segunda-feira, 27 de julho de 2015

O Prémio Internacional da Paz



A Fundação Gusi Peace Prize International vai distinguir António Ramalho Eanes com o Prémio Internacional da Paz 2015, que lhe será atribuído em Manila, capital das Filipinas, a 25 de Novembro. 
A distinção é concedida "em reconhecimento da sua carreira e do seu papel como estadista” e pela "contribuição única para a criação de uma paz duradoura, a nível nacional e internacional, nomeadamente no conjunto dos países de língua portuguesa, tanto enquanto Presidente da República como posteriormente, com uma acção cívica de relevo". 
O Prémio Internacional da Paz Gusi - assim designado em homenagem ao capitão Gusi, combatente da II Guerra Mundial, que foi líder político e defensor dos direitos humanos nas Filipinas - é considerado o Prémio Nobel da Ásia -e reconhece o trabalho de individualidades ou organizações que contribuam para a paz e a justiça global.

Os que me conhecem sabem a estima e admiração que nutro pelo casal Eanes que prima, sempre, pela mais absoluta discrição. É por isso, com muita satisfação, que vejo reconhecido internacionalmente o seu trabalho em prol de uma causa tão justa!

HSC

28 comentários:

João Menéres disse...

Assino integralmente o seu comentário, HSC !
Tive poucos contactos ( O 1º, foi numa audiência que me concedeu em Belém, outro, na Fundação Gulbenkian e o 3º, num jantar de homenagem ao Vasco da Graça Moura, aqui no Porto, na Fundação Cupertino de Miranda ) com ele, mas foi o suficiente para verdadeiramente o admirar !


Melhores cumprimentos.

Anónimo disse...


Helena
Cada mais preciso mais do silencio de que fala. Gostei de a ouvir.

https://www.youtube.com/watch?v=zKuo7HZ6dAo

Um abraço
Carla

Anónimo disse...

Com toda a sinceridade,se o prémio fosse para o Dr.Paulo Portas eu aplaudiria de bom grado.É que um Estadista que teve a hombridade de tornar revogável o irrevogável por dedicação ao país evitando um grande colapso político,isto sim é de coragem.E sei que muitos estão e pensam como eu.E as verdades são para serem ditas.
Ou será que queriam alguém como o playboy Yanis V ?! Quanto mais notícias chegam da Grécia mais louvor o nosso governo merece.
Que diferença!
Mas respeito às suas opções.Gosto de saber que está contente.
Gostei de ver a foto e ler o que vem hoje no Facebook da Assembleia de Angola do Dr.Paulo Portas e Dr.Vicente.Haja quem restabeleça negociações sérias e não pela porta do cavalo como em tempos outros "Soares" com Savimbi na Jamba e diamantes.
Que os Portugueses vejam o essencial...
JMello

Anónimo disse...

Maria (publicamente anónima)
Boa noite Dr.ª Helena,
Também concordo com o reconhecimento que é feito a Antonio Ramalho Eanes pelo seu trabalho, uma justa distinção.
Não conheço pessoalmente o casal Eanes mas, pelo que é público e publicado através da imprensa, sempre tenho admirado a sua maneira de ser e de estar. Sempre achei uma pessoa com grande sentido de Estado e de justiça. E a Dr.ª Manuela uma verdadeira Senhora. Foi uma verdadeira Primeira Dama, com grande atitude perante as instituições.
Tenha uma boa noite
Maria M

Tété disse...

Querida Helena,
Tenho exatamente a mesma opinião. Sei das diligências de sempre em prol das crianças mais desfavorecidas e não só. O meu filho tem exatamente a mesma idade do filho mais velho e tinha a mesma pediatra, que em conjunto com a Dra. Manuela Eanes se debruçava sobre muitos dos problemas que existiam na altura.
Devem ter sido do mais honesto e sensato que passou por Belém, sem barulho nem espampanâncias.
Um abração da sua amiga "real".

Anónimo disse...

Este também posso dizer que foi meu presidente. 1º Dr.Jorge Sampaio, agora o General Ramalho Eanes, fico muito contente pelo reconhecimento internacional.
Cumprimentos Dra Helena

PS- Desculpe a ousadia, mas aposto que não vai fazer nenhum post pela mesma noticia ao presidente em exercício.
Maria Fernanda Henriques

João Almeida disse...

Uma confissão e dois reconhecimentos...
Nos meus tempos de estudante, um ano e pouco saídos das trevas do "estado novo" e das acções semiclandestinas do movimento associativo, no pós-25 de Novembro e na sua candidatura à presidência da República em 1976, fui um dos que o critiquei por, alegadamente, no meu entender pseudo-radical de esquerda (?), significar o regresso ao passado e a subserviência a poderes exteriores...
Em 1979, se não me engano, tive o grato prazer, honra e privilégio de o conhecer em Mafra, na então Escola Prática de Infantaria, onde eu servia e o Nosso General esteve nos (creio) 25 anos do seu Tirocínio. A sua forma de ser e estar cativou-me. A sua acção enquanto Presidente de todos os Portugueses não me desiludiu. Bem pelo contrário.
Recentemente, apesar de ainda me custar a digerir o seu envolvimento na candidatura ao segundo mandato do actual presidente, as suas posições públicas confirmam os princípios e valores enquanto Homem, Militar e Cidadão.
Não me surpreende o reconhecimento internacional.
Os meus parabéns Meu General!
João Almeida

Anónimo disse...

Felizmente ainda há Portugueses decentes que são reconhecidos.
Que pena os actuais politicos não lhes seguirem o exemplo.




















