domingo, 17 de julho de 2011

Não havia necessidade...


Obama anda preocupado. E irritado. Quer aumentar o teto do endividamento para não entrar em incumprimento, mas não consegue o acordo de que necessita.
Vai daí, dispara em todas as direcções. Desta vez foi a Grécia e Portugal aos quais não quer ser comparado. E o tom em que o fez demonstra bem o respeito que tem por nós.
Depois. o embaixador americano no nosso país tentou deitar água na fervura. A meu ver era melhor que o não tivesse feito. Obama parece esquecer-se de que nós temos sido aliados dos Estados Unidos até para além do desejável.
É preciso estar-se muito preocupado e baralhado para fazer uma tão ridícula e injusta afirmação. Lição para os obamistas ferrenhos que pululam entre nós.
É que não havia mesmo necessidade, como diria o Herman e digo eu!

HSC

15 comentários:

Mar disse...

Cara Helena,

Ee que nao havia mesmo necessidade!
Este tao querido Obama ee um Leaozinho convicto cheio de pose, mas neste caso pareceu mais um gato assanhado .
(desta vez sem erros)
Abraco

Piston disse...

Discordo. O tom pareceu-me perfeitamente neutro e, até ver, a capacidade de gerar riqueza é efectivamente diferente do nosso país ou da Grécia.

aNaTureza disse...

Se ainda existem "obamistas ferrenhos", peço desculpa, mas estão muito cegos.
E é deste modo que é possivel o que de mal vai acontecendo.
A meu ver, e parece-me que isto acontece em todos os países, só se tem "respeito" de onde se pode tirar muito proveito.
O justo, o correcto, não contam neste jogo chamado capitalismo, muito menos na actualidade e
o respeito, tem outro nome.
Este jogo exige grande perícia no bluff e no ilusionismo.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Piston
A capacidade de gerar riqueza na América é, de facto, diferente da nossa. Por isso nós andamos a pedir empréstimos para pagar a tempo e horas o que devemos.
Obama, por seu lado, apesar da tal capacidade de gerar riqueza do seu país, pede para se poder endividar mais...
Há, de facto, diferença entre nós!

DL disse...

Cara HSC,

É inevitável, quando um presidente passa a tentar "falar a linguagem do povo", começar também a pensar como o povo. Entre estados convém, por vezes, sobre a dura realidade, estender o "manto diáfano" da... diplomacia.

Anónimo disse...

Oportuno Post, Helena.
P.Rufino

Paulo de Abreu e Lima disse...

A necessidade de demarcação entre os vários países tem sido tão ridícula que qualquer dia ainda vamos ouvir que "Portugal não é um Portugal"...

Fada do bosque disse...

É...parece que com quem Portugal faz alianças, fazem logo por esquecer. A Espanha faz alianças e quando pode, mostra logo que nos quer tramar... A Inglaterra então nem se fala, só faltavam os EUA. São todos uns hipócritas que eu nem digo nada. Basta ver o pequeno exemplo de quando o Obama adoptou um cão da água português... para os espanhóis passou a ser uma raça ibérica!... mas dá vontade de rir, um povo ter orgulho poque o PR dos States adoptou um cãozinho de Portugal... subserviencia claro e depois esperam o quê dos maiores imperialistas?! Desprezo, claro.
Enfim, é histórico que nas grandes questões, os nossos aliados se fartam de ser os primeiros a traír o acordo ou aliança.
Os EUA não estão muito melhor do que Portugal. Destruíram todo o tecido produtivo... a China e a India eram e são mais rentáveis. Este é um caso em que a ganância se "comeu" a si própria e agora é esperar para ver como vão descalçar essa bota. Isto depois de se saber que a Boeing, a GM, a Caterpillar, a Crhysler etc. etc. etc, "desertaram".
A Nova Ordem desmantelou os EUA, por isso não admira a irritação de Obama... e a comparação a Portugal.
É ver este vídeo e esta testemunha, que está lá tudo... e a solução também, infelizmente para nós e para o Mundo.

Anónimo disse...

Como completamento do comentário da Fada do bosque deixo este link com vários vídeos bem elucidativos daquilo que nos espera - http://www.youtube.com/results?search_query=Grupo+Bilderberg+-+Conspira%C3%A7%C3%A3o+Illuminati+&aq=f

Isabel BP

Piston disse...

Estimada Helena,

Permita-me discordar novamente. Nós andamos a pedir empréstimos não para pagar a tempo e horas mas sim porque não temos opção. Se a tivéssemos provavelmente continuaríamos a escavar o buraco.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Piston
Opção tivemos. Escolhemos gastar demais e mal.
A opção de não pagar existe sempre. Tem é um preço.
Como teve um preço o ter gasto demasiado.

Piston disse...

Cara Helena,

A opção de não pagar tem um preço, tal como disse. Nós é que não o podemos pagar enquanto que os EUA têm isenção garantida.

Raúl Mesquita disse...

Cara Helena, Caros Participantes:

Tenho pena de não ter assistido à birra do menino. Diz muito bem, Helena: "temos sido aliados dos EU até para além do desejável". Concordo inteiramente com a sua afirmação e a começar pelo que ninguém fala, por aquilo que parece ser tabu; sim, refiro-me à Base das Lajes! Não terá chegado a hora de a usar como O Trunfo? Agora a questão é: existe coragem? Há homem de Estado em Portugal?
A Base vale o resgate da dívida, numa confusão de dívida/guerra $-€ a juntar a um lugar privilegiado para Portugal numa Europa, afinal, bem vistas as coisas, entregue a defensores do dólar. Refiro-me mais uma vez à Chanceler alemã e ao Presidente da Comissão Europeia.

Disse.

rosaamarela disse...

"É preciso estar-se muito preocupado e baralhado para fazer uma tão ridícula e injusta afirmação" ... esta é a frase.

Já agora atentem nas palavras da ministra da finanças espanhol Elena Salgado, que engoliu um osso e está sempre a dizer :"nós não somos Portugal" . HIPÓCRITA!

Marcolino disse...

Estimada Helena,
Trabalhei sempre, desde que me iniciei no mundo do trabalaho, em multinacionais, na sua maioria, americanas, e aprendi a dar o devido valor, às ironias, de certos sectores, com cargos de chefia...
Marcolino