentro dele.

Livra-nos do vírus do pânico disseminado, 
sim, porque em vez de construir sabedoria,
ele nos atira, desamparados, para o labirinto da angústia.

Livra-nos do vírus do desânimo 
que nos retira a fortaleza de alma
com que melhor se enfrentam as horas difíceis.

Livra-nos, Senhor,
por favor, livra-nos do vírus do pessimismo, 
pois não nos deixa ver que, 
se nós não pudermos abrir a porta, 
nós temos ainda possibilidade de abrir janelas.

Livra-nos do vírus do isolamento interior que desagrega, 
pois o mundo continua a ser uma comunidade viva, Senhor.

Livra-nos do vírus do individualismo que faz crescer as muralhas, 
mas explode em nosso redor todas as pontes.

Livra-nos, 
ó Senhor, livra-nos do vírus da comunicação vazia que vem em doses massivas, 
pois essa comunicação vazia se sobrepõe à verdade das palavras 
que nos chegam do silêncio, do silêncio.

Livra-nos,
livra-nos, Senhor, do vírus da impotência, 
pois uma das coisas mais urgentes a aprender,
ó meu Senhor, 
nós temos que aprender urgentemente
o poder da nossa vulnerabilidade.

Livra-nos, Senhor, 
por favor, livra-nos do vírus das noites sem fim, 
pois Tu não deixas de recordar que Tu mesmo ,
ó Senhor, nosso Deus,
Tu mesmo nos colocaste como sentinelas da aurora.»

Esta prece é pura poesia dirigida a Deus. Todos os que me conhecem e lêem sabem dos profundos laços que me ligam a José Tolentino de Mendonça. Aqui, nesta oração, temos bem a imagem de quanto somos pequenos e de quanto pouco podemos se não tivermos Deus ao nosso lado!

HSC

14 comentários:

Pôr do Sol disse...

Obrigada Dra. Helena por mais esta partilha.
Bem haja

Anónimo disse...

Dra Helena

Católicos ou não, ninguém fica indiferente a esta súplica.
Obrigada pela partilha e eu não sou crente!

Alvaro

Pedro Coimbra disse...

Há três figuras na Igreja Católica Portuguesa que sigo religiosamente - Tolentino Mendonça, Anselmo Borges e Frei Bento Domingues.

Anónimo disse...


Belissima prece. Muito Obrigada
Nota: É verdade que o tempo de confinamento nos sangra as asas para a liberdade, é também inelegível e inegável, que esta pandemia veroz nos oferece uma oportunidade imperdível, virtuosa diria eu, o mesmo, de tentar reconstruir, na adversidade, um mundo melhor, mais solidário, 'mais ético e, sobretudo, mais otimista quanto tempo será um legado para aqueles que nos seguem ou procedam na historia'!? Então é tudo uma questão de resistência, pensando que isso é apenas um pesadelo que vai passar em alguns meses, ou tal vez não (?!)-; o mundo pode não ser mais o que era antes da pandemia, mas ninguém pode prever como será em cinco ou dez anos depois desta. Agora, literalmente, tudo parou. Haverá tempo para aprender lições com esta atomica ameaça global. O fundamental agora é perseverar, sustentando a esperança e orar. A solidariedade em tempos de graves ameaças nos une e nos dá a perspectiva real das coisas mais que nunca. Se ao menos pudéssemos lembrar-nos do passado, quando tudo aconteceu, que há tantas coisas quando a vida floresce que podem ser feitas melhor para futuro do planeta e da humanidade! MorgadinhadosCanaviais

Anónimo disse...

Passaporte garantido para o céu...dos ricos,claro!
Que os pobres cheiram mal

Silenciosamente ouvindo... disse...

Muito obrigada por esta partilha,
que bem necessária é.
Os meus cumprimentos.
Irene Alves

Ana maria disse...

Dra Helena boa tarde. Só agora tive oportunidade de ler o texto que teve a gentileza de partilhar com todos os os que a "presseguem" há vários anos. Para mim que cheguei há cerca de 1 hora a casa, regressando do hospital onde trabalho foi uma lufada de ar fresco. Bem haja. Desejos sinceros de uma recuperação calma, sem pressas porque a mesma é inimiga da perfeição,e com a sua vida bem merece um coração com 50... Um abraço do tamanho da sua "boa disposição e gargalhada" Ana mau feitio

Luiz Gomes disse...

Boa noite tudo bem? Sou carioca e procuro novos seguidores para o meu blog. E seguirei o seu com prazer. Novos amigos também são bem vindos, não importa a distância.

https://viagenspelobrasilerio.blogspot.com/?m=1

Anónimo disse...

🌷

paula Bochecha Lebre disse...

Querida Helena,

Tenho pena , mas não consigo que este texto me sossegue.
Se não tivermos esperança no Homem , não haverá Deus que nos salve. Deus é uma criação do próprio homem. Não julgo que tivesse sido Deus a criar o Homem . Se assim fosse, Homem seria , com certeza mais Humano.
Bjs
boa recuperação

Helena Sacadura Cabral disse...


Anónimo das 18:11

Seria uma profunda injustiça considerar que Tolentino se ocupa dos ricos nesta sua súplica. Tão injusto, que me admira que haja pessoas com tanta raiva à Igreja, que o afirmem.
Se analisasse do ponto de vista psicológico a sua resposta dir-lhe-ia que a Igreja lhe diz tanto quanto a mim. Só com uma diferença. Eu deixo que ela me penetre e o Anónima satisfaz-se a persegui-la.
Um dia virá em que pedirá a sua ajuda...

