sexta-feira, 27 de abril de 2012

Um imenso abraço


Com o meu filho Miguel foi uma parte de mim. Possivelmente a melhor. Mas o que ele me deixou de amor será o suporte dos dias que ainda irei viver até o voltar a encontrar.
A todos os que me acarinharam, aqui fica o meu imenso e reconhecido abraço. Bem hajam!

HSC

98 comentários:

Marianne disse...

Um beijinho grande, Helena!

Nunes disse...

Beijinhoo....

patricio branco disse...

o apoio dele continuará disso pode a mãe estar segura. era um homem amavel, no sentido intriseco da palavra. assim permanecerá.

Mariinha disse...

Um abraço de uma mãe de dois rapazes já homens, que chora só de imaginar o que a Helena e tantas outras mães já sofreram ou estão a sofrer. Acredito que seja a dor maior.

Rita disse...

Um abraço apertado

ves disse...

Um abraço com muita, muita ternura!

De uma leitora do seu blogue que tem por si muita admiração!

Andreia disse...

Não à nada que se possa dizer que lhe retire esta dor....
apenas lhe deixo um beijinho com muito carinho, na esperança que nos segundos em que ler este comentário se sinta um pouquinho acarinhada.

Andreia Tomaz Lobato

Ana Cristina Santos disse...

D. Helena como mãe que também o sou, lamento imenso a perda do seu filho Miguel.

E é como mãe de dois meninos, tal como ouvi um dia a senhora a dizer, tão "diferentes" mas tão "iguais" em princípios e particularidades humanas válidas (que eu luto diariamente para que os meus meninos o assim sejam), que se me permite, expresso aqui no seu cantinho um mimo e solidariedade neste momento difícil desta mãe, que a admira e muito.

Ana Cristina Santos

moon.maria disse...

Um imenso abraço para si também.

Merenwen disse...

Um forte abraço Helena!E muita força!

Margarida disse...

Solidarizamo-nos na sua dor.
Abraços sem fim.

Anónimo disse...

No seu colo pleno de amor,confesso que a mim tb me doeu. As palavras ñ escorrem. Deixo-lhe um imenso abraço, um grande beijo
Aida

Livro da Actualidade disse...

Força Dr. Helena, está fase má ira passar e o seu filho ficara sempre nós nossoas corações. Cumprimentos e muita força !

António Pedro Pereira disse...

Caríssima Helena:
As minhas sentidas condolências.

Tita disse...

De facto, caríssima Helena, perder um filho é perder a melhor e a maior parte de nós.

Contudo, há um ditado inglês, que conhecerá, e que, tão bem quanto é possível nesta triste circunstância, transforma a morte numa simples e antecipada partida: "Not dead, but gone before".

Nada ou quase nada do que nos digam, nos ajuda. Mas se pensarmos em termos de partida, pelo menos ocorre-nos a ideia de reencontro. E se tivermos fé, saberemos que o dia do reencontro chegará: a Helena um dia reencontrará o 'seu Miguel'!

E, já agora, deixe-me chamar-lhe 'o nosso Miguel', porque, mesmo os que não comungávamos das suas ideias políticas, sentimos que perdemos alguém por quem sentíamos uma grande estima. Talvez fosse o seu sorriso infantil e bom, de menino grande, talvez a coragem de ser frontal, honesto e politicamente incorrecto, quando lhe era mais fácil to go with the flow...

Deve sentir-se orgulhosa, pois o país e o Parlamento Europeu, ficaram em choque e com a certeza de uma imensa perda...

Um xi coração muito grande para si. Nas minhas preces, o seu filho e a Helena, estão presentes. Que Deus lhe dê a coragem , a força e a fé de continuar e, que, quando olhar para o céu, pense que, se Van Gogh agora pintasse a sua Starry Night, seguramente acrescentaria uma serena e brilhante e risonha estrela: o seu, o nosso Miguel!

Anónimo disse...

Dra Helena
É a primeira vez que deixo um comentário,infelizmente num momento muito triste. Não há palavras para consolar uma mãe que perde um filho.
Apenas podemos dar o nosso ombro para que chore, chorar lava a alma.

Algures no Oeste disse...

Um abraço cheio de carinho também para si desta leitora silenciosa que a admira há muitos anos.
Um beijinho de força.

