segunda-feira, 11 de abril de 2011

Os caminhos de Nobre

Fui, durante anos, mais precisamente até 2010, uma velha amiga da AMI. Por respeito pela obra e pelo médico que a dirigia.
Quando Fernando Nobre se candidatou a funções políticas fiquei apreensiva. Quando o vi apoiar o Bloco de Esquerda, como seu mandatário, registei. E, depois de acompanhar, na televisão e nos jornais, a sua campanha presidencial, fiquei duvidosa do que se iria seguir. Soube-se agora.
Fernando Nobre será numero um nas listas do PSD, depois da recusa de Manuela Ferreira Leite, e apesar de ter afirmado que não aceitaria cargos de envolvimento político partidário. É uma pena que não tenha mantido o compromisso.
Muito possivelmente perdeu-se o Presidente de uma obra humanitária e duvido que a Assembleia venha a ganhar alguma coisa com um futuro deputado que tanto serve o partido de Louçã como o de Passos Coelho.

HSC

39 comentários:

Carolina disse...

Também eu estou apreensiva...
Porque se teria metido tal HOMEM neste enredo todo?
Ele há coisas...(Como dizia a minha avó...)

José Paixão disse...

Cara Professora Helena Sacadura Cabral,

Também eu fico incrédulo com este género de posições. Como é possível!? Por estas (e outras) atitudes, o povo anda desconfiado. E, não é para menos.

Fada do bosque disse...

Drª Helena, essa foi a matar! Realmente muito bem visto...
Em poucas palavras disse tudo!
Este País é uma caixinha de surpresas, para não dizer que é uma caixa de Pandora! Cidadania, civismo... a ver pelo exemplo que vem de cima, que quando cheira a PODER, vale tudo... isto nunca mais toma rédeas. Assim podemos esperar sentados pelo bom exemplo. Também estou na mesma... expectativas goradas.

Fada do bosque disse...

Para resumir não resisto a transcrever, umas palavrinhas de Orlando Castro:
"Pois é. Se o país mudar de políticos, o Povo não quererá mudar de país. Muitos já tinham as malas feitas mas, com a luz que acreditaram que Fernando Nobre iria colocar no fundo do túnel... voltam a acreditar em Portugal.

Hoje só lhes resta zarpar."

Maria Flor disse...

Cara amiga, estou estupefacta com o sucedido. À 15 dias atrás, este Srº dissse numa entrevista que não se candidataria a deputado ...
for eleito como Presidente da AR, sempre que o Presidente da República se ausentar, o Drº Nobre será o seu substituto e assim sendo atingirá o que queria ... ser PR ... ( mas já não um Presidente de uma obra humanitária)
Beijo com admiração e carinho

Marcolino Duarte Osorio disse...

Dr.Hlena,
Somos conterraneos, eu e o Fernando Nobre. Ele bem mais novo que eu. Nasci no inicio da década de 40 e ele na de 50.
As suas atitudes, ao longo da sua permanencia neste Planeta Azul, retratam bem, o riscado do espelho da sua psique.
Cumprimentos
MO

Anónimo disse...

Realmente, dá que pensar tudo isto!
P.Rufino

rosaamarela disse...

Belo desabafo, boa noite!

Benó disse...

Assino por baixo, minha amiga. O país anda tão necessitado de gente de palavra, de alguém que saiba onde fica o norte e saiba manobrar o leme nessa direção que ao tomar conhecimento de noticias destas, os marinheiros mais se encolhem e se afundam em dúvidas e descrenças.Valha-nos a estrela polar que nem sei onde ela está.

Margarida disse...

Um exemplo de coerência.
Só desilude quem se iludia.

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

Fios sem rumo

Um homem que permanece estático nas suas opiniões e livre de todos os laços

políticos ou outros

é uma estátua mas não um homem

todos procuram um lugar que lhes faça pesar menos a morte

e a futilidade de existência

não ver isso em qualquer homem

por mais ou menos nobre que seja

é...desconhecer a humana condição
efémera breve sem sentido
mas que procura criar sentidos
em tudo o que existe

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

resumindo todos somos auto-iludidos

por visões ou promessas de vida ou de morte

favor não bater mais no nobrezinho

o pobre home já foi mais cremado

do que os 140mil euros de cavaco

Anónimo disse...

