domingo, 28 de setembro de 2014

Porquê?!


Nunca percebi porque é que George Clooney e Brad Pitt exercem tanto fascínio no meio feminino. Nem como actores, os julgo especiais. 
Mas, não há dúvida que mexem com as almas românticas. Um mostra ao mundo a mulher e os seis filhos de várias nacionalidades. O outro desafia causas em voga.
Ambos resolveram casar na mais luxuosa pompa e circunstância, à maneira americana e na Europa. Um em França, o outro em Itália. Num belo exemplo de como o dinheiro pode ser afrodisíaco. E todos ficam emocionados. Porquê, pergunto eu?!

HSC

28 comentários:

Paulo Abreu e Lima disse...

Caríssima Helena, as suas mui estimadas leitoras por certo explicarão. Não "invejo" nenhum dos dois, mas também nunca percebi.

rosaamarela disse...

A mim particularmente nao me emocionada nada estes casamentos...

Virginia disse...



Je dirais même plus: Pourquoi?????

Mateso disse...

Minha querida, permita-me o trato, não sabe o porquê? Nem parece seu. Bom, hoje temos o glamour do dinheiro, da posição, de não sei que mais, cujo fio condutor é sempre o mesmo: dinheiro! O "piquenos"têm-no e sabem aliar-se a caras metade que modernamente são ícones de beleza e, neste caso, diga-se, que segundo parece, da inteligência, logo o imagin´´ario feminino agiganta-se. A mulher de césar tinha que ser e parecer, hoje basta parecer que logo se é... assim vai o mundo, coisas!

Anónimo disse...

O do Pitt até foi muito discreto (não obstante as fotos que depois foram vendidas para as revistas cor-de-rosa, mas ao menos o dinheiro vai para alguma causa), na sua quinta em França, com amigos e familiares e longe da vista de todos.

O de Clooney... enfim, o circo chegou a Veneza.

bea disse...

Não sei;não me puxam à emoção, apesar de não serem actores de excepção - concordo com a Helena - são bonitos homens - e aqui discordaremos, talvez.

Julgava que as fãs ficariam contentes com a felicidade dos seus ídolos. Mas parece que não. Coisa que desentendo. Mas isto sou eu que, muito cristãmente, não idolatro:)

Marta Veloso disse...

Ahhhhh Brad Pitt mexe cmg desde a adolescencia... adorei ve-lo em "Legends of the fall" e Diario de um Vampiro. Em ambos representou lindamente e o meu coração adolescente ficou aprisionado a ele. Quando casou com a Angelina achei fantástico. Mulher de causas , irreverente, diferente e...Helena... precisamos destas histórias de amor... a vida comum é tão cinzenta. Beijinho

Fatyly disse...

Os meus eleitos são: Richard Gere e António Fagundes:):) e portanto já disse tudo:)

Boa noite!

Anónimo disse...

Já li algures que o dinheiro "angariado" através das fotos do casamento do Clooney também vai para uma causa. Menos mal.

Anónimo disse...

Não metam homens nesta questão. Só as mulheres sabem explicar porquê! Ao nosso lado, numa escala bem menor, temos exemplos todos os dias...

Virginia disse...


Só acrescento: Nada como o Jeremy Irons ou o Colin Firth....esses sim fazem-me vibrar....só as vozes já me seduzem..... :)

Isabel Mouzinho disse...

Como actores, não gosto de um nem de outro.
Quanto ao resto, o Brad Pitt acho simplesmente horroroso. Já do outro não diria o mesmo. É bonitão sim, mas é só o invólucro. O que dizer de um homem que vive com um porquinho e que quando ele morre continua a comunicar com a "alma" do porquinho? Poupem-me...
Quanto ao(s) casamento(s) e mesmo sendo uma romântica assumida não há casamento que me emocione. (Nem mesmo o meu...)
Mas já me ri com o seu post!

Beijinho

Helena Sacadura Cabral disse...

Virginia, estou consigo na escolha!

Helena Sacadura Cabral disse...

Mateso
Ainda há mulheres a quem o dinheiro e a posição não fascinam absolutamente nada. Mas que se perdem pela inteligência e pela cultura. Valha-nos isso.
Eu já nem nessa fase estou. O que me toca e me marca profundamente é a bondade.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 22:27
Desde que não seja para uma "causa nostra"...

Anónimo disse...

Os sex symbols são como uma marca, criada com os mesmos ingredientes das outras. Imagem, media, promoção, contexto, story telling, etc.

Quanto aos bons rapazes ou aos rapazes...bons... dos vintage gosto do Robert Redford, do Johny Depp, dos novos gosto do Jake Gyllenhaal (Into the woods) e do James Franco (Princess of the Desert).

