quarta-feira, 13 de maio de 2015

Fátima


Ligam-me a Fátima sentimentos contraditórios. Casei lá. À ida, solteira ainda, tive um sério desastre de automóvel. À vinda, já casada, tive outro, na zona do Cartaxo, que me deixou em bastante mau estado. Amigos agnósticos dizem que Deus bem me avisou...
Mais tarde, quando em viagem para o Norte, por norma, parava no Santuário e a tranquilidade do local fora dos períodos festivos, dava-me grande serenidade e satisfação. Ainda dá, felizmente.
A última visita que lhe fiz foi pouco antes do meu filho morrer. Para pedir o despojo suficiente para "saber aceitar" o que Ele nos destinasse. A partir daí, decidi, hei-de retornar num outro dia 13. Não agora, porque ontem morreu o Pai da minha cunhada mais nova e eu julguei ser mais urgente estar com ela. Mas se viver até 2017, conto receber o actual Papa.
A verdade é que quem vir as imagens que a televisão transmite, dificilmente fica indiferente à força da mensagem da Virgem de Fátima, nem à fé daqueles que a procuram desde que o pastorinhos se sentiram tocados pelo seu olhar.

HSC

38 comentários:

diogo disse...

À ida foi um aviso , à vinda foi castigo . Os desígnios do Senhor são insondáveis , as justificações dos crentes ainda são mais . note-se que eu não sou sequer crente na existência de tal personagem , mas respeito . Abreijos.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Nunca fui a Fátima a 12/13 de Maio.
Gosto de estar lá com muito menos
gente. Também sinto quando lá estou,
uma imensa serenidade que não
encontro em qualquer outro sítio.
Quando estou em Portugal(já passo
muito tempo na Irlanda) vejo sempre
através da televisão as cerimónias
religiosas.
Os meus sentimentos.
Irene Alves

Virginia disse...


A Fé das massas não me impressiona nem convence.
Não consigo acreditar nas aparições e penso que foi tudo maquinação das autoridades da época.
Há pessoas que acreditam na Igreja do reino de Deus e que fazem sacrifícios enormes para demonstrar a sua Fé.
Quanto a mim, Deus, se existisse, não deveria exigir sacrifícios físicos que mortificam o corpo, mas sim solidariedade e altruísmo no dia a dia dos fiéis.
Fátima é uma mistificação e não consigo compreender, mas aceito, a fidelidade com que milhares de pessoas se deslocam lá todos os anos.

Não leve a mal a minha sinceridade, eu tb já fui a Fátima a pé quando tinha 16 anos e isso marcou-me negativamente...

Anónimo disse...

🌷

TERESA PERALTA disse...

Em 2016 também quero receber o Papa actual. Mas, um dia destes, vou sem nada programado e passo também por Valinhos, menos comercial, mais calmo e muito espiritual.
Beijinho para si

Helena Sacadura Cabral disse...

Virgínia veja lá como as coisas são. Eu até aos 18 pouco me interessava a religião. Aos 19 baptizei-me e até hoje não mais abandonei aquilo que jurei.
Tenho dificuldades em acompanhar a Igreja numa série de aspectos? Tenho. Tantas como os filhos têm em acompanhar os valores dos Pais. Mas não é por isso que gostam menos de nós...
Se não existisse "nada" para alem de nós, o mundo não se aguentaria. Pode ser Deus para mim, Alá para outros, ou alma para si. Não importa. Isso significa que acreditamos em algo para além de nós!

Helena Sacadura Cabral disse...

Teresinha ainda lá vamos as duas parar depois dos leilões!
Bjos

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Diogo já me fez rir. Nunca tinha pensado nisso e é muito capaz de ter razão. Ele há com cada castigo...
:-)))
E isto é a resposta de quem julga que aqueles anos todos de casamento valeram bem a pena!

João disse...

Cara amiga, uma coisa lhe posso garantir. Nem a minha amiga nem nenhum de nós poderá estar em Fátima em 20016! :D

CF disse...

A força da fé é das maiores energias que conseguimos ver a olho nu. A mim assusta-me, confesso. Já fui muitas vezes a Fátima a 13 de Maio. Já fui a 12, à processão das velas, já fui em outras manifestações religiosas. Não falo de crença, é uma coisa demasiado pessoal, mas falo do efeito que causa, e esse, é sem dúvida forte e majestoso...

Anónimo disse...

Confesso que apenas ali vejo comércio... dinheiro... nada mais. Mas respeito quem acredite e sinta mais do que eu sinto. Pedro

TERESA PERALTA disse...

Eheheh! Combinado!…
Bjs

Anónimo disse...

🌹🌹🌹

Helena Sacadura Cabral disse...