Admirava o "Homem" e a sua "Obra"!

Fico perplexa, chocada, estarrecida, incrédula... com a falta de coerência do "homem" pela ambição em ter "obra" feita em nome de Portugal.

Isabel BP

João disse...

A verdade é que a nobreza já conheceu melhores dias. Em outros tempos teria havido quem desse com uma luva no rosto deste "cavalheiro"

Anónimo disse...

Margarida disse...
Um exemplo de coerência.
Só desilude quem se iludia.

... mas quem, num País de desencantos, ñ procura uma tábua de salvação, nem que seja na de valores?
O Dr. Fernando Nobre, para mim, como político, morreu. Como Homem intrínseco, impoluto, que persuadi que fosse, não sei o que pensar. Já ñ sei mas é nada e estou mto zangada.
Li a mensagem do Sr. Osório. Ardi, ñ imagina como o espelho riscado me doeu, diacho!!! Este País, melhor dizendo o Povo que somos, ñ tem conserto, nasce riscado à nascença? Constata-se que o quadro ñ se apresenta brilhante no presente nem para o futuro.
Senhora Dona Helena, boa noite.
(Uma sua seguidora, sem blog. lololol)
Aida

benedita disse...

Bom dia Helena,
Já pouco ou nada me espanta. E quando se trata de poder....
Além disso, sempre achei o Dr. Fernando Nobre um homem vaidoso.
É o descrédito total e o pior é que temos eleições em breve e pergunto-me em quem votar? (numa altura em que não podemos desperdiçar mais tempo para levantar o país.
Um abraço

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Fernandel
Desculpe tratá-lo pela foto que o personaliza, mas não tenho os seus caracteres no meu PC.
Queria apenas dizer-lhe que, perante as decisões que FNobre tomou, deveria ter sido mais contido nas palavras e nos compromissos que dizia assumir.
Ninguém lhe pediu que ficasse estático. Embora isso não lhe fizesse mal nenhum. A ele e a nós!

birdyman disse...

Fica tudo em causa.
Será toda a obra que construi fruto da sua generosa solidariedade ou apenas parte dum plano frio e calculista para o levar a onde parece que finalmente chegou...
Infelizmente o Padre Américo estava enganado quando afirmava que "em Portugal não há maus rapazes"...

Tanita disse...

Querida Helena,
Não acrescento nem mais uma palavra às suas. Está tudo dito.
Bj**

Ana disse...

Nem mais!
Mais um que hoje dia "branco", amanhã dirá cinzento e depois talvez azul ou preto.
E até será capaz de jurar nunca ter dito nada ou não se lembrar de tê-lo dito.
Será que se perdeu alguma coisa???
Só sei que nada sei...

Ältere Leute disse...

Santos ... com pés de barro!
O limite da incompetência ( para a política, não para a acção na AMI )não tinha já sido atingido?
E a incompetência de convidá-lo, desde logo com alto cargo distribuído ? Quais os destinatários (logrados?!) de todo este programa?

DD disse...

Não consigo entender razão de tanta irritação, honestamente. É verdade que o Dr. Fernando Nobre disse que não seria melitante de qualquer partido, mas, salvo melhor opinião, o Senhor está como independente. É tão fácil dizer que as coisas vão mal e não fazer nada, não expor as fragilidades e as ideias. Treinador de banca é uma constante entre os portugueses. Contudo quando alguém faz algo todos criticam. Será que era melhor uma ideia peregrina como a do Pedro santana Lopes de criar um novo partido?
Que tal dar o chamado "benefício da dúvida" ao Senhor e verificar o seu comportamento para depois falar.
Não concordo com a ideia de ficar estático, poraquanto a consequência da inêrcia do povo português é o estado social, político e económico que atravessamos.

carolina disse...

O que ainda me deixa perplexa é imaginar que um homem com tão públicas incoerências e tanta inabilidade/honestidade politica seja tido por muitos,como um homem íntegro e de uma vida civica ímpar, isto significará que estamos tão vazios e, carentes de heróis (gente séria e normal)que até nos deslumbramos com a ténue e fraca imagem de quem apenas "parece ser"?... Um Homem bom, será bom, neste e em qualquer outro mundo, ou simplesmente em qualquer área da sua vida, a verticalidade e integridade será sempre o seu fio condutor. Onde se vê isso no Dr. Nobre? eu por mim apenas vejo vaidade, vaidade excessiva, todos os grandes a quem ele se comparou ficariam envergonhados com tamanha falta de pudor e para não nomear os que ele nomeou lembro apenas Francisco de Assis "Meus Deus, com o que me deste a mim qualquer outro teria feito muito mais..."