Ana C. disse...

http://www.avontaderegresso.blogspot.pt/2012/04/ode-mae.html

Escrevi este texto para si, Helena.
Um grande, gigantesco abraço.

oteudoceolhar disse...

Numa hora destas, pouco se pode dizer a uma mãe...
As minha condolências Drª Helena.

papoila disse...

I´m free



Don’t grieve for me, for now I’m free,

I’m following the path God laid for me.

I took His hand when I heard him call,

I turned my back and left it all.



I could not stay another day

to laugh, to love, to work or play.

Tasks left undone must stay that way,

I found that peace at the close of day.



If my parting has left a void,

Then fill it with remembered joy,

A friendship shared, a laugh, a kiss,

Oh yes, these things I too will miss.



Be not burdened with times of sorrow,

I wish you the sunshine of tomorrow.

My life’s been full, I savoured much,

Good friends, good times, a loved one’s touch.



Perhaps my time seemed all to brief,

Don’t lengthen it now with undue grief.

Lift up your heart and share with me,

God wanted me now, He set me free.


Não sei que escreveu mas qundo o recebi "aqueceu-me" o coração e é com essa intenção que lho envio.
Um grande abraço
Maria

Catarina Oliveira disse...

Boa noite.
Desculpe a intromissão, mas penso em si desde o primeiro segundo em que li a triste notícia... talvez porque vi a minha avó perder o seu filho (meu pai) e senti a sua dor sem tamanho... ou talvez porque sou mãe... mas sobretudo porque a admiro muito e gosto sempre de a ouvir bem como ao seu riso (sincero e contagiante).
Imagino que neste momento não sinta vontade de sorrir, mas vou-lhe dizer o mesmo que disse à minha avó (que partiu faz na 2ª-feira 1 ano e é e será a pessoa mais importante da minha vida): lá em cima eles olham por nós e ficam tristes de nos ver tristes, estão lá à nossa espera, a olhar por nós e a sorrir connosco.
Muita força e, se me permitir, um beijinho de quem a admira muito
Catarina Oliveira

mina jesus disse...

Que grande frase Drª.Helena.
Sim!ele deixou-lhe muito amor para estar ainda muitos anos até o encontrar.Coragem Mina

stiletto disse...

D. Helena, ainda não tinha tido coragem para lhe escrever embora o meu primeiro pensamento, quando ouvi a notícia, tenha sido para si. Não posso imaginar o que está sentir porque não sou mãe, talvez nem nunca venha a ser, infelizmente.
Perdi o meu pai aos 14 anos, numa idade muito difícil e só a fé em Deus, que encontrei alguns anos depois, me ajudou a ultrapassar essa dor e a aprender a viver com a ausência de uma das pessoas mais importantes da minha vida. Que a sua fé a ampare e que encontre no amor do seu filho Paulo, dos seus netos e todos quantos a rodeiam, o consolo nesta imensa dor.
Não a conheço pessoalmente mas já a admiro há muito quer pelas entrevistas, os livros e os blogues.
Um abraço, virtual, mas apertado.

(desculpe se me alonguei)

Um Jeito Manso disse...

Um beijinho com muito carinho para si, Helena, mulher tão corajosa, com um tão admirável coração.

Inês disse...

Helena

Um grande beijinho e um grande abraço. Admiro o Miguel pela sua verticalidade e pela HUMANIDADE. É ele que me faz acreditar que os políticos não são todos iguais. Nem sei bem explicar o que senti quando soube da notícia, mas pensei logo em si. Só me cruzei com o seu filho duas vezes. E a última foi em Março. Nunca me dirigi a ele para lhe dizer que apreciava o seu trabalho e a sua postura, hoje arrependo-me.

Um grande beijinho e muita força

Inês Cardoso

Anónimo disse...

Querida Helena
Como já lhe disse, em alturas como esta que agora vive , não há palavras... Tudo o que dissermos serão migalhas perante o que vive. Mas por favor receba as muitas migalhas que a Amizade e Carinho dos seus muitos Amigos/as, os muitos que a querem bem, de alguma forma representam.
Todos nós seremos sempre muito mais que as nossas dores, limitações, debilidades e fraquezas...E, no seu caso, seguramente que assim será. Não duvide - nem disso, nem da nossa Amizade. E estou certa que falo em nome de tantos que a querem Bem e que agora a cercamos de Carinho! É uma Grande Mulher!
Um xi-coração enorme!
IGN

marina disse...

