terça-feira, 24 de abril de 2018

Mais um ano


Passa hoje, neste malfadado mês de Abril, que risquei do calendário, mais um ano que o meu filho Miguel me deixou. Sempre acreditei que o tempo seria o grande obreiro da memória, atenuando quer a dor quer a forma como o lembrava. É mentira.
A dor foi-se entranhando fundo, como um espinho. E a memória está cada vez mais viva. Uma só consolação me resta que é de já quase não me lembrar da sua actividade política.
Recordo risos, recordo conversas, recordo até algumas discussões que tivemos, sempre pelo mesmo motivo, que era a minha profunda convicção de que só trabalho dignifica as pessoas. 
É esse Miguel, livre de constrangimentos de qualquer natureza, que eu mais relembro e do qual tenho cada vez mais saudades. Digamos que, por fim, consegui o prodígio de ter afastado totalmente das minhas lembranças, a sua vida política. Hoje elas são, exclusivamente, do "meu filho" e é apenas o "meu Miguel", que agora choro na intimidade daqueles que me são caros!

HSC

19 comentários:

CA disse...

Um abraço apertado, carregadinho de bem querer.

Maria Isabel Mesquita disse...

Abraços para uma grande mãe.
Maria Isabel

João Menéres disse...

Como deve ser difícil perder um filho, HSC !
Nem quero imaginar.

Melhores cumprimentos.

Silenciosamente ouvindo... disse...

A eterna saudade de um homem bom.

E a admiração pela sua coragem.

Os meus cumprimentos.

Irene Alves

me disse...

Grande beijinho com abraço

Anónimo disse...

🌷

Unknown disse...

Sinto exactamente o mesmo. Não por um filho, mas pela minha mãe!Que saudades sinto eu dela, Dra Helena!

Anónimo disse...

:-(

:-)

Pedro Coimbra disse...

Se politicamente me situo numa área muito diversa da do seu filho Miguel, sempre tive a sensação que era um homem sério, recto, de convicções.
Concorde-se ou não com a pessoa, a verdade é que se retém dele uma doce memória.

Anónimo disse...

Querida MÃE do MIGUEL


Essas lágrimas de dor que são lágrimas de amor são rios de ternura materna cuja nascente se encontra no seu coração e poente no seu filho, na sua mão.

Um abraço

AM

Tété disse...

Um abraço apertadinho de mãe. Beijinhos

Anónimo disse...

Senhora,o seu filho Miguel tem a sorte de ter uma Mãe,Filhos e Irmão D'oiro.

Ambrósio

Anónimo disse...


Helena

A dor foi-se entranhando fundo, como um espinho.

Sabe explicar o inexplicável, é isto o espinho que está lá não se vê mas sente-se.
Não quero dar graxa nem tão pouco dizer o que não é verdade, admirava o Miguel a forma como ele exponha a suas ideias politicas, era ele desnudado nos seus ideais. Um ser humano livre de dizer o que pensava lutava por os mais desfavorecidos, os que não tem voz, os que não tiveram possibilidades de ir mais além, fruto da sua história.
Humanizar a politica não é para todos, é ver o que muitos não querem ver, para mim estas pessoas merecem um louvor diferente.

Um abraço forte bem apertinho
Carla

Sandra disse...

Abraço-a com muito carinho.

Anónimo disse...

Believe

https://youtu.be/srGE9j4gMlI

Ghost

Anónimo disse...




_______000000__________000000______
_____0000000000______0000000000____
___000________000__000________000__
__000___________0000___________000_
_000_____________00_____________000
_000____________________________000
_000____________________________000
__000___________________________000
___000_________________________000_
____000_______________________000__
______000___________________000____
________000_______________000______
__________000___________000________
____________000_______000__________
______________000000000____________
________________00000______________
_________________00______

:-)

Anónimo disse...

A falta que ele faz é indescritível, neste país chato...
A dor da Mãe não tem qualquer antídoto.
O irmão e os verdadeiros amigos apenas podem respeitar essa dor e continuar a ter muita SAUDADE dele.
Conceição Jordão

Anónimo disse...

Presente, com todo o respeito.

Menina Marota disse...

Um abraço solidário.