sexta-feira, 3 de junho de 2011

Uma reflexão

A partir de agora e até segunda feira, este blogue não postará nem comentará nada que refira política.

Mas hoje ainda quero fazer uma última reflexão. Nunca escondi que não fui nem sou uma entusiasta da Europa unida, ou União Europeia, se preferirem. De certo, por razões que se prendem com a já minha longa experiência profissional, que começou antes da EFTA.
Continuo a pensar o mesmo. E a ser, antes de tudo, portuguesa.

Pois bem, a Comissão Europeia teve ontem o desplante, a desvergonha, de pedir um aumento de 4,9% no seu orçamento, quando nela estão países à beira da falência e as condições da sua ajuda são draconianas.
E isto, claro, depois de terem sido publicitados gastos inadmissíveis por parte dos seus deputados em viagens, hoteis, festas, férias e ofertas a quem muito bem entendem.
Se tudo for verdadeiro, inclusivé as despesas sumptuárias do português seu Presidente, eu tenho imensa vergonha de fazer parte desta agremiação. Reflictam no excelente exemplo dado por um dos nossos!

HSC

21 comentários:

Naná disse...

HSC, infelizmente não posso dizer que esperava outra coisa do Mr. Durão Barroso. Já antes tínhamos sido envergonhados por João de Deus Pinheir. Lamentavelmente, fazem ainda pior lá fora do que fazem cá dentro...

Fada do bosque disse...

«Nos próximos tempos, as elites conservadoras europeias, tanto políticas como culturais, vão ter um choque: os europeus são gente comum e, quando sujeitos às mesmas provações ou às mesmas frustrações por que têm passado outros povos noutras regiões do mundo, em vez de reagir à europeia, reagem como eles. Para essas elites, reagir à europeia é acreditar nas instituições e agir sempre nos limites que elas impõem. Um bom cidadão é um cidadão bem comportado, e este é o que vive entre as comportas das instituições.

Dado o desigual desenvolvimento do mundo, não é de prever que os europeus venham a ser sujeitos, nos tempos mais próximos, às mesmas provações a que têm sido sujeitos os africanos, os latino-americanos ou os asiáticos. Mas tudo indica que possam vir a ser sujeitos às mesmas frustrações. Formulado de modos muito diversos, o desejo de uma sociedade mais democrática e mais justa é hoje um bem comum da humanidade. O papel das instituições é regular as expectativas dos cidadãos de modo a evitar que o abismo entre esse desejo e a sua realização não seja tão grande que a frustração atinja níveis perturbadores. Artigo completo aqui

Fada do bosque disse...

Miguel Portas no facebook:

GOVERNO, PRIMEIRO MINISTRO, OU UM REGIME DE CREDORES?

O que está em causa nesta eleição é, desde logo, um programa de governo – o da troika. Desta vez, não há lugar ao habitual “prometo mas não cumpro”. Aquilo é mesmo um programa com medidas rigorosamente calendarizadas. Apesar disso, só a esquerda o discutiu. O tripartido que assinou o Memorando de cruz, desconhecendo o seu preço em juros, fez tudo o que pôde para esconder dos eleitores o elenco das malfeitorias que subscreveu. Só por isso não merecem o seu voto.
Artigo integral,aqui

Anónimo disse...

D.Helena
Fiquei, tal como a senhora, chocada com os gastos desses senhores. Mais, Durao Barroso gastou uma quantia astronómica por tres dias em Nova Iorque, quando há tanto europeu a passar fome...
Uma vergonha!!!!!
Força!
Maria Lopes

Hugo de Macedo disse...

Também eu fiquei chocado, com esta notícia. É "apenas" vergonhoso.

patricio branco disse...

Por vezes os factos noticiados assim por palavras tendentes a provar uma tese ou a acusar, sem possibilidade de verificação ou replica, podem ser enganosos, mal intencionados.
Um hotel de luxo na papua nova guiné! e será que se poderia ir para outro hotel de menos estrelas em segurança e condições nesse pais? E que é um hotel de "luxo" lá?
devem ficar num 3* ou numa pensão?
Uma orquestra num acto oferecido. E porque não? Em certas ocasiões uma orquestra justifica-se.
Assim como boa comida, etc.
Um jacto alugado. E se não havia outra maneira de se deslocarem e de cumprir o programa ou horario?
Terão que andar sempre em aviões de linha e sujeitos a horários, escalas, disponibilidades de lugar?
Obama anda no air force one, o papa num avião especial disponibilizado pela alitalia. Será isso mau?
Corrupção não é isto, mas apropriar-se em proveito pessoal de dinheiros publicos. Mas não parece que foi isso que houve, nos exemplos noticiados.
A noticia que ouvi ontem na televisão não me escandalizou, antes me fez pensar que havia por ali 2as intenções..

