terça-feira, 7 de abril de 2009

A Voz

Conheço o Mario Andrea há muitos anos. Felizmente, até hoje, nunca precisei dele como médico. Apenas como amigo. Mas os meus filhos usam e abusam dos seus serviços. Admito que seja porque falam demais...
Se trago aqui o seu nome à colação, é porque partiu dele, no ano passado, uma iniciativa de grande mérito. Tratou-se da "Semana da Voz", que abordou o tema de forma multidisciplinar. Lembro-me de ter feito, com a Rita Ferro, um dueto em forma de diálogo, sobre a importância da voz nos afectos, na carreira, na afirmação pessoal. Como temos ambas sentido do humor, a coisa correu bem.
Pois bem, este ano vai repetir-se a efeméride, já com muito maior projecção, porque terá envolvimento internacional. Lá estarei de novo, junto a muitos outros que fazem da voz uma das suas ferramentas de trabalho. Esperemos que as pessoas possam ficar alertadas para a grandeza da sua importância, tantas vezes esquecida.
O Mario é uma daquelas raras criaturas que junta a excelência profissional a um diversíssimo campo de interesses. E isso faz com que consiga congregar à sua volta uma pleíade de amigos e de especialistas que se empenham, com ele, em tudo aquilo em que se envolve.
Aproximou-nos, pasmem, o jazz, de que ambos somos militantes. No meu caso, é mesmo a única militância extra familiar que pratico. No seu há, até, verdadeira criação, porque dispõe não só do jeito, como dos instrumentos necessários para tal proeza.
H.S.C


1 comentário:

CA disse...

Que satisfação ver esta homenagem a um homem que me ajudou bastante.
Sim porque eu fui dos que precisaram da sua competência e simpatia no atendimento dos pacientes.