Deve ser uma dor insuportável, nenhuma mãe a devia sentir.
Todo o meu carinho
Marina (uma admiradora e leitora)

MM disse...

Um grande beijinho, Helena.
Ao longo dos anos tem sido uma inspiração para mim.
Como Mulher e como Mãe.

Marta Moncacha

K disse...

Um beijinho especial só para si.

Fábia Mateus disse...

Há tristezas assim..há dores assim! Também eu mãe...e por isso ciente que este é seguramente daqueles momentos não verdadeiramente vividos, percorridos por uma dor que anestesia e confunde... jamais pensados viver! Propagam ecos dessa surpresa doída por todos nós, que anonimamente, a acompanhamos neste momento. De si diz ...dizem "que não democratiza as tristezas"...talvez seja mesmo essa forma de estar que funda a força destas suas palavras. Um bem haja! Os meus sentimentos Fábia Mateus

sandra maximiano disse...

Há dores que fazem sentido, como as dores de parto. Outras há, que por mais voltas que demos, não lhes encontramos sentido algum. Atroz é o confronto do poder que temos em gerar uma vida e a impotência em perpetuá-la. Somos tanto e somos nada. E no meio, sim fica apenas o amor. Um bem haja e força, a bastante, para sustentar o peso da ausência.

S disse...

Helena, não a conheço pessoalmente mas admiro-a imenso e vou acompanhando o seu trabalho e a pessoa maravilhosa que a Helena é. Nunca sei o que dizer nestas situações, apenas lhe posso dizer que enquanto mãe, o meu coração está consigo.

Um abraço,

S

Teresa disse...

Um ABRAÇO ENORME, para si.

Anónimo disse...

Cara Helena,
As suas palavras lembraram-me esta carta que considero das mais belas, escrita por um filho que parte:

Liturgia das horas

De uma carta de São Luís Gonzaga a sua mãe

(Acta sanctorum, Junho, 5, 878) (Sec. XVI)

Cantarei eternamente as misericórdias do Senhor

A graça e a consolação do Espírito Santo estejam sempre convosco. A vossa carta encontrou-me ainda vivo na região dos mortos; mas agora espero ir em breve louvar a Deus eternamente na região dos vivos. Pensava mesmo que a esta hora já teria dado esse passo. Se a caridade, segundo São Paulo, ensina a chorar com os que choram e a alegrar-se com os que estão alegres, muito grande deve ser a alegria de Vossa Senhoria, pela graça que Deus Vos concede na minha pessoa, chamando-me à verdadeira alegria e dando-me a segurança de O não poder perder jamais.
Confesso-vos, ilustríssima Senhora, que me perco e arrebato na contemplação da divina bondade, mar sem praia e sem fundo, que me chama a um descanso eterno por um trabalho tão breve e pequeno; que me convida e chama ao Céu para aí me dar aquele soberano bem que tão negligentemente procurei, e que me promete o fruto daquelas lágrimas que tão parcamente derramei.
Por conseguinte, ilustríssima Senhora, considerai bem e ponde todo o cuidado em não ofender esta bondade de Deus, como certamente aconteceria se viésseis a chorar como morto aquele que vai viver na contemplação de Deus e que maiores serviços vos fará com as suas orações do que em esta terra vos prestava. A nossa separação será breve; lá no Céu nos tornaremos a ver; lá seremos felizes e viveremos para sempre juntos, porque estaremos unidos ao nosso Redentor, louvando-O com todas as forças da nossa alma e cantando eternamente as suas misericórdias. Se Deus toma novamente o que nos tinha dado, não o faz senão para o colocar em lugar mais seguro e ao abrigo de qualquer perigo, e para nos dar aqueles bens que acima de tudo desejamos.
Digo tudo isto para que Vós, Senhora minha Mãe, e toda a família, aceiteis a minha morte como um dom precioso da graça. A vossa bênção de mãe me assista e me ajude a alcançar com felicidade o porto dos meus desejos e esperanças. Escrevo-vos com tanto maior prazer quanto é certo que não me resta outra ocasião para vos testemunhar o respeito e o amor filial que vos devo.

