segunda-feira, 22 de setembro de 2014

António Costa e São Pedro



O pandemónio que se vive em Lisboa quando chove, dá cabo da pouca paciência que já nos resta. Só quem habita na parte antiga da cidade calcula o flagelo, embora desconfie que a parte nova tambem tem “os seus problemas”. Estou a ser simpática.
Assim, eu que não sou engenheira e muito menos autarca, registo na zona onde vivo, uma total incúria:
1- na limpeza das sargetas, o que muito contribui para que ocorram estas inundações;
2- no corte da vegetação que cresce, de forma incontrolável, pelas paredes dos prédios, degradando-as de forma inaceitável para quem desembolsa o IMI que os lisboetas pagam;
3- nos buracos que polvilham as ruas da capital e que têm levado a desastres não só de natureza pessoal como patrimonial, pelos quais ninguém, além dos próprios, parece responsabilizar-se.
Claro que todos nós sabemos que o edil lisboeta tem uma agenda preenchida com muitas outras coisas a que se dedica, mas então convinha que delegasse tais tarefas, a fim de evitar os transtornos pelos quais todos nós passamos, ao aproximar do inverno.
Só nos falta mesmo ouvir dizer que tudo isto foi uma manobra de São Pedro que, descontente com o caminho que as primárias do PS estavam a tomar, havia decidido enviar mais este dilúvio. Porque o mau tempo, esse, já dura há três anitos...

HSC

21 comentários:

Anónimo disse...

eh eh eh eh ... Deus escreve direito em linhas tortas!...

Virginia disse...


Já saí de Lisboa há quase 40 anos e lembro-me como hoje das terríveis inundações que chegavam a matar pessoas durante a noite. Era um tsunami autêntico, aliás as fotos que estou a ver no telejornal mais parece dum filme de terror do que dum acontecimento urbano. Só me aborrece é que para os reporteres só Lisboa e catástrofes contam....
Hoje no Porto deu-se um evento notável - os STCP passam a ter Wi-fi em toda a sua frota, graças a um sistema criado pela empresa Veniam de que o meu filho João é CEO, com a concordância interessada da Câmara, dos STCP e em especial de Rui Moreira. Há cinco anos que este processo decorre e hoje Dia das Cidades Sem Carro, foi implementada com enorme êxito. Nada disso vem nos telejornais, mas as entrevistas nas lojas alagadas ou com os bombeiros duram uma eternidade.

Tristeza dum povo que só mete água......

Anónimo disse...

O S. Pedro fez-me ontem estar mais meia hora na igreja à espera que a chuva passasse.
O que vale, foi a espera ter-se tornado num encontro de amigos há muito anseado!

Helena Sacadura Cabral disse...

Virgínia
Tem toda a razão. Fui à procura de notícias e jornal Público, anunciava quais as estações do Metro de Lisboa que irão ter Wi-fi até Dezembro. Sempre Lisboa!

Virginia disse...


Se quiser informação sobre o tema, fica aqui uma:

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4136787 [5]

Obrigada!

Um Jeito Manso disse...

Olá Helena,

Não quero ser desmancha prazeres mas ouvi um senhor da Protecção Civil e outro dos Bombeiros a dizerem que era impossível evitar consequências face à conjugação de uma precipitação severa e de maré alta.

Passei a conduzir por um dos locais em que a chuva correu diluvianamente, uma coisa assustadora, raios e coriscos e uma verdadeira tromba de água e, num instante, a estrada ficou um rio (não era uma rua, era mesmo uma estrada, um IC).

No entanto, uns 4 ou 5km a seguir não apenas não chovia como até estava algum sol.

Foram fenómenos pontuais mas de uma intensidade incrível.

Nem o IPMA conseguiu prever com exactidão o que aconteceu. Mesmo que as sargetas estivessem limpas, o volume de água e a maré cheia produziriam sempre o efeito de enxurrada localizada a que se assistiu.

Pode ser que o António Costa tenha alguns defeitos mas disto duvido que ele tenha culpa. E, de resto, como candidato à liderança do PS, convenhamos que entre ele e o Seguro não há dúvida possível, não é?

Um abraço, Helena.

TERESA PERALTA disse...


