sábado, 20 de janeiro de 2018

O meu quarteto no SAMS

Pertenço ao grupo de pessoas que, pelo facto de ter trabalhado muitos anos na Banca, assistiu e beneficiou do progresso do SAMS. Quando José Roquette saiu para o Hospital da Luz, senti-me um pouco inquieta, não porque alguma vez ele me tenha tratado, mas porque era um amigo e isso me tranquilizava, caso necessitasse de lá ir. 
Em duas áreas senti que tinha de ter no SAMS interlocutores para os médicos que, no exterior, me tratavam antes de ser bancária. Uma era a da medicina interna, outra a da oftalmologia. 
Foi assim que encontrei o Dr Faustino Ferreira e o Dr Pedro Cruz. Este último conhecia a médica que sempre acompanhou as minhas complicações oculares muito ligadas ao meus sistema imunitário, o que me tranquilizava para quando ela deixasse de trabalhar. Com efeito, sempre que tive de o procurar por ausência da amiga especialista, encontrei um profissional muito atento e empenhado e que elogiou a colega que me tratava. É uma pessoa de excelente trato, que ouve o paciente e explica o que deve explicar. Fiquei, portanto, em mãos seguras, para o futuro.
Já com o Dr Faustino Ferreira foi diferente. Eu não tinha internista. Era sempre o meu querido cardiologista e amigo Pedro Abreu Loureiro que me ajudava nas pequenas maleitas que ia tendo. Já antes o tinham feito o Sergio Sabido Ferreira e o José Pinto Correia, ambos amigos falecidos, de quem tenho muitas saudades. 
Assim, havia que escolher alguém do SAMS. Dois nomes me foram indicados. Mas os elogios que ouvi de um deles foram tantos, que não hesitei e me apresentei no seu consultório. E isto, muito antes de ele vir a ser nomeado director clinico do Hospital.
Confirmei todos os rumores que ouvira. Descobri "o meu médico de excelência", aquele com quem se pode falar de tudo o que nos preocupa, aquele que faz da medicina um desígnio e não apenas uma profissão. É com ele que discuto o que devo fazer e o seu conselho é para mim algo que não merece qualquer dúvida.
Foi, ainda no SAMS, que havia de descobrir alguém de quem me tornei verdadeiramente amiga. Trata-se da médica Cecília Vaz Pinto, responsável pelo serviço de Fisioterapia / Reabilitação e cuja equipa conseguiu eliminar completamente um enorme colóide resultante de uma intervenção cirúrgica. Hoje, quem olhe para a minha mão esquerda, não lobriga qualquer marca. Foi o seu empenho e a sua equipe que tornaram isto possível. Para além disto descobri uma pessoa admirável de ponto de vista humano. 
Por fim, uma palavra muito especial ao Prof. Francisco Salvado e à sua equipe chefiada pela Dra Filomena Coimbra que me fizeram uma reconstrução oral bem difícil e que , não duvido, se precisar de algo, lá estarão para me receber.

HSC

15 comentários:

João Menéres disse...

Portugal tem nas diversas áreas ( medicina incluída ) EXCELENTES profissionais.
É só necessário saber onde trabalham.

Melhores cumprimentos.

Anónimo disse...

Dra Helena
Há comentários que vêm na altura propícia. Estava hesitante entre ir ao Sams ou aos Lusíadas. Depois de ler o seu post já me decidi, tanto mais que é a um dos médicos que cita que irei. Obrigada!

Anónimo disse...

O SAMS fez um longo percurso até hoje e merece este seu post para que as pessoas saibam a qualidade de serviços que ali se prestam.
Já não é a primeira vez que a senhora dá créditos a quem os merece. Isso hoje é muito raro e quem a lê acredita que fala verdade.
Não sou bancário mas já utilizei os serviços do SAMS e confirmei o que diz. E é também importante que se saiba que se pode lá ir mesmo sem ser bancário.

Anónimo disse...

🌷

Anónimo disse...

Gostei deste post. O Sams foram uma conquista dos bancários e das suas famílias. Hoje é um hospital que pode ser considerado dos melhores e serve muita gente. Conheço os médicos que refere e percebo perfeitamente que se siga segura nas mãos deles.
Só é pena que as pessoas se esqueçam de elogiar o que merece ser elogiado e o Dr Faustino Ferreira é como diz, uma pessoa sempre presente e a quem se pode recorrer. É uma sorte quando os médicos que nos trataram uma vida inteira podem passar a pasta a pessoas que também conhecem!
Obrigada!