Dos vinte anos que passei nos Estados Unidos, trago os dez que passei a acompanhar pessoas em cuidados paliativos. Há dor e dores, perca e percas. Iclino-me sempre perante a única que é a da Mãe que perde o Filho.
Independentemente de Fé, acho esta missiva extraordinária. Que o Amor lhe seja sustento.
Um abraço,
Henrique Bastos

What will survive of us is love.
Philip Larkin

Só sedas disse...

Helena, lembrei-me muito de si e do seu filho nestes dias. Um beijinho muito apretado.

Juvenália disse...

Para si, Helena, que me habituei a admirar há muitos anos, o meu abraço solidário por esta dor que não tem tamanho.
Para o Miguel, onde ele estiver, o meu maior respeito pela força e pela coragem com que lutou em todos os momentos da sua vida!

Anónimo disse...

Estimada Dra. Helena,
a dor e o vazio da perda de um filho devem ser indescrítiveis. Lamento imenso! Espero que encontre no seu outro filho e, sobretudo, nos seus netos a força e coragem necessárias para ultrapassar este momento tão difícil.
Um forte abraço,
Susana Santos

Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

os meus sentimentos!

Cláudia L. disse...

Um grande beijinho e um abraço demorado.

carla deelvas disse...

... em silêncio deixo-lhe um abraço...

Anónimo disse...

O Miguel Portas foi, até hoje, o político que mais admirei. Tive o prazer de o conhecer pessoalmente no secundário - em Viseu - altura em que me encantei pelos seus ideais políticos. O facto é que nunca mais me desencantei, como aconteceu com outros políticos, porque as suas palavras eram verdade e honestidade. O Miguel tocava o nosso coração coração através daquele olhar bondoso e sorriso sincero. Que esteja na paz que o seu rosto transmitia.
Força Helena.

Fátima Santos

Nucha disse...

Querida Helena,
Não tenho palavras por isso uso as do Gibran:
Pois assim tem sido sempre com o amor: ele só conhece a sua profundidade na hora da separação.
Abraço com muito carinho,
Nucha

Ana Leite disse...

Bem Haja Helena pela força que nos transmite...

Manuela W disse...

Um grande abraço.

Pedro disse...

Um beijo e muita força!
Pedro Ramos

FernandoSousaMarques disse...

Foi uma parte de mim também, embora não seja comparável à sua. Conheci o Miguel há muitos anos. Desde então foi uma referência na minha vida. Uma inteligência "diabólica" como, por vezes, a brincar e a sério, lhe dizia. As nossas conversas sobre o mundo e as coisas guardo-as comigo. Só a conheço a partir do pouco que sei de si e das suas aparições públicas. Mas quero deixar-lhe um abraço reconhecido e bom!
Fernando Sousa Marques

graça anibal disse...

consigo nesta hora.

Candida Serapicos disse...

Cara Drª Helena; tive o privilégio de privar algumas vezes com o Miguel, nomeadamente quando nos juntamos em defesa das Mulheres de Aveiro, foram muitas as vezes que caminhamos para aquele tribunal, VALEU A PENA. O Miguel era uma pessoa fascinante. Aceite o meu abraço amigo e solidário. Aqueles que amamos estão sempre presentes no nosso coração. Maria Cândida Serapicos - Partido Socialista/BRAGA

Dalma disse...

Como lamento! Sempre ouvi dizer que não há maior dor que a de uma mãe ver partir o seu filho...

papoila disse...

I´m free



Don’t grieve for me, for now I’m free,

I’m following the path God laid for me.

I took His hand when I heard him call,

I turned my back and left it all.



I could not stay another day

to laugh, to love, to work or play.

Tasks left undone must stay that way,

I found that peace at the close of day.



If my parting has left a void,

Then fill it with remembered joy,

A friendship shared, a laugh, a kiss,

Oh yes, these things I too will miss.



Be not burdened with times of sorrow,

I wish you the sunshine of tomorrow.

My life’s been full, I savoured much,

Good friends, good times, a loved one’s touch.



Perhaps my time seemed all to brief,

Don’t lengthen it now with undue grief.

Lift up your heart and share with me,

God wanted me now, He set me free.

Não sei quem escreveu mas espero que lhe dê algum conforto.
Um grande abraço, gostava muito do seu filho.
Maria

WTF disse...