Mas o J. Depp, as suas personagens, gosto muito. Além de que é parecido com o meu pai!

Mas nós tb temos 'gatos' e até exportamos- o Diogo Morgado.
Ah o Carlos da Maia/ Graciano Dias, hum hum.
E há mais.

Os casamentos tanto do Clooney como do Brad Pitt/Angelina não me emocionam. Nadica de nada.

Só se Clooney se casasse na 'Veneza Portuguesa', isto é, na Ria de Aveiro!!
Em Veneza é muita falta de inspiração.

Já o véu da Jolie com desenhos dos filhos, foi uma boa ideia.

Mas como as receitas dos dois casamentos revertem para fins humanitários, a marca funciona, vende, rende, por uma boa causa.

Anónimo disse...

Helena,
George Clooney têm um charme diferente, o cabelo grisalho dá-lhe um toque especial...
Não me emocionou os casamentos deles, agora as receitas serem para causas humanitárias, isso sim é de louvar, sem a grandeza de tais, a receita seria mais pequena.
Um bem haja, a todos aqueles que não esquecem o outro, que vive na miséria, e com o seu sucesso fazem a sua vida um pouco melhor.

Carla

Helena Sacadura Cabral disse...

Caros comentadores
Revertendo ou não o dinheiro para causas nobres, o que eu pretendi com este post foi levantar a questão do voyeurismo, do interesse quase mórbido pela vida dos outros. Que, aproveitando-se disso, a expõem e a exploram...

Anónimo disse...

"voyeurismo"... Mas quem não o usa nos dias de hoje? "Come" connosco à mesa... Parece que é uma necessidade!

Anónimo disse...


Helena,
vi as imagens na tv, não compro revistas cor-de-rosa, agora que cada vez mais, existe interesse pela vida alheia, não tenha dúvidas!!


Carla

Anónimo disse...

Estes casamentos são encenados e produzidos como autênticos espetáculos, como se se tratasse da rodagem de um filme.

Os atores são famosos e usaram a sua fama para atrair público e angariar fundos.

Não me parece mal.
Transformar o 'voyeurismo' num benefício.
Quem mais poderia fazê-lo, nesta sociedade do espetáculo?

Anónimo disse...

Quando eu era criança lembro-me de duas senhoras muito tiás, mãe e filha solteirona, cujo desporto favorito era assistir, entre um agrupamento de anónimos à porta da igreja, aos casamentos.

Há qualquer coisa de teatro da vida nestes rituais- os figurinos e adereços de cena, as personagens, as marcações, as falas e os silêncios, as deixas, a caracterização, os cenários, o comovente e o caricato, o romântico e o cómico.

Eram umas grandes cuscas? Eram. Mas naquele tempo, sem internet, com menos tv, com pouco teatro e censurado, uma vida monótona, os casamentos eram para elas, talvez uma forma de sonhar.

Carla Cascão disse...

Olá D.Helena!Quero agradecer-lhe pelo sorriso que me pôs agora no meu rosto,com o seu post....estava a precisar...ontem foi um dia muito emotivo e cansativo....a partida da minha tia,deixou-nos de coração partido....
Nem o George,nem o Brad Pitt fazem parte da minha lista de actores favoritos...Não mexem com as minhas emoções...Gosto imenso do Jeremy Irons, Benedict Cumberbatch,O Colin Firth,Tom Hanks e para terminar o Diogo Amaral...
Se me permite,deixo-lhe um beijo.
Carla Cascão

Ana Luisa Correia disse...

Ambos os actores são papel de embrulho embora o George ainda se aproveita alguma coisa como actor, bons actores são, como a Virgínia disse ,o jeremi irons e também o Robert redfor.E D. Helena a critica está excelente.

Anónimo disse...

Johnny Depp (simplesmente poderoso em Eduardo Mãos de Tesoura) e Richard Gere (bom em todos os seus papéis!!!) são os meus eleitos. Se bem que não me desagrada nada O Brad Pitt. Lembram-se dele em Telma e Louise? As meninas até me fazem lembrar a raposa de La Fontaine 'são verdes, não prestam' :-)
Bela ideia a deste tema, para desanuviar, Dra Helena :-) Obrigada.
Maria L

Mateso disse...

Não queria de modo nenhum ser opinativa, porém, quando expus a minha, seria segundo a minha ótica, para a faixa etária bem mais abaixo da nossa. Valha-nos Deus! Mulheres, há ,cujo interesse passa por cima do dinheiro , porem estas vão diminuindo proporcionalmente ao
aumento da década de nascimento.

Anónimo disse...

No mundo de hoje, parece que a superficialidade é profunda...

jpt disse...

Se me permite: os casamentos chama(ra)ma a atenção porque as noivas são (e iam) esplenderosas.