Anónimo disse...

Excelente Post, Helena Sacadura Cabral. A sua coragem e lucidez em dizer o que pensa são algumas das razões para a qualidade do seu visitadíssimo Blogue.

Subscrevo o que aqui diz, ou seja, os seus oportunos e cheios de razão, reparos.
Nunca tive particular respeito por aqueles figurões e isto porque sempre os vi como um grupo de privilegiados egoístas. Gente insensível aos que menos têm. Gente que vive e é paga com os impostos dos contribuintes da tal UE, mas pouco respeito tem para com esses mesmos contribuintes. Gente que exige sacrifícios, mas que nunca os fez, não faz, nunca fará e nem lhe passa pela cabeça fazer. Gente que tem salários extravagantes pagos pelos 27, mas que não tem um pingo de compreensão por quem sofre, ou é obrigado a fazer sacrifícios, muita das vezes por causa de políticas decididas pela União, como por exemplo os juros de BCE, as suas políticas de empréstimo, etc (naturalmente, não quero com isto excluir as nossas próprias responsabilidades).
Uns “bons” malandros, so to say!
P.Rufino
PS: nada tenho contra quem é rico, desde que não seja à custa dos contribuintes e dos meus impostos.

Anónimo disse...

O preço das suites é uma pequena fracção do preço das suites de Straus Khan apesar de tudo.

Fada do bosque disse...

É assim mesmo Rufino! Ora aí está um comentário, de se tirar o chapéu! :)
Acresceno que estes parasitas, além de não terem um pingo de vergonha na cara, estão assim de forma subentendida a dizer: " Vá lá... é necessária mais uma guerra, a 3ª G.G.! nós temos de vender armamento e de reduzir a população. De mais a mais, a tecnologia cada vez será mais um substituto à mão de obra cara, que vós europeus nos fazeis pagar!"

Helena Sacadura Cabral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Patricio Branco
Nós não somos os EUA. Somos a Europa dos 27 em que uns mandam e outros são mandados.
Não vejo qualquer inconveniente que um euro deputado viaje num avião comercial e não vejo que seja necessário que numa viagem intra europeia se faça em executiva.
Esses senhores só serão respeitados se constituirem exemplo daquilo que pedem a todos nós: sacrifícios. Não o contrário.
A qualidade de cada um ou das instituições que representam não se mede por sinais exteriores, eu sei, mas sim pelo conteúdo. Acontece que quando os sinais exteriores são chocantes acabam por preverter o conteúdo.
Não tenho nada contra os ricos que o sejam pelo seu trabalho, apesar de ser difícil tal acontecer... mas não me agrada que o sejam usando os meus impostos!

3

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Fada
Não pude, como calcula, publicar hoje o seu comentário que remete para uma intervenção do Miguel.
Não me ficaria bem, nem jamais o faria. Na segunda feira colcá-lo-ei.

Fada do bosque disse...

É drª Helena... porque será que não pensei nisso?
Publique sim na segunda-feira, pois vale mesmo a pena. O Miguel é uma pessoa de excelência! Gostaria de deixar aqui este pequeno filme Com Sousa Santos a discursar. Vai de encontro ao que falou anteriormente sobre Democracia directa e vale a pena ouvir. E vai de encontro ao que diz o Miguel.
Obrigada.

Anónimo disse...

Já é período de reflexão... mas a "criatura" em questão não está a votos (por enquanto!!!), por isso, penso que posso comentar.

Alguém pensava que o "Fugitivo" ia embora do país para viver mal? Claro que arranjou um super tacho à conta de se ter colocado de cócoras.

Tenho tolerância zero para políticos oportunistas :(

Isabel BP

Anónimo disse...

