domingo, 3 de abril de 2011

Ao ataque...

Hoje, Domingo, deveria ter posto em ordem os papéis do IRS, para os levar ao meu fiscalista, um homem sensato, sabedor e tranquilo. Tudo o que o ser humano precisa quando se trata desta matéria. Só por uma gentileza extrema é que ele se ocupa da família, dado que não é um contabilista, mas sim um notável especialista em questões fiscais, o que não é, felizmente, o nosso caso.
Quando lá vou venho sempre a necessitar vitaminas, desde que percebi, há dois anos, que tinha andado a trabalhar seis meses para o Primeiro Ministro e seu acólito Teixeira dos Santos. Este ano vai ser um pouco pior. Logo, vou reforçar os hipotensores, para ver se consigo ter forças para aguentar a guilhotina.
Perante o quadro que vos descrevi, a minha capacidade de ordenar os papeis foi nula. E, como não sou burra nem masoquista, decidi adiar...até amanhã.
Para compensar, atirei-me à cozinha que nem uma danada, acompanhada pelo António Variações, num tom acima daquele em que seria normal ouvi-lo. Paciência, melancolia, diz o povo. Mas ninguem se queixou.
Chegada ao "Corpo é que paga", telefonei ao mano mais novo, com quem tinha passado uma parte do sábado, e dei voz de comando: "manos, venham aos camarões e ao arroz de pato". Estou feliz à espera deles para partilhar repasto e risos. Mesmo nos tempos mais difíceis, a gargalhada é tónica essencial quando estamos juntos. É por isso que eu gosto tanto da minha família!
Os filhos, esses, andam vagamente incontactáveis nestes tempos de grande complexidade política. Assim, se chegarem a tempo, vão lamber os restos...

HSC

10 comentários:

Ana Mesquita disse...

...que sorte, a de todos, terem-na a si, a fazer do caos harmonia, com camarões :-)
Beijo da sua afilhada mais gulosa

Margarida disse...

... e sobremesa?
É que, como diz o outro, "eu é mais bolos"...
;)

Anónimo disse...

Essa dupla, "tramou-nos" bem! Sem piedade. Felizmente, havendo bom senso (!), ver-nos-emos livres dessas duas maléficas figuras, dentro em breve, mais coisa, menos coisa. Uma dupla que nunca teve o menor respeito pelos contribuintes!
P.Rufino

g. disse...

oh minha amiga a menina é especialista em tornar os "restos" (como lhes chama) em verdadeiros repasto dignos de deuses.
tenho a certeza que o jantar foi divertido e de lamber os dedos.

já agora não partilha o que foi a sobremesa? foram aqueles deliciosos beijos que nos ensinou na tarde da Conceição Lino?
beijinhos

Marcolino Duarte Osorio disse...

Drª.Helena,
Deliciei-me com este seu texto, principalmente pelo culto que devota à sua Familia, numa época marcada pelo desmenbramento das familias, por motivos de pouca monta.
Cumprimentos
MO

Sofia disse...

A família aquece-nos o coração:)
Eu não vivo sem a minha...e o melhor de tudo é o encontro de gerações diferentes.
Beijinhos

Isabel O. disse...

Também eu domingo quase não saí da cozinha...
Hoje (agora!!!) devia estar a acabar a última turma de testes, mas descobri o seu blog e fiquei andando para trás, com o peso do remorso e a alegria de ter conhecido mais um cantinho, logo de uma pessoa que muito apreciava.

Carolina disse...

Aqui do Alentejo em Sines, digo-lhe que simpatizo consigo. Uma pessoa que consegue "gargalhar" de uma forma tão alegre só pode ser excelente criatura!
:)

Tanita disse...

E foi sem dúvida um domingo muito mais bem passado do que a organizar a papelada :)

Autora de Sonhos disse...

Adorei...
Conhecê-la através da escrita, e acreditar que os "restos" estavam deliciosos!