segunda-feira, 27 de maio de 2013

A Feira do Livro

Vencendo as oscilações do tempo em Lisboa, lá estive na Feira do Livro na sexta, sábado e Domingo e lá estarei todos os próximos fins de semana, à excepção do 8 de Junho, em que irei ao Porto receber um prémio.
Muita gente me pergunta porque é que ali estou tantos dias, quando se sabe que é uma tarefa cansativa, sobretudo para quem, como eu, trabalha com três editoras. Respondo sempre que é o mínimo que eu posso fazer por quem compra os meus livros e vai àquele espaço para me ver e dar um abraço.
De um ponto de vista pessoal, quem publica deve ter uma componente de proximidade e de acessibilidade face aos seus leitores. Eu sei que os "intelectuais" não pensam assim e até há muitos que nunca foram à Feira. Mas eu não sou intelectual, não escrevo para intelectuais. Sou, sim, alguém que tem prazer em partilhar "estórias" e pedaços de si com aqueles que se identificam com as suas palavras. Por isso, estar com essas pessoas e conversar um bocadinho com elas, é uma forma humanizada de lhes dizer "muito obrigada"!

HSC

17 comentários:

zia disse...

Muito obrigada por ser tão transparente que até lhe podem fazer muito mal!
Este ano nem feira do livro iremos ter...
Muitos beijinhos,
lb/zia

Teresa Peralta disse...



E eu agradeço, do fundo do coração, a consideração que demonstra ter por todos nós. Parece que até ouviu os meus pensamentos porque contava perguntar-lhe isso mesmo, quando percebi que não podia estar no lançamento da sua ultima obra. Desejo para si e para o seu livro muitos sucessos, ainda maiores do que os outros, e, espero que o mesmo ajude a dar um sentido à Vida de muita gente, tal como as suas palavras francas e a sua sabedoria sempre tocam o íntimo mais profundo do meu ser. Bem Haja e até breve!!
Um abraço muito grande

Paula Ferrinho disse...

E é por isso que vende tantos livros, Helena, porque é próxima das pessoas e isso reflete-se na sua escrita. Não há muita pachorra (eu acho...) para grandes "intelectualidades", sobretudo quando é uma intelectualidade despida de eloquência e humanidade, que é o que nos cativa!
Que pena não estar em Lisboa para lá ir dar-lhe "aquele abraço"...
Boa sorte!

Vânia Batista disse...

Bom dia, querida Drª Helena:

Agora fez-me lembrar uma conversa que tive com uma professora da faculdade.
Fui aluna do escritor de literatura infantil, no 2ºe 3º ano de curso, João Pedro Mésseder e,quando souberam que era sua aluna, na escola onde trabalhava ofereceram-me pelo meu aniversário um livro dele.

Gostava de lhe pedir que mo autografasse mas não sabia se era conveniente, já que era meu professor. Resolvi perguntar à professora de Literatura do ano anterior o que fazer ao que me respondeu:"Peça-lhe! Se ele não gostasse de dar autógrafos, não escrevia livros."E assim fiz,no dia da última aula lá levei o livro e pedi-lhe o autógrafo, para recordação.

um beijinho,
Vânia

Alcipe disse...

Os intelectuais não vão à Feira? Coitados, só quando não lhes publicam os livros... Muitos parabéns pelos seus sucessos!

a) Alcipe

Anónimo disse...

Dra. Helena, mas a Senhora não está aposentada?... É que com uma agenda dessas, trabalha bem mais do que se cumprisse um horário de trabalho normal. Mas é assim, quando se faz aquilo de que se gosta...
Cumprimentos.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Alcipe se todos os intelectuais fossem como o meu amigo, que felizes que todos seríamos...

herminia lopes disse...

D.Helena:
Tem toda a razão em assim proceder, eu faria a mesmo coisa, a intimidade com as pessoas forma uma união, aprendizagem, transmissão de valores. , e é agradável estar com o autor do livro ,que se compra ou já se adquiriu. Não vou aí porque sou do Norte.
D.Helena, gostaria de lhe enviar os meus quatro últimos "momentos"
aqueles "!flashs"..(Calma, são versinhos») será que me pode dar uma direcção, estão sobrepostos em fotografias por mim tiradas..., não sou nova, já a serra está coberta de neve ,mas que importa?
Conhece o nosso ditado popular "tacho velho faz boa comida",pois bem é isso mesmo, nem só os nossos intelectuais...acredite.
Até breve
Herminia

HBC disse...

Cara Helena,
Grande generosidade de se disponibilizar a todo os seus dedicados e fieis leitores.
Sempre com amizade.

saudosa disse...

Muito obrigada por essa atitude!!!

Por ser em Lisboa, não me é possível ir até lá, uma vez que moro a alguns quilómetros, os quais me dão alguma despesa a percorrer... senão... era garantidamente para lhe ir dar um beijinho de agradecimento não só por aquilo que escreve, mas principalmente pela partilha do que lhe vai na alma e que sossega e conforta a minha....

Mónica Mendonça

Dalma disse...

HSC, desculpe, posso fazer uma correçãozinha? É que como se costuma dizer " uma vez professora, professora para sempre"! Ora vejamos, quando falamos em intempérie estamos a referir- nos ao estado do tempo no momento ou muito próximo desse momento. Já quando falamos de clima estamos a referir as condições médias de temperatura, humidade, pressão atmosférica e de mais uma "montanha" de outros elementos climáticos, que terão que se verificar pelo menos num período de 30 anos!
Aliás intempérie é já um estado de tempo, caracterizado por aquilo que todos sabemos...vento e chuva forte.

Isto e aquilo disse...

A Helena é muito querida e é essa proximidade e atenção e simpatia que tem com as pessoas que faz com que tanta gente goste tanto de si. Eu incluída... ;)

Beijinho
Isabel Mouzinho

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Dalma faz muito bem em continuar professora. E eu sou boa aluna, como poderá ver!

Maria Júlia Sobrinho disse...

Olá Dra Helena!
Bons contactos na feira , muitas vendas e claro, muitos beijinhos de quem a aprecia e já somos muitos.
Tenho pena de não poder ir, mas este mês já é impossível.Para a próxima, que vai ser mais breve do que pensamos, lá estarei e levo o deste ano e autografa-mo com um ligeiro atraso. bj da júlia

eve disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...

Helena
Teria muito gosto em estar consigo, desejar-lhe muito sucesso com o seu livro e dizer-lhe como aprecio a sua frontalidade e inteligência, mas como não tenho avião privado, é me de todo impossível. Daqui vai todo o meu carinho, e um forte abraço.
Carmen

eve disse...

Consegui, obrigado Dr.ª Helena, já tenho o seu autografo, mais um livro e fotos consigo, obrigado por esta recordação. pensei dizer-lhe algos, dar-lhe um beijinho, mas não quis ser cansative....mesmo assim, foi um sonho tornado realidade e fiquei masmo muito feliz, obrigado.