segunda-feira, 24 de abril de 2017

Cinco anos da minha vida


Faz hoje cinco anos que o meu filho Miguel faleceu. Nem um único dia deixei de lhe dar as boas noites. Nem um único dia esta dor deixou de fazer parte da minha vida. 
Julgo poder dizer que só uma força imensa faz com que continue a relembrar, com total serenidade, o seu sorriso!

HSC

18 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Se nós, que só o conhecíamos à distância, ainda hoje o lembramos, a mãe nunca o poderá esquecer.
Não comungávamos da mesma visão política.
Mas até nisso o seu filho era um ser superior.
Cinco anos depois da sua partida só posso enviar-lhe um sentido abraço.

Maria Isabel Mesquita disse...

Um grande abraço de amizade .
Maria Isabel

Fatyly disse...

Um grande abraço e seria assim que o Miguel a quereria ver.

Silenciosamente ouvindo... disse...


Nem consigo imaginar esse sofrimento,
mas deve ser o pior que há.
Ter a serenidade que a drª. Helena tem
merece todo o meu respeito.
5 anos? O tempo é veloz!
Os meus cumprimentos.
Irene Alves

Anónimo disse...

Penso muitas vezes nele.
Gosto de o ouvir no You Tube.
LL

Tété disse...

Ele saberá sempre o quanto o amou e ama na sua paz sem sofrimento.
Para si um abraço do tamanho do mundo.

Anónimo disse...



A Mãe árvore que é a Senhora Helena Sacadura Cabral é a Luz na Terra dessa semente que é o seu Filho que estará ad eternum no seu coração e nos seus lábios para, em forma de dossel , abrirem diariamente o seu sorriso em forma de lua.


Amor disse...

Boa tarde, D. Helena S. Cabral.
Não deve existir dor maior do que perder um filho.
O Miguel Portas faz tanta falta!...
Também eu chorei muito a morte do seu filho.

Um beijo e um forte abraço
Ana

Anónimo disse...

Senhora,"a boca fala do que o coração está cheio"...Amor.

https://youtu.be/aJT9F2oHrSg

Ambrósio

Observador disse...

Curvo-me perante si e perante o Miguel. Com todo o respeito.

Anónimo disse...

Boa tarde Drª Helena Cabral.

Mando-lhe um beijinho muito carinhoso, que precisa sempre em todos os momentos da sua vida.
A minha filha esta noutro País a trabalhar e eu sofro muito com a sua ausência, é imaginável a falta de um filho.

Manuela Ramos.

Anónimo disse...

Dra. Helena,
Um abraço apertadinho e um beijinho.
FL

Anónimo disse...

Querida amiga Helena,
As feridas levam tempo a sarar e quando são profundas deixam cicatrizes. Espiritualmente é possível tentar encontrar uma certa aceitação, mas fica sempre uma alguma dor. Neste dia imagino que haverá momentos em que a Mãe Helena se sentirá ainda mais próxima do filho Miguel. A dor, hoje um pouco mais viva, essa será suavizada por acreditar que ele descansa em paz com um olhar especial para a sua Mãe. Assim se manterão a força, a serenidade e um sorriso que sempre têm estado presentes nestes anos já passados. Com a amizade de sempre,
José Honorato

Anónimo disse...

Nem um único minuto deixa de doer. Perdi também o meu Miguel há quase 6 meses . Dias há custa até respirar. Um beijinho solidário na dor

Anónimo disse...

Atrasado, mas de coração: Um abraço solidário de quem há 18 anos vive sem a presença física de irmã e mãe, partidas no espaço de 11 meses.

Vivem, diariamente e para sempre, em nós.

Nada se perde, tudo se transforma, mesmo a dor que quase impossibilita o simples acto de respirar como diz acima uma mãe.

Um abraço apertadissimo e carregadinho de bem querer, Helena, extensivel a todos os que lidam diariamente com a ausência de quem tanto se ama e já cá não está.

Sandra disse...

Abraço-a Helena e a todos que sofrem com estas perdas, tão dolorosas.
Beijinhos com ternura para si e para quem aqui comentou e partilha a mesma dor.

Anónimo disse...

🌷

Anónimo disse...


Helena
Lembrei-me de si e do Miguel, há datas que não se esquecem mencionei em casa este dia.

A sua forma de estar na vida ,as suas palavras, escrita são uma alavanca para muitos, continue assim sempre.

Abraço afetuoso
Carla