Silenciosamente ouvindo... disse...

Conheço-o pessoalmente e a sua esposa. Trabalhei politicamente com
ele no tempo do PRD, a cujo Conselho Nacional pertenci.
É um homem íntegro, despido de qualquer vaidade.
Ele e sua esposa, respeitam as pessoas sejam ricos ou pobres.
Apesar de ser quem é, não deixa de reconhecer o trabalho dos
outros e agradecer.
Nunca vi outro político como ele.
Merece, este prémio. Merece mesmo.
Cumprimentos, drª. Helena.
Irene Alves

CORREIA DA SILVA disse...

Prémio merecidíssimo, que será atribuído ao Capitão (1974)Ramalho Eanes, combatente em Angola.


Virginia disse...


Não sei muito bem como é que ele contribuiu para a Paz nas antigas colónias, que atravessaram guerras e carnificinas horríveis depois da descolonização. Mas não tenho nada contra o senhor, que só vi ao vivo em Chaves num 10 de Junho em 1978.

Anónimo disse...

Homem extraordinário e a seriedade em pessoa.
Faz muita falta, no dia a dia deste país...

Observador disse...

Quando as pessoas são sérias, arriscam-se a isto.
António Ramalho Eanes merece.
Cumprimentos, estimada Helena.

Maria do Porto disse...

Totalmente merecido! Homem sério, íntegro e honesto!
Uma espécie em extinção, infelizmente.
Bjs

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Não conheço pessoalmente o casal Eanes, nem isso importa (para mim), basta-me saber que é um cidadão português a ser reconhecido.
Fico feliz!

Um abraço,

Fatyly disse...

Bem entregue e mais que merecido.

Um abraço

Dalma disse...

Sempre pensei nele como um político muito sério todavia ponho a mesma questão que a Virgínia!

João Almeida disse...

Questão muito complexa a que liga a paz à guerra... Uma sem a outra não existiriam, pelo menos no sentido restrito.
Há quem diga, e eu acredito porque a História o demonstra sobejamente, que para se conquistar a paz é necessária a guerra.
E, quem estará mais interessado na paz que os militares? Não são eles que juram dar a vida, se necessário for, para que a paz se obtenha? Não são eles que deixam tudo, incluindo familiares e amigos, para irem matar e morrer?
Apesar de existirem belicistas e militaristas entre eles, na generalidade, os militares querem a paz e geralmente, o facto de estarem bem moralizados, equipados e treinados é condição suficiente para que a paz seja garantida. A força da dissuasão.
Como já referi aqui, Ramalho Eanes enquanto militar, político e cidadão sempre se revelou um Homem com letra maiúscula. Apesar de não lhe conhecer uma acção em favor de uma qualquer "paz", a dimensão humana que imprime em todos os seus actos e a forma como comandou e dirigiu fazem dele, penso, merecedor do prémio.
João Almeida

Helena Sacadura Cabral disse...

João de Almeida
A paz tem, a meu ver, um sentido bem mais vasto do que a oposição à guerra. A minha paz é a do estabelecimento de pontes entre grupos adversários. Não precisam de ser inimigos com os quais se peleja.
Governar um país e garantir-lhe a paz depois de tantos anos de guerra é já, do meu ponto de vista, motivo de regozijo.
Mais dificuldade tive em perceber o Prémio Nobel atribuído a Obama, depois de apenas quatro meses como Presidente dos EUA...

Maria João Borges disse...

Drª Helena: prezo muito este espaço. Acompanho há já algum tempo este seu blogue e devo admitir que me tem proporcionado momentos de grande reflexão e prazer. Uma verdadeira maravilha!

Maria João Borges

Helena Sacadura Cabral disse...

Maria João
Seja bem vinda e bem haja pelas suas palavras.

CORREIA DA SILVA disse...

"Para se conquistar a paz é necessária a guerra. E, quem estará mais interessado na paz que os militares?"

Subscrevo, e fico grato ao Senhor João Almeida.

CORREIA DA SILVA disse...

Senhor João Almeida:

Subscrevo, e fico grato pelo seu pertinente comentário.
La Palisse não diria melhor.

Bem haja.

João Almeida disse...

Cara Helena
Podendo parecer o contrário, estamos de acordo. Talvez não me tenha expressado tão bem quanto queria.
Foi, tendo em atenção essa outra dimensão muito mais lata da paz, que entendi a atribuição do prémio ao General Eanes, sem contudo deixar de repetir que se há quem anseie pela paz tomada em sentido restrito, são os militares.
Quanto a Obama, ainda hoje não percebi tal distinção…
Com amizade,
João Almeida

Dalma disse...

Mas não é do conhecimento geral que prémios Nobel de Literatura, e da Paz são prémios políticos?!
Daí os atribuídos a Obama e a Al Gore!!! E já agora o atribuído a Shimon Peres e a Yassel Arafat que não fizeram outra coisa senão a guerra?! E concerteza muitos outros que eu desconheço.

Helena Sacadura Cabral disse...

Dalma
Políticos são concerteza. E não só o da Paz. Mas levá-lo com 4 meses de funções, como no caso Obama ´ºe que já é mais discutível...

Anónimo disse...

Apoiado Dalma!
JG

Mário Rui Ramos disse...

Este cavalheiro diferenciou-se de muitos outros pela sua honestidade e bravura. Como militar de Abril ajudou a democratizar Portugal e a dar novos países livres ao Mundo. Depois cada país usou a sua liberdade como quis ou soube aproveitar.