Maria do Mar disse...

Será que Fernando é a primeira figura deste País a mudar de discurso?
Ou será que, à falta de melhor, foi este o "caminho" que encontrou para ter voz?
Uma coisa é certa: Poucos como ele sabem como se gere o caos, como se faz das fraquezas força, como se avança de mãos vazias e o coração cheio de coragem, como se leva um sorriso quando já não sobra nada, como se acredita que é na escuridão que se contam as estrelas.

Estaremos muito longe disto?
Que venham todos,os homens de boa vontade, mesmo os que pensavam faze-lo de outra forma. E ainda assim seremos poucos!

Anónimo disse...

Encontrei-me uma vez com o Dr. Fernando Nobre em termos profissionais.

Não tenho o hábito de fazer comentários quando sou apresentada mas, neste caso, abri uma excepção e disse: "Muito prazer, tenho uma profunda admiração pela trabalho que desenvolve..."

Não me deu qualquer resposta, nem um simples agradecimento.

Desde esse dia, começou a queda de um mito... agora afundou-se!

Isabel BP

Julia Macias-Valet disse...

Mais outro "Coelho" a sair a "Passos" largos da toca...

Fada do bosque disse...

Directamente do Alto Hama:
«Camarada amigo, MPLA e PSD estão contigo!
Seja como for, a partir de 26 de Junho de 2010, o MPLA retirou da lista negra um dos nomes que apontou como principal instigador da luta contra o regime de Angola, no que à sua colónia de Cabinda respeita: Fernando Nobre.

De facto, Fernando Nobre mudou de barricada, mudou de causas, passou de Homem livre a mais um acólito das “verdades” construídas a partir do petróleo, das “verdades”que mudam a História consoante os interesses de momento.

Desde essa altura (tal como agora o PSD) que o MPLA passou a ter em Fernando Nobre mais um aliado da sua causa.

Assim, Fernando Nobre deixou de estar preocupado com os que não têm voz e ajudou a ampliar a mentira de que “Angola vai de Cabinda ao Cunene”.»

Escabitano disse...

Drª Helena Sacadura Cabral por acaso, o Dr. Fernando Nobre quando foi mandatário do BE ao Parlamento Europeu não tinha razões para acreditar que o cabeça de lista do Be às Europeis que se assina por Miguel Portas e é seu filho mais velho seria uma pessoa capaz de quebrar algum unanimismo doentio em Estrasburgo e Bruxelas?!

Não será a Drª quem irá dizer-me que se apoiou Miguel Poretas, seu filho, só pode ser um incoerente e menos sério, pois não?!

É que para quem falou tanto em incoerência, veja lá Drª onde se meteu...

Estamos nestes dias a ver todo o país a desabar. Um 1º ministro que num dia se recusa a governar com o FMI e no dia seguinte chama-o de urgência e quando ele cá chega, dois dias depois toda a gente grita por todo o lado ( com o ministro das Finanças à cabeça da gritaria...)de que só há dinheiro até ao fim de Maio ou talvez acabe em Junho...
E a Drª acha que um bom e honrado cidadãos com responsabilidades não pode repensar a sua posição e ter um fortíssimo motivo para se explicar ao país - e ele ainda está fora do país ou terá chegado hoje... - dizendo que a hora é trágica e não há maneira de meter a cabeça na areia, fora de uma grande insensibiloidade e hipocrisia?!

Já agora Drª explique-me lá, logo a Drª que o conhece há muito, se um homem com a sua personalidade e a sua sensibilidade e a sua seriedade, não será um dos portugueses com maior postura para disciplinar um pouco melhor a bagunçada política que se vive por aí.
Diga-me em nome de que cobardia ou em nome de que falta de patriotismo deseja ver o Dr. Fernando Nobre longe da política, quando esta tanto precisa de homens como ele: sérios e corajosos.

