segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O novo Diário de Notícias


Saí do DN, para onde fui levada por Bettencourt Resendes, há sete anos, a quando da entrada de João Marcelino. Por lá permaneci, após a saída de quem me convidara, em excelente convívio com os três directores que se lhe haviam de seguir. De um deles guardo, mesmo, boas recordações, porque fez tudo o que pedi para me lá manter.
Assim, confesso, a saída de Marcelino - que, a meu ver, havia transformado o DN numa espécie de Correio da Manhã para gente mais ilustrada -, não me causou grande pena ou surpresa. 
Ao contrário, a entrada de André Macedo - cuja carreira conheço - e pelo que ultimamente tenho visto, faz-me acreditar que o jornal possa a vir a ser objecto da transformação desejada, já que, sob a batuta da anterior direcção, perdeu mais de metade dos seus leitores.
Irei, a título de observadora, passar a comprar, de novo, o DN. Oxalá Macedo consiga fixar-me, porque isso seria, do meu ponto de vista, um bom sinal!

HSC

9 comentários:

Observador disse...

O novo DN tem que ser mesmo novo.
De João marcelino não havia nada (de bom) a esperar. Confirmou-se.
André Macedo tem condições para 'dar a volta' ao DN.
Agora, é aguardar para ler.

P.S.- A estimada Helena irá fazer-me concorrência? É que observador sou eu :-) :-)

Cumprimentos.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Querida Helenamiga

Este DN não é o meu DN. Por isso deixei de o comprar - e não sei se voltarei a fazê-lo... E não se trata de saudosismo (não costumo ter saudades, excepto de Goa...), palavra que não.

O benefício da dúvida, para mim, vai até um certo ponto. Mas por vezes é mais: é o point of no return

Quando estiveste no DN ainda havia alguém que vestia a camisola? Eu enverguei-a e com muito orgulho o digo.

Conheci o Marcelino que nem pão nem vinho tinha. O CM para ilustres "intelectuais" foi uma lástima.

Não conheço o André Macedo, por isso não tenho "grande" esperança que o DN volte a ser o meu. Sou um idoso, um velhadas, um caquéctico, um cota o que me quiserem chamar - já me chamaram tantas coisas - mas continuo a não comprar o DN. Decisão irrevogável? Logo se verá...

Qjs

Anónimo disse...

... Bethencourt

Gralhas

Helena Sacadura Cabral disse...

Observador
Eu tenho mais um "a". Faz toda a diferença...
-:))

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Henrique
Por enquanto só tenho folheado. Não comprado.
Vou faze-lo a partir da próxima semana. Estive sete anos sem o adquirir e recusando tudo o que amigos meus de lá me pediram. A excepção, ao fim desses anos todos, foi a entrevista ao meu querido João Ceu e Silva, quando já se falava de que Marcelino ia sair.

Observador disse...

Como uma simples letra faz tão grande diferença, Helena!

Anónimo disse...


Bom dia Helena!
Quando existem mudanças, pensamos sempre, que será para melhor.
O pior, é quando não são dadas as ferramentas, necessárias para a transformação.
Não gosto, do Correio da Manhã, parece-me o antigo jornal o Crime, nem sei se ainda existe ou não, são tantas as desgraças que nem no café, me apetecer ler!!
O DN já me parecia mais sóbrio...

Carla

Bmonteiro disse...

Sei não. Considerando o 'papel' da imprensa em papel, nomeadamente perante a expansão da Net.
Ou o gosto dos portugueses pela imprensa escrita e imprensa em geral. Enfim, o país no qual um PM dizia alto e bom som, que não lia jornais. Condição para não ter dúvidas e raramente se enganar?
Por acaso, não deixei de ler o DN, 'doença' quase do antigo regime, por causa do Director. Antes pelo contrário, com duas páginas, da Direcção, em cheio aos sábados.
E pela forma como eram alinhavados os editoriais.
Um dos quais e recente, me pareceu marcante: 'advogando' a saída do ministro Crato.
Muuito difícil, para quem quer que seja. À semelhança do buraco da dívida.

Ältere Leute disse...

Não me parece que tenha melhorado, até agora. Mudança, só mesmo no grafismo de algumas páginas. Com a experiência de anos seguidos de DN, com vários directores, posso garantir que tem - agora! - menos que ler ! E não falo apenas da ausência de Baptista Bastos, uma mais-valia de conteúdo, independentemente de se concordar ou não com ele.
Aliás, gostava mais de A.Macedo como cronista semanal(à 2ºfeira no DN ) e apenas como director do 'Dinheiro Vivo' ! Agora 'desapareceu' como cronista e 'não aparece' no novo cargo... Salvo melhor opinião !
MªAugusta Alves