CF
É essa estranha magia do lugar e a fé das gentes que o visitam nos dias tradicionais, que impressiona. Poderá dizer-se que algo existe!
Bjo

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó João espero que esteja errado. Gostaria que estivessem vivos todos aqueles que lá queiram ir. E também o Santo Padre, claro!

João disse...

Peço desculpa se não fui claro. Brincava com a sua gralha na data! Publicou vinte mil e dezasseis :-)

Ana disse...

Não vos quero desiludir mas o Papa Francisco vem em Maio de 2017 (centenário das aparições). :)

Anónimo disse...

Então? A visita do Santo Papa é em 20016??? quando muito será em 2016. Ou será em 2017 quando do centenario das aparições?
Agora fiquei confusa e a pensar!...

Anónimo disse...


Bom dia Helena!
Conheço, história dos acidentes, vi a entrevista com o Malato, no meio da desgraça a Helena com o seu humor, até me fiz rir. Existem coisas que não conseguimos explicar, mas que há algo de extramundano há.
Um mês antes de casar, tivemos os 2 um grave acidente, andamos com o carro às piruetas no meio da estrada, batendo no final num poste com grande impacto. Sempre achei que fomos protegidos, como os condutores que vinham em contramão o foram.
Em pequena, já na escola fazia promessas à nossa Srª de Fátima, quando eram ouvidas, não descansava, enquanto não as cumpria. A minha mãe, na sala tinha uma mesa de centro, as promessas eram sempre dar voltas à mesa de joelhos. Só o fazia de noite já com todos deitados. Isso durou anos, sempre fui muito crente, incluíndo no dia do meu casamento mandei fazer 2 buquets iguais , ofereci um à imagem do Sagrado Coração de Jesus. Durante 7 anos pedi muito um desejo, sempre disse que o ia realizar aos 33 anos, data em que Jesus morreu, e não é foi essa idade que o realizei. 13 de Outubro de 2005 dia de sorte, a confirmação.
2011 fui batizada e crismada, numca eu tive tão próxima da religião. Janeiro de 2012 a ruputura, a desavença, até aqui vivo num turbilhão de incertezas, questiono...
Foi um golpe durissímo, hoje ainda estou a sofrer as sequelas, numca mais fui a mesma. Ao revés tomei consciência de coisas, que não as tomaria se não tivesse passado por essa perda. Tenho esperança, de fazer as pazes, também o quero, sou dura, rigída,tenho mau feitio.
Mas no fundo, sou a antítese de todos estes sentimentos.
Partilho um poema taoista chinês, que me foi enviado,por alguém inspirador, alguém dotado de poder em ajudar o outro.

"Diálogo sobre a montanha"

Há quem me pergunte
por que eu vivo
nestas verdes colinas,
sem responder, eu sorrio,
com o coração sereno:
flores de pessegueiro
flutuam na água:
tudo vai embora e se apaga.
Aqui é outra, a terra.
e outro, o céu.
Nada em comum
com o mundo dos humanos
lá embaixo.

Carla

Virginia disse...


Helena, eu nos leitões acredito e dantes antes de ir para Lisboa no dia do Natal parava sempre na Meta dos Leitões com a família para almoçar. Tenho saudades daqueles almoços em que estávamos cansados , mas felizes.
Já em Fátima, só estive para lançamento dos meus livros de Inglês em 2004, no dia em que o FCP se sagrou campeão europeu. Foi um milagre, também e vi-o em directo.

Desculpe estar a brincar com coisas sérias.....mas não acha que a Igreja tira demasiado lucro dos pobres fiéis?

Anónimo disse...


Helena
20016 ;)

Anónimo disse...

Não acredito no "milagre" de Fátima. Nunca fui, nem iria lá no dia 13. Mas respeito profundamente as pessoas que pensam o contrário.
Em adulta passei por lá algumas vezes. Da ultima senti muita energia,"deixada" pelos crestes...e gostei. Qualquer dia vou lá outra vez, pois embora não seja crente, gostei das energias boas que os crentes lá deixam...
VW

Helena Sacadura Cabral disse...

Caros comentadores
Que seria de mim sem a vossa atenção. Claro que em 20016 eu não estaria lá...nem os meus caros leitores.
Quanto à data real, também têm toda a razão é 20017 sim senhora.
Se não é o Alzheimer que me está a confundir, é o Passos!

Julia Sobrinho disse...

De Fátima, guardo 10 anos onde vivi no Colégio Sagrado Coração de Maria. Fiquei aderente, crente da paz que Fátima, zona dos Valinhos, via sacra oferecida pelos Húngaros, Loca do Anjo e o terminar ao cimo no calvário. Da Cova da Iria, só retenho as obrigatórias idas â Basílica, estragada com pinturas feias e gente a cumprir promessas de joelhos, contribuindo para o comércio local. Tem um maravilhoso órgão de tubos, que dantes em Setembro, muitos músicos tocavam Era místico. Vou lá procurar paz e reencontros comigo. Sem muito povo, sinto me bem. Se acredito? Não questiono nem substima o local. Sinto me bem espiritualmente, sem me preocupar com rituais. Para mim é uma boa caminhada. Bjo

Anónimo disse...