Porque não sou boa com as palavras. Porque sou uma atrofiada na transmissão de sentimentos. Porque nestes momentos não há palavra alguma que atenue a dor! Porque embora não a conheça, tenho uma grande simpatia pela maneira como está na vida. Por tudo isso, com muito respeito, deixo aqui o meu abraço.

Benedita disse...

Querida Helena
Tenho pensado imenso em si, pois os meus pais e nós irmãos já passamos pelo mesmo. Doi muito, muito mesmo.
E as saudades, apesar dos anos passarem são imensas. Fica-nos o amor, a saudade e as boas recordações.
Um abraço apertado por não lhe conseguir escrever mais nada.
Benedita

Catarina Coutinho disse...

Um imenso abraço de quem perdeu um imenso amor.
Não há nada há pior na vida do que ver um filho partir (palavras da minha querida mãezinha, quepor um fio me via partir).
Devia ser proíbido!

A Sra.Helena é fantástica. Muita coragem e força! Beijinho

Meu_nome_Mulher disse...

Dra Helena

O Miguel não morreu, apenas se adiantou na fila, onde todos nós
nós esperamos.
Só se morre de verdade, quando isso acontece no coração de alguém.
O Miguel vai permanecer sempre no coração da mãe e do irmão,bem como no de toda a familia, amigos e são muitos.
Descansa em paz, com a certeza de que cumpriu o melhor que podia e sabia a sua missão na Terra.
Não ha palavras de conforto para um coração de mãe, mas há, tal
como a Dra escreve e muito bem AMOR e esse nem a morte pode roubar.

Um abraço de profundo pesar, de mãe para mãe, se me permite.

Manuela Silva Mergulhão disse...

O meu mais profundo pesar, nesta hora hora de dor, fica-lhe a certesa ,de quanto era estimado.

Coisinhas Caseiras disse...

Não a conheço pessoalmente, nem ao seu filho, mas tenho uma admiração muito grande por vocês, por isso queria lhe deixar os meus sentimentos e lhe dar muita muita força, que sei que vai precisar, pois nenhuma mãe devia ver um filho partir antes de sim. Coragem.
Maria Sousa

Naná disse...

HSC, um grande abraço para si, de coração!
Se conheço a dor de perder os pais, calculo que a de perder um filho seja um milhão de vezes maior...
A Helena perdeu um grande filho, nós todos perdemos um grande homem e estadista!

MS disse...

Os meus sentimentos cara Helena :(
A vida por vezes é muito dura connosco e temos de arranjar forças onde já nem sequer algum dia pensámos ter e manter a fé.
Um coisa é certa, tenho a certeza onde quer que ele esteja há-de querer vê-la bem e nunca triste.
Um abraço.

DVDESIGNER disse...

Os meus sentimentos D. Helena...
Um beijinho!

Anónimo disse...

estou desolada. partiu um homem bom. envio-lhe um grande abraço.
graziela

Irene Alves disse...

Foi com muita comoção que li estas
suas palavras. Que Deus lhe dê
toda a força que for necessária
para superar perda tão grande.
Como diz"até se voltarem a encontrar".
Um grande beijinho
Irene Alves

Anónimo disse...

Boa tarde,
Certa que a dor da perda é incalculável, espero que essa mesma dor seja atenuada com a certeza de que em todos os momentos que resta da sua vida, o seu filho a acompanhará... e verá no dia-a-dia sinais de tal.
Eles apenas partem mais cedo do que nós... e só deixam de existir quando deixamos de pensar neles...
Os meus mais sinceros pêsames
Helena Mendes

Anónimo disse...

Fiquei muito chocada com a morte do Miguel, um homem que admirava.
A si, que não me conhece, e à restante família, um grande beijinho e muita força nesta hora difícil.
Que os filhos do Miguel sejam a perpetuação da memória do pai e a alegria da família.

Nazaré Oliveira disse...

Que o meu abraço de ontem permaneça.
O Miguel jamais será esquecido.
Apesar da Saudade, apesar da Dor, ficará sempre aquele rosto, aquele sorriso, aquela alegria de viver, o homem, o político... ideias e projectos que, com inteligência e de forma digna e íntegra nos deixou para continuarmos.
No meu blogue SURICATINA, quando soube da sua partida, escrevi, em jeito de homenagem, estas palavras simples mas profundamente sentidas.
Um beijinho

http://suricatina.blogspot.pt/2012/04/ate-sempre-miguel-portas.html

Anónimo disse...

