terça-feira, 27 de setembro de 2016

Em jeito de auto promoção

Vários leitores me têm perguntado quando será a apresentação deste livro. Não vai haver. E explico a razão pela qual eu e a editora tomámos esta decisão.
Com efeito, sendo um livro de memórias minhas, só poderia ser apresentado por mim própria, ou por alguém que me tivesse acompanhado de perto nesse período. A primeira hipótese não tinha qualquer sentido, como se pode deduzir. E, das amigas que, à época, fizeram parte do meu núcleo próximo e também no dos anos que se lhes seguiram, só a Maria Nobre Franco podia faze-lo. Era a única pessoa a quem o pediria e que, tenho a certeza absoluta, nos deleitaria com a mais comovente apresentação destes nossos anos, vividos tão perto uma da outra.
Infelizmente a Maria morreu há uns meses. Ela sabia bem do gosto que eu teria de lhe ter entregue tal tarefa. Como sabia desta minha intenção postergada.
Ora não sendo pela sua voz que o livro se fará presente, julgo que tudo pode vir, ainda, a acontecer. Mas não será, nunca, aquilo a que chamamos de um lançamento. Fica portanto feita a explicação!

HSC

5 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Compreendo perfeitamente.

E quem quiser compra o livro, lê o mesmo

que é o que mais importa. A sua presença

física pode acontecer em qualquer outro momento.

Os meus cumprimentos.
Irene Alves

Maria Eugénia disse...

As razões apresentadas fazem todo o sentido, claro.
Outras apresentações/lançamentos não serão feitas porque o apresentador declinou o convite e também por razões de segurança, tal não acontecerá :) Mas isto é outro assunto...
Bjs da Maria do Porto

Anónimo disse...


Helena
Pode não ser um lançamento, mas um convivio onde os demais apreciadores da sua pessoa, a possam ver e ouvir algumas palavras que são sempre um incentivo à vida. Comprarei o livro na mesma, já estava a fazer conta de a ver :)

Abraço
Carla

Ana Cunha disse...

Este livro já vale o meu maior elogio mesmo sem o ler, pelo facto de ser a razão das maravilhosas entrevistas no Expresso, na TSF e RTP3. Li, ouvi e vi, emocionei-me e ri à gargalhada em cada uma das 3.
Sei que vou gostar do livro como gosto de todos.
Muitos parabéns.
Ana C.
p.s.- 35 anos ainda sem filhos mas já sem pais e quero reter para sempre estas palavras : " Os filhos são um empréstimo de Deus..."

Margarida Monteiro disse...

Que bela tarde outonal eu passei a ler este magnífico livro. O outono é, também, a minha estação favorita, este tom dourado é realmente maravilhoso.
Há muito que não tinha uma tarde tão repousante e tranquila ...
Já estou à espera do próximo...
Um grande abraço