sábado, 28 de novembro de 2015

E agora, claro, as previsões!

Este país que eu amo, é verdadeiramente surpreendente. Hoje passei o almoço a ouvir um grupo de inteligentes que opinvava já sobre as possíveis desgraças do governo empossado há dois dias.
Primeiro havia quem não percebesse porque é que o Ministro das Finanças não era também de Estado como a sua antecessora. Em seguida falava-se que afinal a sobretaxa só não se manteria para pensões e salários muito baixos, porque a classe média, o "grosso" do baralho, teria de continuar a pagá-la e que deveria mesmo ser agravada para rendimentos superiores.
Depois e para compensar o que o governo ia dar criavam-se mais uns escalões de IRS que forneceriam o capital necessário à operação. Finalmente lembraram o Syrisa e a mansidão com que este actualmente se comportava e admitiram que no máximo, "isto" duraria um ano. Ou seja, até quando a Comissão Europeia pedisse algo que os apoiantes não aceitassem e fosse necessário o apoio da direita na oposição.
Tive que desligar o aparelho porque o salmão que tinha no prato, apesar de feito a preceito, começou a avermelhar, quem sabe, envergonhado com as balelas que acabara de  ouvir. Eu estava estupefacta.
Vim para o terraço tomar o café e pensei cá para comigo no que irá esperar António Costa. Oxalá tudo lhe corra bem e a nós também, que bastante precisamos. Mas com mesas redondas deste calibre, ele bem se pode ir preparando, porque são estes os opinion makers de esquerda que lhe irão fazer a cama!

HSC

13 comentários:

Anónimo disse...

Qualquer semelhança com Gárgulas e Quimera - eleitas por obrigação -,e este governo,é pura coincidência.Já sinto uma saudade do anterior...
Se uns ganham a eleição do mais sexy...outros haverá que de certeza vão ganhar a eleição dos monstrengos.
É que são feios por fora e por dentro.Bem diferente dos anteriores com beleza exterior e interior.
Trocou-se o belo pelos monstros.São um susto!
Tenho para mim que ainda se vão assustar uns aos outros.A ver vamos...
ESanto

ERA UMA VEZ disse...

Querida Helena

Tão diferente de si, sempre gostei de política...
Gosto de debates, comentários e de lhes apanhar as contradições.
Entusiasmo-me com governos novos, projectos inovadores, curriculos interessantes, mesmo sabendo que já estou crescidinha para ser ingénua.

Também reparo como as pessoas aparentemente de classe mais elevada, quando ressabiadas, deixam saltar o suposto verniz e produzem inesperadas peixeiradas e de repente não bate e bota com a perdigota.

Outra coisa que não me escapa é esse tipo de ignorância com que foi presenteada, tantas vezes reveladora de ideias pré-concebidas e desarrumadas na História. Ouvem uma ideia aqui, outra ali, caldeiam lugares comuns e sai asneira.
Claro que também iria beber café e apanhar ar fresco

Também me parece ridículo que o Sr.Arménio faça manifestações a que neste momento designa por concentrações numa altura em que acordos e descrição deviam andar de mãos dadas e deixar fluir...

Depois há os que se põem subtilmente em bicos dos pés.

Fiquei surpreendida com o aspecto e currículum especialmente dos e das secretárias de Estado.Gente à volta dos quarenta anos, geração de "filhos da madrugada". Está a chegar a hora deles . Oxalá saibam ouvir os mais experientes sem abdicar de ter ideias inovadoras e inteligentes.

Quanto a António Costa precisa de nervos de aço e se conseguir sobreviver, então temos HOMEM e DE ESTADO.

Gosto desta matéria e no entanto nunca consegui ser mais do que uma vulgar observadora.
Abraço.

Fatyly disse...

Bem ao estilo português...ainda a coisa não funciona e já é o bota abaixo.

De uma coisa eu tenho a certeza, todos prometem e depois é o que se sabe, pagando sempre quem menos tem. Sim, não temos dinheiro, os cofres cheios de dívidas e onde está a justiça sobre tanto trapaceiro? É corrupção e desvio de verbas públicas por todo o lado. E a culpada sou eu e outros como eu?

