domingo, 16 de agosto de 2015

A queixa e o lamento

No blog Delito de Opinião, que aqui cito muitas vezes, talvez por dele também fazer parte, vem hoje, na rubrica "O comentário da Semana", um texto curioso sobre duas palavras, que usadas indistintamente escondem, porém, atrás de si situações diferentes. O que prova não só a riqueza da língua portuguesa, mas também como ela pode ser traiçoeira.
Trata-se das palavras "queixa" e "lamento", de que tanto ouvimos falar. Todavia, apesar de ambas fazerem parte da catarse de que, mais tarde ou mais cedo, todos precisamos, a verdade é que o lamento pressupõe uma derrota contra a qual nada podemos e a queixa assume uma posição de força de cuja atitude podem resultar consequências - positivas ou negativas - para algo ou alguém.
Os portugueses, por norma, tendem a confundir uma com a outra e lamentam-se mais do que se queixam. Era, talvez, melhor, ir alternando as posições...

HSC

2 comentários:

Anónimo disse...

Nem mais!
O meu aplauso.
Sara

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Acho que os portugueses sabem o que é uma "queixa" e o que é um "lamento".
Sabem também que a queixa, mais que o lamento, caindo em saco roto, não há nada a fazer.Daí o lamento ser mais usado, é menos agressivo!

Um abraço,