segunda-feira, 11 de maio de 2009

A nossa ocasião...

"Quatro coisas são, na vida irreversíveis:
A pedra depois de atirada
A palavra depois de proferida
A ocasião depois de perdida
O tempo depois de passado"
(Provérbio chinês)

Nem eu sei porque me lembrei desta filosofia chinoca. Mas lembrei. De certo, agora, porque nesta crise conturbada sem fim à vista, ela nos toca particularmente.
Como toda a gente já perdi ocasiões. Até mesmo aquelas em que falei, quando deveria ter estado calada. Sucede aos melhores...
Mas a ocasião perdida para um país é irreparável. E se o país for Portugal, o meu coração estremece. Amo esta terra com paixão e não queria ter nascido noutro lado. Julgo poder dizer que jamais serei europeia antes de ser portuguesa.
Porque será, então, que receio tanto que tenhamos deixado passar a "nossa ocasião"?

H.S.C

4 comentários:

Margarida Pereira disse...

Muito bem lembrado...
Vou 'levar', com sua licença...

Anónimo disse...

Gosto
Também...
De considerar
Outra qualquer dimensão

Aquela...

Do se calhar
Foi melhor assim

Do se assim Não fosse...
É o destino
É a vida

Porque Sim
A nossa... outra ocasião

Outras vezes
Pedir desculpa por existir

Talvez dificuldade em lidar com o irreversivel...

Dói... O óbvio no provérbio.

O receio a expressão clara do preocupar-se Com...

Gosto
do mote para reflexão
Pertinente

um abraço
Isabel Seixas

Helena Figueiredo disse...

D Helena,
sou leitora assídua do seu blog e vou pô-la na lista dos meus blogs favoritos.
E nem a propósito o provérbio chinês, pois é uma boa ocasião, para lhe pedir licença para tal.
Helena Figueiredo

Margarida Pereira disse...

Milady! Que se passa, se permite a pergunta (um nadinha apreensiva...).
Já hoje acenei com alvíssaras lá pelo meu espaço a quem pudesse dar novas da minha tão querida Amiga...
Se são abalos exteriores, dê um tempo (também eu 'balanço' semana sim, semana não, e penso desistir), se são outras razões, serão respeitáveis seguramente, mas hão-de deixar um rasto de saudade...
Não nos assuste, sim?
Grande xi-coração.