Mais uma vez subscrevo o seu post. Afinal, os submarinos são mais úteis do que se pensava... E, por este andar, é conveniente ensinarmos os nossos filhos a nadar, antes, mesmo, de darem os primeiros passos.
Os fisiatras não têm descanso e as casas de pneus não conseguem responder às solicitações.
Ora, se o resultado é este, numa só câmara, o que será que vai acontecer se for obrigado a governar mais algumas coisinhas?… No entanto, podemos estar descansados: nada faltará às Fundações dos “queridos chefes”; o pior é o resto.....

Se o São Pedro e os outros Santos não nos ajudam, não sei o que vai ser de todos nós…

João Menéres disse...

VIRGÍNIA

Há dois dias atrás uma amiga comunicou-me via FB do facto.

Parabéns à empresa de que o seu filho é o CEO !


bea disse...

Espero bem que António Costa não dependa de S. Pedro e faça o que tem a fazer. Pensava que o santo só guardava as portas do céu das hordas aventureiras e libertinas, carregadinho de chaves - o céu tem muita divisão, está cheio de salões aprazíveis, salinhas delicadas e saletas sossegadas;existe sem corredores escuros e longos, correntes de ar e outros etecetras que só estorvam.
Descubro afinal que ordena S. Pedro também sobre o clima e as estações...olha, não está mal, não senhor.

senhor S. Pedro

já agora meu santo, por que não tapar uns buraquitos das ruas de Lisboa? Sei lá, pode haver por aí alguém em lista de espera, a querer entrar antes de tempo...quem sabe, não compra o avanço com horas extraordinárias no asfalto (a arranjá-lo, entenda-se, que os mortos ao volante não dá jeito)...

Desculpe senhor S. Pedro, era só uma ideia, escusa de abespinhar. Passe bem e cuidado com quem lhe bate à porta, embora já esteja morto...o seguro morreu de velho.

Tenha um Dia Celestial

Virginia disse...

Só mais uma achega:

http://youtu.be/D9LSE0HcQhk


É bom viver numa cidade que está viva e que aproveita os seus cérebros e aquilo que eles inventam para bem da comunidade.

Fatyly disse...

Uma tristeza a juntar a outras e subscrevo tudo o que diz!

Anónimo disse...


Bom dia Helena!!
As imagens das inundações arrepiaram!!
Não sei como o Costa vai descalçar esta bota...
Por estas bandas não choveu, só de noite.
O que se passsa na cidade de Lisboa, passa-se na freguesia onde vivo, parece que independentemente da cor dos partidos, fazem todos o mesmo.
São maus gestores de pessoal, só se lembram de por as mãos à obra, quando algo acontece.
Na minha rua passam-se meses sem ser limpa.
Detesto ver os passeios cheios de ervas enormes, mais ainda quando se tratam de casas individuais, quem passa pensa no desleixo do dono e não da junta.
Há meses, ia no carro quando vi o presidente da junta parei, disse-lhe algumas verdades,educadamente claro.
Só na semana passada foram limpar a zona onde vivo, já parece outra!
Fiz o mesmo no cemitério junto da encarregada, as ervas que crescem em volta das sepulturas, como o lixo das flores que transbordam dos contentores, quando vejo muitas vezes os empregados parados a fumar o seu cirraguito.
A inércia dos mecanismos públicos, é revoltante!
Creio que a culpa não está nos empregados mas sim em quem os dirige.
Onde trabalho existe uma empresa de limpeza, as empregadas faziam tudo a correr, as que limpavam ficavam mal limpas e outras por fazer,como gosto das coisas bem limpas, com cheiro a limpo, comecei a chamar atenção,resultado hoje limpam bem!

"Depressa e bem, não faz ninguém"

Não a quero cansar com os meus testamentos...
Ontem quando lia o seu livro, penso que a senhora que a abordou nas Amoreiras não soube expressar-se.
Creio que não queria dizer inveja da sua felicidade, mas sim que a admirava, a Helena transmite uma energia boa, por tudo o que já passou ( fiquei a conhecer algumas só ontem) é deveras uma força da natureza, uma inspiração para muitos.
Existem 2 pessoas que oiço diariamente, uma é a Helena com as suas diversas entrevistas, outra é Coimbra de Matos com os seus artigos / entrevistas, neste momento são a minha aprendizagem, fazem parte do meu processo de crescimento.

http://vimeo.com/50165828

http://www.ionline.pt/artigos/portugal/antonio-coimbra-matos-sociedade-nao-voltara-ter-jovens-temos-nos-adaptar/pag/-1

https://www.youtube.com/watch?v=KLTPfatO1-Q

Carla




Anónimo disse...

mazinha. . .
beijo
maria

T disse...

