terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

O admirável mundo novo!

Em 1998, a Kodak tinha 170.000 funcionários e e a sua quota de mercado do papel fotográfico andava pelos 85%. Em poucos anos, o seu modelo de negócios  desapareceu e a casa abriu falência.
O que aconteceu com a Kodak irá acontecer com outras empresas nos próximos 10 anos. E a maioria das pessoas não se apercebe  disso. Será que alguém poderia imaginar, em 1998, que 3 anos mais tarde, se abandonaria o registo de fotos em papel? E no entanto, as câmeras digitais foram inventadas em 1975. As primeiras só tinham 10.000 pixels, mas as actuais têm14 milhões, no mínimo.
E à semelhança do que acontece com todas as tecnologias exponenciais, elas foram decepcionantes no início mas tornaram-se imensamente superiores e dominantes em poucos anos.
Hoje a maior parte das pessoas abdicou da máquina fotográfica e de filmar para usar o seu smartphone. O mesmo acontecerá com a inteligência artificial, saúde, veículos autónomos e eléctricos, com a educação, com a impressão em 3D,  a agricultura e os empregos.
Bem-vindos então à quarta Revolução Industrial. Aqui o que importa não será mais a propriedade dos meios de produção, mas o uso das ferramentas de software postas a nossa disposição. A 

Inteligência Artificial irá comandar a nossa vida. Neste ano, um computador derrotou o melhor jogador de GO do mundo, 10 anos antes do previsto.  Nos Estados Unidos, os advogados jovens têm dificuldade de arranjar emprego porque com o WATSON, da IBM, cada um pode conseguir aconselhamento legal (por enquanto em assuntos mais ou menos básicos) dentro de segundos, com 90% de exactidão.
Aliás o WATSON já está a ajudar a diagnosticar o cancro, quatro vezes mais exatamente do que pelos meios tradicionais.
Os veículos autónomos, em 2020, alterarão de forma marcante a indústria automobilística  Ninguém desejará mais possuir um automóvel e os nossos filhos jamais necessitarão de uma carta de condução ou serão donos de um carro. 
Isso mudará as cidades, pois necessitaremos 90-95 % menos carros para isso.  Poderemos transformar áreas de estacionamento em parques.  Cerca de 1.200.000 pessoas morrem a cada ano em acidentes automobilísticos em todo o mundo. Temos agora um acidente a cada 100.000 km, mas com veículos auto-dirigidos a taxa cairá para um acidente a cada 10.000.000 de km, o que salvará mais de 1.000.000 de vidas a cada ano.

  E as Companhias seguradoras terão problemas enormes porque, sem acidentes, o seguro se tornará 100 vezes mais barato. O modelo do negócio dos seguros de automóveis irá  desaparecendo.


Os negócios imobiliários mudarão. Pelo simples facto de se poder trabalhar enquanto se viaja, as pessoas irão viver para mais longe  e escolherão vizinhanças mais agradáveis.


As cidades serão menos ruidosas porque todos os carros rodarão eletricamente. A eletricidade tornar-se-á incrivelmente barata e limpa e a energia solar terá grande impacto com o seu preço a cair de forma significativa.
Com eletricidade barata teremos água abundante e a baixo preço. Finalmente na saúde o preço do Tricorder X será anunciado este ano. Teremos companhias que irão construir este aparelho médico que trabalha com o nosso telefone, fazendo o escaneamento da retina, testando a  amostra de sangue e analisando a respiração (bafômetro). Ele analisará 54 bio-marcadores que identificarão praticamente qualquer doença. Vai ser barato e em poucos anos cada pessoa deste terá acesso a medicina de padrão mundial praticamente de graça.
A impressão 3D permitirá no final deste ano, que os novos smartphones tenham capacidade de scanear o seu pé e imprimir sapatos perfeitos em sua casa. Na China, já imprimiram em 3D todo um edifício completo de escritórios de 6 andares.
E no t
rabalho 70-80% dos empregos desaparecerão nos próximos 20 anos. Haverá novos empregos, mas não é claro que haja haverá suficientes empregos novos em tempo tão exíguo.
A agricultura terá, no futuro, um robô agricultor que permitirá ao 3º mundo tornar-se gerente das suas terras ao invés de trabalhar nelas todos os dias. A AEROPONIA necessitará de bem menos água. A primeira vitela produzida “in vitro” já está disponível e vai se tornar mais barata do que a vitela natural ao redor de 2018.

