sexta-feira, 17 de junho de 2011

Continuando...


Quando apareceu a ideia das Novas Oportunidades fiquei interessada. Muita gente interrompe os estudos para começar a trabalhar e talvez esta porta fosse um caminho.
Nessa senda inscrevi a minha última empregada - de minha casa já se licenciaram duas e isso, sim, enche-me de orgulho - nas ditas N.O.
Cedo nos apercebemos, ambas, de que a solução não servia. Felizmente a Isabel, era assim que se chamava, era uma mulher inteligente e séria. Tal como entrou, saíu. Indignada com o que por lá presenciou.
Fiquei triste, porque me parecia que, tendo-se liquidado o ensino técnico profissional, esta via, correctamente aplicada, podia vir a supri-lo.
No atrazo em que me encontro de leituras, só hoje deparei com a notícia de que o jovem retratado acima,teria desistido da escola sem ter concluído o secundário e que, graças ao programa N.O. teria obtido a equivalência ao 12º ano com a classificação de 20 valores, conseguida com um unico exame, de Inglês. Assim, é actualmente o aluno com mais alta média a candidatar-se ao ensino superior. E, vá lá, admite que beneficiou de uma injustiça.
O que acima refiro é retirado do que li na comunicação social. A ser verdade, constitui, de facto, uma afronta a tantos alunos, altamente classificados e que por uma décima, às vezes, não entram no curso para o qual se sentem vocacionados.
Não sei se algum dia a minha terra terá solução. Não sei se algum dia verei nela a excelência ser um valor. Não sei. Apenas sei que tudo o que tenho na vida foi obtido à custa de muito trabalho e sem injustiçar ninguém. E sei que Portugal não precisa só de doutores. Precisa de gente competente e séria. Sejam alfaiates ou canalizadores ou electricistas. E sei que eles valem, pelo menos, tanto quanto eu. Isso sei porque me ensinaram os meus Pais e eu jamais esqueci.

HSC

20 comentários:

Jorge Greno disse...

Mais grave ainda, este aluno recebeu uma bolsa de estudo da Universidade de Aveiro, pois foi o caloiro com a média de entrada mais alta em 2010/2011.
A bolsa foi atribuída na sessão solene de abertura do ano lectivo.

Anónimo disse...

Vou falar assim um pouco de "à táxi"...
pelo que sei, as universidades e outros institutos superiores de ensino, têm quotas para o acesso a maiores de 23 anos e quotas para os alunos que querem ingressar pela "via normal". A deve-se à entrada em vigor do Processo de Bolonha.

Quanto à média de entrada ser de 20... e ter direito a bolsa por esse facto... pois poderá ser injusto ou não.

tetisq disse...

As Novas Oportunidades podem ser uma forma extraordinaria de permitir que os profissionais que abandonaram os estudos vejam reconhecidas as suas competencias. Mas nunca deveria ser permitido que esses alunos entrassem no ensino superior com a realização apenas do exame da disciplina especifica. Quem segue a via normal até ao 12º tem que fazer mais, para além de que levam 3 anos a fazer o ensino secundário que é oferecido nas Novas Oportunidades em troca de alguns meses, que por vezes são remunerados pelo IEFP, não só a profissionais que abandonaram o ensino devido a condições sociais mas que já estão no mercado de trabalho como também a maus alunos da via normal que abandonam o ensino secundário e se inscrevem no IEFP com o propósito de fazerem o secundário no facilitismo das Novas Oportunidades e ainda receber uns trocos.

Pinky disse...

é realmente incrível, a apetência do país em premiar e incentivar a mediocridade e a preguiça... Mas o melhor são notas de 10 valores a quem copia! (post anterior)

blimunda disse...

enfim, sempre é uma forma de combater estatisticamente o analfabetismo e a falta de escolarização... preenchendo os requisitos que a europa dita: pó para os olhos e cera para os ouvidos
:)e apesar de tudo sempre tirou um vinte...

Mar disse...

Helena,obrigado por Ser quem EE. Aos 62 anos vi-me obrigada pela forca das circunstancias a emigrar. Os cursos tecnico-profissionais que possuo, aqui no Canada nao valem nada, assim limpo casas e aos fins de semana faco as noites de vela a cuidar de doentes,essa sim a minha profissao.Em Portugal ficaram os meus filhos e netos,a minha unica familia,vivo sozinha num Pais distante, e sabe-me maravilhosamente abrir o seu blog e sempre me deparar com a intiligencia emocional que revela na sua escrita. Fico com a Alma reconfortada.
Bem-Haja
Mar

Mar disse...