Só falta questionar o seu patriotismo Drª. Será que a Drª não quer mesmo ninguém a salvar este país e ficaria mais reconfortada sabendo que pessoas como o Dr. Fermando Nobre conseguiam permanecer indiferentes à situação trágica do país?!
Uma atitude dessas só de quem não tem sangue português a correr-lhe nas veias.
Valha-me Deus e logo isto vindo da Drª...

Helena Sacadura Cabral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Escalabitano
Pelo que li hoje na entrevista dada ao Expresso pelo Dr Fernando Nobre, ele só fica na Assembleia se for eleito Presidente, ou seja só aceita ser o segundo da hierarquia da Nação...
Quanto aos comentários que tece sobre o meu patriotismo ou o dos meus filhos, não lhe vou responder.
Eles são adultos, fazem o que sabem e têm apoios e críticas. Como qualquer um que decidiu há 30 anos - é o caso deles - fazer da política a sua vida.
Não é o meu caso. Trabalho para viver e cumpro com os meus deveres cívicos. Quem apoio com o meu voto é matéria de vida pessoal que não vou aqui desvendar, como calcula.
Mas dizer o que penso, continua a ser o meu exercício de liberdade. Como o seu, aliás!

16 de Abril de 2011 15:05

Escalabitano disse...

Drª Helena Sacadura Cabral,

Eu não questionei o patriotismo dos seus filhos que conheço pessoalmente, um mais do que o outro.
Eu questionei foi o seu patriotismo e o de outros que sabendo que o Dr. Fernando Nobre é um cidadão com elevado valor ético e um espírito generoso e empenhado na cidadania, se achava por bem, que lhe interditassem a liberdade de se candidatar como independente ao Parlamento.

Nem todos os dias aparecem cidadãos com essa estatura cívica.

Também não questionei a sua opção de voto.
Mas sempre direi que muitos que invocam o voto dado em Nobre são pouco honestos, pois nunca poderão provar que votaram nele, já que o voto é secreto e lá dentro das urnas torna-se susceptível de se confundir com todos os outros que exprimam a mesma opção.

O Dr. Mário Soares não andou muito longe do exemplo do Dr. Fernando Nobre, quando se quis candidatar ao Parlamento Europeu e declarandp-se antecipadamente, o hipotético ou mais do que isso, futuro presidente do Parlamento.

Por acaso, não chegou lá e acabou por renunciar a meio do mandato, demorando o tempo necessário a disfraçar a humilhação. E depois disso ainda voltou à terceira candidatura a Belém.

O que li da entrevista de Nobre foi a ponderada observação de um homem que não aceita ser chantageado e ver diminuída a sua liberdade, por aqueles que votando num processo já encerrado, se intitulam donos do seu destino.
Isso é que eu acho abusivo numa democracia, haver quem se arrogue no direito de enxovalhar um cidadão irrepreensível, coartando-lhe as liberdades constitucionais de um Estado de Direito.

Isso é que torna esse arrazoado indigno de uma democracia ocidental.

Aceite as minhas explicações e os meus cordiais cumprimentos.

Helena Sacadura Cabral disse...

Prezado Escalabitano
A menos que os Regulamentos sejam, entretanto, alterados, para alguém se candidatar a Presidente da A. Republica tem que ser primeiro deputado e depois ser "eleito". Ou seja, precisa de ser "escolhido" pelos outros deputados.
Assim só os deputados podem eleger Fernando Nobre. O que os portugueses que votam, podem fazer é elegê-lo deputado. O resto é com
os seus pares.
O caso do Dr Soares e do Parlamento Europeu foi diferente e regia-se por outras regras.

Escalabitano disse...

Drª Helena Sacadura Cabral,

Tenho dificuldade em perceber qual dos seus filhos herdou de si essa capacidade argumentativa muito especial do politiquês.

Claro que Fernando Nobre conhece o regimento da eleição do presidente da Assembleia e nunca o ouvi dizer que o voto do círculo de Lisboa o colocava desde logo na presidência.

Não queira ir por aí, se faz favor.
Senão ainda lhe terei que perguntar se é de facto, madrinha de Sócrates...

Como de resto sabe que só os votos de uma maioria simples entre os deputados, lhe poderá dar a presidência, sendo no entanto determinante, que haja uma proposta desse partido maioritário ou da maioria que esse partido mais votado consiga.

