domingo, 27 de março de 2011

A frase

LA FRASE DEL AÑO, DICHA POR EL ONCÓLOGO BRASILEÑO DRAUZIO VARELLA.

"En el mundo actual, se está invirtiendo cinco veces más en medicamentos para la virilidad masculina y silicona para mujeres, que en la cura del Alzheimer. De aquí a algunos años, tendremos viejas de tetas grandes y viejos con pene duro, pero ninguno de ellos se acordará para que sirven".

Não sei se é verdade.Nem sei se o autor é verdadeiro. Reproduzo-a tal como a li, em espanhol. Mas que o assunto merece ponderação, lá isso merece. Que me desculpem os homens para quem a pastilha azul foi uma descoberta muito importante e as mulheres que se sentem felizes com seios que não abatem quando se estendem na areia...

HSC

10 comentários:

Marcolino Duarte Osorio disse...

Drª.Helena,
Os sempre belos, a tal busca ancestral, do elexir da Juventude Eterna.
Mas ao preço que estão as plásticas mamárias, e ao preço que estão, o Viagra e outros vasodilatadores, com o mesmo fim, só uma minoria poderá nunca se recordar para o que eles servem, enquanto que, os restantes, a maioria, elas e eles, recordar-se-ão muito bem para que serviram quando foram jovens, principalmente na sua época reprodutora..., e não só...!
Desejo-lhe uma óptima semana!
MO

Anónimo disse...

Também já tinha lido esta frase algures mas sem indicação do seu autor. Dá que pensar...
Em relação a Dráuzio Varella, permita-me que recomende o livro "Por um fio", que tanto me ajudou numa fase compllicada da vida.
Sofia P

Julia Macias-Valet disse...

: ))))))

Nao ha como começar a semana a rir ! A rir também podemos INDIGNAR-NOS ; )

Ver também :
http://www.youtube.com/watch?v=kveHbIMbN2E

Margarida disse...

Já li, algures, e em português.
Faz sentido, embora seja uma minoria, mas alerta para certas prioridades.
Combater as demências é urgentíssimo, face à nossa demografia (não só nacional, mas europeia), como ao assustador crescimento das mesmas.
Quem não conhece alguém que delas padeça ou cujo(s) familiar(es) delas não sofram?
Uma epidemia, é o que é!
De há uns tempos para cá comecei a perceber esta dura realidade e agora tornou-se algo 'banal'.
Atenção, senhores governantes... (como se não tivessem tanto com que se ralar, não é, mas também têm pais e mães ou assim, e um dia serão idosos, acautelem-se...)
Além de que, é triste demais.

Anónimo disse...

Se os problemas psíquicos instalados pela expressão da sexualidade forem resolvidos...

Vá lá que não vá...
Agora às vezes da relação só fica o custo o beneficio gorou-se na expectativa...

De qualquer forma pelo que me é dado analisar face à evolução histórica das patologias há sempre alguma a florescer quando e mesmo outra prediz fenecer...

Ok , reconheço não estar no meu melhor... face ao otimismo.
Abraço
Isabel Seixas
Há mulheres que sofrem com muita intensidade as incompatibilidades face à autoimagem corporal espectável...
Já os homens com a perda ou inibição da dessa dimensão da sexualidade têm afeções graves de auto estima e auto conceito compatíveis daí que do ponto de vista da qualidade de vida e como profissional de saúde admito a relevância da investigação nas três situações não acho as situações necessariamente comparáveis

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

não a frase surge com variações já há uns anos

logo deste ano não é

a tentativa de evitar a morte física e sexual é universal

Fada do bosque disse...

Uma solução para quem não nasceu com os atributos femininos e por isso se sente inferiorizada. Quem com esse problema, entre aspas, não foi gozada pelos jovens colegas de escola?! Só não sabe o quanto isso marca, quem nunca por lá passou...
Sim resolve o problema da auto-estima, (causa é um pouco de inveja nas outras mulheres ou moças) de tal forma como uma mulher a quem caiu o cabelo todo ou quase, procura uma cabeleira postiça. Quanto ao esquecer com a idade... será que todos se esquecem?

Helena Sacadura Cabral disse...

Minha querida Fada
Todos sabemos como as crianças podem ser mazinhas umas com as outras. E como isso pode deixar marcas.
O problema é que quando chegamos a adultos, temos que estabelecer prioridades. Entre "maminhas novas" e Alzeimer, por exemplo!
Quando há defeitos físicos que podem ser corrigidos, decerto que sim. Mas ter um peito pequeno não é defeito.É feitio.
Conheço quem goste...:))

Fada do bosque disse...

É minha querida Drª Helena... mas entre ter pequenas e nada, ainda vai distância. Não gosto de desmedidas e confesso que tenho visto por aí, mais centímetros cúbicos que uma moto pesada, daquelas de super-produção!... depois realmente com a idade... torna-se ainda mais notório. Compor, apenas compor...
Quanto ao binómio Alzeimer/silicone... toda a cirurgia é um negócio milionário, assim diz o director de psiquiatria do hospital de Stº António no Porto.
E todos sabem que até se inventam maleitas para mandar o "paciente" á faca, lá na clínica particular... quem não conhece alguém a quem tenha acontecido?
De resto... concordo com tudo o que diz.

Anónimo disse...

É uma grande verdade!

Isabel BP