sábado, 2 de julho de 2011

A noiva não estava feliz...


Este fim de semana tive notícias tristes. Apesar de ser "moçoila" forte, também tenho as minhas fraquezas. Infelizmente não me posso dar ao luxo de as mostrar, porque preciso de dar confiança aos meus, que julgam, sempre, que sou um rochedo!
Assim, não podendo ir para o mar carpir mágoas, resolvi ser um pouco "tontinha" e aliviar a alma a ver...o casamento dos príncipes do Monaco. É verdade.
Eu também tenho, claro, umas mediocridadezitas. Os casamentos reais - que agora se multiplicam - têm um efeito apaziguador na minha "alma de doméstica", como diria a minha Mãe, se fosse viva.E ali fiquei cerca de uma hora a olhar um casal em que a noiva mais parecia ir para um enterro do que para a felicidade.
As pessoas tristes sabem sempre reconhecer a tristeza dos outros. E eu não estava alegre. Talvez por tudo isto veio-me ao espírito a pergunta: mas para que é que eles se casam?!

HSC

28 comentários:

Gaivota Maria disse...

Nós, que já andamos por cá há uns anos e que assistimos ao casamento do Rainier e da Grace e todos os outros acontecimentos pseudamente felizes naquele principado, assistimos a um remake ou déjà vu. As lágrimas na entrega do ramo revelaram o limite a que ela chegou. Deus queira que a gente se tenha enganado mas naquele rochedo a vida é difícil para as princesas.
Fiquemos com a beleza do vestido e a harmonia das manas. Nem tudo correu mal. Ea esperança é a última a morrer...

stiletto disse...

Acertou na "mouche", D. Helena, a noiva estava muito triste mesmo. Parecia uma grande encenação. Não se adivinha nada de bom.

Ivaz disse...

Querida Helena,
com tanto show off e tanto patrocínio
aquilo não era um casamento mas sim um bom negócio...
Espero que a tristeza passe serenamente...

Isabel

Margarida disse...

Porque são obrigados.
Ele tem de dar um herdeiro 'oficial' ao principado (e, de preferência, ariano)e ela anda-lhe na peugada há tantos anos que foi enredada na necessidade da procriação urgente, pela sua adequação ao 'tipo'.
Pobrezinha...
Estava lindíssima, mas quando rompeu em lágrimas não foi pela religiosidade, mas pelo pavor da situação.
'Calma'? 'serena'?... devia ter emborcado umas pastilhas, foi o que foi...
Pffff...
E a Carolina, com um ar de bruxa má?
Quem ria era a tonta da Stephanie, mas essa ri-se de tudo. Até dela mesma.
Casamentos por conveniência não serão novidade por ali.
Nem pelo mundo fora.

ERA UMA VEZ disse...

Eu sabia...
Já tinha dado pela falta. Procurei-a nos sítios do costume e encontrei pégadas, sinais subtis.
Adianta dizer que quando a sabemos triste...apetece dizer "estou aqui"?

O que não adianta é ver um casamento onde o noivo parece dizer mentalmente quando é que esta seca apaga? e uma noiva tão linda, com um Armani como só ele sabe...e depois aquele sorriso raro e triste que desaguou mal ouviu uma doce melodia cantada por gente da sua terra. Não quero ser mázinha, mas pareceu-me que até foi repreendida. Que bem tinha ficado um gesto de amor e aconchego.

Num cenário quase perfeito estava ali uma história de solidão...
E tenho pena e espanta-me que no século 21, os príncipes pareçam de outros tempos em que tudo já estava combinado há muito entre famílias. Não deve ser esse o caso, mas a felicidade não... não é "aquilo".
Enfim, eles lá sabem.São bem crescidos.

Quanto a si querida Helena...porque não uma visita ao velho pick up??? Vá lá...não gostamos de a ver assim.Não pode ser tão mau.

Helena Sacadura Cabral disse...

Quem dera cara ERA UMA VEZ... que o pick up resolvesse a minha tristeza.
Mas concordo. Era bem melhor um bom disquinho do que aquele estranho real casamento!