Peco desculpa, queria dizer inteligencia. (Ja basta nao haver pontuacao)

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Mar
Receber um comentário como o seu toca-me profundamente. Criei dois filhos sozinha, porque tive duas empregadas excepcionais.
Tive sucesso na vida profissional porque tive duas secretárias que me libertaram, sempre, daquilo que elas podiam resolver.
Sou quem sou porque os meus pais, a minha família, os meus filhos e pai deles me ajudaram.
A sua vida aí longe dos seus vai permitir que eles tenham uma vida diferente da sua. Só isso a deve encher de orgulho.
Todos precisamos de todos. Pena é que alguns se julguem mais necessários que os outros...

ERA UMA VEZ disse...

É desta fibra que se fazem as pessoas de bem.

De gente que valoriza o trabalho, a coragem e a iniciativa. De gente que ensina aos filhos que mais importante do que lhes dar o peixe é ensiná-los a pescar.

Hoje começa um novo ciclo na vida do meu e nosso País.
E eu acredito que é possível. Tem de ser.

Parabéns Helena. Sabe bem porquê!
Um abraço.

one hundred trillion dollars disse...

Bom 1º qualquer pessoa com mais de 23 anos pode fazer os exames ad-hoc e entrar para a universidade sem ter concluído o secundário ou a 4ªclasse

secundus o ensino técnico profissional era feito para uma era em que as exigências tecnológicas eram em geral baixas

nas novas oportunidades há nos cursos EFA "disciplinas" com aprendizagens similares o inglês que há 40 anos era (escolhido lo francês)
ao invés de dactilografia ensinam-lhes aplicações informáticas

e em vez das máquinas de escrever o computador

seria melhor que se fizessem milhares de cursos de contabilista
electricista pintor mecânico

os IEFP's fazem isso hoje em dia
necessitará de existir uma escola para isso?

porque não associações empresariais

há várias opções dentro dos cursos das novas oportunidades e apesar de inicialmente ver como vossa senhoria apenas défices

comecei após uns meses a ver grandes potencialidades nos CNO's

deveriam ser feitos de outro modo ?
provavelmente

mas é uma opção para muita gente tirar o 9º ano e poder sair de empregos ilegais e de biscates com baixa remuneração

logo....não me desfaz os intestinos ver um miudo chegar à Universidade pelo CNO

se não se conseguir adaptar tudo ficará corrigido como outros milhares que desitem todos os anos

se poderia ter entrado outro mais merecedor?

é um caso do se....

o mérito é algo subjectivo
um aluno que é treinado para conseguir 90 ou 80% nos exames do GAVE é mais merecedor do que outro
que o tentou fazer por si próprio e só conseguiu 60 ou 70%

one hundred trillion dollars disse...

nem sequer é um sentimento corporativo que me anima

correio electrónico cnodocref@gmail.com cno C.N.O

é sim um saber de experiência feito

de resto como se indica no post
anterior um sistema feito de exames subjectivos e de copianços

também não é garante de qualitá

essa ideia de que um curso superior é algo que legitimiza a capacidade intelectual e profissional do possuidor

é assi a modos que....

Anónimo disse...

Sou muito crítica em relação ao programa das Novas Oportunidades e teria sido bem mais relevante se os seus mentores, nos últimos anos, tivessem criado as verdadeiras "Oportunidades" para todos os cidadãos (e não é o caso da notícia do Expresso!).

É lamentável chegar-se à idade da comentadora Mar e, pelas circunstâncias da vida, ter de emigrar para um país distante à procura das verdadeiras Novas Oportunidades que o seu país lhe negou.

A frase que tem no seu blogue comoveu-me - "Quando este blogue deixar de o ser; bom sinal, voltei a Patria."

Desejo-lhe do fundo do coração que o seu blogue deixe de o ser muito em breve e aceite um forte abraço porque são pessoas como a Mar que, ainda, me fazem acreditar que somos um país de gente boa e com sentimentos.