Acho surreal Lisboa estar a entregue a todos este vandalismos, quer o perpetrado sem combate pelos seus cidadãos (veja-se toda e qualquer parede), quer pela total ausência de políticas coerentes na prevenção deste tipo de fenómenos por parte do executivo.

Basta viajar qualquer coisa para se perceber que Lisboa é ridiculamente pequena em comparação a tantas outras cidades, o que me faz pensar que que algo está realmente muito mal por aqui.

Tenho desabafado por aí que de facto temos um enorme azar - o de não termos tido um presidente totalmente dedicado a Lisboa, ou melhor, que pelo menos a esta hora o cargo de presidente já estivesse blindado por quem vota e quem exige, de alguém que vai para lá servir Lisboa e os seus cidadãos e não apenas de usufruir de um trampolim carreirista. É muito triste.

Helena Sacadura Cabral disse...

UJM
Já sabe o que penso e em quem votaria se fosse filiada ou simpatizante.
Mas a verdura que sobe pelas paredes, o lixo e os buracos tiram-me do sério.
E agora ninguém sabe o que pertence à CML ou às Juntas de Freguesia que se criaram.
Um martírio, até para a bem dispostona que eu sou!

Observador disse...

O que 'Um Jeito Manso' disse faz todo o sentido.
Em face da quantidade de precipitação registada em tão pouco tempo, nada se podia fazer. Nada.
Não se culpe quem não tem culpa, nem se compare o incomparável.
Se com isto se pretende 'votar' antecipadamente nas directas do próximo domingo, então sim, compreende-se.

Também fiquei triste por, no mesmo dia, ter sido inaugurada a sede da União de Reformados cá do sítio
e, imagine-se, apenas duas estações televisivas se interessaram, bem como jornalistas de três órgãos da CS escrita.
Uma lástima a nossa CS.

Cumprimentos, estimada Helena.

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro Observador
Quanto à chuva, claro que tem razão. Mas se os esgotos e as sargetas estivessem sem lixo, a água não escorreria melhor? ´
É que nalguns vídeos que mostraram, nos locais desentupidos vê-se um verdadeiro remoinho de água a ser sorvida...
Já quanto aos buchos que sobem pelas paredes do prédio onde vivo e os buracos da rua que já mandaram á vida dois pneus do meu carrito, não se pode dizer que é imprevisto. É incúria. E eu pago IMI sem perdão, que deve servir para manter alguma coisa...

Observador disse...

Estimada Helena
Que houve/há algum desleixo do Município em não ter, por exemplo, limpo atempadamente os sumidoros, proporcionando um maior e melhor escoamento das águas pluviais, é verdade.
Também nos buchos e nas vias de circulação esburacadas, há muito trabalho a fazer, não passível de desculpas.

Saberá que pode pedir indemnização pelos danos causados nos pneus, à CML? Basta ter - não sei se tem - uma ou duas fotos do estado dos pneus pós buracos e um orçamento do custo dos pneus.
'It's a piece of cake'.

Helena Sacadura Cabral disse...

Observador
Sei sim. E não hesito em reclamar quando me sinto no direito de o fazer. Por isso, para se rir, digo-lhe que devem ser os meus netos, os herdeiros dessa compensação...
Um dia conto essa história. Mas hoje é debate e eu não quero bater no candidato de quem gosto mais!
-:))

Anónimo disse...

Virginia, e funciona muito bem!!!
Parabéns à empresa do seu filho, à Porto Digital e aos STCP!
Maria L

Carochinha disse...

Olá Helena!
Sobre as inundações desta semana, escrevi o seguinte: http://quemquercasarcoacarochinha.blogspot.pt/2014/09/sao-os-loucos-de-lisboa.html

E ainda isto - http://quemquercasarcoacarochinha.blogspot.pt/2014/09/ainda-sobre-as-inundacoes.html

No que diz respeito a descuido da limpeza da cidade, buracos, passeios em mau estado, ui temos muito que arrepiar caminho! Então para quem anda a pé e de transportes como eu, dá dó! Mas eu gostava também de ver os cidadãos a serem severamente multados por deixarem lixo nos passeios, dejectos caninos e outros comportamentos que interferem com o bem-estar de todos.

Um beijinho*