 Atualmente, cerca de 30% de todos as superfícies agricultáveis são ocupados por vacas. Imagine - se tais espaços a deixarem de ser usados desta forma. Há já muitas iniciativas de trazer proteína de insetos para o mercado. Eles fornecem mais proteína que a carne. Deverá ser rotulada de FONTE ALTERNATIVA DE PROTEÍNA. (porque muitas pessoas ainda rejeitam ideias de comer insectos).


Finalmente o BITCOIN (dinheiro virtual) pode tornar-se dominante e constituir mesmo uma moeda-reserva padrão.


Actualmente, a expectativa de vida aumenta uns 3 meses por ano.  Há quatro anos, a expectativa de vida era de 79 anos e agora é de 80 anos. Ao redor de 2036, haverá um aumento de mais de um ano por ano. Assim, talvez possamos todos viver vidas longas, possivelmente bem mais do que 100 anos.


Na educação os smartphones, mais baratos, permitirão em 2020, que 70% de todos os humanos tenham o mesmo acesso a educação de classe mundial.  Cada criança poderá usar a academia KHAN para tudo o que uma criança aprende na escola nos países de Primeiro Mundo.
                     
                                Extratos de um texto que me enviaram

Não sei se o panorama é assustador ou não. Mas sei que é a altura de recomendar aos nossos filhos e netos que comecem a pensar em todas estas transformações.
Quanto à nossa geração, talvez só nos reste assistir, relendo Huxley  e o seu Admirável Mundo Novo.

 HSC                       

19 comentários:

João Menéres disse...

Já tinha tomado conhecimento.
Nada que me assuste mas que assustará os mais novos.
Uma revolução que a maioria não conseguirá entende a tempo.

Melhores cumprimentos.

Dalma disse...

O Admirável Mundo Novo de Huxley, para a nossa geração não é propriamente apaziguante! Mas, quem sabe, para esta geração que já nasceu com um Smatphone e um Computador debaixo do braço, tudo parecerá normal!
Enfim, já não estaremos cá para ver e portanto talvez não valha a pena preocupar-nos. E de que valeria a nossa preocupação?
D.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Drª. Helena já não será(muitas coisas destas no
nosso tempo) mas muitas delas irão de certo
acontecer. Tudo muda tão velozmente...
O ser humano cria mecanismos para o eliminar.
É triste reconhecer que o ser humano, cada
vez vai sendo menos necessário.
Temo pelas crianças de hoje.
Os meus cumprimentos.
Irene Alves

maria silvestre disse...

Partilhei no FB esta notícia. Há coisas boas, mas outras um bocadinho assustadoras...Às vezes tenho saudades duma época que não conheci: os anos 40. Não os terríveis anos da guerra, mas os anos da vida recriada no cinema. Famílias felizes e com sentido de humor, tipo "O Pai da Noiva", casas bonitas com buganvílias e cadeiras de baloiço no alpendre, vizinhos simpáticos e de bom coração, crianças traquinas mas educadas a brincarem nos relvados...Enfim, não passo duma sonhadora :)

Maria Eugénia disse...

Será inevitável uma nova era industrial ( dizem que é a 4.a)
Acho que perante isto há que preparar tecnicamente os homens e mulheres pois será mais difícil para os menos qualificados.
No entanto e apesar de tudo, haverá sempre lugar para os homens e as máquinas...
Bjs da Maria do Porto

Virginia disse...


O meu filho mais velho já vive nessa onda, ou seja, criando as infra-estruturas da cidade do futuro. Segundo ele, tudo será melhor para o ambiente e é esse objectivo que o motiva mais. Porque se continuarmos a poluir à grande e à americana, não teremos condições para viver nas megalópolis que andamos a construir.