Não abro a mão da esperança de dias melhores e sinceramente já estava cansada desta dança das cadeiras.

A ver vamos!

Um bom domingo

Anónimo disse...

Bom dia Dr.ª Helena.
A fé nos valha! Seja lá isso o que for. Cada um de nós tem a sua fé. É preciso mantê-la porque as pessoas são o que são. Na política precisamos, antes de mais, de HOMENS de ESTADO e não de pessoas bonitas ou feias, mais ou menos jeitosas, isso não interessa nada. A parte bonita dos homens e das mulheres não se vê, deve sim, espelhar-se nas atitudes e comportamentos, na obra feita em prol do todo e não do individual.
Claro que as opiniões dividem-se e ainda bem, precisamos de pluralidade. Não quero que o meu país volte ao pensamento único. Gosto de mudança. Em minha opinião o Presidente da Republica devia ter apenas um mandato de cada vez, acho que os primeiros cinco anos têm sido sempre melhores, não devia haver direito a recandidatura. Podendo, eventualmente, voltar mais tarde a concorrer. O poder, em democracia, não quer pessoas agarradas “à cadeira”, seja quem for e venha de que área vier. O poder não quer “habitue”, quer sim evolução, inovação, ideias novas e interessantes, a mudança é saudável. Boas ou menos boas trazem sempre alguns ensinamentos a todos, governados e governantes. Tenho a certeza que os governantes que saíram agora, se, e quando, voltarem ao poder já não fazem igual. Podem até fazer pior mas fazem, certamente, diferente. E a diferença é saudável.
Tenha um bom domingo cheio de paz e amor.
Maria M

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Dra.Helena, li o seu post e reflecti.Para alguns - os sempre iluminados, ainda não começou, mas já acabou! Gosto do meu país,fico satisfeita se as políticas na governação, antes de aplicadas - sejam pensadas. Seja o Zé,o Manel ou outro a governar!
Que as novas gerações tenham esperança, que as aves agoirentas se calem, caso contrário não há santo que nos valha.

Um abraço,

Alcipe disse...

Não há pachorra para os comentadeiros...

Beijo amigo

Alcipe

Anónimo disse...

Opinion makers de esquerda? Mas isso é o que eu tenho ouvido aos opinion makers da direita. Alguns, por acaso, amigos do Paulo...
Carlos

Helena Sacadura Cabral disse...

Carlos
Só pode ter como explicação que hoje ninguém já sabe o que é a esquerda e o que é a direita.
Olhe, eu essoalmente julgo a "esquerda soft" muito à direita para meu gosto... e a esquerda pura e dura muito mole!
Já era tempo de termos outras definições ideológicas, porque estas são mais que centenárias!

Anónimo disse...

Gente Linda é a que governa por eleiçāo do Povo.
Gente feia é a que se impōe contra a vontade do Povo.
Até a Beleza tirou folga quando se forçaram a nascer.

Anónimo disse...

E as ideias do António Costa são as mais certas?
A forma como ele chegou ao poder é a mais certa?
Como mãe, acho que jamais deveria escrever este poste.
Fiquei chocada.

Helena Sacadura Cabral disse...

Blogger Helena Sacadura Cabral disse...
Anónimo das 19:03
E onde é que leu que eu entendo que as ideias de António Costa são as melhores? Não percebeu o humor que está por trás do post? Não leu nas entrelinhas?
Então eu fiquei tão cheia do que diziam os inteligentes que desliguei o aparelho e fui para o terraço espairecer e o anónimo diz-me que eu defendo as ideias do Costa?!
Ó valha-nos Deus!
Quanto ao seu comentário sobre a maternidade, nem lhe respondo. É ofensivo.

Anónimo disse...

Ahahah...fazer a cama.Ele, AC,prefere é um tapete voador.E esse, mas com preguinhos ou alfinetes ( al,de mouros) já está a ser bordado pelos amigos e camaradas.Vai ser um tapete movido a turbo jacto.Vrummmmmm.

Anónimo disse...

Tenho uma pachorra enorme para Perdoar quem não tem o Dom de Perdoar.