Todo o meu carinho e ternura para uma grande Senhora.
Um beijinho
Ana

Pedro disse...

Os meus sentimentos. Não deixa de ser uma dôr difícil de suportar, e impossível de sentir, mas continua com filhos maravilhosos e acima da média, e que muitas pessoas o reconhecem. Melhor é impossível. Desejo-lhe o maior amor possível para poder continuar sorrir.

Anónimo disse...

Senhora Sacadura Cabral

Sentidas condolências.
Agradeço as transmita também ao pai do Miguel,
do colega José Alves, que o respeita particularmente.

Ältere Leute disse...

Mais um abraço, Helena!
Vou sentir falta de o ouvir às sextas-feiras na Antena 1.

BC disse...

"Morrer é apenas não ser visto. Morrer é a curva da estrada." (Fernando Pessoa)

Um grande beijinho, nesta hora difícil, de quem muito a admira!...
Bárbara Regadas Correia

anamar disse...

Não tem que agradecer, Helena.
Nós é que temos que lhe estar gratos a si.
Apesar do que de si partiu, algo lhe veio acrescentar à vida. O imenso ecumenismo que rodeou a partida do Miguel.
Forte abraço.
Ana

Anónimo disse...

Querida Helena,

Nenhuma mãe devia de viver a vida ao contrário. Nenhuma mãe devia de ter de ver um filho partir...
Não há consolo nem palavras para este momento. No entanto há algo que não tive coragem de expressar cara-a-cara, que deixo agora aqui, no anonimato. O Miguel foi um grande Homem - a pessoa que mais admiro. Mas tenho de sublinhar que só uma grande mãe, como a Helena foi e é para os seus filhos, pode criar dois grandes Homens.

Um beijinho sentido e cheio de força.

Anónimo disse...

Cara Helena Sacadura Cabral,
Permita, sendo uma desconhecida, que a trate assim. Escrevo sobre a sua perda, para lhe relatar um episódio, melhor, um sonho que se mescla com o trecho da Epístola de S. Paulo aos Coríntios. Nunca conheci o seu filho Miguel, apenas como figura pública, nunca com ele tive qualquer contacto. Todavia, na madrugada de Sábado para Domingo tive um sonho maravilhoso, como que uma mensagem (costumo ter certos sonhos que me trazem "notícias"). Pois, sonhei com o seu filho, pude sentir a paz, a tranquilidade e a felicidade dele, algures num lugar antigo, profundamente belo. Pela serenidade que o sonho me transmitiu achei, permita-me o atrevimento, que o devia partilhar consigo. Foi indescritível, ainda por cima não tendo eu qualquer ligação com o seu filho. Tinha que lhe fazer chegar esta mensagem...
Sinto a imensa perda que sofreu, espero que esta "mensagem" a possa "confortar".
Com consideração.
Paula Esteves

Elvira Fernandes disse...

Helena, não há ninguém que não esteja consigo nesta dor maior. São duas mães que perdem o filho, a Helena e a Pátria. Uma fica com ele na alma outra fica com ele na história! É com pesar que lhe dirijo esta mensagem. Elviraherpc

Tite disse...

Solidária até à medula.

Abraços

Gonçalo disse...

Muito Parabéns pela sua Familia.

Gonçalo Brito

Pinky disse...

Todos nós sentimos muito a sua perda. Muita força.

G. Catarino disse...

Às vezes, há coisas assim. Estranhas. Se não fosse este triste acontecimento, provavelmente, nunca lhe diria o quanto a admiro. O modo como educou os seus filhos é ("só") um dos muitos exemplos que me levam a este sentimento.
Certa dia, alguém me perguntou agarrada a mim, de um modo sufocante, como se eu fosse o maior e mais poderoso pilar do mundo: Porquê a nós, mãe?
Com uma estranha força que me colava ao chão e me mostrava que não iria ceder, respondi uma frase tão banal, como: É para provarmos que somos fortes e...
Sem me deixar acabar, recebo de volta a pergunta: Porque não somos fracas, mãe?
Não respondi.
Às vezes, fico assim, sem palavras. Por isso, agora, neste momento, só consigo dar-lhe um grande, um enorme abraço.

