terça-feira, 25 de julho de 2017

O segredo...de justiça!

"Acabo de assistir com perplexidade pela televisão a um primeiro-ministro e dois ministros dizerem que não podem revelar a lista de mortos em Pedrógão Grande porque está em "segredo de justiça". Querem enganar quem? Como eles obviamente sabem, a identidade de vítimas mortais nunca pode estar em segredo de justiça, uma vez que a morte de alguém é um facto público que tem que ser obrigatoriamente inscrito no registo civil, que qualquer pessoa pode consultar. A fuga deste governo às suas responsabilidades é de tal ordem que já não há limites para a sua falta de vergonha."

                  Luis Menezes Leitão in Delito de Opinião

Confesso que considerar a lista de nomes dos mortos no incêndio de Pedrogão Grande, algo do âmbito do segredo de justiça, deixa-me igualmente perplexa. Por essa ordem de ideias, nunca saberíamos a lista de mortos na guerra que, por maioria de razão, não poderia ser revelada...E muito menos homenageada!
A inépcia - estou a ser muito educada - tem limites. Fazer de nós parvos também. Este governo, desde que a roda da fortuna se inverteu, está a ultrapassar a red line, de uma forma chocante.
E o Presidente da República tem que ser menos afectuoso para com este tipo de situações, já que, sendo de Direito, sabe muito bem até onde aqueles limites podem ir.
O problema da proximidade do povo distribuindo beijos e abraços reside aqui, em situações como esta. É que um dia, o povo vai pedir-lhe contas, porque considera que só ele é que pode e deve resolver os conflitos. Não queria, confesso, estar na pele de Marcelo Rebelo de Sousa!

HSC

20 comentários:

onónimo quiescente disse...

Toda esta gente lida tão bem com a verdade que poderia facilmente ter ocupado cargos ministeriais no tempo do excelente Salazar, tal é a vontade de pensarem por nós cidadãos.

A crispação do sr PM, a ausência intencional do sr PR, a paródia das declarações do sr CEMGFA, a cumplicidade mórbida da silenciosa esquerda radical, a vergonhosa inexistência política da direita, estariam bem para uma daquelas decrépitas sitcom que passam na tv, não fosse a dimensão da tragédia, que continua, os contornos de conspiração que as atitudes revelam, e o facto de continuar tudo a arder.

Para quando a reforma do sistema político? Quantas décadas mais teremos de ser governados por incompetentes, rapazinhos dos partidos, interesses obscuros, gente que apenas aprecia festividades e abraços e teima em negar a realidade que ofusca a visão?

Quanto tempo mais aguenta este pobre País?

TERESA PERALTA disse...

As companhias Seguradoras vão de férias prolongadas. Não há Direito!
Beijinho

Tété disse...

Querida Helena, depois de tanta tragédia acha mesmo imprescindível tornar a lista do conhecimento público? Então todos os familiares que infelizmente perderam gente não terão tido a oportunidade de esclarecer o seu desaparecimento e confirmá-lo perante as autoridades competentes? Se mais houvessem não haveria certamente quem por eles reclamasse? E não será melhor em vez de esta ralação permanente uma grande onda de ajuda e solidariedade de modo a que quem tudo perdeu possa recomeçar urgentemente do nada? E não está a cheirar a aproveitamento político o que estão a tentar fazer? E não será que tudo se tem de tentar para enegrecer a atuação do governo, que não sendo exemplar, tem sido notoriamente a que melhor se tem conseguido depois do descalabro em que o país se situou com a governação anterior? Perdoe mas a minha sinceridade não me deixa deixar de dizer que quando o Sr. Passos Coelho fala na TV ou a Srª Assunção Cristas emite pareceres sobre Pedrogão não são mais que a revelação de umas doridas "pedras no sapato". Abraços.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Subscrevo as suas palavras.
o Presidente Marcelo ontem à noite
esteve no fogo de Mação, mas não sei se
disse alguma coisa, porque fui dormir
e hoje ainda não ouvi nada.
Entretanto a lista ontem à noite
foi disponibilizada.
Já me sinto tão irritada com estes
comportamentos do Governo.
E dos 13 milhões nunca mais se falou.
Os meus cordiais cumprimentos.
Irene Alves

Anónimo disse...

Tem gato escondido com o rabo de fora...

Helena Sacadura Cabral disse...

Tété
Morrer na obscuridade de um nome é que me faz impressão. Aqueles que morreram têm a meu ver direito a que saiba o seu nome, para que as suas famílias possam se lembradas. O nome é aquilo que nos identifica na vida e na morte.
O governo anterior foi mau. Mas o que este governo está, neste caso, a fazer, parece-me duvidoso.
Há que usar os 13 milhões de euros para ajudar "já" aquela gente.que depois de quase mês e meio passado continua à espera daquilo que os portugueses lhes deram.
Os partidos são-me completamente indiferentes. Não acredito na bondade de nenhum. Mas amo o meu país e quero ver aquela gente compensada. É isto que penso!

Anónimo disse...

Segredos...

http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/2017-07-25-Carteis-esquemas-e-estado-dos-helicopteros.-Os-negocios-do-fogo-revelados-nesta-entrevista

Anónimo disse...




Daemonium vendit qui daemonium prius emit

Anónimo disse...