Anónimo disse...

Parece assustador, de facto. Mas criam-se outros empregos. Mais empresas a desenvolver software, mais empresas (muitas mais) a fabricar tecnologia, empresas a gerir conteúdos, etc etc... a tecnologia e o seu uso de forma global também gera muitíssimos postos de trabalho. Por isso, nada de alarme, julgo eu.
E, quanto a ser ou não ser um mundo melhor. Tem tudo para o ser. E seremos todos mais bem informados, pelo menos, já que o acesso à informação é muito mais rápido e acessível a todos.
Riscos e inconvenientes? sim, como em tudo na vida. Não é por ficarmos mais expostos a acidentes de viação que deixamos de conduzir carro, não é verdade?
desde que não deixemos de 'falar' uns com os outros ao vivo e a cores, tudo bem. Quanto a mim esse é o pior risco.
L.

Pedro Coimbra disse...

A seguir o seu blogue desde Macau.
E deixe-me dizer-lhe que é um prazer ler o que escreve, ouvir o que diz.

Helena Sacadura Cabral disse...

Obrigada Pedro!

Virginia disse...


Atrevo-me a enviar-lhe um vídeo da apresentação que o meu filho João fez hoje no Mobile World Congress em Barcelona. Pode ser que ache graça a ver como se processará a evolução dos veículos daqui a uns anos.

https://www.mobileworldlive.com/mwc17-videos/keynote-11-start-up-innovation-joao-barros/#

Beijinho

Helena Sacadura Cabral disse...

Virgínia
Fez muito bem. Acompanhei com muitíssimo interesse a exposição do seu filho. Claríssima. Mesmo para leigos. Parabens ao filho e à Mãe!

Portuguesinha disse...

Algumas dessas hipóteses parecem-me agradáveis se vierem a acontecer. Não acredito que se percam é oportunidades de negócio... Vão gerar-se outras, para encher os mesmos poucos bolsos. Eletricidade mais barata? Não acredito. Quem tem eletricidade tem o mundo a seus pés. É o poder supremo, poucos abdicam dele. Nenhum smartphone ou tecnologia funciona sem. É a droga do século.

Viaturas elétricas espero bem que sim. Já vêm tarde. Condução segura e sem esforço, estar num carro ou autocarro e poder trabalhar ou mesmo dormir, um sonho. Mas só possível para os poucos que se possam dar ao luxo de viajar isolados em viaturas exclusivas. Será que o futuro permite o que o presente proporciona? Cada qual dono do seu boloide?

Assustador são as perspectivas de desemprego... Empregos serão cada vez menos e pessoas a desejá-los, cada vez mais.

Boa semana!

Anónimo disse...

Senhora,um bom fim de semana com uma das melhores invenções do Homem - instrumento musical.
Um doce para Fio de Prumo.

https://youtu.be/DWO_eojWezg

Ambrósio

Anónimo disse...

Senhora,um bom fim de semana com uma das melhores invenções do Homem - instrumento musical.
Um doce para Fio de Prumo.

https://youtu.be/DWO_eojWezg

Ambrósio

Anónimo disse...

Como seria bom uma impressora três D fabricar Helenas...

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Zé
Ia ter pouca graça e haveria, até, quem não achasse graça nenhuma. O que me vale são os amigos que gostam de mim e me querem ver replicada. Bem haja pela intenção!

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Caro Ambrósio tão desaparecido que andava deste paraíso!
Santana é admirável e eu agradeço muito a sua lembrança!

Waldemar Velasco disse...

HSC,grande teXto quw nos deiXa muitas refleXões.Em França fala-se hoje muito do risco do desemprego da 4ª revolução industrial.Vai haver muito desenvolvimento desigual e para "isso" ainda não há remédio...Bom Blog !

Anónimo disse...

Cara Leninha
Muito grato pelas suas palavras.E dos que não gostam - nem sabem o que perdem -,azar o deles.