Uma sua desconhecida e, também, admiradora do seu filho Miguel.

Isa disse...

Pela enorme simpatia que sinto por si desde há muitos anos, o meu pensamento esteve consigo várias vezes ao longos destes dias.
Os meus sentimentos.

DD disse...

Lembre-se que enquanto viver ele também estará vivo através da sua memória. Por outro lado alguém tão especial como o seu filho continua vivo através das suas ideias e actos.
Muita coragem.

driftin' disse...

A vida, por vezes, corre ao contrário. Confesso que não sou capaz de avaliar qual é a dor maior - a mais aguda!...

Os sonhos que se interrompem, mas que podem recuperar-se lá mais à frente. Bem sei que não são os mesmos. O caminho, por exemplo, é bem capaz de se assemelhar às próprias ruínas do silêncio.

O chão pode faltar, mas a saudade há-de transformar as lágrimas na tranquila geometria de um sorriso. Na lúcida substância de um amor que não se deixa condicionar pela ausência. Pela distância!...

Hugo M Porto Soares disse...

Prezada Helena,

Fui eleitor do Miguel, porque acredito em pessoas que nos transmitem que, nada no mundo é feito sem esperança.
Muita força nessa hora.
Um abraço de Ipanema, Rio de Janeiro,

Hugo M Porto Soares

Maria disse...

Helena:
O seu Miguel é o político, que o meu filho mais velho mais considera. Foi com lágrimas na voz, que falou do Miguel.
A mim, vai fazer-me falta, aquele sorriso de menino bom.
Cá por casa, de uma ou outra forma, estamos todos consigo.
Amanhã faria anos. Parabéns por ter tido aquele filho.
A avaliar pelos filhos, devia ser lindo e simpático.
Beijos grandes.
Maria

Anónimo disse...

Um beijinho com muita luz; acho-a uma pessoa muitíssimo iluminada, forte, fantástica, inteligente, sábia, solidária, generosa.
Força e uma abraço de luz.
Isa Clara Neves

a mãe disse...

Não comentei antes pois não soube o que lhe dizer ... de facto, os filhos não deveriam partir antes dos pais,.
Não ouso sequer dizer que imagino o que sente, pois não sei ... sei que já tive medo de perder a minha filha algumas vezes e que a dor é maior do que alguma vez se poderá imaginar...

Desejo.lhe tudo de bom, e apenas queria dizer lhe que a admiro, que absorvo todas as suas palavras..
Bem haja por ser a mulher que é ... bem haja pelos filhos que teve

beijinhos sentido
Susana

Anónimo disse...

Não há vez que fale desta situação, que leia uma notícia, que veja uma foto que me não se encham os olhos de lágrimas. E não consigo dizer se pelo Miguel, se por si Helena, se pelos filhos.

Não imagina as vezes que brinquei, com amigos meus, mais ou menos próximos do Miguel, em relação à sua bela figura, a voz que eu adorava, a cultura, inteligência e personalidade que são as que sempre me fizeram balançar. E percebi agora que aqueles que apreciamos mesmo sem conhecer, acabam por se entranhar em nós muito mais do que imaginávamos... A si, sempre a apreciei muitíssimo.
Coragem Helena, e o meu abraço mais sentido.
AA

Saltos Altos Vermelhos disse...

Ainda não conheço a dor da perda e como mãe arrepio-me só com o pensamento de perder um filho. Neste momento só consigo enviar um abraço e dizer que com certeza estará num lugar bem melhor que este, disso tenho a certeza.

Anónimo disse...

Tenho uma admiração enorme por si, e estou solidária consigo neste difícil momento.

Beijinho,
AM

Maria Pinheiro disse...

Só quero deixar uma palavra de solidariedade, amor e força.
Acima de tudo temos que respeitar a vontade dos que partem. Eles partem mas deixam-nos a força para seguir em frente.
Sei que são palavras banais, mas foi este pensamento que me ajudou quando perdi uma pessoa mt querida.
Um abraço
Maria Pinheiro
2 de Maio 2012

Teresa disse...