Helena Sacadura Cabral disse...


Meu caro Pedro Coimbra
Que excelente escolha a sua. São três dos maiores da nossa Igreja e eu tive a sorte de os conhecer. Acrecente-lhe Vasco Pinto Magalhães, jesuíta e tera´um "quarteto de cordas" afinadíssimo!

Helena Sacadura Cabral disse...


Cara Bochecha
Na vida raramente as coisas são como as sonhamos. E nem sempre entendemos as palavras dos outros como devemos. Este texto é uma longa e lindissima forma de esperança nos humanos!
Abraço

Anónimo disse...

Bom dia, Senhora Helena Cabral

Um Portugal tão religioso, que rezamos para que tudo corra bem.

Pois, nós fieis somos tão certeiros com a Igreja Católica Romana e Apostólica, e estes fazem ERROS Grosseiros desde 1716, depois em 1826 a 1834, e recentemente em 1977 em Espanha e em Portugal.

Vamos as explicações, nós somos um País inteiramente católico como em Espanha, tivemos Reis Católicos e a verdade sempre nós acompanhou a nossa história.

Recentemente descobri os ERROS GROSSEIROS da Igreja Católica, que apoiam incondicionalmente Turcos Bourbons, para usurpações desde 1716 em Espanha, França, Portugal para substituir pelos Reis TURCOS, isto é muito grave.


A origem de Jacques de Bourbon é filho de Sultão Solimanus com o ADN R-Z381*, que teve descendência para Filipe V de Bourbon que usurpou a Coroa de Espanha com aval da Igreja Católica, descendente a Miguel filha de Carlota Joaquina em 1826 a 1834 fez usurpação da coroa Portuguesa com aval da Igreja Católica e recentemente em 1977 o Franco passou a ter o Juan Carlos e Filipe VI como descendentes de Sultão Solimanus. Os outros bourbons de Portugal e Brasil são descendentes de Turcos.

Registo 1 - Jacques de Bourbon é filho de Sultão Solimanus em 1522

S. XXIV. Magnus Magister in fuo Palatio a Turcarum Imperatore in . Salutatus. Fac. de Riduo post, nimirum in ipfo Nativita Bourbon. D tis Christi Salvatoris fefto vigefima hin. du Siege de Rhodas quinta veces quinta Decembris die Solimanus urp. 682. bem, quam recens fuo imperio subjecerat, poflidendam ingreffus eft, ipfumque Magistrum, qui suum adhuc palatium incoluerat, invisit, multisque honorum significationibus cumulatum etiam Patrem fuum appellavit, hortatusque est, ne tristitia sese opprimi pateretur, fed invicto animo adverfde fortis invidiam toleraret.

XVI.
Solimanus ' obsidionem folvere paratus, fed a proditoribus com firmatus.' Sultanus de capienda urbe desperans, jamjam obfidionem solvere decreverat, armaque, & fuppellectilem plerique convafabant, cum transfuga, Albaniæ miles, clam ex urbe fese subdue, cens Solimanum moneret, quod omnes fere Equites aut cæsi, aut vulnerati, mi Hij icclef. Tom. XXXIV. P lites y Sæcul. XVI lites quoque ad pugnandum impotes foA. C. 1522. rent, ipfeque supremus Ordinis Magifter omni ope & opera destitutus in extremo discrimine luctaretur. Accessere etiam literæ ab Amaralo Cancellario fcriptæ, quibus obfeffos ad incitas omnino redactos esse, Sultano fignificabat. Hujus rei fama toto exercitu divulgata , Turcarum animos prædæ fpe ad redintegrandam oppugnationem a. lacres reddidit, ipfe quoque Solimanus aüt urbem in suam poteftatem redigere, aut ibidem mori decrevit, moxque Achmetem Bassam in locum Mustaphæ, qui in Ægypti Præfectum creatus il. luc navigavit, fummum totius exercitus Imperatorem conftituit.

Registo 2 - Philippe V de Bourbon é descendente de Jacques de Bourbon e de Sultão Solimanus

Turcis induciarum violatoribus bellum obmovit, quo EUGENIUs deletis Ottomanorum viribus, Belgradum hungaricis ditionibus adjecit cum Temesvario. Utrique Urbi adjacens Regio cum Valachia per pacem Paffarovicenfem A. 1718. initam CARoLo VI. afferta. Pax haec neceffària fuit ad pellendum ex Italia PHIILIPPUM V. Andegavenfem Hifpaniae Regem. Hunc fecunda conjux ElisAbeTHA Farnefia inplacabili in CARolum VI.

A Fé é das pessoas, não tem nada haver com os ERROS GROSSEIROS da Igreja Católica Romana e Apostólica, a fé continua a Igreja em Portugal foi expulsa em 1834, havendo monarquia em Portugal, os descendentes de Turcos e a Igreja fazem as malas, fazem.

Possuo registos de ADN desde Louis XVII até hoje com o ADN R-Z381* de Caucasianos ou Turcos

Enquanto rezamos a Cardeais e Bispos, fazem das suas por trás apoiando Reis Turcos Bourbons do Sultão Solimanus na USURPAÇÂO de Reinos Católicos.

Usam a Politica para os seus interesses, já fui católico Senhora Helena Cabral, agora sou cristão. Havendo Monarquia em Portugal vou fazer cumprir as Leis de 1755 e 1834, a igreja Católica vai embora mais uma vez, não aprendem com erros. Existem situações que Deus não perdoa.

João