A politização da tragédia feita pelo PSD, acompanhado pela comunicação social e muitos blogues, incluindo este,
foi uma vergonha sem nome.
Agora que o Ministério Público divulgou a lista dos mortos, quem fará o seu ato de contrição?

Dalma disse...

"... quero ver essa gente compensada...", a HSC que é uma voz pública credível, por favor, faça da voz de todos nós a sua voz! Eu não estou em Portugal e sempre que isso acontece, embora as tenha aqui à mão no iPad, dou-me férias de notícias e nunca abro os jornais portugueses...
Até eu que como sabe, acreditava que o "nosso" dinheiro ia chegar-lhes logo, já estou com dúvidas!

Anónimo disse...

Pois o que me parece que estava em causa era aumentar 'à força' o numero de mortos. O PSD e o CDS deviam era ter vergonha. Então mas havia alguma dúvida de quem eram os 64? que caraças... isto lembra-me logo a cena da Judite também ali a fazer a reportagem junto ao corpo morto. Aproveitam-se das desgraças para tentar denegrir a imagem do governo e ao fim e ao cabo fizeram uma figura ridícula. Sim, ridícula, nunca veria um PSD do 'antigamente' fazer uma cena destas. A sério, tenho vergonha de ter sido tantos anos simpatizante do PSD. Porque, sinceramente, é barracada que até assusta. Então agora o rapazola que se quer armar em importante, nossa senhora, é de bradar aos céus. Deixem lá os mortos em paz. Não tenho de defender o governo nem coisa que o valha. Mas sinceramente, esta cena da recontagem dos mortos e listas e tretas, que afinal sempre foram conhecidas, foi mesmo feio. Olhe Helena, quanto ao dinheirinho angariado que já devia ter chegado às pessoas e não chegou, não deve estar com ninguém do governo. Peçam contas às entidades que, como sempre, não sabem gerir o processo. Vamos lá a fazer política com dignidade, caramba.
Julio

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Anónimo da 01:11
Não há qualquer acto de contrição a fazer. A lista foi publicada porque a pressão nesse sentido foi enorme.
O MNE dizia que a lista era segredo de justiça. Não era. E a PGR que percebeu, fez o que devia: publicou a lista.

Virginia disse...

O meu filho que é Juiz disse-me isto já á mais de uma semana!

Os media são uns ignorantes ou puxam a brasa à sua sardinha, quanto pior melhor. É por isso que nem vejo TJs.

Inácio Fernandes disse...

A HSC está agora a trazer a baixa política para o seu blogue. Muito me admira a senhora não se insurgir contra as atitudes do PSD relativamente à questão da lista dos mortos. Deveria ter ouvido a última quadratura do círculo... nomeadamente a opinião do Dr. Lobo Xavier...
Tenho por hábito, de quando em vez, visitar o seu blogue por gostar da maneira como escreve e aborda os assuntos da atualidade. Pelos vistos está a mudar!... Lamento.
Inácio Fernandes

Anónimo disse...

...rabão de fora.

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/secretario-de-estado-dos-assuntos-fiscais-foi-advogado-do-siresp-192653?utm_source=dlvr.it&utm_medium=facebo

Célia disse...

Então agora a PGR anda a mando do governo?! É grave achar que este governo, ou qualquer outro, pressiona a PGR, ou, então, há aqui alguma confusão sobre a independência de poderes que, a ser assim, minaria a confiança do cidadão nas instituições.
Há, na verdade, da parte de muita gente, a necessidade de reconsiderar algumas das suas opiniões que foram especulativas e até diria capciosas.

Virginia disse...



Helena, desculpe a gralha de palmatória - há e não à!!

Helena Sacadura Cabral disse...

Inácio Fernandes

Se o Senhor considera que não falar da informação errada prestada por um autarca ao Dr Passos Coelho é "baixa política" então não deve visitar este blog. Porque o que eu considero "baixa política" é algo muito mais grave que essa omissão, sendo por isso quase ofensiva a comparação.
Considero que a oposição, neste momento, é fraca, que o Dr Passos Coelho é rígido e pouco flexível e que de uma forma geral o Dr António Costa tem beneficiado bem dessas fraquezas.
E para seu completo afastamento do blog. também lhe digo há muitos outros assuntos de que não falo porque os considero tão menores que nem sequer valem qualquer referência!

Inácio Fernandes disse...

Está enganada quanto à minha tomada de posição. Ou leu mal ou eu não soube exprimir o que queria. Não era a essa omissão que eu me queria referir, mas sim à sua posição de apoio ao que o PSD e CDS vinham fazendo com ultimatos ao Governo, etc. etc. Por isso lhe recomendava que deveria ouvir a quadratura do círculo da última quinta-feira.
Cumprimentos.
Inácio Fernandes

Helena Sacadura Cabral disse...

Inácio Fernandes
Leu o que eu escrevi em resposta ao seu comentário? Se leu deve ter percebido o que eu penso da maneira como a direita está a fazer oposição. Nomeadamente PPC cuja inflexibilidade e falte de jogo de cintura lhe vai custar cara. Fui clara?
Acresce que essa matéria dos suicídios foi tão tola que nem me dignei falar dela, pese tal posição lhe possa parecer sobranceira!
É que não tenho paciência para falar de tolices. Venham elas donde vierem: direita, esquerda, PR. Esclarecido?
Cptos