ERA UMA VEZ disse...

Então não resisto a contar-lhe: Acabo de ouvir no canal 2, a propósito do casamento
..."o momento mais emotivo foi quando a noiva entregou numa pequena igreja UMA COROA DE FLORES.

Afinal...

Pôr do Sol disse...

Cara Helena,
Um casamento real é um convite a um espectaculo, de guarda roupa bem cuidado e de cenários, de um modo geral, de bom gosto.
Tambem a este dediquei algum tempo, pois no "programa" constava a fuga da noiva depois de saber que o futuro marido tinha mais um filho do que lhe havia contado e, este nascido recentemente. Assim como ter sido obrigada a voltar ao palacio a troco de avultada quantia. A não ser um maldoso boato, era demasiado irreal.
Assim que vi a noiva comecei a acreditar no que dizia o "programa" e a temer vê-la desatar num choro. Choro que conteve ate entregar o ramo. O seu rosto era tudo menos de alguem apaixonado e confiante. Desisti de ver mais e lembrei-me que as historias de princepes e princesas acabavam sempre com ...e foram felizes para sempre.
Deus queira que o sejam, mas que Ele proteja tambem outros "rochedos".

Naná disse...

A mim bastou-me ver apenas 10 minutos daquilo, que eu sou avessa a casamentos reais... não acredito em deslumbre nenhum nas famílias reais.
Mas além da tristeza escarrapachada na cara da noiva, vi também a frieza do noivo quando disse sim... disse-o para o padre e não para a pobre noiva, com quem supostamente vai passar o resto da vida.
Mas mais patente ficou a hesitação da noiva, quando disse sim no casamento civil... aí viu-se que aquele sim foi o de alguém que sabia o desastre que estava a cometer!
Muito triste mesmo, que se façam casamentos destes com tanto desamor!
HSC, desejos que a tristeza que a assola seja meramente passageira!

Helena Oneto disse...

Querida Helena,

Quando as amigas estão tristes, eu fico triste também...
Bom fim de semana!

Marcolino disse...

Estimada Helena,
Toda a Alegria do Mundo, para si!
Bom fim de semana
Marcolino

. margarida . disse...

é a primeira vez que arrisco na escrita para uma querida Sr.a que estimo e tenho como « boa pessoa »,embora a « conheça » apenas como ....leitora,ouvinte.
Concordo em absoluto com a tristeza,o desalento profundo daquela « figurante » num hipotético - muito hipotético - conto de fadas.
Não se viu emoção,veracidade...que pobreza!
Para si,querida Helena,seja forte como SEMPRE nos ensinou.~

Um beijinho
. margarida .

Ka disse...

Cara Helena,

Dei uma vista de olhos rápida ao "casório", curiosamente no mesmo estado de espírito que tão bem descreveu e a primeira coisa que me apercebi foi o ar de trizteza sentida da noiva. ainda pensei que pudesse ser o stress causado por tão importante cerimónia mas de seguida lembrei-me que como estava Catherine Midleton no casamento e tive quase a certeza que ela deveria estar a pensar qualquer coisa parecida a "estou a cometer o pior erro da minha vida". Uma pena que se case com aquela tristeza...

Espero que amanhã já esteja animada pois tem um dia novinho em folha á sua espera :)

Mariana disse...

Não sei se terá sido por estar triste... Porque eu própria fui assaltada pela mesma questão! Soou a artificial, o casamento. Uma versão moderna e muito mais óbvia do casamento real Diana-Carlos. Mas incomparável... Falam duma maldição na família... Bem, eu não acredito em maldições,... mas lá que as há...!

Anónimo disse...

Ontem um dia triste para mim por motivos pessoais .Ao assistir ao casamento do Principe e ver a tristeza estampada no rosto da noiva uma jovem lindissima aquele sorriso forçado e a FRIEZA do noivo deixou-me de rastos .

Abraço Dr .Helena

Anónimo disse...

Não assinei o meu comentario

Sou a Carlota joaquina

Fada do bosque disse...