Anónimo disse...

Fui fazendo a minha passagem para os SAMS à medida que os meus médicos de sempre foram deixando de trabalhar. Confesso-lhe que no principio foi dificil porque eu gosto de ser acarinhada e um hospital é diferente de um consultório.
Hoje, passados cinco anos vou ao Centro Clinico e já me sinto perfeitamente integrada.

Fatyly disse...

Também uso sempre o SAMS e subscrevo o que diz. Conheço alguns dos médicos!

Anónimo disse...

Dra. Helena, gostaria muito de saber o nome do médico que lhe eliminou o colóide.
Este meu pedido, é porque também tenho um que gostaria de disfarçar.

Respeitosos cumprimentos

Anónimo disse...

Bom dia Dra. Helena,

Com marido bancário, sou beneficiária do SAMS vai para 30 anos. Confirmo e subscrevo o que diz! Tive infelizmente internado já este ano durante 8 dias o meu filho mais novo (que já nasceu no hospital) e o tratamento foi de excelência, com muito empenho e dedicação de toda a equipe médica e enfermagem!
Para mim o hospital tem dois problemas, o estacionamento e os elevadores internos que são minúsculos (4 pessoas) para o movimento crescente que o hospital tem.
Não sei se recorda a minha indicação em relação à utilização do parque de estacionamento do centro clínico, espero que tenha sido útil
Um beijinho
FL

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 21:24

Foi a maravilhosa equipe da Dra Cecília Vaz Pinto, que refiro no post.
Terá que marcar, mas tenha a certeza de que as suas terapeutas são excelentes. Porém, prepare-se porque n princípio custa. Não dói, mas é preciso ter paciência e cumprir. Se o fizer pode crer que vai ficar boa.
É claro que eu comecei cedo e não sei se o seu colóide é antigo e portanto com recuperação mais difícil.
Oiça-a e se ela disser para fazer os tratamentos, está nas melhores mãos que pode encontrar. E ainda vai conhecer pessoas de uma enorme dedicação.

Anónimo disse...

Gostava muito de tratar a minha boca, mas sou medrosa. O Prof Salvado é paciente com os doentes?

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 21.29
O Prof Salvado tem uma enorme experiência e dirige o Serviço de Estomatologia no Hospital de Santa Maria. É uma pessoa muito acessível e tem umas mãos muito hábeis. Fez-me uma intervenção difícil, não me doeu e a recuperação foi a esperada. E, ria-se, durante o trabalho vai trauteando as suas canções preferidas. Fica-se logo com a impressão de que tudo o que faz lhe dá prazer. Isto num dentista em que só a broca impõe respeito, é uma qualidade rara!

Silenciosamente ouvindo... disse...


Infelizmente não tenho direito a esse serviço médico,
msds apenas ao Serviço Nacional de Saúde, que está
PÉSSIMO!!!
Os meus cumprimentos.
Irene Alves

Anónimo disse...

Sou utente do SAMS pelo intermédio do meu Marido (reformado recentemente do Banco).
"Apanhei" Médicos muito bons.
Sou doente da Professora Dr.ª Isabel do Carmo (só a conhecia quando aparecia esporadicamente na TV). Boa pessoa e boa Médica.
Sou doente do Dr. Eduardo Xavier (Cirurgia Geral). Num ano operou-me duas vezes. Na 1.ª vez estive internada 7 dias e, todos os dias e várias vezes ao dia, ia ao quarto ver como eu estava. A minha colega de quarto ficou gratamente surpreendida com isso!!! Desde a 1.ª consulta que "fui com a cara dele"!!!! Boa pessoa e bom Médico!!
O Gastrenterologista Dr. Miguel Oliveira também é meu Médico. Também boa pessoa e bom Médico!! É daqueles Médicos que se preocupam com o seu doente.
Até à data não tenho "razões de queixa" dos "meus" Médicos: tanto no Centro Clínico de Lisboa como os da Clínica SAMS da Parede!!!

Anónimo disse...


Helena
É bom estar satisfeito com quem nos trata da saúde, ter profissionais que fazem o seu trabalho com gosto e dedicação é de louvar.
Também estou satisfeita com os meus, noto que passou a existir uma maior atenção, cuidado, e não falo só dos médicos do privado. No serviço nacional de saúde também os há, a minha medica é uma delas.

Abraço
Carla