sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Os prémios...



"Talvez isto dos prémios não seja assim tão importante. Na realidade, qualquer escritor fará bem, se puder, em não conceder a menor importância a um prémio recebido, mas aqueles que o sufragam e outorgam estão obrigados a conceder-lhe a maior importância, se não querem incorrer em cinismo. O premiado é acidental e transitório, para não dizer efémero; os que premeiam, em contrapartida, costumam ser insistentes, para não dizer permanentes, e, em boa medida, a sua lista de galardoados é aquilo que os define e torna mais ou menos prestigiados e respeitáveis enquanto premiadores, enquanto autoridades na matéria".

Estas palavras são o intróito de um post de Rui Herbon, no Delito de Opinião. Que faço minhas, porque o Nobel da Literatura deste ano me não disse absolutamente nada. Não o conhecia.
Mas desde que o Nobel foi atribuido a escritores menores ou a pacifistas que se tornaram guardiões da guerra, passei a considera-lo com uma atenção muito relativa...

HSC

7 comentários:

Anónimo disse...

Tendo a concordar consigo.
P.Rufino

maria isabel disse...

Quem lê o livro "O Prémio",fica a entender mais ou menos como e a quem são atribuidos. Também a mim não me dizem muito,mas não sou ninguém para julgar pois não tenho muito saber sobre o assunto.

via disse...

nem está publicado em português, parece-me.

Helena Sacadura Cabral disse...

Via
O autor está publicado em Portugal pela editora do Manuel Valente.

Observador disse...

Os Nobel já não são o que eram.

Isabel disse...

Há vários livros publicados em português, não sei se estão esgotados. Está publicado na ASA e na D.Quixote (vi as capas no blogue Prosimetron )

Bom fim-de-semana:)

bea disse...

Bom...eu também desconhecia o nobel da literatura. o que não prova nada de nada, só leio em português e compro livros em Portugal, se as editoras não publicarem ou não referirem, não vejo como ler... Mas julgo que seja um bom escritor, até prova em contrário. Como ainda não tenho nenhuma, excepto o prémio; e sou optimista e mais ou menos racional - não se dá um prémio de literatura a quem escreve pior - acredito que hei-de comprar um livro pelo menos.

Se em cada ano é o melhor a ser escolhido...é subjectivo. Devem existir clássicos da literatura que nunca foram nobel ou coisa semelhante. Mas a qualidade é uma coisa que dura, aguenta-se sozinha.