Sabê-la triste, Querida drª Helena, uma Mulher com a sua alegria de viver, só pode confirmar os meus receios... pois saiba que somos já duas mulheres a quem a tristeza assaltou... :(

Anónimo disse...

Caríssima Helena,

Há as tristezas colocadas pela vida, das quais, infelizmente, não se pode fugir, e há as tristezas colocadas por nós, das quais podemos e devemos fugir... é o caso da bela Charlene, uma jovem com a vida pela frente que se sujeita a uma vida de fama com pouco amor.

Só um estado de tristeza muito grande pode levar uma ex-atleta de alta competição, bem preparada psicologicamente, a chorar daquela maneira.

Isabel BP

Mar disse...

Nao vi. Nao gosto de cerimonias de pompa e circunstancia em nenhuma situacao na vida. Tambem nao gosto da sua tristeza,isso sim incomoda-me, tenho para mim que nos ultimos 15/16 anos todos os Sagitarianos em particular, tem mais que motivos para andar tristes,coragem para enfrentar os motivos da sua tristeza lhe desejo, fe e coragem ee coisa que nao lhe falta.
Abraco Fraterno

Anónimo disse...

Bom, tem razão. Acredita que eu pensei que ela ía dizer não na hora do sim? A noiva estava tristíssima.
Lurdes

vera disse...

Conquistar o estatuto de rochedo, tem custos pessoais altos! Mas é muito digno...!

Vitimizar-se, verbalizar as fragilidades, tem impacto emocional nos outros, os que estão a ser manipulados, mas diminui-nos a nós (os tais rechedos), enquanto pessoas.

Eu prefiro a primeira...

Sei bem do que está a falar. Não está sózinha!

Beijinho grande

Vera

Blondewithaphd disse...

Então esta não é a noiva que descobriu que o noivo tem um filho de pouco mais de um mês?! Sim, que a malta de vez em quando também sabe umas coisas menos PhD:)

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó minha estimada loira
Estava sentada. Se não ter-me-ia sentado...
Então o play boy que até gozava de fama contrária, apesar de já ter dois filhos, fez há dez meses um outro em peródo de vigência do noivado?!
Mas o que é que o piqueno tem? É um adicto da paternidade e do que ela pressupõe? É uma outra hospedeira? Ou camareira, agora tão em voga?
Bem podem ambos ser sereníssimos. Mas com essa serenidade a coisa vai mal para a sul africana!
Estas notícias também dão algum pedigree aos nossos phd. Olá se dão...

Ältere Leute disse...

Deixe lá a tristeza dela! Será que precisa de ficar ali, apesar de tudo, para manter as aparências ? Devia ter fugido mesmo! Não tinha obrigação de ter desconfiado a fundo de tão prolongado namoro? De tão protelado casamento?
Anime-se a Helena: amanhã é um novo dia!

Anónimo disse...

Cara Helena,

O príncipe Alberto apenas leva a preceito o "crescei e multiplicai-vos" :)

Isabel BP

Anónimo disse...

poruq que uma miuda bem sucedidaase casa com um homem que não lhe consegue ser fiel?

Não será pelo protagonismo e fama.....


Estou aqui na falar...mas tambem já vivi um amor em que não era feliz...e mantive-durante anos...

O amor Às vezes é uma cadeia...

erva doce

papoila disse...

Casamento triste...
Mas, passo aqui para lhe contar que dei uma gargalhada sentida com a história que contou na "casa" do Sr. Embaixador :)
Que tudo lhe corra pelo melhor e que a alegria regresse a sua casa o mais depressa possível.
xx

maria disse...

Desde algum tempo que a acho triste.Não vai demorar muito e será chamada de princesa triste. Ainda é nova e acredita que o pode mudar, pura ilusão, sei do que falo, eles não mudam, muda-mos nós e um dia sem contarem até mudamos de casa. D. Helena aproveito para dizer que a admiro muito, e se há alguem que me prende ao ecram da TV é a Senhora. Carmo