Começo por felicitá-la como Mãe, como mulher e grande profissional. Como Mãe não poderia deixar de lhe enviar a minha mais sincera solidariedade. Apenas Deus conhece cada dor que sentimos dentro de nós por isso nos dá uma força ainda maior para que este curto caminho pela vida seja mais suportável. Cada dor tem a sua cor, cabe-nos escolher essas cor para pintarmos melhor o retrato da nossa vida. Umas cores são lindas assim como a Primaveraa, outras com outra tonalidade nos lembram a tri~steza mas nos dão a certeza de que o outro dia será melhor. Que Deus coloque as cores mais bonitas na sua vida e o seu sorriso seja sempre maravilhoso. Concerteza que os nossos queridos que partem estão a ver-nos e precisam da nossa alegria, da nossa luta, da nossa força. Que Deus brilhe cada dia mais no seu coração. Um Grnade beijinho amigo e sentido. Teresa de Jesus. Obrigada por ser a pessoa que é...

Maria Teresa disse...

O Miguel não morreu a vida é que o perdeu...
Um abraço
Teresa Amorim Lago

Carla Ávila disse...

Um abraço grande ... é preciso ser-se muito forte! Que Deus a fortaleça!

BC disse...

Um dia a minha mãe conheceu-a,há já alguns anos de outras praias, de outras histórias,era eu ainda uma menina, sempre ouvi falar de si como uma mulher extraordinária.
Hoje já mãe e quase a ser avó, reconheço todas as palavras da minha mãe em relação à Helena e confirmo.A mulher extraordinária, forte, risonha com um sorrriso contagiante (já a minha mãe falava disso).

Hoje só lhe posso enviar um abraço como Mãe e estava tentada a enviar-lhe um sorriso mas acho que ficaria mal ao seu lado!!!

Isabel Cabral

Anónimo disse...

Não gosto da grande maioria dos políticos. Nunca gostei, pela futilidade, inutilidade e ignorância da maior parte da realidade da via diária, onde se tornaram intelectuais sem conhecimento.
Contudo sempre gostei do Miguel, pela sua forma simples e em particular pelos programas de história com que cativou muita gente.

Não gosto da grande maioria dos políticos. Nunca gostei. Mas gostei do Miguel.
A uma Mãe, quando perde um filho, pouco ou nada se sabe dizer. Como falar daquilo que se desconhece ?
Ao Miguel, apenas diria, que foi poupado à dor de perder uma Mãe.

Deixo-lhe um pouco de silêncio, mesmo que seja de ninguém.

Receba os meus cumprimentos.
RG

Irundina disse...

Boa noite Dra Helena

Sou uma mulher que foi marcada pela sua presença e força extraordinárias.

A frase "Porque a vida continua e, felizmente, ainda tenho vivos de quem me ocupar", tocou-me sobremaneira.

Conhece-la e ter o privilegio de conversar e trocar ideia com a Sra. Dra muda, positivamente, a vida de qualquer mulher.

Desejo que os "seus vivos" tenham consciência da mãe, avó, tia,....., amiga que tem.

Com todo o meu carinho
Irundina Agante

Carla disse...

Um beijinho do tamanho do mundo. Sou uma grande admiradora da sua pessoa.Muita força.

Ivone Ribeiro disse...

Um grande abraço Helena os dias passam mas eu não esqueço o meu grande amigo que foi o n/Miguelito como eu o tratava nos momentos que sabia emnos bons..O Miguel será senmpre uma referencia para mim um amigo inestimavel..saudades das nossos jantares à conversa..sobre tudo e sober nada quando eu navegava na mesma area politica..
Estive sempre presente era a ultima vez...
Grande abraço
Ivone Ribeiro

Julia Macias-Valet disse...

Prezada Helena,

Nao é por negligência que apenas hoje lhe envio esta missiva, no limite do "diplomaticamente correcto"...
mas porque ha certos momentos da vida em que acima de tudo a tranquilidade e a privacidade de toda uma família deve ser preservada em detrimento da mediatizaçao. Tenho a certeza que como mae era assim que gostaria de ter vivido este período delicado.

Foi por este motivo que apenas me permite deixar-lhe mensagens noutras casas amigas.

Receba querida Helena um abraço com amizade.

Helena Sacadura Cabral disse...

Minha querida Júlia
Como tem razão naquilo que diz. O mais doloroso depois da perda foi ter que partilha-la e não poder chora-lo sozinha junto dos meus.
Isso foi duríssimo, e ainda todos nos ressentimos disso, creia.
Mas cumpriu-se a sua vontade!