O facto do Dr. Paulo Portas já ter vindo a lume declarar-se pouco disposto a fazê-lo, pode não ser mais do que um erro e um dia terá que engolir esse "sapo".

Se o PSD for o vencedor e precisar dos votos do CDS para essa maioria, nunca poderia o PSD abdicar dessa proposta de eleger Nobre para presidente do Parlamento, sob pena de ser humilhado publicamente logo a abrir a sua tomada de posse. Muito menos vermos o PSD vitorioso ceder à má vontade do CDS ou este recolher como prémio a cabeça de NObre, o que convirá, era a uma má paga que pouco ou nada interessava aos interesses do CDS.
Principalmente, se com essa exigência tivesse de abdicar de coisas mais importantes, como lugares na administração. O CDS que não caia nessa, senão irá ficar com o odioso da história.

Se o PSD mantiver esta intenção, então o PSD irá forçosamente, fazer dessa eleição um ponto de honra. E não vejo como poderá abdicar disso. Naturalmente, que Nobre só aceitava se essa intenção fosse pré-estabelecida, para que não restassem dúvidas do empenho do PSD.
A partir de agora, essa eleição está amarrada ao sucesso eleitoral do PSD.
Sabe-se que as eleições são por voto secreto. Todavia, os deputados do PSD, que afinal estão muito bem identificados com a linha de Passos Coelho, já com Pacheco, Mendes e Ferreira Leite e Mota Pinto de fora, serão facilmente conduzidos a darem o voto, até por uma questão de honorabilidade e prestígio do PSD com a palavra dada.
Daí não poderão fugir.

Quanto a dizer que as regras são diferentes no Parlamento Europeu, não o são assim tanto. Dependem de maiorias. E quando Soares foi para lá a bancada socialista perdeu a maioria...
Foi isso.

Cumprimentos.

Cessão à Ré disse...

ele só fica na Assembleia se for eleito Presidente, ou seja só aceita ser o segundo da hierarquia da Nação...

é um homem com metas

em tempos que já lá vão vi-o em sítios onde eu só estava de passagem e ele por opção

não votei nele

mas tem os seus princípios que como os de muitos são muito dele

se ele quisesse um tacho como muitos o acusam tinha muitas possibilidades

é um ingénuo político
tal como o é o Passos Coelho em muitos dos falsos passos que deu

sinceramente os derrotados
a prazo
são mais apelativos
que os que vencem

a longo prazo todas as ideologias povos civilizações e revoluções estão condenadas ao insucesso

num campo batido pelo sol o dito cujo destacava-se
e tem fé em si próprio
uma crença messianista suponho

obviamente cada qual tem as suas visões

as ideológicas sempre me pareceram
prenhes de limitações

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Escalabitano
Para sua informação e fim de diálogo, apenas o informo de que quer eu, quer meu filho Paulo pertencemos, há muitos anos, so grupo pagante de amigos da AMI.
A pessoa de Fernando Nobre ou os seus valores não estão, por isso, aqui em causa.
E se quer dar a conhecer a sua posição quanto ao CDS e seu presidente, faça-o no local próprio que não é seguramente este blogue.
Nunca aqui disse em quem votava, nem o facto de ser mãe de dois políticos me leva agora a fazê-lo.
Se entende que a minha linguagem é a de politiquês, não perca o seu tempo a ler-me!
Cumprimentos

Escalabitano disse...

A sua conversa diz-me logo como gerou as duas criaturas que irritam este país.
E o ADN da arrogância não engana.

Considero muito proveitoso estre tempo de debate, porque saí mais fortalecido para ir para votar em Fernando Nobre.

Agora sei que há quem ande a pagar para a AMI para poder ser "dono" da opção de Nobre...

Triste... tudo muito triste e feio.

Fada do bosque disse...

Se foi para este tipo de liberdade que foi feita a democracia, de fazer julgamentos à priori, e acusações sobre a coisa mais importante que uma mulher tem que são os filhos, até insultuosas, então está-se a ver porque chegou o País a este triste e feio, estado...

Para o escalabitano... já que tanto se irrita... e fala pelo País:
O estranho caso do candidato Nobre não é tão estranho como isso. Ele é afinal a ilustração do velho ditado popular de que mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo.