Isabel BP

P.S. O "azaharealfarroba" vai começar a fazer parte da minha lista da blogosfera.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro one hundred
Não deve ter lido bem o meu post nem o comentário de resposta a Mar. Em nenhum deles referi que o curso superior legitimasse alguma coisa...
Pelo contrário, afirmo claramente que um alfaiate, um electricista ou um canalisador valem, "pelo menos", tanto como eu.
Não vejo por isso donde tirou a sua ilacção!

Presépio no Canal disse...

Querida Dra Helena,

Os meus parabens pela nomeacao do seu filho, Paulo Portas, como Ministro dos Negocios Estrangeiros de Portugal. :-)
Muito bom, muito bom!
Estou feliz e esperancada com este elenco governativo!
Temos Portugal! Apesar dos tempos dificeis que se avizinham, acredito que possamos, com esta equipa, fazer as mudancas que se impoem!
E pronto. E isto. Estou contente!
Tambem fiquei contente com a escolha da Assuncao Cristas!
Quem sabe, daqui a a algum tempo, comeco a ver muitos produtos portugueses nos supermercados daqui, em vez de tantos produtos espanhois. ;-)
As nossas florestas mais cuidadas e de novo, o Mar...
Ja sonho! Outra vez! :-)
Beijinhos!
Bom fim-de-semana! :-)

Fada do bosque disse...

Está escrito no blogue da MAR:

"Gosto de Mulheres versateis, com garra para seguir a vida, que admitam o erro quando erram e saibam dai retirar liccoes, preciosas liccoes para a espiral da evolucao.
Gosto da Helena Sacadura Cabral (...)"

Helena Sacadura Cabral disse...

Presépio no Canal, minha cara
Quem me dera poder estar contente com esta nomeação. Mas não estou.
Nunca escondi a minha mágoa - a única que tenho na vida - de ter os meus filhos na política. É mais forte do que eu.
A única alegria que tenho é saber que lutou pelo que queria e viu o seu trabalho compensado.
Mas esperam-me ainda muitas preocupações às quais gostaria de ser poupada.
Como dizia minha santíssima sogra, "filhos criados, trabalhos dobrados"...

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Mar
Não consigo entra no seu blogue. Carrego e nada. A Fada entrou. Pode mandar-me o link?
Abraço

Mar disse...

Carissima Helena

So tem filhos como os seus, a mae cujo Anjo solar(a Alma) se organizou entre actividade inteligente e amor-sabedoria. Seus filhos sao o resultado visivel disso, e eu como Portuguesa gosto que eles estejam na Politica.
Nao sei se fui demasiado dramatica no meu anterior comentario, nao era essa a intencao mas saiu assim.Alias quase sempre escrevo numa correria de palavras e la vem erro do qual muitas vezes nem me apercebo.
Fadas sao isso mesmo,gente do encantamento,generosas.
Com elevada consideracao e apreco lhe deixo o link
http://azaharealfarroba.blogspot.com.

Anónimo disse...

Cara Helena,

A pergunta é para a Mar, mas como passei por cá e também já entrei no blog "azaharealfarroba", aqui vai o link:

http://azaharealfarroba.blogspot.com/

Isabel BP

Anónimo disse...

Esta notícia deixa-me triste porque, mais uma vez, se lê a história de sucesso do «chico-esperto» que ultrapassa todas as etapas que deveriam ser percorridas, como a maioria dos miúdos faz. Não querendo desejar mal nenhum ao rapaz, aguardo pacientemente pela notícia do seu chumbo, simplesmente porque lhe vão faltar as bases. A menos que, para as estatísticas o aprovem administrativamente, o que também não me deixaria espantada. Esta história irrita-me também porque, aos dois adolescentes que lá tenho em casa, farto-me de lhes explicar que «sucesso só vem antes de trabalho no dicionário»...Com estas notícias torna-se complicado convencê-los desta verdade. É uma trabalheira que estou disposta a continuar, para bem dos meus filhos, e que não vou desistir, mas anseio por governantes e responsáveis políticos mais competentes e sérios que me «ajudem» ...ou que, pelo menos não «estraguem», com decisões deste calibre, o meu propósito de tentar que os meus filhos sejam sérios, honestos e trabalhadores para termos um país com um futuro melhor. Costumo dizer aos meus maravilhosos filhos que Portugal é um país demasiado pobre para ter inúteis. E, no meio disto tudo, a responsabilidade nem é do jovem e sim de quem «inventou» semelhante esquema. Helena, a senhora é para mim um exemplo e uma inspiração. Muito obrigada.
Paula Felgar