Uma oportuna resposta de HSC ao comentário de Patrício Branco (que leio com interesse), com o qual discordo igualmente, desta vez. Os senhor UE devem dar o exemplo, já que são eles que exigem e obrigam a sacrifícios, sem os fazerem. Não têm reduções salariais e não esperam 40 anos pela reformas. Pelo contrário, gozam-nas ao fim de meia dúzia de anos e bem chorudas. A custa dos contribuintes dos 27. Uns figurões! Que pouco respeito me merecem
P.Rufino

Pôr do Sol disse...

Cara Helena,
Tenho andado arredada da informação em geral, pois por vezes penso que sou eu quem está a ficar louca.
A imprensa é desinformativa, tendenciosa, manipuladora. As pessoas seguem-na e não param para pensar.
Ontem perguntava-me o meu sobrinho de oito anos, observando o meu silencio, e depois de assistir a uma conversa de adultos em que ninguem chegou à conclusão do partido, menos mau, que deveria ganhar. E a tia em quem vai votar? Habituado a ter sempre uma resposta, ficou surpreso quando lhe disse: Não sei, não há nenhun em quem confie inteiramente.
Numa tentativa de salvar o mundo disse-me Já sei! Vamos construir um candidato só com os bocados bons dos outros!
Depois de nos divertirmos com a composição, teve uma saída que me deixou preocupada:
Tia tambem achas que isto só lá vai com um novo Diluvio?
De facto, pequenino, O Homem sobe até ao limite da sua incompetência.
Até breve, com outro animo.

Fada do bosque disse...

Continuando para reflexão, Aqui vai um artigo muito interessante.

patricio branco disse...

Sem estar a defender mordomias, alem das normais relativas ás funções, ouvi de facto com um pé atrás as noticias, ditas no vago, e desconfiei se havia 2a intenções.

ERA UMA VEZ disse...

Cara Helena

É exactamente porque estamos a reflectir que me apetece "falar" consigo...
Não ouvi a notícia. No entanto há muito tempo que me perturba a postura durona do Sr. Barroso que, pouco depois de ser eleito pelo povo português, ao simples aceno para um lugarinho melhor fechou as gavetas da secretária, como qualquer gerente de uma pequena empresa e ala que se faz tarde.
... Ah ah quantas vozes autorizadas defenderam que esta transferência milionária teria grande prestígio e interesse para Portugal? Nunca percebi porquê. Esperávamos uma "cunha" quando desse jeito?. Tem-se visto!!!

E depois as câmaras afastam-se ligeiramente e quem vemos ali bem perto? o nosso intocável Vítor Constâncio, numa posição de enorme destaque e obviamente, grande poder de decisão, sobre os povos europeus.

Cara Helena, quando eu era bancária, a mais pequena dúvida sobre uma transacção era vista e revista por mim, pelo meu director, pelo meu Banco e enviado um dossier ao Banco de Portugal. Como é possível tanta miopia, tanta sonolência perante sintomas tão evidentes que se sentiam no BPN? Já não falando noutros casos.
Ou seja, se o BP tivesse feito o seu trabalho teríamos no mínimo um problema a menos. E que problema!!! Castigo? Repreensão? Pedido de demissão? Assunção de culpas?
Qual coisa?. Promoção!!!

E ambos estes filhos da nossa pátria nos olham por cima do ombro, abanando a cabeça ligeiramente enjoados (que chatice estes tugas sempre tesos, que maçada)...

E é assim que vou votar daqui a algumas horas...Sem chama, sem fé, inquieta com os que não conheço, desencantada com os que julgava conhecer...sem respeito pelos que subiram.

Ainda espero um sinal.
Se ele não chegar, votarei em branco...apenas porque muitos foram os que lutaram e deram a vida para que eu pudesse ser livre de escolher.
Não venha Sr Presidente dizer-me que não tenho legitimidade para reclamar. Ai não não tenho!!!

Lura do Grilo disse...

É quase tudo possível. Desde que uma deputada foi eleita com residência em Lisboa vivendo em Paris e apresentou as contas de viagens semanais em 1ª classe para serem pagas pela AR, como de facto foram, já nada me estranha.

Quando os deputados europeus viajam em primeira classe nestes rodopios europeus de 2h30m já nada me estranha.

Fada do bosque disse...

Pois... eu bm digo, também pois já não sou a primeira... os comentários da ERA UMA VEZ, são um must! :)