Quem se limite a colher as aparências, verá na entrada de Fernando Nobre numa lista do PSD uma traição. E se fizer uma recolha atenta de declarações anteriores do azougado clínico encontrará amplo material para ilustrar a grande distância que existe entre o que repetidamente disse e o que agora fez. Mas quem conseguir desembaraçar-se da cortina de ilusionismo político de que o candidato se envolve, poderá ver com nitidez que tudo o que rodeia este caso é afinal bem mais simples.

De facto, hoje é evidente qual é o lugar ideológico-político do escudeiro do candidato miguelista ao inexistente trono de Portugal. É o que corresponde à sua opção monárquica e ao seu apoio a Durão Barroso e a António Capucho. Os apoios a Mário Soares, ao Bloco de Esquerda e a António Costa não passaram de manobras destinadas a dar uma maior aparência de realidade ao embuste que Fernando Nobre viria a urdir, lançando uma candidatura presidencial que fingiu ser uma componente discreta, moderada e aberta da esquerda, quando afinal era uma auxiliar disfarçada da direita, dirigida, no essencial, a facilitar a vida a Cavaco e a confundir as coisas no seio das esquerdas.

E terá sido o relativo êxito dessa operação de ilusionismo presidencial que terá levado o PSD a tentar explorar o mesmo equívoco. E para dar verosimilhança à ocultação da matriz direitista de Nobre, achou que podia instrumentalizar um alto cargo do Estado democrático para ficcionar a importância de Nobre, ao mesmo tempo que dava a aparência de realidade ao seu alegado suprapartidarismo. Mas como acontece com os ilusionistas que repetem o mesmo truque, as aparências apagaram-se perante a realidade, nesta segunda tentativa, ou nesta tentação de insistir na realidade de uma ficção vinda de trás.

Fada do bosque disse...

continuaçãoE Nobre foi afinal reduzido à quilo que realmente é : uma personalidade política e ideologicamente de direita que concebeu o embuste de se fazer passar por um candidato presidencial contidamente de esquerda. Embora fosse um verdadeiro seguro político de Cavaco, era sempre apresentado como um dos potenciais causadores de uma ida de Cavaco à segunda volta.

A força das coisas mostra agora que tinham razão todos aqueles que chamaram a atenção para a presença, nas camadas menos aparentes do discurso político de Nobre, de muitas marcas identificadores do conservadorismo ideológico e do reaccionarismo político. De facto, Nobre é um político bem impregnado pelos dogmas e tiques da direita clássica, com uma maquilhagem oportunista de esquerda, propositadamente feita para enganar os eleitores. Por isso, ele não representa nenhuma abertura à esquerda praticada pelo PSD, mas apenas uma tentativa patética de insistir num embuste que deu eleitoralmente algum resultado nas eleições presidenciais.

Tal como aconteceu antes, há quem tente branquear a ostensiva rasteirice desta manobra política que envolve Nobre e Passos Coelho, invocando o currículo humanista do médico sem fronteiras. O mérito e o valor social do seu envolvimento em causas solidárias não está em causa, como o não está o de milhões de pessoas que em todo o mundo se ocupam desse tipo de tarefas. Mas o mundo não está dividido em anjos que seriam esses e demónios que seriam os outros; no mundo, mais prosaicamente, vivem pessoas com virtudes e defeitos, sendo certo que fica longe da excelência ética qualquer tentativa, subtil ou não, para fazer render em termos de prestígio que se usará (por exemplo, na política) o trabalho solidário realizado. Ora Nobre só não é um verdadeiro perito nessa utilização, porque vai longe demais na sofreguidão de tornar visível o seu envolvimento em missões solidárias. Não é um hábito decente.

O envolvimento da Presidência da Assembleia da República na tentativa de o PSD prolongar o embuste de Nobre, mostra a completa a ausência de sentido de Estado das personagens que urdiram essa farsa e a fraca qualidade do seu civismo. É aliás irónico e revelador que o seráfico Nobre se tenha envolvido num enredo tão sórdido. A imensa maioria dos políticos inscritos nos partidos, que ele tanto abomina, não teriam estômago para ir tão longe.

Texto de Rui Namorado.

Escalabitano disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.