Helena, as gralhas hoje teimam em poisar no teu blog... A data prevista da visita do Papa Francisco, se Deus lhe der vida e saúde, como Ele disse, é 13 de Maio de 2017, centenário da primeira aparição. Como graças a Deus continuas a ter uma boa memória, a confusão não se deve a nenhum ser alemão, logo...
J Honorato

Anónimo disse...

Drª Helena!
20017???? Outra vez!
Desculpe. Sei que é lapso.
Maria

Virginia disse...

Só mais uma achega, Helena. "Se não existisse nada para além de nós, ninguém se aguentaria ". Como não? Há tanta gente agnóstica com uma vida exemplar, valores humanos, vidas edificantes...mesmo que não acreditem na Igreja, no Cristianismo ou no Budismo, vivem com a fé em si próprios e nas suas capacidades.
Sei que isto dava para três blogues, mas recuso-me a acreditar que sem Deus, é o caos. Não é. Há quem consiga viver sem a bengala da religião. E esses são admiráveis.

Anónimo disse...

eh eh Helena, teve graça agora.
Virginia, estou consigo, sobre Fátima.

Maria do Porto disse...

Tenho uma história dos meus Pais: a minha Mãe, grande devota de Nossa Senhora, quis, na lua de mel, passar em Fátima. Quando lá estavam, um cauteleiro pediu-lhes para lhe comprarem uma cautela. Passado uns dias, viram que lhes tinha saído " a sorte grande"! Imagine o jeito que lhes deu para um começo de vida a dois...
Quanto à fé, sou uma pessoa crente. Herdei da minha Mãe a devoção por Nossa Senhora e gosto de Fátima fora dos dias festivos. Dá-me uma serenidade muito grande também.
Acredito que há algo superior a nós, uma energia qualquer, positiva. Eu chamo-lhe Deus. Outros chamam-lhe Natureza, um deus qualquer ou simplesmente uma qualquer coisa que faz com que o mundo funcione...
Cumprimentos

SN disse...

Gosto do Santuário "vazio". Nestas alturas de multidão abunda uma religiosidade com a qual não me identifico, centrada na imagem de N. Sra. de Fátima, a milagreira. Vão ali como irão à bruxa.

Aristóteles disse...

Ai os economistas, e.... a aritmética do século XXI.

Dalma disse...

HSC, mas acredita mesmo que os pastorinhos viram a NªSrª? O que a igreja até diz é que só foi a Irmã Lúcia que viu, os outros não!
Felizes os que acreditam... Para esses até talvez aceitem melhor as agruras da vida!

Dalma disse...

Lendo os seus comentários a alguns dos seus comentadores, diz num:"é a magia do lugar", mas há tantos lugares onde se sente não digo magia mas uma sensação espiritual. Hoje, precisamente hoje fui pela 2ª vez ao Memorial do World Trade Center e voltei a sentir que estava num lugar Santo, o mesmo há dias no Cemitério de Arlington. Mas são dois casos em que alguém pereceu e não por eventuais "aparições". Porém também quero crer que são as multidões que criam estas sensações!

Anónimo disse...

Que ao acordar e ao deitar sinta a tranquilidade e paz que a Sua energia transmite.

:-)

Anónimo disse...

Estava a ler estes comentários e a lembrar-me da Alexandra Solnado que afirma que fala com Jesus e que o vê e por aí adiante. Ora bem, tem o mesmo direito que os pastorinhos, não é verdade? Mas parece que só muito poucos a levam a sério. Porque será?

Anónimo disse...

Sou católica, gostaria que a minha fé fosse mais consolidada mas infelizmente sei que não é. Acredito que Deus guia os meus passos e me protege a mim e aos meus. Tenho fé em N. Sra. de Fátima.
O Santuário de Fátima para mim é um local de culto que me emociona e me trás serenidade.Nunca fui lá nos dias 12/13 e também certamente não irei quando o Papa Francisco o visitar.
Tenho quase a certeza de que em algum momento das nossas vidas, quando o desespero toma conta de nós por alguma situação é a Deus que recorremos mesmo quando o ignoramos a maior parte do tempo ou dizemos que não acreditamos.
Um beijinho
FL

Anónimo disse...

Eu sei que Ela a ama.Sinta a energia.

http://youtu.be/KuKO4-MgVBU

:-)

Anónimo disse...

Eu sou muito devota de Nossa Senhora.
Adoro estar em Fátima mas num dia 13, não obrigada.

Um beijinho,
Vânia